História In my arms - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Natasha Romanoff, Steve Rogers
Tags Família, Romanogers
Exibições 74
Palavras 1.645
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Bom dia !!!!
Olha eu aqui novamente com mais um capítulo para vcs !
Obrigado por favoritarem e comentarem
Vcs são show . Ter o feedback é muito importante para mim é onde eu vejo se o trabalho deu certo e as suas expectativas.

Bem é isso , ah devo postar ainda hoje o próximo . Dependerá da reação de vcs a esse .

Boa leitura

Capítulo 3 - Decisões


-  Sabe Bucky, você tem razão. Eu quero me estabelecer aqui e o primeiro passo é  achar um apartamento para mim e para o Alex e quem sabe a com um espaço para a Beatriz. Eu sei que somos próximos – peguei na sua mão - e não teria problema ficarmos aqui, por conta da nossa história, mas acho que preciso me arrumar. Eu tenho condição de pagar um bom apê. O salário da WIA ( Eu criei gente – É um órgão de inteligência mundial ) é um bom salário, e consigo pagar a escola do Alex e dependendo de como o Steve reaja eu o ajudo ao menos com a escola da Beatriz. É o mínimo.

 - Você sabe que podem ficar quanto quiser aqui. – Ele fez um carinho na minha mão.

- Eu sei e agradeço. Agora  será que você pode me levar para a possível futura escola do dorminhoco do sofá? – olhei com cara de cachorrinho.

- Sugiro levá-lo, o diretor pode querer conhecê-lo.  Temos que levar a documentação dele também.

- Eu tenho tudo aqui, Bucky. – Levantei da mesa e fui até o sofá. – Anda, levanta já está tarde. Quero você vestido em 5 minutos, vamos conhecer sua escola e  procurar um apartamento.

- Ainda é cedo, mãe – Ele resmungou e  enfiou a cara no travesseiro. 

- Levanta , não vou mandar novamente. – Falei mais autoritária  com Alex.

- Saco... – Ele levantou indo pro banheiro como se batesse o pé a cada pisada. 

- Alex !! – O repreendi. 

- Já vou, já vou... – Ele respondeu de dentro do lavabo.

- ótimo, não demora. Desculpa por essa cena, Bucky. 

- Eu sei como ele é Nat. Não se preocupa, Tava pensando aqui. A Bia podia te conhecer hoje.  Eu falo pro Steve e eu pego ela na escola e eu te apresento.

- Bucky, eu agradeço, mas acho melhor não. Eu não quero que vocês entrem em conflito por minha causa novamente e eu pedi para conhecê-la não quero apressar nada.  Pode complicar ainda mais a situação, eu não sei como ela irá reagir.

- Tudo bem . Eu só acho que você tem direito sobre ela também . Ele não negaria. É do Steve que estou falando . 

- é eu sei , mas eu realmente não quero estragar tudo , já basta com o Alex . 

- nat , o Alex apronta, mas não acredito que ele seja capaz de ter feito o que os garotos o culparam . 

- eles estavam com drogas , Bucky . O menino tem 14 anos e a polícia encontrou drogas na mochila dele.  Pouca mais encontrou. Foi por isso que decidi me mudar , você sabe disso . Foi constrangedor quando meu superior me chamou . 

- acho que foi armado, eu confio no Alex . 

- eu não sei , ele está muito fechado e brigão . E antes que eu o veja atrás das grades , prefiro cortar alguns laços russos. 

- eu converso com o garoto , sobre isso, se vai aliviar você um pouco . 

- eu agradeço . Talvez a você ele escute. 

- Mãe... Eu já disse que não era minha . Achei que acreditava em mim . 

- não está mais em discussão isso. Vida nova . 

- odeio quando você me trata desse jeito . 

- abaixa a bola garoto. Calça o sapato para irmos .- ordenei e ele me obedeceu . 

Saímos da casa do Bucky  direto para a escola . Eu poderia até não conhecer a minha princesa, mas acredito que ela se dará bem com o irmão . E tendo os dois no mesmo lugar , fica mais fácil .  Fora que o Steve deve te-la ensinado a ser uma boa menina, ou no mínimo mantê-la sob rédeas . O sistema militar nunca saiu dele . 

Seria tão bom se o Alex tivesse convivido com o Steve ou o próprio Bucky ou Clint , ao menos como referencia masculina. Ele não seria assim .  Como eu fui burra em não procurá-lo quando  fomos liberados para voltar ao EUA . 

- chegamos, a Trinity é aquele prédio ali . Desçam aqui que eu irei estacionar mais à frente . - Bucky falou e nós saímos 

- vão me deixar num internato ? Mãe , você faria isso? 

- era a minha vontade, depois do que você aprontou . Mas não . Você estudará no período integral,  com a sua irmã . 

- fala sério , mãe ! Eu nem a conheço . Você não espera que eu viremos melhores amigos , né ? 

- se vocês ao menos se falarem eu já estou feliz . Aproveita para conhecê-la .  Você mais novo me pedia irmãos e agora que tem não a quer? 

- mãe , ela é no mínimo filhinha de papai , olha isso ... 

- ela não deve ser . Agora vamos . 

Caminhamos até a entrada principal é subimos os degraus . Um inspetor nos direcionou a diretoria .  Entrei sozinha na sala do diretor e expliquei a situação quase toda .  Bucky entrou na sala . Alex ficou do lado de fora com a secretaria . Fazendo uma prova de nivelamento de inglês . 

------------------------

- então , considerando que eu passei no teste de inglês , minhas notas são boas , eu devo ter que estudar .... Aqui . Bem que a senhora poderia fazer um tour por aqui , ou me dar um passe para conhecer tudo por aqui. - apoiei os pés na mesinha de vidro da recepção . 

- senhor  Alex , por favor tire seus pés da mesa, você não está em casa.  Sim o senhor pode ir conhecer a instituição . Aqui tem o mapa do campus . 

- show , obrigado . - falei me levantando e pegando o mapa com ela.  

A escola era enorme , fui direto para a ala dos dormitórios, e se eu tivesse sorte  ainda via umas meninas de calcinha .  Eu não dei sorte a ala do dormitório é com digital . Resolvi ir na parte de informática , meu lugar favorito . Cara, é enorme e os computadores são de última geração .   A sala estava trancada também com digital . Tá eu até sei resolver isso, mas ser expulso antes da matrícula significava ser morto pelo viúva negra . 

Passei nas quadras , onde aconteciam algumas aulas . Oh ... as meninas eram gatas, muito gatas. Começando a gostar desse lugar. Segui para o outro lado do campus onde tinham salas de aula comuns.Depois passei para um outro anexo onde tinham a lanchonete,  vestiários, refeitório, biblioteca .  Eu estava com fome e dei uma paradinha, poxa não tinha tomado café. 

Comprei um sandubão com tudo dentro e refrigerante , e sentei numa das mesas  desajeitado mesmo .  Foi quando percebi um barulho acontecer do meu lado . Olhei e  vi que uma menina tropeçará no meu pé sem querer . Ruiva de olhos verdes, parecia ter chorado . 

- idiota !. - ela berrou comigo 

- o Que eu fiz , garota? Nem te conheço . 

- seu pé , imbecil !!! vocês me odeiam , eu já entendi ,  a Geleca  no meu cabelo deixou claro . Parem com isso . 

- ei , eu não sei do que está falando , olha eu sou novo aqui . - apontei para  minha roupa. - eu não te conheço  , sua estupida . 

- estupida é você . - ela me empurrou e me socou no estômago . 

- para sua louca , eu não quero bater em mulher , mas vou bater se necessário . 

- ei , vocês dois . Chega . - a moça da cantina veio intervir. - Beatriz se acalme . - ela puxou  ela de cima de mim. - o rapaz é novo aqui. 

- você bate forte hein... - falei me sentando novamente. 

- Carmen , o que se passou aqui ? - ouvi a voz de um homem  . 

- Alex , o que você já aprontou ? - minha mãe, retrucou como se de fato eu fosse culpado . 

- a diretor , a menina Beatriz que escorregou e o rapaz socorreu . Tudo resolvido . 

- ótimo , senhorita Rogers , volte para sua sala . Não toleramos atrasos , mas avise que estava comigo dessa vez. E tome mais cuidado. E você rapaz seja bem vindo ao Trinity . 

----------------------------

 - Rogers ,  você dobrará o turno hoje . 

- Sr. desculpe , mas hoje eu não posso eu prometi à minha filha, que a pegaria na escola e veria o treino dela. 

- é sério que esta desacatando uma ordem minha.? Quer perder seu emprego por conta de um treino bobo  da sua filha? 

- sr. essa ordem eu tenho direito de recusar . Tem dias que eu dobro . 

- e seu trabalho é apreciado , e eu sei que precisa da grana , eu poderia escolher outros do batalhão , mas escolhi você . Ande você precisa . 

- posso ao menos falar com a minha filha ? 

- claro . 

- com licença . 

Me distanciei da área onde os outros estavam , indo pro fundo do prédio . Peguei o celular e vi a hora , era hora do almoço , ela poderia atender.  Disquei para ela . 

- oi pai .

- oi biaboleta , filha , é.... 

- você vai dobrar .... já sei . Tem comida na geladeira, não abre a porta para estranhos , escova os dentes, faz a lição e cama. Eu sei pai . 

- desculpa , eu sei que prometi . 

- tudo bem , eu sei que é por mim . Eu te amo pai . Que seu anjo te proteja . Até amanhã . 

- eu te amo, filha . 


Notas Finais


Então o que acharam ? O que esperam ?
Alguma sugestão de personalidade ? Tudo está sendo aos poucos desenvolvido então é a partir do contato com vcs que eu moldo as coisas.

Até a próxima e aos comentários

Ah alterem o relógio - horário de verão valendo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...