História In-Desejável - Capítulo 8


Escrita por: ~

Visualizações 253
Palavras 1.420
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OI CHUCHUS

DESCULPEM A DEMORA, ESTOU TENDO DIAS REALMENTE CORRIDOS
MAS VOS TRAGO UM CAPÍTULO CHEIO DE EMOÇÕES.
OBRIGADA POR ACOMPANHAREM SZ

Capítulo 8 - Pegos no flagra


Estávamos tão sem jeito pela situação que só percebemos a presença de outra pessoa ali quando Suga finalmente encarou sua frente e indicou a presença do outro com um balançar com a cabeça.

Imediatamente virei-me para trás notando os olhos arregalados de Jungkook que parecia estar ali a tempo demais me deixando realmente sem jeito com a situação. Quando seus olhos alcançaram os meus, senti um desconforto realmente grande e a lembrança dele saindo com Yuna me veio instantaneamente fazendo-me apertar os lábios fortemente com certa raiva.

Todos pararam de rir e o clima havia tomado um peso ruim, não sabia ao certo o porque de tudo aquilo, ou como aquela situação havia chegado a um patamar tão grande e confuso. Juntei toda a minha cara de pau e forcei um sorriso pouco sincero para o meu não tão querido “irmão”.

- Você sumiu por um bom tempo, estava se divertindo? – Tentei agir normalmente enquanto via Suga e Hoseok se afastarem sorrateiramente por nossas costas.

A testa do mais novo se enrugou e ele estreitou os olhos. – Não tanto quanto você pelo visto.

E lá estava um sorriso realmente irônico estampado naqueles lábios. Cruzei os braços em frente ao meu próprio peito antes de jogar os cabelos para trás com um movimento com a cabeça.

- Não seja ridículo. -  Soltei grosseiramente. – Se tá de mal humor volta lá para a sua namoradinha. – Bufei já a ponto de dar as costas para o outro e sair dali. Estava mesmo cansado de ter que olhar para aquela falsa cara de santo e ainda ouvir bostas de que eu é quem era o errado.

Já estava me afastando quando senti uma mão agarrar um de meus braços fortemente me obrigando a virar.

- Tá doido garoto? Me solta! – Grunhi ao encarar Jungkook de frente.

Seus olhos se reviraram e ele se aproximou me obrigando a andar para trás até bater as costas contra a parede que antes estava ocupada por Suga. Estranhamente me senti na posição de meu amigo e aquilo me causou um intenso frio na barriga.

- Eu não achei que você gostasse de garotos. – Jungkook lançou rapidamente me fazendo ranger os dentes. Então ele realmente havia visto a cena de antes. Puxei meu braço com força para me livrar de sua mão que me apertava mas ele avançou ainda mais.

- Que eu saiba isso não é um problema seu! – Lancei fazendo-o enrugar a testa.

Ele balançou a cabeça e soltou uma risada nervosa. – Esta certo, não é um problema meu.. – O mais novo repetiu de forma baixa e eu estranhamente notei uma tristeza atrás de seu olhar. – Não é problema seu também se eu estou ou não namorando com a YUNA.

- Touché! – Resmunguei sentindo meus braços tremerem de raiva. O maldito estava jogando comigo, tinha certeza de que ele sabia que eu gostava da garota, todos diziam que isso vivia estampado em minha testa. – Então vai lá se pegar com ela e me deixa em paz!

Jungkook mordia o próprio lábio inferior em silêncio, não fazia ideia do que se passava em sua cabeça nem o porque dele ficar tão incomodado sobre com quem eu estava. Se ele tinha a garota mais desejada caidinha por ele, devia era aproveitar.

- Se já terminou seu discursinho ridículo eu quero voltar para a festa. – Falei desviando o rosto para o lado oposto, não queria realmente olha-lo.

Aqueles dedos longos finalmente afrouxaram seu aperto em meu braço me deixando aliviado e ao mesmo tempo inseguro com sua reação.

- É, volte para seus amigos. Você não desejou minha presença aqui mesmo no fim das contas, nunca desejou. – Suas palavras soaram fracas mas profundamente certeiras. Meu corpo simplesmente paralisou ali, nunca havia o desejado como irmão mas ainda não entendia porque realmente aquilo, aquela situação, porque tudo me incomodava tanto.

- Não mesmo! – Soltei firmemente enquanto respirava fundo para conseguir encara-lo mais uma vez. Ao contrário do que esperava, meu queixo caiu ao ver os olhos do mais novo cheios de lágrimas e seus lábios levemente trêmulos. Talvez eu tivesse sido realmente grosseiro e pegado pesado além da conta.

Era estranho querer avançar e abraça-lo, ou querer saber o porque de ele estar tão incomodado. Meu peito doía inconscientemente com aquela cena, algo que jamais esperei ver. Meus lábios se abriram mas minha voz havia sido interrompida quando Yuna apareceu chamando Jungkook.

- Kookiezinho você não gostaria de dançar comigo?  - A voz da garota era animada mas quando ela encarou o rosto de Jungkook, seu sorriso imediatamente se desfez. Ela então me encarou com rancor chegando a empurrar-me pelos ombros. – Qual o seu problema Taehyung? Porque está brigando com ele?

A voz da garota ecoava em minha cabeça mas eu ainda não conseguia reagir, as lágrimas passaram a rolar sobre o rosto de Jungkook e eu não conseguia deixar de fitar o seu rosto molhado.

- É por isso que eu nunca quis ficar com você. É um completo imbecil insensível! – A garota continuava em voz alta e aquilo pareceu começar a chamar atenção de outras pessoas. – De que adianta brigar com Jungkook? Isso não vai mudar o fato de eu não querer você!

As palavras da garota eram dolorosas e pela milésima vez estava sendo rejeitado por ela e pior, nem era por algo que eu havia realmente feito ou ido atrás e agora todos sabiam. Meu rosto esquentava e eu sentia que ia desabar ali a qualquer instante. Suga e Hoseok surgiram atrás da rodinha de pessoas que se formavam vindo diretos em minha direção.

- Parou Yuna! Tae não fez nada. – Hoseok começou a falar ao se colocar em minha frente.

Jungkook não dizia uma só palavra, seu rosto estava baixo e eu ainda conseguia ver algumas lágrimas caírem. Minha visão estava realmente turva, eu iria mostrar mesmo meu lado fraco ali?

- Deixa de ser escandalosa garota! – Suga começou. – Acha que o mundo todo gira em torno de você? Ninguém vive na base da beleza não e deixa eu te falar uma coisinha que eu acho que você ainda não ouviu: Você é mesquinha demais e não merece alguém tão bom como ele. Volta lá para o clubinho da Barbie  vai...

Por mais que eles tentassem melhorar a situação, na minha cabeça ela só parecia pior a cada instante. Mordi meu lábio, queria sumir dali e ir embora para qualquer lugar.

- Yuna. – Desta vez foi Jungkook quem a chamou. – Sobre seu pedido mais cedo... – Sua voz era falha, mas ele levantava o rosto e enxugava-o com as costas da mão. – Já que vamos ser namorados, poderíamos apenas ir para sua casa esta noite?

Outra pontada em meu estômago. Então eles agora eram namorados e eu com certeza não iria ficar ali para presenciar a melação dos pombinhos, não queria ter que ver ou ouvir mais nada naquela noite. Meus amigos pareceram perceber isso quando me olharam mutualmente e sem qualquer palavra apenas me tiraram dali. Estávamos indo para a saída e deixando todos os outros para trás quando eu finalmente me permiti desabar em choro. Meu peito realmente doía, como nunca havia doido antes.

Já havia perdido as contas de quantas vezes havia sido rejeitado por aquela garota, ou de quantas vezes havia me declarado ou tentado ser notado. Em minha cabeça rolavam flashes de todas as minhas tentativas humilhantes e falhas. Minha primeira e dolorosa decepção amorosa.  Já havia ouvido muitos dizer que doía mais jamais esperei que fosse tanto ou que fosse tão incomodo.

Já estava do lado de fora e sentado em um banco que tinha por ali, uma tentativa de meus amigos de me manter calmo após toda aquela situação. Hoseok me abraçava de lado de forma gentil enquanto eu me permitia afundar em seu peito e chorar. Suga estava de pé em nossa frente, parecia preocupado ao julgar pelas batidas de seu pé sobre as pedrinhas do chão.

- Taetae... – A voz de Hoseok era doce e baixa. – Eu queria poder ajudar, mas eu sei o quanto um coração partido dói.

Balancei a cabeça negando antes de afastar para olha-los.

- Eu me sinto ridículo. – Falhei com a voz falha e abafada pelo choro. – Eu já devia ter desistido dela a anos atrás, mas aqui estou eu completamente abalado e agora o meu “irmãozinho” é o novo namoradinho da garota que amei por tantos anos. – Falo antes de esfregar o rosto com força como se me obrigasse a parar com todo aquele drama. – AAAAAHHHH!!! Eu quero realmente encher a cara!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...