História In My Mind - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Karin, Mikoto Uchiha, Mirai Sarutobi, Naruto Uzumaki, Personagens Originais, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara
Visualizações 7
Palavras 2.291
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoas! Como estão?
Desejo uma boa leitura à vocês!
Beijos!

Capítulo 5 - Capítulo V


O carro parou em frente ao bar, onde pessoas saiam de uma roda rindo com suas garrafas na mão, a maioria na esperança de aliviar alguma decepção, e outras por já terem feito aquilo e não conseguiam parar. Sasuke saiu do carro tirando a chave do contato, travou as portas e caminhou em direção a roda, aquele cheiro de bebida lhe casou enjoo e por segundos pensou na probabilidade de Sakura não estar bem.

Quando conseguiu passar por todas as pessoas que cercavam ali, notou que Naruto estava caído ao chão tentando se levantar sua mão estava em sua costela na esperança de diminuir a dor do chute que havia acabado de levar. O rosto estava vermelho com alguns hematomas espalhados, seus dentes estavam manchados pelo sangue, e a dor parecia dissipar suas forças a ponto de a qualquer momento fazer-lo desmaiar. O homem com o cabelo negro e o cigarro entre os dentes chutou o garoto pisando encima do mesmo logo em seguida em um minuto de distração de Sasuke.

O grito que se escoou o trouxe de volta a realidade fazendo com que se colocasse contra o homem e Naruto, não era problema seu, no entanto Naruto não tinha quaisquer chances de defesa e para Sasuke se fosse bater em alguém o deixava ficar em pé, caso contrário o matasse. Sabia que não teria qualquer chance de conseguir defender a si mesmo, contudo não poderia ficar assistindo.

- Saia da frente moleque ou irei lhe meter em um problemas que definitivamente não é seu. - o homem bradou, o tom de voz mostrava o quão sério estava falando e respirou fundo tentando imaginar a merda que seu amigo que provavelmente bêbado tivesse feito. - E então o carinha é algo seu para tamanha vontade de apanhar? - em seu íntimo Sasuke ria da maneira a qual o ser a sua frente falava consigo.

- O que esse carinha lhe fez? - Sasuke disse o mais calmo a qual podia sem deixar o tom alterar,lembrando-se do que Mikoto havia lhe pedido.

Naruto deitou-se no chão aproveitando a conversa entre Sasuke e o homem, tentava esconder a dor insuportável que aquele chute havia causado em seu braço, desconfiou que poderia tê-lo fraturado. Frustrado colocou o outro braço sobre a testa, Sasuke lhe devia um favor e mesmo não querendo o dinheiro dele sua situação econômica não estava boa, principalmente para alguém que morava sozinho, nem devia ter aceito o convite de Sora para ir ao bar.

Sasuke tirou o dinheiro da carteira e estendeu ao homem com o cenho franzido. Não acreditava em nenhuma das hipóteses que Naruto havia apanhado por bater na traseira do carro do homem, não conseguia imaginar.

- Só irei lhe dizer uma coisa, não apareça nesse bar novamente ou suas lembranças seram bem dolorosas. - Sasuke murmurou com o tom ameaçador para o homem e se agachou.

Segurou o braço que permanecia na testa de Naruto e colocou sobre seu ombro o apoiando, ele estava dormindo e resmungando palavras aleatórias. Precisa o levar ao hospital urgentemente já que suspeitava que a costela dele estava fraturada. Destravou as portas do carro e abriu a do passageiro colocando da melhor maneira possível Naruto sentado e fechou a porta.

Novamente o ácido subiu a sua garganta e suspirou pesadamente tentando prestar atenção na rua e na música que tocava no volume baixo. Aquele gosto o incomodava de maneira descomunal, tinha o maior cuidado com sua saúde para que aquilo não acontecesse, então por que aquela garota não poderia ir logo ao médico?

Ao chegarem ao hospital Naruto foi levado por um dos médicos, se encostou a parede do corredor e encarou o visor do celular ainda com a mensagem de Hinata aberta "Desculpa", por mais que tentasse não conseguia compreender e tinha certeza de que ela não faria nada de imprudente. Guardou o celular no bolso e a enfermeira que andava de um lado para o outro com uma prancheta em mãos lhe chamou a atenção.

Seus braços se cruzaram e a mulher levantou o olhar da prancheta ao teto, contava mentalmente as inúmeras vezes que havia atrapalhado as cirurgias. Não conseguia ver sangue e por pressão havia seguido aquela carreira.

Quase duas horas em pé recebeu a notícia de que Naruto estava sendo liberado e o medico o preveniu de que não o deixasse mais passar dos limites. Novamente o arrastou pelos corredores até seu carro.

A casa de Naruto era basicamente só para si, o ambiente era agradável e deixava exposto seu estilo tradicional. Não queria deixar aquela casa de nenhuma maneira já que havia sido uma das únicas coisas que lhe restava do pai. Aquele era o local em que Sasuke gostava de sumir quando todos estavam procurando por ele para alguma coisa relacionada a dinheiro ou novos contratos.

Procurou nos bolsos de Naruto a chave e assim que encontrou abriu a porta e a fechou trancando logo em seguida. Tirou os sapatos e fez o mesmo com Naruto o deitando no chão, pensava que quando ele ganharia um pouco de juízo e parasse de sair com Sora quando estava chateado.

O levou para o quarto e em seguida se deitou no sofá.

Naruto parecia que iria derrubar a cozinha, sua cabeça doía e não conseguia fazer nada. A panela parecia prender a faça e a faça estava enganchada de alguma maneira sobrenatural suporte e tudo queria cair no chão. Seus netos estavam a flor da pele.

Encheu um copo com água e caminhou em direção a Sasuke que dormia no sofá, sem pensar duas vezes derramou o líquido e o copo encima do mesmo que começou a tossir logo em seguida.

- Eu te chamei milhares de vezes e você não escutou. - mentiu e Sasuke apertou os olhos.

- E precisava fazer isso seu... - engoliu as palavras e se levantou furioso - Eu realmente não estou com um pingo de paciência do hoje, qualquer coisa chama a Karin. - atirou de uma só vez às palavras.

Se sentia febril e sua cabeça parecia a mil, não há ia conseguido dormir pela dormência de seu braço e aquele gosto ruim que aparecia constantemente em sua boca.

- Melhor não, mas me diga o que aconteceu ontem? Não me lembro de quase nada. - Naruto não tinha uma boa relação com Karin, principalmente por não admitir traições e isso preocupava Sasuke.

- Você bateu seu carro com outro e o cara iria te matar se eu não tivesse aparecido. - deu de ombros enquanto voltava a se deitar - Hinata ligou para você?

- Por que ela ligaria? Ela está zangada comigo. - disse sentindo o gosto amargo das próprias palavras. Apoiou-se no sofá sem conseguir imaginar tendo Hinata brava consigo. - Foi um erro, um único erro e ela ficou desse jeito.

- O que você fez?

- Estraguei aquela pintura que seria exposta no festival cultural que ela trabalha desde o início do ano. - um dos olhos de Sasuke se abriram para encontrar algum ponto de arrependimento na expressão de Naruto. Não o encontrou. - Eu só a beijei, não foi a força nem nada.

Ele sabia.

- Talvez ela se surpreendeu só isso, e a tinta caiu e para te distrair disse aquilo, jogo de mulher. - brincou voltando a fechar os olhos, Sakura não havia reclamado e suspirou, talvez aquele fosse o fim.

- Ela disse algo sobre estar comprometida e que não poderia fazer aquilo, mesmo assim ela correspondeu.

Ele não sabia.

⏪◀⚫▶⏩


Sakura não tinha um dos melhores humores pela manhã, principalmente pelo fato de ter passado a noite em um hospital. Sua mãe falava com um dos médicos, no entanto Sakura não estava preocupada. Sabia que poderia ser o cansaço que lhe tivesse causado aquela febre repentina, precisaria diminuir os horários de estudo para ter algum de lazer.


Sakura se sentou na cama e encarou seu braço dormente pelo soro. Sua respiração travou e começou a tossir, era a sensação de ter sua respiração parada ou estivesse se afogando.


- E precisava fazer isso seu... - Sakura fez uma contagem de um até dez e ignorou Sasuke.


- Bom dia!- uma das enfermeiras chamou sua atenção e ela sorriu. Sua mãe a seguia logo atrás, no entanto se limitou a ficar encostada mo batente da porta. - Você poderá ir...


- Você bateu o carro com outro e o cara iria te matar se eu não tivesse aparecido. - a voz soava sarcasticamente, mas diferente da maneira a qual soava consigo.
Sentiu uma leve pontada de dor em seu braço e seu olhar desceu ao local, a enfermeira colocava um curativo em seu braço. Sakura encarou a mulher de cabelo ruivo que fazia tudo com cuidado.


Seu olhar foi rapidamente para a sua mãe que fez um gesto com a cabeça para irem. Sakura afirmou e caminhou em direção a ela.


Pela tarde Sakura resolveu isolar-se em seu quarto, Ino lhe mandava por meio de mensagens as anotações das aulas que haviam feito aquele dia, seus olhos variavam entre o celular e o livro.

Quando o inverno chegou Sakura imaginou se as árvores poderiam ficar com a aparência mais morta estando vivas daquela maneira, o olhar preso nas últimas folhas que caiam dizendo adeus e dando lugar ao inverno. Logo o branco substituiria tudo que tinha um pouco de cor.


- Tem idéia do que pode acontecer hoje? - Ino apoiou-se no ombro de Sakura que permaneceu imóvel - Sakura? - sua mão correu em frente ao rosto da garota que a olhou rapidamente, Ino suspirou cansada de vê-la distante - O que está acontecendo?


- Pensando no meu futuro. - brincou amassando a caixa de suco em sua mão - Se estou fazendo algo errado ou se deveria estar fazendo algo.

- Você está fazendo tudo errado,não chegará ao futuro. - zombou Sasuke com um tom cansativo. De qualquer maneira qualquer pessoa iria se cansar de ouvir alguém falando somente do futuro - O meu tá parado por sua culpa, não posso fumar, beber e nem fazer sexo. - Sakura respirou fundo e mordeu o lábio inferior para não dizer nada constrangedor perto de Ino.

- Aika me orientou sobre situações que médicos passam, e eu não sei se me sentirei confortável. - murmurou.

- É um fardo... - Ino sorriu tentando animá-lo. - Gaara sumiu essas últimas semanas...

- Ele não acertou o momento certo se ir...

- Posso entrar na conversa?

- Em casa, como estávamos estudando em meu quarto meu pai simplesmente achou que eu e ele estávamos tentando alguma coisa sem que ele soubesse, e quando ele negou o que estava acontecendo ele surtou e agora estou de castigo.

- Você me falou algo do tipo, mas não imaginei que fosse o Gaara...

- Não queria lhe deixar preocupada. - suas mãos apertaram a saia e apoiou sua cabeça sobre a mesa - Ino, eu preciso saber de uma coisa e isso está me enlouquecendo.

- E eu achei que era o único a estar ficando louco - Sasuke praticamente murmurou e Sakura respirou fundo sentindo um aperto em seu peito sem motivo.

Se ela estava bem e aqueles apertos frequentes em seu peito poderiam ser considerado a dor de Sasuke, ele poderia sentir a metade de sua dor.

- Sakura? - ela resmungou tentando afastar aquele sentimento de culpa - Você não irá me fazer a pergunta? Acho que isso está lhe incomodando.

- Esquece Ino. Não é como se eu não confiasse em você, acho que não é uma boa hora de lhe dizer. - ela levantou seu rosto e encarou os olhos azuis de Ino, a mesma parecia ficar cada vez mais chateada com o que ela lhe dizia.

- Acho que você precisa de um psicólogo... Ou achar a pessoa que os deuses escolheram para você, porque só assim essa loucura sumiria. - Sakura sorriu de canto e correu os dedos por sua franja - As férias chegaram logo, meus pais resolveram ir para Nagasaki.

- Eu desejo que meus pais não vão a lugar nenhum. - brincou Sakura ainda inquieta.

- Eu conheço uma pessoa anti-social... - Sasuke cantarolou zombeteiro.

- Eu não sou anti-social...

- Eu sei, você tem facilidade em fazer amigos... - o rosto de Sakura ganhou a cor vermelha enquanto Ino dizia.

Sakura dava o máximo de si para que Ino não notasse que ela estava novamente "falando sozinha" e mesmo sem prestar atenção no que a loira dizia afirmava com movimentos lentos. Apoiou o queixo em sua mão e seus dedos batiam em sincronia um contra o outro.

Seu peito apertou fortemente e sentiu uma vontade enorme de chorar, olhou novamente para Ino que continuava a falar com o olhar preso no celular.

- Quem é? - Sakura questionou curiosa e Ino colocou a franja atrás da orelha.

- Eu conheci um garoto... Pela Internet e marquei de nós encontrarmos em Nagasaki, espero que não seja um maníaco velho que nem os dos filmes.

- Isso é perigoso.

- Eu sei, mas estou sendo otimista. - Ino sorriu e Sakura forçou um sorriso que não foi notado por Ino. - Por que você não tenta também, sei que seu último namoro não deu certo... Mesmo assim...

- Estou bem. - Ino deu de ombros e voltou sua atenção ao celular.

Sakura levantou-se e jogou a caixa de suco na lixeira.

Queria questionar Sasuke sobre o que estava acontecendo, no entanto temia o que ele poderia usar como resposta, tentava manter sua privacidade fechada para ele então não tinha motivos para ele lhe dar qualquer satisfação. Seus dedos pousaram em sua nuca e começou a bater levemente sobre o local enquanto tentava pensar de alguma maneira parar com tudo aquilo.




Notas Finais


Obrigado a todos que estão lendo. Gostou? Não esqueça de votar e comentar. Alguma sugestão? Comentem, irei responder com todo carinho. Nos vemos no próximo. 


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...