História Impure - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Girls' Generation
Personagens Baekhyun, Jessica, Taeyeon, Tiffany
Tags Baekyeon, Snsd, Taengsic, Taeny
Visualizações 300
Palavras 5.045
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ecchi, Hentai, Lemon, Orange, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltayyyyy!
Alguns estavam sedentos por esse capítulo, outros não queriam ele. Mas isso já fazia parte do plano, rs.
Ah, me perdoem por ter exagerado um pouquinho no tanto de palavras, foi sem querer rs.

Não vou enrolar aqui, então podem ler, bbs <3

Capítulo 4 - 04


Fanfic / Fanfiction Impure - Capítulo 4 - 04

Jessica:

 

- Eu já tenho a minha resposta – sussurrou.

 

- Hm... – aproximei meus lábios de seu ouvido. – Então me diga.

 

- O que nós temos não é igual ao que eu tenho com Tiffany. – disse um tanto nervosa.

 

- Por que...? – a incentivei a continuar, ela deu uma risadinha nervosa e aproximou sua boca de meu ouvido.

 

- Porque você quer que as coisas avancem. – ela sussurrou. – Eu gosto disso.

 

- Como eu esperava... – sorri sensualmente e a agarrei pelo tecido do moletom. – Você é muito observadora, Senhorita. Kim. Taeyeon... – aproximei meus lábios dos dela e estávamos quase nos beijando quando meu celular vibrou. Bufei e o tirei de dentro da minha bolsa. – Só um minuto, é o meu namorado. – suspirei e atendi a ligação. – Oi Dong!

 

- Já saiu da empresa? – perguntou.

 

- Então, sim, mas saí com umas colegas de trabalho, nós estamos indo pro noraebang. Por que?

 

- Ah...eu tinha planos de sair com você hoje. – suspirou chateado.

 

- Poxa, que pena. Você deveria ter me ligado antes... – fingi chateação. – Se você quiser posso deixar as garotas e ir com você pra onde você quiser. – falei e Taeyeon olhou pra mim com uma bela cara de "Que?", apenas fiz um sinal com a mão para que ela esperasse e coloquei no viva-voz. – E aí? O que acha?

 

- Não, não se preocupe, podemos sair juntos depois. Se divirta com suas amigas, amor! Beijos. – ele disse todo contente e Taeyeon precisou colocar a mão sobre a boca pra evitar rir alto.

 

- Ok então, vou me divertir sim, tchau tchau, Dong! Amo você, beeeijo! – e então desliguei.

 

- Coitado. – ela disse. – Tá tudo bem pra você trair seu namorado assim? – perguntou segurando o riso.

 

- Quem é você pra me perguntar uma coisa dessas? Tá tudo bem pra você trair o seu NO-I-VO assim? – perguntei num tom sarcástico.

 

- Pensando bem...eles não vão descobrir mesmo. – ela sorriu maliciosa.

 

- Enfim, onde paramos? – perguntei a puxando pra perto de mim novamente, mas dessa vez ela recuou um pouco. – Ué, o que foi?

 

- É que eu preciso saber de uma coisa primeiro...

 

- Tipo...?

 

- Nós vamos ficar apenas no beijo ou...? – gesticulou e eu tive de rir, acabei a soltando, porque aquela pergunta me broxou na hora.

 

- Taeyeon---- eu posso te chamar assim, certo? – perguntei e ela assentiu. – Ok então. Nós somos adolescentes?

 

- Não.

 

- Somos virgens?

 

- Não. – respondeu rindo.

 

- Então, é claro que não vamos ficar só no beijo. – ri. – Se vamos trair, vamos fazer isso apropriadamente. – falei e ela riu nervosamente.

 

- Então, este é o ponto que eu queria chegar. – pigarreou. – Como eu vou te explicar isso? – coçou a testa. – Eu não sou como você pensa que eu sou.

 

- Como assim? – ri. – Você é hetero?

 

- Não, não é disso que eu to falando. – ela negou com a cabeça. – Eu sou um pouco diferente do geral, sabe? – perguntou nervosa.

 

- Você tá falando igual o Edward do Crepúsculo, só falta dizer que é uma vampira. – ri e ela riu junto, mas logo parou.

 

- Você só vai entender depois. – coçou a cabeça e suspirou. Ela parecia muito nervosa.

 

- Ok então...você vai sair com o BaekHyun hoje? – perguntei e ela negou. – Ótimo, vamos pra minha casa.

 

- Ok... – ela fraziu o cenho e inclinou a cabeça pro lado em estranheza.

 

                Taeyeon chamou um táxi e nós fomos para a minha casa, ela estava muito calada, eu não sei por qual motivo ela estava tão nervosa, ela estava mais nervosa que eu e aquela seria minha primeira vez com uma mulher, primeira vez traindo DongHae e ela ainda era minha chefe. Ela ficou observando minha casa em silêncio ainda, aquilo estava me incomodando de certa forma, porque eu não tinha uma casa muito luxuosa como a dela deve ser e nem era cheia de conforto ou seja lá o que mais, minha casa era bem, mas bem comum. Ignorei esse sentimento de inferioridade e a fiz sentar no sofá, dei a volta nele e coloquei minhas mãos em seus ombros.

 

- Minha casa não é como o que você está acostumada, mas estamos sozinhas. – sussurrei em seu ouvido e mordi o lóbulo de sua orelha.

 

- Hm, Jessica? – ela me chamou. – Eu não sei se você vai querer continuar com isso.

 

- Quanta insegurança. – ri, fiquei de frente pra ela e sentei em seu colo, ela se sobressaltou e se ajeitou no sofá, me fazendo ficar sentada em suas pernas. – Não tem porquê eu não querer continuar. Você tem alguma DST? – perguntei.

 

- Não, não se preocupe. – ela disse.

 

- Então relaxe. – me aproximei mais e passei a distribuir beijos pelo pescoço dela, sua respiração ficou acelerada, suas mãos agarraram o estofado, as minhas abriram o zíper do seu moletom enquanto levava meus lábios aos dela. Ao que nossos lábios se tocaram, senti um certo pulsar abaixo de mim, ignorei, pensei ser impressão minha, mas ao que nosso beijo foi se tornando ainda mais intenso, senti uma protuberância que não deveria estar ali. Parei o beijo e me afastei um pouco sem sair do seu colo. – Taeyeon? – ela parecia saber do que eu estava falando, a expressão dela era constrangida. – Você trouxe um brinquedinho na calça?

 

- É uma surpresinha, você decide se isso é desagradável ou não. – ela disse, sem sorrisinho nem nada. – Pode olhar, se quiser.

 

- Hm...ok então. – saí do colo dela, me ajoelhei, abri o botão da sua calça, abri o zíper da mesma e vi que ela usava cueca boxer, dei uma risada por isso, aquilo estava excitante. Segurei a barra da cueca preta e desci junto da calça dela. Eu não sei dizer o quanto eu fiquei surpresa com o que eu vi. Estava tão em pé.

 

- Eu disse que eu era um tanto diferente. – ela disse num tom constrangido.

 

- Wow. – foi tudo o que eu consegui dizer, passando a movimentar minha mão em um sobe e desce por seu membro. – É tão grande, tão grosso...

 

- Isso não é... Ahn~~ – gemeu. – Uma novidade...pra você, mas... – engoliu em seco. – É minha primeira vez com uma mulher. Então se eu fizer algo errado, tenha paciência.

 

- Sério que eu vou ser sua primeira? – perguntei olhando em seus olhos procurando qualquer indício de brincadeira, eu não consigo acreditar que aquilo era verdade. Ela apenas assentiu. – Vai ser uma novidade pra mim também, porque eu nunca transei nem com mulheres, nem com mulheres com pênis. Mas isso não importa agora. Vem cá. – me levantei e a chamei com o dedo enquanto caminhava em direção ao meu quarto.

 

                Ela guardou seu membro dentro da cueca e me seguiu. Puxei uma poltrona até o centro do quarto e a fiz sentar nela, primeiro tirei o seu moletom e o joguei pra longe, depois sua calça, dei um breve beijo em seus lábios e me afastei. Subi na cama e me virei de frente pra ela, seus olhos não desgrudavam de mim e era extremamente satisfatório olhar o meio de suas pernas e perceber o quanto ela estava excitada, por mais que fosse bem estranho pra mim saber que ela na verdade tinha um pênis maior e mais grosso que o do meu namorado, mas que tinha me deixado excitada, ah isso tinha. Confesso que até fiquei mais alegre.

 

                Passei a desabotoar os botões da minha camisa e Taeyeon libertou seu amiguinho, passando a masturbar seu membro enquanto me olhava. Depois de desabotoar todos os botões, joguei minha camisa na cara de Taeyeon, os movimentos dela estavam aumentando e eu estava me divertindo vendo aquilo. Me virei de costas e desci o zíper traseiro da minha saia e a retirei rebolando mais que de costume, Taeyeon estava ficando apressada nos seus movimentos, vez ou outra ela tinha a boca aberta e soltava alguns gemidinhos abafados, acabando por morder os próprios lábios e eu precisaria intervir ou ela gozaria antes de termos contato físico.

 

- Taeyeon. – a chamei em tom de ordem. – Você veio apenas pra ficar na punheta? Venha aqui. – a chamei e ela pareceu ficar um tanto chocada, talvez pelo meu tom de voz, afinal eu era uma funcionária que estava mandando nela, mas mesmo ela veio, ainda movimentando sua mão em seu membro. Me ajoelhei a sua frente e enlacei seu pescoço com meus braços, passando a acariciar sua nuca e cabelos. – Eu sei que você deve estar estranhando, mas você está na minha casa. Eu mando aqui e você me obedece. Capisce?

 

- Ce-certo... – assentiu. Dei um selinho em seus lábios e me afastei.

 

- Tire o resto de suas roupas e deite. – ordenei e ela o fez sem nem mesmo questionar, gostei muito disso. – Muito bem, agora coloque dois travesseiros abaixo da sua cabeça, de modo que você fique confortável, você vai precisar. – sorri maliciosa e ela hesitou um pouco, parecia receosa, mas assim o fez.

 

- Puta merda... – resmungou ao ver que seu membro estava tão em pé e rijo, que ao que ela se deitou ele passou a encostar em seu abdômen. Saí da cama e fui até meu guarda-roupa. – O que você vai fazer? – perguntou curiosa e então levantei duas algemas felpudas coloridas, estando ainda de costas.

 

- Primeira vez que vou usar isso em alguém que não seja eu. Meu namorado não gosta de usar essas coisas. – sorri contente e caminhei até ela. – Mas você tem cara de quem adora. – mordi o canto do meu lábio e ela arfou forte. – Como você é uma boa menina, vou te deixar confortável. Mas primeiro, abre a boquinha. – pedi e ela o fez, pude então colocar uma faixa entre sua boca, amordaçando-a. – Agora me dê seus pulsos. – ela os estendeu e assim prendi os mesmos nos ferros da cama acima de sua cabeça.

 

                Ela tinha a respiração acelerada e pesada, estava adorando ver o desejo transbordando por seus olhos. Era algo que eu sempre gostei muito, eu gostava de estar dominando, mas com DongHae não era interessante, já que eu não precisava fazer nada pra "dominar" ele. Ele é do tipo que prefere coisas mais carinhosas, se eu olhar pra ele de jeito malicioso, ele fica com vergonha, já eu prefiro algo mais selvagem, gosto de bater e apanhar e essas coisas, sabe? Por esse motivo o sexo com ele muitas vezes era um tanto chato. Mas com Taeyeon irá ser como eu gosto. Eu vou diverti-la, ela vai me usar, mas eu também vou me divertir e usá-la. Do jeito que eu quiser.

 

                Ela estava ficando inquieta sob mim, então resolvi agir. Aproximei meu rosto do dela e sorri.

 

- Você é bem apressada, huh? – bati o indicador na ponta do nariz dela. – Tenha calma. Eu quero que você lembre dessa noite por bastante tempo. – sussrrei em seu ouvido.

 

                Mordi sua orelha, deixei algumas mordidas e beijos em seu maxilar, descendo até o seu queixo, olhei uma última vez em seus olhos e eles gritavam um pedido silencioso para que eu fosse direto ao ponto. Dei uma leve risada e desci meus lábios ao seu pescoço, lambi e mordi aquela região o suficiente pra deixar algumas marcas, mas nada exagerado, porque eu sabia bem com quem eu estava prestes a transar. Não podia marcá-la pra valer. Desci meus lábios para sua clavícula e fiz o mesmo processo, seu peito descia e subia devido a ansiedade. Ajeitei meu cabelo atrás da orelha e fixei meu olhar no seu antes de abocanhar um de seus seios, ela gemeu abafado e sua respiração ficou ainda mais pesada, ela tentava se manter de olhos abertos, mas parecia estar difícil.

 

                Repeti o mesmo no seu outro seio e então fui descendo os meus lábios por seu abdômen, pude ver seu membro pulsar repetidas vezes, vi também que seu abdômen estava melado pelo pré-gozo que ela liberou e apenas pra atiçar, lambi a cabeça do seu membro e lambi meus lábios. Nesse momento ela fechou os olhos com muita força e fechou as mão em punhos, me sentei sobre seu membro que estava deitado sobre sua barriguinha lisa, passando a esfregar meu sexo em sua extensão, soltando alguns arfares que eram acompanhados pelos gemidos dela abafados pela mordaça. Ainda rebolando em cima dela, retirei meu sutiã e o joguei na cara dela. Os olhos dela foram certeiros em meus seios, mas ela estava indecisa entre olhar em meus olhos, meus seios e o movimento do meu quadril. Afastei minha calcinha e continuei a rebolar em seu membro, misturando nossos fluidos.

 

                Depois que eu já estava muito molhada e louca pra ir direto ao ponto, saí de cima dela, comecei a masturbá-la enquanto chupava a cabeça do seu comprimento. Os gemidos dela aumentaram e ela puxava seus braços com bastante força, fui colocando mais do seu membro em minha boca e Taeyeon estava indo a loucura, passando a ter suas veias do pescoço e testa saltadas e também a movimentar seu quadril para que pudesse chupá-la ainda mais. Afastei meus lábios de sua pele e me deitei sobre o corpo dela, dei alguns beijinhos em seu rosto enquanto a observava acalmar a respiração.

 

- Eu vou te dar a chance de falar, fazer e me pedir algo. Pense bem. – falei antes de desfazer o nó da mordaça.

 

- Caralho, Jessica. Você vai me deixar louca! – arfou e eu sorri ao vê-la se aproximar para me beijar. Nos afastamos devido a falta de ar. – Me deixa te foder, por favor, eu não aguento mais de tanta vontade de estar dentro de você. – ela implorou e eu dei um selinho em seus lábios, abri a gaveta do criado-mudo e tirei de lá uma camisinha sabor menta, balançando ela de frente ao seu rosto.

 

- Você tem um amigo bem alvoroçado, então por via das dúvidas, vamos usar isso. Não to afim de engravidar. – falei abrindo a embalagem.

 

- Não to pronta pra ser mãe também. – ela riu. Me sentei em suas coxas e coloquei a camisinha na minha boca. – O que você vai fazer? – perguntei e eu apenas pisquei pra ela e me abaixei, colocando a camisinha nela enquanto envolvia seu sexo com meus lábios em seguida. – Puta merda! – grunhiu.

 

                Soltei seus pulsos das algemas e ela se sentou automaticamente, segurando minha cintura com suas mãos. Ela passou a deixar beijos, leves sucções e mordidas no colo dos meus seios, suas mãos desceram até minha bunda e as apertaram com força me fazendo gemer um pouco mais alto, ela resmungava algo que eu não conseguia ouvir enquanto explorava meu corpo com seus lábios, língua e mãos. Minhas mãos estavam ocupadas em segurar seus cabelos negros e em puxá-la pra mais perto de mim. Taeyeon me deixa acesa muito fácil, sempre que a vejo com aqueles ternos e gravata consigo sentir meu íntimo se revirar em excitação e tendo ela me tocando dessa forma vai muito além do que eu posso explicar.

 

- Caralho, Jessica! – resmungou me jogando na cama e simplesmente rasgou minha calcinha. Sorri sacana por isso e mordi meu lábio, colocando meu pé em seu ombro. – Você é muito gostosa. Eu preciso te foder. – disse olhando no fundo dos meus olhos.

 

- O que está esperando? Minhas pernas estão abertas pra você. – sussurrei a última frase.

 

- Você mandou e desmandou em mim até agora, até me fez implorar... – ela disse de forma sensual, passando a deixar beijos em minha panturrilha e coxa. – Chegou a sua vez de implorar. – sorriu de modo descarado. – Implore, Jessica. Implore pra ter meu pau entrando em você. Implore por minha boca te chupando. Implore por mim. – ela disse com um sorriso muito safado.

 

                Eu sabia que ela gostava disso mais agressivo, minha intuição nunca falha. Ela começou acariciar minha intimidade, provavelmente procurando meu clitóris e quando achou passou a massageá-lo e então eu passei a empurrar meu quadril de encontro a sua mão enquanto segurava meus gemidos, e quando eu soltei alguns gemidos arrastados, ela parou.

 

- Vamos lá, baby. Eu sei que você quer, você só precisa pedir... – ela disse num tom completamente impróprio.

 

- Taeyeon, você sabe que eu to louca pra te sentir dentro de mim. Faça o que você quiser comigo hoje, me foda, por favor. Eu te imploro. – pedi mordendo meu lábio inferior. Ela soltou uma risadinha, conferiu se a camisinha estava direito em seu pênis e então ela olhou pra mim.

 

- Muito bem. Vamos lá. – falou abrindo mais minhas pernas pra ela e se posicionando corretamente no meio delas. Segurou a base de seu membro e arrastou a cabeça dele em meu íntimo, prendi a respiração instantaneamente. – Um... – ameaçou me adentrar. – Dois... – colocou apenas a cabecinha e eu agarrei as cobertas abaixo de nós e gemi arrastado e manhosamente. Ela estava demorando para dizer o três, eu sabia o que ela estava fazendo. Ela estava me torturando um pouco.

 

- Três. – falei me empurrando contra seu membro pulsante. Gememos alto juntas, nós duas estávamos tentando nos acostumar com aquele contato, por isso ela estava indo devagar. – Oh meu Deus... – gemi.

 

- Tão apertada. – disse em meio a um gemido arfado. – Tão quente...hm~~

 

- Taeyeon, me fode pra valer! – a puxei contra mim com a ajuda das minhas pernas, Taeyeon parou com o rosto sobre mim.

 

- Isso é tão errado, mas eu to gostando tanto que parece certo. – ela disse antes de me estocar pela primera vez, forte e profundamente.

 

- Acredite... – falei entre os gemidos. – Eu estou pensando a mesma coisa. – sorri de forma desengonçada devido ela estar me estocando com firmeza, ela me olhava profundamente, então aproximou seus lábios dos meus, iniciando assim um beijo sedento, repleto de desejo e sentimentos impuros.

 

                Alguns minutos se passaram e nossos corpos suavam, nossos gemidos/gritos se misturavam e Taeyeon estava fazendo seu máximo pra não gozar antes de mim, ela estava se esforçando bastante. Eu gostei disso, porque saber que ela não estava apenas transando comigo pra se autosatisfazer, ela também queria que eu me sentisse satisfeita. Eu não era apenas um objeto pra ela, pelo menos. Meu ápice se aproximou, meu corpo apresentou os primeiros sinais e deu alguns espasmos, Taeyeon também parecia estar no limite, mas tratou de acelerar um pouquinho mais.

 

- Taeyeon, eu... – gemi e engoli em seco. – Eu to quase lá. Mais rápido.

 

- Estou tentando... – ela disse ofegante. – Grite meu nome, Jessica. Me deixe ouvir isso. Goze pra mim e por mim.

 

- Hm~~ Taeyeon, isso... Ah!~~ Holy shit! – eu gemia loucamente enquanto cravava minhas unhas em suas costas e sentia o impacto de nossos corpos se chocando. – Damn it! AHHN~~ OH YES! YES, YES, YES! SO GOOD, TAEYEON-AH! I'M FREAKING OU---- FUCK! – gemi alto, podendo então liberar meus fluídos.

 

                Taeyeon saiu rapidamente de dentro de mim e retirou a camisinha, masturbou seu membro com pressa, este já tinha todas as veias possíveis à mostra. Ela tombou sua cabeça pra trás e tinha a boca aberta de forma indecente, era uma cena maravilhosa aos meus olhos. Logo ela chegou ao orgasmo, liberando seu jato forte de esperma em meus seios e abdômen, a respiração dela foi se acalmando conforme seu orgasmo cessava. Taeyeon era uma mulher admirável, não sei praticamente nada sobre ela, mas apenas a presença dela era o suficiente para fazer com que você a admire, sem mais, nem menos. E cara, ela estava ajoelhada entre as minhas pernas naquele momento, nua, completamente acabada de cansaço e seu corpo brilhava devido ao suor, tinha os cabelos bagunçados e grudados em seu rosto, ofegava forte, fazendo seu peito descer e subir compassadamente, assim como eu. Observando-a, me dei conta de que eu havia acabado de transar com a minha chefe. Tive o privilégio de fazer o que muitas pessoas naquela empresa sonham em fazer.

 

                Seus olhos semicerrados me encaravam, sua boca entreaberta me convidava a beijá-la novamente, dei uma risada e me ajoelhei na cama, fazendo o que eu sentia vontade. Envolvi seus lábios com os meus, posicionei minhas mãos em sua cintura e a puxei contra mim, Taeyeon desceu suas mãos até as minhas e as levou até seus ombros, logo as colocando em minhas coxas, suspendendo-as em seguida. Ela me fez sentar em seu colo e passou a deslizar suas mãos por minhas costas, me causando uma série de arrepios. Nossas línguas se encontravam diversas vezes e aquilo estava me acendendo novamente, a ela também, já que eu podia sentir seu membro se enrrijecendo contra meu sexo novamente.

 

- Você quer mais uma? – ela perguntou.

 

- Você ainda tem força pra isso? Você parece estar bem cansada. Não se esforce muito, você tem que trabalhar amanhã. – falei tirando algumas mechas de cabelo da frente do seu rosto e as ajeitando atrás de sua orelha.

 

- E você também, mocinha. Ou você tem planos de faltar? – semicerrou os olhos pra mim.

 

- Não seria uma má ideia, mas eu ainda preciso trabalhar. Dinheiro não cai do céu. – comentei rindo a fazendo rir junto.

 

- Muito bem, meus funcionários são empenhados. – ela disse toda orgulhosa e eu a olhei com uma expressão que a fez rir, era de total descaso. – O que é? Eu ainda sou sua chefe.

 

- É, eu sei, eu to lembrada disso. – rolei os olhos. – Você bem que poderia me promover, né? Já trabalho pra você há séculos e não saio da recepção, pensei que você nem soubesse da minha existência.

 

- Hm...não me parece uma má ideia. – ela disse com uma feição pensativa. – Tem preferência por um cargo em específico?

 

- Nunca parei pra pensar nisso. – dei de ombros.

 

- Ok, vou pensar sobre isso depois, vou ver onde posso te encaixar e te passo as vagas pra você escolher onde quer ficar. Tudo bem pra você? – perguntou.

 

- Sério mesmo? – perguntei e ela assentiu como se fosse a coisa mais óbvia do mundo. – Finalmente! – comemorei e dei alguns selinhos em seus lábios. – Vamos tomar um banho e depois comer alguma coisa, to ficando com sono. – sussurrei contra seus lábios.

 

- Devem ser umas oito da noite... – ela disse pensativa. – Acho que dá pra gente ir em um restaurante antes de eu ir pra casa.

 

- Ah, não. Fica aqui mesmo. – falei me levantando e a puxando comigo para o banheiro.

 

- Jessica, eu preciso ir pra empresa amanhã. – ela disse.

 

- Você é a diretora de lá, você pode muito bem chegar um pouquinho mais tarde. – falei ligando o chuveiro e ela riu abraçando minha cintura e nos colocando debaixo do mesmo.

 

- Sabe que você tem razão? – ela comentou beijando meu pescoço.

 

- Eu sempre tenho. – falei convencida e ela ficou encarando meus lábios. – Eu tenho certeza que você tá louquinha pra me beijar. – soltei, a fazendo me olhar nos olhos.

 

- Culpada! – ela riu antes de se aproximar e me beijar.

 

                Eu não sei se isso é apenas impressão minha, mas estou sentindo que tenho gostado disso, de estar com ela, mais do que deveria. Taeyeon fez um oral maravilhoso em mim, tive de ensinar algumas coisinhas, já que ela era inexperiente e não sabia como fazer, mas ela aprendia as coisas bem rápido e logo eu só me preocupei em aproveitar o momento. Depois de gozar demoradamente em sua boca, fomos finalmente tomar o tal banho, foi bem divertido, nós brincamos bastante, ficamos fazendo cócegas uma na outra, jogando espuma na cara uma da outra, Taeyeon até mesmo fez uma barbixa nela com a espuma, fazendo caretas engraçadas, fizemos penteados bem estranhos em nossos cabelos ensaboados pelo shampoo, enfim...foi realmente bem engraçado.

 

                Taeyeon era muito além daquela seriedade toda que ela tinha na empresa.

 

Taeyeon:

 

- Acho que a gente demorou mais do que deveria no banho. – comentei ao sentar na cama, observando meus dedos enrugados.

 

- Você quer dizer no banho mesmo ou desde que entramos no banheiro e ligamos o chuveiro? – Jessica comentou rindo enquanto procurava no guarda-roupa algo pra vestir.

 

- No banho mesmo. – respondi rindo. – Meus dedos estão todos enrugados, olha. – os estendi para que ela os visse.

 

- Taeyeon, você tem quantos anos? – perguntou rindo, eu ia responder minha idade, mas senti a ironia por trás daquela pergunta, por isso semicerrei os olhos pra ela. – Você parece uma criança as vezes.

 

- Vou fingir que sou surda. – comentei e me levantei. – Hm, Jessica... – a chamei enquanto olhava para o chão.

 

- Huh? – olhou pra mim.

 

- Cadê minhas roupas? – perguntei.

 

- Ah, eu coloquei pra lavar. – ela disse simplesmente.

 

- Como eu vou pra casa amanhã? – perguntei um tanto desesperada.

 

- Amanhã já vão estar secas, Taeyeon. – ela riu. – Você nunca lavou roupa não? Eu hein...

 

- Certo, mas e por agora? Eu vou ficar peladona mesmo? – perguntei.

 

- Não seria uma má ideia... – ela comentou sugestiva.

 

- Ah, então essa foi a intenção desde o início. – ri sapeca.

 

- Brincadeira, eu tenho algumas roupas do meu namorado aqui, você pode vestir elas por hoje. – ela disse. – Toma, veste isso. Acho que cabe em você. – me jogou uma bermuda e uma cueca boxer.

 

- Eu realmente to com pena do seu namorado. – comentei rindo.

 

- Por que? – ela olhou rindo pra mim.

 

- Você mentiu pra ele, traiu ele e ainda me ofereceu as roupas dele pra vestir. – ri já vestindo a cueca que me foi oferecida, que ficou um bocado folgada nas pernas, mas o importante era segurar o meu brother.

 

- Se quiser ficar nua é só me devolver as roupas dele e pronto, eu juro que não me importo. – brincou. – Depois eu tenho que pedir mais algumas roupas do Dong, ele só traz camiseta. – disse me estendendo uma camiseta branca. Vesti a bermuda e a camiseta. – Não vai querer um sutiã ou top? – ela perguntou.

 

- Não, não. Estou bem assim. – sorri e ela assentiu, procurando uma roupa pra ela. Vestindo suas peças íntimas e um babydoll de cetim preto. Assoviei e ela me olhou por cima do ombro. – Que sexy essa Jung! – pisquei pra ela e ela deu uma risadinha.

 

- Meu Deus, Taeyeon. – rolou os olhos.

 

- Que foi? Te deixei com vergonha? – perguntei, a vendo desviar o olhar e virar o rosto.

 

- Não. – disse simplesmente e eu ri, me levantei, a abracei pela cintura e deixei um rápido selar em sua bochecha, a assustando.

 

- Vamos pedir alguma coisa pra comer. – falei ao que ela se virou de frente pra mim.

 

- Eu tomei um susto, sua besta! – ela disse antes de me dar um tapa no ombro.

 

- Eita, mas você já tá me xingando? Não se esqueça que eu sou sua chefe. – comentei rindo.

 

- Não se esqueça que eu sou sua funcionária e que se você me demitir, eu posso te processar e dizer que você me abusou sexualmente. E aí? Quem perde mais? – entrou na brincadeira. – Huh?

 

- Eu só estava brincando, não precisava pegar pesado. – resmunguei e ela riu, dando um selinho em meus lábios.

 

- Vamos logo pedir a comida. – me puxou até a sala.

 

- O que você quer comer? – perguntei.

 

- Hm...não sei, qualquer coisa. – deu de ombros.

 

- Que tal pizza? – perguntei e ela fez uma cara pensativa.

 

- Pode ser. – assentiu e eu liguei do meu celular pra pizzaria, fiz o pedido e desliguei, indo me sentar ao lado dela no sofá. – Eu to morrendo de sono. – ela suspirou, deitando a cabeça no meu ombro e fechando os olhos.

 

                Meu coração ficou acelerado, não tive ação nem mesmo de respondê-la, apenas fiquei admirando sua expressão calma. Jessica é tão linda, ainda não acredito que realmente fiz sexo com ela. Era utópico demais pra mim, já que eu nunca tive sorte com garotas, sempre que eu me apaixonava por uma ou até mesmo sentia apenas atração, ou elas sequer sabiam da minha existência, ou eram lésbicas e não queriam contato nenhum com certas coisas que, por acaso, eu tenho entre as pernas. Eu insistia em ter algo com meninas até os meus dezessete anos, depois disso resolvi que iria namorar apenas rapazes gays que não se importavam muito sobre o meu gênero, sobre ser mulher, sabe? Apenas com o fato de eu ser gente boa e ter um pênis.

 

                Namorei vários rapazes e por volta dos vinte e cinco anos, encontrei o BaekHyun numa balada LGBT, nós não nos pegamos loucamente como foi com os outros, era um dia triste pra mim e pra ele, ele tinha brigado com o pai dele por conta da sua sexualidade e eu estava numa crise existencial forte. Trocamos nossos números de telefone e continuamos conversando depois daquele dia, viramos amigos próximos e então eu revelei a ele que tinha nascido diferente das outras meninas e que por alguns anos da minha vida meus pais me tratavam como um menino, apenas por eu ter um pênis. Ele ficou animado com isso e quis "experimentar", saber se era como transar com meninos, nós transamos, ele gostou e depois de alguns meses transando repetitivamente, decidimos juntos que nós poderíamos namorar.

 

                Não foi o sentimentalismo que nos envolveu, eu nunca fui apaixonada por ele, mas eu sentia um carinho muito grande por ele e acho que isso que nos fez estar como estamos hoje; noivos. Só que o sexo com Jessica foi muito diferente de todas as outras noites de sexo com qualquer outro rapaz, porque eu gostei de verdade, foi algo memorável e eu não estive com ela apenas pra satisfazer a vontade, isso eu poderia fazer com BaekHyun, tinha algo diferente. E ao estar perto de Jessica daquela forma, a observando cochilar em meu ombro, com os seus cabelos loiros caindo suavemente sobre seu rosto meigo, percebo que posso ter me metido em um buraco sem fundo. Porque eu estou sentindo um frio na barriga. Algo que desde os meus dezessete anos não sentia mais.

 

                Foi só uma noite de sexo, Taeyeon. Você só está impressionada por ter sido algo novo. É isso, ok? Não é nada demais, você nem a conhece tão bem. Lembre-se que você é noiva, huh? Tire qualquer coisa absurda da cabeça, não coloque tudo a perder. Sim, eu estava conversando comigo mesma, tentando pôr minha cabeça no lugar, mas ao mesmo tempo...minha cabeça se inclinava na direção de Jessica. Eu queria beijá-la e vou beijá-la.

 

                Eu sei que...

 

                Eu não...

 

                Estou...

 

 

 

 

                Apaixonda.

 

 

                Pensando nisso, a beijei carinhosamente. O que eu estou fazendo? Eu realmente não sei.


Notas Finais


Espero que tenham gostado e não, não achem que as coisas vão acontecer rápido assim, afinal vocês me conhecem, rs.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...