História In joy, sadness, alliances and ballet. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Grey's Anatomy, Orange Is the New Black
Personagens Alex Vause, Alexandra "Lexie" Grey, Arizona Robbins, Calliope "Callie" Torres, Cristina Yang, Derek Shepherd, Mark Sloan, Meredith Grey, Miranda Bailey, Owen Hunt, Personagens Originais, Piper Chapman
Tags Alex Vause, Arizonaecallie, Derek Shepherd, Derekemeredith, Greysanatomy, Markelexie, Meredith Grey, Nicholselorna, Oitnb, Owenecristina, Piper Chapman, Vauseman
Visualizações 39
Palavras 2.740
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Luta, Orange, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei sz
Espero que gostem, se tiver algo errado ou ruim, me falem e eu mudo. ❤

Capítulo 2 - Capítulo 2


"Pipes colocou um filme qualquer de romance e nós duas pegamos no sono o resto da tarde. "

Pov Piper

Acordei antes da Alex e tive uns 2 minutos para apreciar aquele rosto lindo dormindo, que eu tinha o prazer de ver quando podia, afinal ela sempre acorda primeiro que eu. Não pude me conter e corri meus olhos em suas pernas torneadas, parte de seu abdômen que estava exposto e um arrepio chegou até minha espinha. O corpo que eu venero todas as noites, cada curva, cada detalhe, corpo do qual eu ja beijei inteiro. Tatuagens que me tiram o fôlego e o bumbum descoberto. Um calor insuportável se passou entre minhas pernas, deusa de todas as mulheres insaciáveis, me ajuda.

Estudava aquele rosto e aquela boca, quando eu finalmente descubro aqueles olhos, e me perco nos verdes que ao perceber que eu já não estava normal, se tornou um verde escuro. Os lábios que antes eram suaves, agora estavam vermelhos e chamativos e um sorriso brincava por ali.

-Vai ficar me encarando até quando, Dra. Chapman? - olhos sedutores me encaravam e tamanha era a luxúria que haviam neles. - Fecha a boca senão vai babar. - ela se aproxima engatinhando feito uma gata desafiadora. Me deixando sem palavras. - Não vai fechar? Então deixa que eu faço isso. - Ela me ataca com um beijo de tirar o fôlego, agarra minha cintura e me puxa pra mais perto. Meu sexo que agora já estava em chamas, toca em sua coxa, ela arfa e um gemido rouco escapa de sua garganta. Tamanha era minha excitação. Agarro em seu pescoço e colo nossos corpos, ela aperta meu bumbum com força e eu rebolo em sua coxa, minhas unhas acham suas costas e deixam vários arranhões por ali. O fôlego se torna necessário e separamos nossas bocas, mas só para a de Alex ter espaço e ir para o meu pescoço. Ela afasta os cabelos que estavam ali e começa suas investidas, usa a ponta da língua que vai do pescoço à minha orelha, causando arrepios por todo meu corpo. Ela beija aquela área com tanta atenção, que me tira o fôlego, jogo a cabeça para trás e um gemido rouco atravessa minha garganta. As carícias que antes eram delicadas, se tornam urgentes, agora com mordida e chupão. Alex volta a dar atenção para a minha boca e o beijo se torna urgente. Suas mãos invadem minha pele nua embaixo da blusa e começa a fazer movimentos circulares na região exposta. Em um movimento calmo ela tira minha blusa, roça na minha pele, causando arrepios. Sem destocar nossos lábios por mais de 2 segundos eu ja estou seminua. A calcinha era unica peça que cobria meu corpo. Alex nos deitou sem desgrudar os lábios e quando o ar se fez necessário novamente, ela partiu para os seios. - Puta que pariu! Não para! - nessa altura do campeonato eu não sabia nem meu nome, e só saiam palavras desconexas da minha boca. Sua boca habilidosa chupa meus mamilos de forma excitante, ela morde meu seio e eu solto um gemido tímido, um gemido que logo é substituído por um grito, logo que ela passa sua boca para o outro seio, já duro feito pedra, Alex me chupava faminta, louca pelo prazer. Arqueo minhas costas e ela agarra meus seios com as mãos e meu gemido logo é contido por sua boca. Ela morde meu lábio inferior e puxa, causando um corte. O beijo que antes era ágil se torna delicado e antes do ar se tornar necessário novamente ela encerra o beijo com um selinho. E logo depois vai descendo entre selinhos, explorando cada curva minha, contorna meu umbigo com a ponta da língua e logo depois um selinho, me fazendo arfar, ansiosa pelo que iria vir. - Pra você ter o que você quer, vai ter que implorar. Caso contrário eu não vou saber quais são seus desejos, meu amor. - Em um movimento rápido ela abre minhas pernas e beija minha virilha, tudo isso olhando nos meus olhos. Arfo novamente arqueio as costas segurando meus seios e massageando-os, fecho meus olhos sentindo os toques, quando ela para com eles eu abro os olhos e fico com uma expressão confusa, que é logo substituída por uma expressão de surpresa. Ela fica ajoaelhada e tira a blusa, expondo aqueles seios maravilhosos. - Já disse para fechar a boca. Vai babar. - me olha irônica. 

Pov Alex

A visão de Pipes com as costas arqueadas, massageando os seios, de olhos fechados e lábios abertos foi a coisa mais sexy que já vi. Eu já vi muita coisa mas aquela vista, de longe era a melhor. Não aguentava mais a falta de contato, me ajoelhei e tirei a blusa de forma provocativa e me deparo com uma Piper totalmente diferente, me olhava feito uma tigresa preste a atacar. - Já disse para fechar a boca. Vai babar.- Voltei para as pernas dela, dando uma atenção especial para aquela área, diversas palavras desconexas saíam de sua boca. - Diga o que quer meu bem, e eu darei. - continuei a tortura em sua virilha, enquanto ela ofegava. - Por favor, Alex. - ela disse com certa dificuldade. - Por favor o que? - olhei em seus olhos, cheios de desejos. Ela sentou de frente para mim, chegou perto do meu ouvido e sussurrou: "Quero seus dedos e sua língua, de preferência dentro de mim." Meu corpo acendeu feito fogo, frase que me causou arrepios. Pipes me deu um selinho e deitou novamente, de pernas abertas e brincando com os mamilos. Sem pressa, tirei a única peça que me impedia de ser feliz, com a boca. Pipes fechou os olhos esperando pelo que iria vir, encarei o sexo encharcado e cai de boca, literalmente. Brinquei com seu clitóris, arranhava com os dentes e Piper gemia. Sem aviso, penetrei 2 dedos e ela gritou, o quarto foi preenchido por gemidos, que eram música e incentivo para mim. As estocadas eram cada vez mais rápidas, os gemidos se tornaram gritos, próximas ao ápice. Nos entregamos e chegamos ao orgasmo, juntas. Pipes era ainda mais linda gozando, a boca em formato de "O", as mãos apertando os seios, costas arqueadas e cabelos bagunçados, uma visâo dos deuses. Suguei todo seu gozo, cada gota. Enquanto ela se acalmava, eu distribuía beijos em todo seu corpo, até chegar em seu rosto. Dei selinhos em toda parte ali.

-Cansou? - disse olhando em seus olhos.

-Eu nunca me canso de você. - ela diz e me beija logo em seguida. - Sabe o que eu adoraria ver agora?

-Hum?

-Você com nosso brinquedinho. - os olhos dela se tornam um verde escuro. Já cheios de energia e desejo agora.

-Eu acho uma ótima idéia, já estava na hora de tentarmos ter um baby. - digo sarcástica e dou um beijo cheio de malícia em Pipes. - Vou pegar, aguenta aí. - Vou até o closet e abro a gaveta de brinquedos, pego o que a Pipes quer, um strap on, 17 cm. Pego o lubrificante e volto para o quarto. Deixo os dois em cima do criado mudo, tiro minha calcinha e volto para a cama com a Pipes, deito do seu lado. Ela entende o recado e senta em cima de mim, fazendo com que crie um atrito gostoso entre nós, beijo ela com urgência e só paro quando a falta de ar se torna insuportável, desço para seu pescoço e mordo, deixando visível a marca da mordida. Chupo com força e Piper grita, coloco as minhas mãos em cada lado de seu bumbum e coordeno seus movimentos, ela rebolava tão bem e eu ja estava próxima ao ápice e ela também. Subo minhas mãos em suas costas e espalho vários arranhões. Puxo seu cabelo para que eu possa ver seu rosto enquanto chegamos á outro orgasmo. Aceleramos o ritmo quando sentimos que estavamos proximas e mais uma vez, somos pegas por aquela sensação arrebatadora. Desacelero os movimentos e dou um selinho demorado nela. - Puta que pariu! - Beijo-a, abafando seus gemidos. Em um movimento rápido, eu estou em cima dela, beijando seus seios e pescoço.

-Pronta para o terceiro? - beijo seus lábios e pego a cinta, ainda em cima dela.

-Mais que pronta. - ela me olha cheia de desejo e eu me levanto para vestir o brinquedo. Sento e dou o lubrificante para ela e ela espelha por ele, eu já estou muito excitada com a cena, Piper me olha nos olhos durante todo o ato.

-Eu acho tão excitante quando faz isso. - olho para ela e ela arquea uma de suas sobrancelhas.

-Acha? Hmmm... eu acho mais excitante ainda, uma cena que é assim: eu de quatro, e você me fodendo com toda a vontade do mundo, porque eu quero ter muito mais que 3 orgasmos com você essa noite. - ela fica de quatro na minha frente e eu fico em baixo do sexo dela, chupando e lubrificando aquela área.

Me ajoelho e me posiciono atrás dela, entro devagar com o brinquedo e Piper grita. - Te machuquei? - digo preocupada. - Não, meu amor. Isso não foi um grito de dor. - ela diz rouca e com a voz carregada de desejo. Estoco uma vez devagar, duas e três. - Mais rápido, amor. - aumento a velocidade das estocadas e ela começa a gemer e dizer palavras sem sentido. Ligo o vibrador e ela treme, aumento as estocadas, dou um tapa em seu bumbum e solto um gemido rouco. - Puta merda Piper! Tão apertadinha. Gostosa! - digo com a voz bem mais rouca que o normal. - Eu vou gozar, eu vou... - Piper chega ao terceiro orgasmo e eu acelero mais o ritmo e chego ao orgasmo logo depois. Viro ela e deito ela na cama, sugo seu gozo e beijo ela, é tão bom os nossos gostos misturados, só o gosto dela é bom, misturado, melhor ainda. Deito do seu lado e respiro, ouvindo nossos corações em descompasso. - Vem. - Puxo ela pra minha barriga. - Vamos brincar de cavalinho agora. - ela me da um selinho e engole o brinquedo inteiro. Rebola freneticamente e eu seguro em seu bumbum, e cordeno seus movimentos em mim. Ela sobe e desce, vai pra frente e pra trás, segurando meus seios e brincando com meus mamilos, usando os polegares. Eu gemia a cada estocada e ela me beijava com luxúria, abafando os gemidos, o quarto tinha se tornado pequeno para os gemidos que ali ecoavam. Chegamos ao quarto orgasmo juntas. Nos beijavamos, abafando os gemidos de ambas. Ela deitou a cabeça no meu peito e eu passei minhas mãos em volta de sua cintura, continuamos na mesma posição por muitos minutos, até nosso ritmo cardíaco voltar ao normal. Ela deitou e eu tirei a cinta, deitei com ela, e ficamos de conchinha. Fazia movimentos circulares com o polegar em seu quadril e ouço um riso abafado.

-O que foi? - acabo rindo junto. Ela vira pra mim rindo e me da um selinho.

-Já percebeu que nossas folgas nunca são pra descanso? - ela ri e me olha com malícia. - A gente passa o dia todo fazendo amor e cochilando.

-Isso é verdade. Mas é melhor nós fazermos isso, do que dormir os dois dias inteiros. Não acha? - espalho beijos em seus rosto inteiro e por fim, os lábios.

-Acho, com toda certeza. - ela para e faz carinho nos meus cabelos, que estavam mais bagunçados que o quarto. E olha que a bagunça não foi pouca. - Vamos terminar isso na ducha? - ela diz e levanta, me puxando para o banheiro.

Pov Piper

Saímos do banho de roupão e descemos para a sala, Alex estava procurando um filme enquanto eu ia atrás de um restaurante para pedir para entregar. Não estamos tendo tempo para compras, se é que me entende.

-Amor?

-Oi vida. - diz Alex olhando para a tv.

-Tailandesa ou japonesa?

-Tailandesa.

-Tabom.

Pedi a comida e esperamos entre amassos. Alex achou um filme e colocou para gravar.

-Semana que vem faz 1 ano e meio que namoramos, amor. - digo entusiasmada, eu tinha tantos planos para esse dia.

-Verdade! Vamos ter que comemorar meu amor. Vou falar com a Red para ver se eu passo minhas cirurgias e você as suas. Assim conseguimos uma semana ou 4 dias de folga, e podemos curtir o suficiente.

-Combinado. - beijo ela. - Você vai precisar ir para o hospital amanhã?

-Sim, vou só pra examinar o Jake. Você sabe, o caso dele é um caso delicado. O garoto está a beira da morte. E eu não posso fazer nada, a não ser esperar um novo coração.

-Eu me apeguei á esse garoto. Ele é um doce, ás vezes a vida não é justa. O garoto é bom, e tanta gente ruim por aí. E logo ele com esses problemas. 17 anos nessa ponte, que qualquer hora pode cair, não é facil. - digo meio triste. A maioria dos médicos tinham se apegado ao moleque.

-Não é facil mesmo, mas você não pode se deixar abalar, tudo pode acontecer. E você sabe quais são os riscos, então não há nada que você ou eu, podemos fazer. E você tem que se acostumar com a idéia de que ele está em uma corda bamba. Agora tira essa carinha triste do rosto. Amanhã eu vou, examino ele e volto logo em seguida pra nós sairmos, okay?

-Okay. Eu te amo. Muito!!!

-Eu te amo muito mais, princesa!!! - beijo ela e a aperto em meu colo.

A comida é entregue e eu busco um vinho na cozinha. Comemos entre risadas, resolvemos alguns assuntos do hospital e entre alguns beijos também. Terminamos de comer e deixamos tudo na cozinha, as faxineiras iriam pela manhã, então deixamos por lá mesmo. Pegamos dois pedaços de torta e comemos ali no balcão mesmo.

-Amor vamos sair amanhã com o pessoal?

-Vamos sim, topo tudo se você estiver comigo. Quem vai?

-A galera toda, mas os mais importantes, Mark, Derek, Lex, Meredith, Nichols, Lorna, Arizona e Callie.

-Corrigindo, topo tudo se a Meredith e a Lorna estiverem. - digo brincando e Alex faz bico.

-Nossa, legal, eu não sou mais importante na sua vida? Beleza. - ela continua emburrada e eu dou risada.

-Aaah que bico mais lindo meudeuso. - roubo um selinho. - Vem cá, tu sempre foi importante e sempre será, foi você que eu escolhi pra ficar do meu lado até envelhecer. Eu te amo muito. - beijo ela e ela desemburra. E agora aquele sorriso estava bem ali.

-Acho bom. Te amo muito loirinha. Agora vamos dormir, d o r m i r, vou soletrar porque parece que você não entende muito essa palavra. - ela me beija e me pega no colo e eu solto um gritinho.

-AAH!!! Me solta!!! Isso é uma ordemm!!! E sobre eu não saber o que significa essa palavra, não sei o que você está falando.

-Não sabe né? E esqueceu que quem tá no controle sou eu? - ela dá risada e sobe as escadas comigo no seu colo. Desisto de tentar me soltar, era em vão. Alex era muito mais forte que eu.

Chegamos no quarto e ela finalmente me soltou, coloquei uma blusa e uma calcinha, Alex colocou uma calça solta do pijama e a blusa. Eu deitei e ela deitou no meu peito.

-Amor, seu cunhado quer ir resolver uns assuntos, disse que está desesperado e precisa da minha ajuda, ele queria a sua, mas sabe que você vai contar pra Mer e ela vai contar pra Lex e a surpresa vai por água baixo. Então provavelmente vou chegar mais tarde, umas 16:00, você sabe, vou passar no hospital e logo depois vou sair com o Mark. Tudo bem? Não vai ficar triste comigo? - ela me olha com cara de preocupada. Aaah Alex, sempre tão atenciosa.

-Claro que pode, mas seu irmão ta me chamando de fofoqueira? Eu vou dar na cara dele. Mas tudo bem, eu quero saber o que é, sou curiosa. Mas não fico triste não, pode ir tranquila. - beijo o topo de sua testa e faço cafuné.

Coloquei um filme, enquanto eu fazia cafuné nela, ela dormiu. Alex sempre acaba dormindo no começo do filme, ela detesta filme de romance, mas assiste pra me agradar.

-Eu amo você, dorme bem meu amor. Faço carinhos no seu cabelo e beijo o topo de sua cabeça.

Desligo a tv, puxo a coberta e dormimos agarradinhas.


Notas Finais


Amanhã ou hoje mesmo, eu posto o terceiro.
Me falem se tá bom ou não, que eu mudo.
Beijos ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...