História In The Cold Rain - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jungkook, Kim Taehyung, Taekook, Vkook, Yaoi
Exibições 257
Palavras 1.010
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Festa, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Perdão pela demora, pessoinhas!
Mais um capítulo para vocês. Espero que gostem e boa leitura!

Capítulo 8 - Confie em mim


Fanfic / Fanfiction In The Cold Rain - Capítulo 8 - Confie em mim

Taehyung 

Eu preciso me manter positivo.
Dizia isso para mim mesmo, andando de um lado para o outro em meu quarto. Jungkook está em boas mãos, afinal, são meus pais, e eles contratam os melhores médicos da Coreia.
Calma, Taehyung. Se mantenha ocupado, não pense muito nisso. Eu continuava a repetir a mim mesmo em baixo som, apenas movimentando meus lábios. Jungkook vai ficar bem logo; eu continuava insistindo nessa ideia. Seu amigo está com ele agora... Merda! E eu, que sempre fui tão positivo, enxergando o lado bom das coisas, eu preciso continuar sendo assim. Suspirei. Eu estou muito cansado.
-Você tem que ficar bem. - Me sentando na cama, falei para mim mesmo, na esperança que Jungkook pudesse me ouvir, obedecer o meu coração e ficar melhor o mais rápido possível.

O que eu poderia fazer? Não somos amigos, mas isso não me impede de tentar ajudá-lo. Eu pensei muito esses últimos dias e cheguei a uma conclusão: eu vou ajudar Jeon Jungkook ele querendo ou não. Eu o amo e vou fazer de tudo para ajudar com qualquer que fosse seu problema. Única pessoa que me impede de fazer isso, é o próprio. E, acredite, eu vou fazer ele ceder. Pode não ser fácil, mas eu não quero assistir de braços cruzados a pessoa que mais amo entrando em um buraco sem saída. Eu vou te ajudar, Jungkook.

Me levantei da cama, encarando uma mesa logo ao lado da porta do quarto, onde fica o computador e, provavelmente, estava também o meu celular. A olhei por alguns segundos até ceder e ir até ela, a procura de meu aparelho. Com a pouca luz lunar que entrava pela enorme janela de meu quarto, eu fui capaz de vê-lo rapidamente.
O desbloqueei e rapidamente disquei o número de Yoongi, que eu já tinha gravado na minha cabeça. Após três toques, ele atende e escuto sua voz sonolenta, obviamente eu havia acabado de acordá-lo.
Yoongi estava dizendo que ia me matar por ter ligado para ele em uma sexta feira de madrugada.

-Hyung, preciso conversar com você. - Falei interrompendo suas reclamações. Ele parou de falar e passou a me ouvir. - Eu preciso que venha até aqui. - Falei trêmulo. Ele resmunga um pouco e logo encerra a chamada com um "ok".

Abro a porta do quarto vagarosamente, mesmo que não tenha ninguém em casa. Checo o quarto de meus pais e, como o esperado, estava vazio. Estou reclamando? Claro que não. Eu estou esperançoso, já que eles dois estão, junto de outros médicos, cuidando de Jungkook.
Caminhei escada a baixo e fui até a cozinha tomar uma água. Enquanto o copo estava a encher, olhei para a mesa e meus materiais de estudo estavam todos espalhados por ela. Que raiva! Eu sou tão organizado, mas com toda essa história eu estou totalmente perdido. Juntei tudo rapidamente sem reclamar assim que terminei de beber minha água. Dez minutos depois Yoongi hyung chega. A porta estava destrancada, eu estava na sala assistindo qualquer coisa na TV em uma posição agradável, deitado no enorme sofá que ali havia. Assim que ela se abre, me assustei e Yoongi riu de meu pulo. Logo que vi seu sorriso inconfundível, ri também.

-Você me assustou! - Fiz bico.

-Você que deixa a porta aberta. - Se sentou ao meu lado. - Ou esqueceu que eu tenho a chave? - Levantou sua mão, me mostrando a cópia da chave da porta principal, erguendo uma sobrancelha. Sim, eu havia esquecido, hyung. - Então, sobre o que quer conversar? Olha, eu espero que seja importante porque você me acordou de um sono muito precioso. - Ele fala e eu ri do que havia dito. Era verdade, de fato, todos os sonos de Yoongi são importantes, até mesmo uma pequena soneca de cinco minutos.

-É sobre o Jungkook. - Abaixei minha cabeça.

-Ih, lá vem! - Resmungou se remexendo no sofá, sentando-se de um jeito que não faria bem a sua coluna, mas se eu o advertir sobre os possíveis riscos agora ele ia me mostrar o dedo, então deixei quieto. Soltei uma risada fraca e sem graça de seu comentário.

-Hyung, eu me sinto tão sozinho. - Confessei. - Eu quero tanto ajudar ele, mas não sei o que eu faço.

-Onde quer chegar com isso, Tae? - Yoongi me olha. Encarei meu melhor amigo, o querido chão.
Não pensei em tanta coisa, para amarelar agora. Vamos lá, Taehyung!
Me virei olhando Yoongi após suspirar pela milésima vez no dia de hoje e ele me olhava perdido.

-Eu quero me aproximar de Jungkook, hyung. Eu quero ser uma companhia de verdade para ele. - Minha fala fez com que Yoongi abrisse sua boca em formato de um O bem redondo e surpreso.
Ele pisca algumas vezes, provavelmente tentando formular o que eu havia acabado de dizer.
Assim que cai novamente na realidade, ele pronuncia, finalmente, alguma coisa.

-E como pretende fazer isso? - Perguntou ainda mais confuso do que estava quando eu o liguei minutos mais cedo pedindo para que viesse.

-Aí é que está. Eu sei que ele não está bem e eu não quero assistir ele caindo enquanto eu estou de braços cruzados sem fazer nada. Amo ele demais para fazer isso. - Surpreendi Yoongi com um abraço e o mesmo fica sem reação na hora, mas logo seus braços me envolvem também. Suspirei pesadamente, meu coração estava acelerado. Merda, ele pode me ouvir chorar. Yoongi me separa vagarosamente de seu corpo.

-Você está chorando? - Perguntou e eu neguei. Ele me olha nos olhos preocupado, segurando meu queixo em sua mão. - Tae, não chora. Ele vai ficar bom e nós vamos fazer alguma coisa. Você será o melhor companheiro que Jungkook já teve em toda sua vida.

-Como pretende fazer isso, hyung? - Perguntei bobo, limpando uma lágrima que escorria em meu rosto com a manga de meu moletom. Sorri fraco em meio minha pergunta curiosa. Yoongi me abraça de lado e encosto minha cabeça em seu ombro.

-Apenas confie em mim, Tae. 


Notas Finais


Comentem por favor, eu amo ler comentários de vocês. Até o próximo capítulo e espero que tenham gostado. Um beijo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...