História In The Name Of Love - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Colegial, Drama, Festa, Heterossexualidade, Novela, Romance
Visualizações 25
Palavras 6.067
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Eu não morri CALMA! Depois de 84 anos eu voltei simmmmmmm
E pra recompensar vocês, o capitulo vai estar um pouco grande, e já vou lançar outro em sequencia! PODEM GRITAR!
Nesse capitulo é de extrema importância que vocês escutem as musicas indicadas no momento exato que for solicitado, vai ajudar a dar um clima na cena.
As musicas são essas;
1- Just Hold On -Steve Aoki & Louis Tomlinson
2- Lorde - Green Light

Eu espero que gostem bastante! 😍 Ótima leitura anjos!
O capitulo esta MUITO 🔥🔥🔥🔥

Capítulo 30 - A ilha


Fanfic / Fanfiction In The Name Of Love - Capítulo 30 - A ilha

POV Marriah Baker

-Pegou tudo querida? –Perguntou Papai enfiando mais algumas toalhas na minha mochila.

-Claro que sim! Já repassei milhões de vezes! –Disse enquanto procurava o carregador do meu celular no quarto. Era brincadeira o dom que eu tinha de perder ali dentro. –O senhor tem certeza que não quer que eu fiquei?

-Claro que tenho querida. Vai se divertir e aproveitar com seus amigos. Eu vou ficar muito bem! –Disse ele vindo até mim com o carregador nas mãos.

-Ho senhor achou!!!! –Disse pegando o carregador de suas mãos e guardando no bolço de fora da mochila em cima da minha cama. –Espero não estar me esquecendo de nada.

-Não esta. Isso eu tenho certeza! –Disse meu Pai –Promete me ligar assim que chegar lá?

-Prometo sim, claro. –Disse e ele depositou em beijo na minha testa.

Poucos minutos depois ouvi a buzina de carro familiar tocar na porta da frente da minha casa.

-É o Daniel. Tenho que ir. –Coloquei a mochila parcialmente pesada nas minhas costas e peguei a bolça de mão. –Até segunda! –Disse abraçando meu Pai.

-Até querida. Divirta-se muito! Mas nem tanto...

Sorri e sai voando escada a baixo. Quando abri a porta da frente encontrei Dan parado em frente ao seu carro com um... cachorro? WTF?

-Daniel oque é isso? –Perguntei caminhando em sua direção em passos apresados e nervosos.

-Ãn... É um cachorro ue. –Respondeu ele rindo e me ajudando a colocar as malas no porta-malas.

-Porque a gente vai levar um cachorro pra viajem? –Perguntei me ajoelhando no chão e fazendo carinho no totó. –Own ele é uma graça! Apesar do tamanho!

-Pois é... Era pra ser um presente que eu só iria dar depois que a gente voltasse. Mas a loja não concordou em manter ele o final de semana inteiro, e eu tive que pega-lo –Explicou Daniel se ajoelhando ao meu lado pra também fazer carinho no cachorro de pele marrom claro e pelo macio e bem cuidado. (Como na foto da capa)

-É melhor a gente ir. Não quero chegar muito tarde à casa do Thayson. –Falou Daniel se levantando do chão e logo depôs me ajudou a também levantar. –O totó vai na frente com você!

-Tá - Concordei entrando no carro. Bati no meu colo algumas vezes para que ele pulasse e o cachorrinho logo pulou se sentando comportado em meu colo. –Ownnn que nome vamos dar pra ele?

-Oque acha de totó? –Sugeriu Daniel

-Claro que não né. Que tal... Milo?

-Milo? Hehe gostei. Gostou disso Milo? –Perguntou ele coçando a cabeça do cachorro que latiu duas vezes quase me deixando surda. –Acho que isso foi um sim.

-Onde fica essa casa de praia do Thayson? –Perguntei colocando o cinto enquanto Daniel ligava o carro.

-É uma ilha. Fica á 3 horas de viajem daqui. Em Catalina island. Você vai gostar da casa e do lugar. É lindo...

-Para de falar se não vou ficar ansiosa pra chegar logo. –Falei

-Relaxa. Quando a gente chegar vai valer apena.

Daniel segurou em minha mão apoiando no acolchoado do carro e deu partida. A viajem seria longa.

(...)

-Marriah... Acorda amor! –A voz suave de Daniel me fez abrir os olhos de leve. A claridade que saia da janela foi direto em contato com meus olhos me segando, e me forçando a fecha-los outra vez.

-Já chegamos? –Perguntei com a voz rouca me ajeitando no banco. Milo estava estirado em meu colo em um sono profundo dificultando a minha movimentação.

-Não. Estamos no porto esperando pra pegar uma balsa pra ilha. –Explicou Dan fazendo carinho em minha bochecha. –Você dormiu muito... –Riu ele

-Estava cansada. –Disse pegando sua mão livre e entrelaçando com a minha.

-Thayson e Vic estão parados no carro ai ao seu lado. E a Cloe e o Ty também estão com eles. –Disse Daniel apontando para a janela.

-Noticias dos outros? –Perguntei

-Sim. Vão se atrasar um pouquinho, mas chegam hoje também.

Um homem um tanto alto bateu no vidro da porta de Daniel. Ele vestia uma roupa em tons de verde claro de sinalização. Daniel baixou o vidro para que o senhor falace.

-Sua balsa e de seus amigos ali é a próxima senhor! –Anunciou o homem.

-Obrigado por avisar –Disse Daniel.

-De nada garoto.

-Estamos mais perto que longe agora. Ansiosa?

-Muito! –Falei ajeitando Milo que insistia em seu sono pesado. –Esse cachorro é muito folgado Daniel! E ainda ronca dormindo!

Daniel apenas riu e tratou de ligar o carro para entrarmos na balsa gigante. Confesso que fiquei um pouco aflita no começo, mas as caricias de Daniel em meu cabelo e rosto me fizeram relaxar totalmente.

(...)

 

Quando a balsa parou de frente pra ilha minha boca abriu de tão surpresa que fiquei. Eu sabia que o Thayson tinha dinheiro, mas não imaginava que era tanto. O lugar era lindo e bem reservado. Aquela ilha era só nossa por um final de semana inteiro.

-Wau! Aqui é incrível Thayson! –Falou Daniel descendo do carro e tratando logo de tirar nossas malas do carro.

-Vlw amigo.

A casa era gigante! Dava de 10 á 0 pra minha. Ela quase não tinha paredes, pois tudo era dividido por vidros que davam um ar fino ao lugar junto com a natureza que cobria o local. A piscina ficava bem vista logo na entrada ao lado de um coreto coberto em madeira para se colocar redes e um longo balcão com churrasqueira.

-Se acharam lindo de dia tem que ver a iluminação ao escurecer. É ainda mais incrível! –Disse Thayson ao abrir a porta da frente. –Os quartos são lá em cima, a cozinha fica bem ali na frente, a sala de jogos fica na porta atrás de você Ty, e cada quarto tem seu próprio banheiro. Podem ficar a vontade. –Thayson gesticulava para todos os lados nos explicando tudo. Estava fazendo com que ficássemos a vontade com tudo.

-Tem algum problema o nosso amiguinho peludo aqui ficar solto? –Perguntei apontando para Milo que se acomodou no tapete peludo da sala.

-Nenhum pouco. Só tem que prometer que ele não vai atacar o sofá ou as camas. –Pediu Thayson

-Relaxa. A gente cuida dele pra não fazer isso –Disse eu

-Tudo okay então.

-Eu estou louca pra me jogar naquela piscina! –Falou Vic se jogando no sofá –Mas antes vou preparar alguma coisa pra gente comer!

-Eu te ajudo vou só lavar as mãos –Disse me afastando a procura de um banheiro naquela casa gigante.

-Eu preciso de ajuda pra tirar as caixas de cerveja da mala! Alguém se habilita? –Perguntou Ty ao colocar uma dessas caixas no chão da cozinha.

-Eu ajudo! –Se ofereceu Daniel e ambos foram tirar o restante de nossas coisas dos carros.

Ajudei Vic a preparar uma deliciosa lasanha enquanto Cloe arrumava os quartos com nossas coisas junto ao Ty e o Thayson. Daniel mexia no som na varanda tentando passar nossa Playlist de musicas.

Almoçamos e fui com as meninas pra área da piscina nos divertir enquanto os meninos foram jogar sinuca na sala de jogos. Podíamos ver eles de longe através das paredes de vidro do lugar.

-Eae quais são os planos para essa noite? –Perguntou Vic que estava escorada com sua cabeça na ponta da piscina. Ela estava com os seus óculos escuros por conta do sol forte, mas eu conseguia ver suas sobrancelhas arqueadas com um olhar sugestivo.

-Como assim...? Eu não pensei em nada –Respondi logo bebendo um gole do refresco de frutas feito pela pequena Cloe.

-Eu também não pensei em nada. Achei que a gente só iria ficar aqui curtindo. –Disse Cloe sentada na borda. Ela se negava a entrar na piscina.

-Gente, por favor... Vamos fazer alguma coisa, sei lá oque. –Insistiu Vic

-Podemos assistir uns filmes na sala. Eu baixei vários no computador. –Sugeriu Cloe. Até que isso não é uma má ideia. Seria bem divertido!

-Pode ser! –Dissemos todas.

-A gente sai e fala com os meninos depois. –Falei mergulhando na piscina. A água estava tão gelada, mas não liguei muito. O calor era maior!

-Tão estranho o Alex e a Sarah não terem chegado ainda né? –Questionou Cloe. –Será que se perderam?

Com tanta coisa na cabeça acabei esquecendo deles. Muito estranho não terem chegado ainda...

-Acho que não... Só devem ter se atrasado. Tentaram ligar pra eles? –Perguntei 

-Estou fazendo isso agora! –Falou Cloe se levantando da borda da piscina com o celular no rosto.

 Mergulhei outra vez para molhar meus cabelos. O clima estava perfeito e esse final de semana me ajudaria a relaxar e descansar da loucura que tinha sido essa semana. Vic estava distraia tirando fotos em seu celular, então resolvi sair da piscina pra aproveitar o sol mais um pouco do lado de fora. Queria dar uma volta pela ilha e conhecer mais um pouco aquele lugar que me fascinava tanto.

 

POV Daniel Coller

-Eae oque vai ter pra hoje á noite? –Perguntou Ty concentrado na sua próxima tacada na mesa de sinuca.

Eu estava virado de costas pra eles observando as meninas na piscina. Marriah estava enxugando seus cabelos com uma toalha branca perto das espreguiçadeiras na lateral da piscina. Ela estava tão linda...

-Hoje vai rolar festinha hehehe –Respondeu Thayson trocando um soco de leve com Ty

-Oque? –Me virei pra eles de sobressalto –Mas já? Você não cansa nunca?

-Não –Riu ele me fazendo revirar os olhos –E não vai ser só a gente hoje. Convidei alguns amigos daqui da região. Espero que não de nenhuma treta...

Rimos todos. Realmente uma festa na primeira noite seria interessante. Apesar de que, nossas antigas companhias viriam á tona outra vez.

-Não vamos ligar pra isso agora. Afinal agora somos homens, e não garotos. Temos namoradas lindas e responsabilidades.  –Falei erguendo a minha cerveja em reverencia.

-É verdade –Concordou Thayson –Mas juízo eu desconheço...

Explodimos em uma gargalhada que foi logo interrompida pela Cloe que adentrava a sala de jogos.

-Alex e Sarah chegaram gente. –Avisou ela

-Vamos ajuda-los com as coisas. MAIS TARDE TEMOS FESTAAAAA –Disse Ty saltitando porta a fora. 

-Festa? Que festa Sr Ty Franco? –Perguntou Cloe com os olhos semi serrados pra ele.

-Despois te explico bb –Piscou ele antes de se jogar em cima de Alex que caiu com tudo no sofá.

 

POV Marria Baker

Frio.

Era tudo oque eu sentia quando sai de dentro daquela piscina. Corri em direção ao banheiro para tomas um banho e lavar o meu cabelo, logo que escutei a noticia que o Alex e a Sarah aviam chegado da viajem.

Aquela casa era realmente gigante e você poderia facilmente se perder ali. O meu quarto e o de Daniel ficava no final do corredor, e assim que adentrei nele fui direto para o banheiro. Eu poderia optar por ficar lá cochilando na banheira, mas eu iria demorar mais que o normal, então abri a boxe da ducha e liguei a água quente.

Tirei meu biquíni deixando a água escorrer por meu corpo nu, peguei o sabonete que avia ali  esfregando o mesmo algumas vezes em minhas mãos para depois passar pelo meu corpo. Ombros, barriga, baços e depois pelos seios.

A água quente estava na temperatura certa, me relaxando instantaneamente. Era tão boa a sensação. Permiti fechar os meus olhos por alguns instantes para perder-me em meus pensamentos, até escutar a porta do banheiro sendo aberta rapidamente.

-OQUE VOCE TÁ FAZENDO AQUI? –Gritei para Daniel que abriu e fechou a boca algumas vezes, seu olhar não saia do meu corpo nu e só então me dei conta de minha nudez.

Porra. Porra. Porraaaa

Minhas bochechas coraram violentamente e eu tentei me tampar da melhor forma possível.  

-DANIEL SAI DAQUI!! –Pedi da maneira mais educada possível, apesar de que eu gostaria de gritar come ele e xinga-lo, mas estava envergonhada demais para isso.

Ele abaixou a cabeça e se virou de costas pegando alguma coisa atrás de si, e voltou para deixar algumas roupas minhas em cima do sexto de roupas sujas, e depois se retirou fechando á porta ao passar por ela. Soltei o ar que estava preso. Eu nunca passei tanta vergonha na minha vida! Okay, ele já me viu sem roupas, mas NUNCA na privacidade de um banho.

Tudo bem. Eu supero isso.

Quando terminei sai da ducha indo em direção ao espelho que avia acima da pia enrolada em minha toalha. Esfreguei minha mão no espelho, pois o mesmo estava embaçado. Eu não estava com a melhor cara. Meu cabelo estava preso em um coche mal feito e minhas bochechas estavam avermelhadas do sol. 

Tateei a mão pela pia procurando as roupas que Daniel avia trazido para mim e logo me veio  lembrança de seus olhos intensos sobre mim á poucos minutos atrás. AI MEU DEUS! Ele mexeu nas minhas coisas? Será que ele viu minhas calcinhas? PQP! Se eu tiver trazido a minha calcinha de ursinhos bege, e ele tiver visto eu me mato HOJE MESMO!

Avistei as roupas que ele avia colocado ali em cima do sexto de roupas sujas e corri pegando-as rapidamente. Ele colocou um shot de algodão cinza, uma blusa do Chicago Bulls e num saquinho ao lado avia um conjunto de roupas intimas preta. Respirei aliviada e até sorri com a cena. Tinha como ele ser mais perfeito?

Escutei o barulho de dois toques na porta e depois sua voz rouca inundou os meus ouvidos.

-Amor? Tá vestida?

Sorri e comecei a me vestir rápido.

-Só um segundo Dan!

Terminei tudo e abri a porta deixando que ele entrasse no ambiente. Ele sorriu me olhando de cima a baixo.

-Para com isso! Eu estou horrível. –Disse me virando outra vez para o espelho iniciando minha passagem de cremes pra receber a maquiagem depois.

-Você não poderia estar mais linda meu amor. –Ele disse enquanto agarrava minha cintura por trás.

-Vai tirar suas conclusões mais tarde quando começar a festa. Agora deixa eu me maquiar que ainda tenho que ver uma roupa pra ir.

Ele se afastou, mas logo senti suas mãos soltarem meus cabelos que estavam amarrados a um coque malfeito, e o mesmo caiu em cascata nas minhas costas. Revirei os olhos e resolvi não dar atenção para oque ele estava tentando fazer.

Ele afastou meus cabelos para o lado e beijou delicadamente meu pescoço me causando um arrepio instantâneo por todo o meu corpo. Droga.

-Daniel... Para com isso... –Pedi quase em um fio de voz enquanto ele chupava meu pescoço e fazia um carinho gostoso em meus cabelos. –Vamos ter muito tempo pra isso amor...

-Eu sei... –Sussurrou ele em meu ouvido, e logo depois mordeu o nódulo da minha orelha. –É carinho tá?

Eu espalmei minhas mãos na pia quando ele começou a descer suas mãos pela minha cintura sem largar o meu pescoço. Só o fato dele esta respirar perto da minha orelha me causava sensações que eu seria incapaz de descrever.

-Eu preciso terminar de me arrumar Dan. Colabora  –Sussurrei de olhos fechados sentindo seus carinhos.

-Eu já vou então –Disse ele antes de me soltar e sair do banheiro. Escutei a porta do quarto fechando tendo a certeza que ele já avia ido embora.

Abri os olhos e encarei o meu reflexo através do espelho me martirizando por manda-lo ir embora. Respirei fundo e continuei de onde parei a maquiagem.

(...)

-Anda logo Marriah!! A gente vai chegar atrasada. Já tem muitas pessoas lá em baixo e os meninos já estão impacientes! –Pediu Vic. Estava terminando de dar os últimos retoques na maquiagem e no meu cabelo enquanto ela e Sarah insistiam para que eu descesse logo.

-Parece até que vai casar. –Completou Sarah bufando. Ela andava de um lado para o outro no quarto impaciente.  

-Eu estou pronta. –Disse saindo do banheiro e dando uma voltinha pra que eles vissem a roupa que escolhi. –Oque acham?

-AI.MEU.DEUS –Cloe falou pausadamente de boca aberta adentrando o quarto. –Quem você pretende matar hoje garota?

-ELA PRETENDE ME MATAR É CLARO! Quem mais seria? –Perguntou Vic rindo logo em seguida.

Eu optei por usar um vestido preto não muito longo, mas rente ao corpo valorizando minhas curvas. O mesmo era cortado na lateral da minha coxa esquerda. No busto um decote um tanto chamativo, e nos pés um scarpin preto.

-Você tá um arraso! –Sarah disse caminhando até mim com um largo sorriso

-Vim chamar as senhoritas lá pra baixo. Todos os amigos e convidados do Thayson já chegaram, só faltam vocês. –Avisou Cloe.

-A gente vai descer agora Cloe. Estávamos só esperando a toda poderosa ai terminar de se arrumar. –Vic falou levantando da cama onde estava sentada. -Não sei pra que tanta arrumação se mais tarde ela não vai estar tão arrumada e vestida assim... 

-Vic! –Arregalei os olhos e soquei seu ombro. –Fica quieta...

Ela riu e cruzou os braços abaixo dos seios.

-É a verdade. –Completou dando de ombros.

-Okay. Eu realmente não entendi isso. –Se pronunciou Cloe. Sarah e Vic caíram na gargalhada me deixando tão nervosa quanto Cloe.

-É melhor a gente descer - Falei mudando o assunto e caminhando em direção à porta do quarto.

-ESPERA! –Griou Vic correndo desembestada pra fora do quarto passando direto por mim no corredor. Como ela conseguia correr tanto usando esses saltos?

-Oque foi meu deus do céu? –Perguntei assustada devido a sua euforia.

-Eu tenho que ir na frente e avisar o Daniel pra usar colete a prova de balas. Porque quando ele te vê vai levar um tiro daqueles! –Ri da forma como ela gesticulava.

-Você é muito besta Vic –Falou Sarah passando por ela no corredor rindo também.

-Eu não sou besta e sim realista! –Disse ela convicta.

-Ahan, senta lá Claudia. –Brincou Cloe.

Fechei a porta do quarto com o Milo lá dentro. O totó iria ficar preso no quarto pra não ficar agitado com a movimentação e o barulho das pessoas. Mais cedo o Daniel avia ajeitado sua comida e cantinho de dormir. Ele iria ficar bem ai.

Á musica alta e a iluminação na sala principal deixava claro o clima de festa na casa. Tinham bastantes pessoas que eu não fazia ideia de quem eram, mas todos estavam dançando e se divertindo com á musica eletrônica que tocava. Desci as escadas junto com as meninas e rolei os olhos rapidamente pelo ambiente a procura dos meninos, mas não encontrei.

Senti uma mão me cutucar e assim que virei meu rosto de lado pra ver quem era dei de cara com o Alex que me cumprimentou com um abraço apertado.

-Que bom que vocês conseguiram chegar a tempo pra festa –Disse um pouco alto por causa da musica.

-Eu sei. A gente meio que se perdeu. –Disse ele mexendo nos cabelos pretos bagunçados. Se eu não conhecesse ele bem diria que já estava alcoolizado.

-Vocês se perderam? –Perguntei juntando as sobrancelhas estranhando o fato.

-É... Mais ou menos isso... –Ele riu malicioso e eu entendi.

-Há! –Prendi a risada ao ver seu rosto ficar vermelho. Ele tinha ficado com vergonha.

-Eu vou atrás da Sarah agora. Se você esta procurando o Daniel ele tá sentado com os meninos em uma mesa lá no jardim. –Disse ele antes de se afastar. Agradeci e caminhei apressada entre o amontoado de pessoas dançando no cômodo.

Se dentro da casa as pessoas estavam eufóricas, no jardim era uma festa ainda maior. Aviam pessoas espalhadas por todos os lados ali. Na piscina, na grama, nas espreguiçadeiras, dançando ou só jogando alguns jogos envolvendo bebidas. Á musica alta se tornava mais perceptível ali, pois as caixas de som estavam no coreto perto do jogo de luz.  

-Acho que eu demorei mesmo pra me arrumar –Pensei e soltei uma risada silenciosa.

Corri os olhos mais uma vez e até reconheci alguns rostos, mas quem eu mais queria encontrar não parecia estar ali. Me aproximei das mesas ao redor da piscina a procura de Daniel até que o encontrei. Ele estava em pé virado de costas pra mim na varando, que dava de frente para o mar. A noite estava linda, as ondas quebravam violentamente no meio da escuridão.

Caminhei até bem próxima dele só observando seus cabelos esvoaçarem devido a forte ventania. Fiquei calada por alguns segundos apenas ouvindo o barulho do mar, quando resolvi falar.

POV Daniel Coller 

-Esta gostando da vista amor?

Ouvi a doce voz da Marriah soar ao meu lado me despertando dos pensamentos que vagavam a minha mente. Tirei a atenção da paisagem lá fora, para fita-la. Ela estava fodidamente linda. Senti o ar faltar em meus pulmões e percebi que estava prendendo a respiração. Soltei o ar pesadamente e continuei a observa-la de cima a baixo de maneira intensa. Talvez eu tivesse feito isso varias vezes, pois só parei quando senti que ela estava começando a ficar com vergonha.

-V-você tá... Incrível! –Consegui falar finalmente. Ela sorriu grande e se aproximou mais ficando a poucos centímetros do meu corpo.

-Obrigada. Você também esta... Perfeito. –Falou ela descendo o olhar pelas minhas vestimentas.

-É? –Perguntei confirmando e ela assentiu.

Realmente eu estava (Risos); Estava usando uma calça jeans preta despojada, uma camisa social de cor vinho com detalhes pretos nas mangas que se ajustava bem ao meu corpo. E nos pés um Adidas Advantage pra quebrar o ar formal.

-Você estava tão distraído com seus pensamentos que eu não quis te atrapalhar. –Falou ela apoiando uma de suas mãos no mármore. Sorri e pousei minha mão em cima da sua delicadamente. Ela também sorriu com o ato e entrelaçou nossos dedos.

Marriah me fitou novamente, ficando em puro silêncio. Seus olhos agora tinham um brilho hipnotizando.

-Posso te pedir uma coisa? –Perguntou ela

-Claro, pode sim. –Disse em resposta

-Me da um abraço?

Eu juro que poderia me derreter por inteiro só com aquele simples pedido. Ela pediu de forma tão fofa e delicada que eu não poderia negar aquilo nunca. Eu nada falei, apenas assenti brevemente. Ela me olhava serenamente enquanto dava mais um passo para a minha frente, me fazendo sentir seus braços me envolverem forte.

Inicialmente meu corpo estava tenso, e o dela também. Mas logo relaxou assim que sentiu meus abraços a sua volta. Um alivio tomou conta de mim, e aparentemente nela também. Marriah tinha um abraço tão bom que poderia me fazer esquecer a existência de qualquer outra coisa fora dali. Eu fechei os meus olhos, tentando prolongar aquele momento o máximo possível.

Só então depois de alguns segundos eu levantei o meu rosto para observa-la dentro do abraço acolhedor que trocávamos. Ela é simplesmente estava perfeita e tão à vontade... Eu podia sentir a respiração dela compassada contra meu peito, seu corpo quentinhos me envolvia com ternura. Ela era maravilhosa.

-Marriah –Sussurrei á chamando. Ela levantou a cabeça me encarando, e só então pude ver que o brilho nos seus olhos eram lagrimas presas que escorreram silenciosas pelo seu rosto. –Oque foi? Aconteceu alguma coisa?

Perguntei com receio tratando de enxuga-las com meus dedos.

-É que... –Ela se afastou sorrindo fazendo com que eu relaxasse um pouco. –Eu não consigo dizer o quanto estou feliz por esta aqui com você. Achei que depois do que tinha acontecido você nunca mais seria meu. 

-Amor... Você nunca vai me perder. Porque eu nunca vou deixar você. Eu te amo!

-Eu também te amo –Disse ela sorrindo sem lagrimas agora. Apenas entrelacei meus dedos entre seus longos cabelos claros e a puxei para um beijo. Beijar Marriah poderia ser uma das coisas mais prazerosas que já fiz. A forma como seus lábios macios e delicados se moviam com gana sobre os meus me tirava de orbita.

-Os pombinhos vão ficar ai na agarração ou vão se divertir com a gente? –Perguntou alguém fazendo com que meus lábios se afastassem dos dela. Seja quem for que atrapalhou eu juro que mato.

-Oi pra você também Thayson. –Falei cumprimentando ele com um aperto de mão forte. Eu fiz questão de demonstrar naquele aperto a minha irritação no momento por ele ter nos atrapalhado.

-Olá amigão! –Riu cinicamente. –Marriah você está... Waw. Parabéns Daniel!

-Thayson você não esta...Arht... Daniel! Marriah! –Exclamou Vic indo até nós. Ela tentava puxar Thayson para longe da gente em uma tentativa falha. –Desculpa o meu namorado, mas já que ele atrapalhou vocês... Querem se juntar a gente?

-Claro. –Dei de ombros –A gente não estava fazendo nada mesmo. –Ri sem humor e Marriah apertou meu braço como quem pedisse que eu me controlasse. 

Nos juntamos a Ty, Cloe, Sarah, Alex, Vic e Thayson em uma mesa com mais alguns desconhecidos. Ficamos ali sentados conversando, bebendo e comendo do churrasco que Ty ‘’tentava’’ fazer. O papo estava ótimo, e a companhia melhor ainda. Eu ria tanto com as historias loucas de Thayson que minha barriga chegava a doer e o ar faltar.

Marriah logo se levantou para dançar com as meninas, e alguns idiotas que pediram pra ir com elas. Eu estava controlado. Não iria ficar com raiva, mas às vezes olhava pra ela me assegurando que não teria ninguém se aproveitando dela.

-Se divertindo?

Todos os pelos do meu corpo se eriçaram ao sentir o hálito quente da Marriah em minha nuca. Eu virei de frente na cadeira para a mulher que soltou um sorriso ousado.

-Muito. E vejo que você também, não é? –Perguntei arqueando as sobrancelhas sorrindo.

Ela assentiu e tomou um gole da sua bebida lentamente, para logo depois deslizar a língua pelos lábios rosados.

-Bastante! Vou até aceitar os pedidos insistentes de Vic e Sarah para ir dançar mais um pouco.

-Dá pra ver que você esta se divertindo, mas acho melhor maneirar nisso aqui.

Falei serio enquanto tirava o copo de sua mão. Cheirei o liquido que tinha ali dentro e nem de perto consegui identificar oque tinha ali dentro.

-Vai ficar me controlando agora Coller? Você não esta melhor que eu...

O álcool só podia estar correndo forte na corrente sanguínea da mulher. Era notável que os seus sentidos já estavam um tanto abalados. Mas ela estava certa. Eu não preciso estar controlando ela se também estou do mesmo jeito.

-É. Mas vou ter que ser insistente em dizer que você deveria parar de beber. E pare de dançar com aqueles aproveitadores.

-Você não quis dançar comigo. E eles são seus amigos... Tá com ciúmes é?

-Eu nem conheço eles e não estou com ciúmes. Mas okay. –Levantei e engoli seja lá oque tivesse na bebida dela, e virei o resto da minha cerveja.

-Marriah vem dançar! –Cloe se aproximou

-Eu já vou. –Disse ela para Cloe que correu para o meio da pista de dança junto dos outros. Ela virou o rosto que estava um pouco suada, mas não deixava de estar linda. –Se quiser, vem dançar comigo.

(DEEM PLAY NA MUSICA -Just Hold On -Steve Aoki & Louis Tomlinson)

Ela falou para então se retirar dali. A musica então foi trocada para outra com um som envolvente. Não, eu não iria atrás dela. Não era hora pra aquilo. Eu me sentei de volta na cadeira, tomando um grande gole da tequila que Alex acabara de me servir. Eu precisava daquilo para me manter sã diante da visão da mulher que dançava á minha frente.

Droga. Resista Daniel.

Seu corpo deixava ser guiado pela musica que tocava. Naquele instante eu me sentia leve e um tanto aéreo. E Deus, só eu sabia o quanto aquilo mexia comigo. Eu avia entrado em um jogo de sedução sem ao menos notar. Ela mexia seu corpo de forma sensual de frente me encarando com um sorriso ousado.

 A forma sutil e provocante com que ela se mexia só me fazia deseja-la mais. Meu subconsciente gritava para que eu levantasse a minha bunda daquela cadeira e tirasse ela dali e lhe fizesse minha em qualquer lugar. Eu neguei com a cabeça tentando afastar os pensamentos e tomei um gole da bebida, fazendo Marriah sorrir.

-Me ajuda Deus... –Sussurrei soltando o ar preso bruscamente. 

Suas mãos correram por seu corpo e pescoço até chegar aos seus cabelos levemente ondulados. Eles brilhavam com as luzes coloridas. Ela rebolou de forma tão intensa que me fez esquentar. Eu não sabia se o ambiente estava quente, ou eram simplesmente os efeitos dela sobre mim. Provavelmente a segunda opção. Tomei o ultimo gole na garrafa de cerveja e me levantei caminhando em sua direção.

Ela cantarolava a musica enquanto continuava os movimentos em sincronia com os de suas amigas. Mas eu nem olhava pra elas. Não eram elas que eu queria aqui e agora. Fiquei alguns segundos ali parado arranjando coragem. Até que não resisti e segurei em sua cintura por trás.

No mesmo instante o corpo dela ficou ereto ao me sentir atrás de si.

-Você é uma provocadora sabia disso? –Sussurrei em seu ouvido. Ela nada falou, apenas continuou a dançar. Agora deixando que seu corpo rosasse no meu de forma sensual. Eu fechei os olhos acompanhando seus movimentos e dançando junto.

-Espero que saiba oque esta fazendo. Porque esta me enlouquecendo.

Eu escutei sua risada baixinha e também ri.

-Eu sei disso... –Disse ela virando de frente e me encarando. Marriah dançava tão colada a mim, praticamente me obrigando a dançar junto dela. Minhas mãos apertaram sua cintura com um pouco de força, unindo seu corpo com o meu.

Eu não me reconhecia mais. Eu estava em uma espécie de áurea que parecia que só avia eu e ela ali na festa, como se estivesse hipnotizado pela mulher a minha frente. Nada e ne ninguém me importava, a não ser ela.

(DEEM PLAY NA MUSICA –Lorde - Green Light)

A musica acabara de mudar outra vez. Uma batida que começava calma e envolvente, mas que depois seguia um ritmo eletrônico e agitado que me fez despertar do frenesi que sentia. As pessoas ao nosso redor gritaram e começaram a pular cantando a musica alto. Era tudo muito intenso e empolgante. Mal percebi que estava cantando junto com Marriah na mesma sintonia das pessoas. É uma sensação ótima quando sabemos que estamos nos divertindo.

Eu não sei dizer em que momento foi que alguém começou a girar um copo de bebida que molhou todo mundo ali. Mas estávamos tão distraídos que nem ligamos. Apenas rimos e continuamos a dançar.

POV Marriah Baker  

Era tão bom ver que Daniel estava se divertindo quanto eu. Ele até estava dançando comigo. Vê se pode? O mais engraçado que esse mentiroso sabia dançar muito bem. Ele se contagiava de um jeito incrível com á musica, e se soltava mais por eu estar ali com ele.

 Suas mãos que antes estavam em meus ombros desceram até minha cintura onde ele apertou com firmeza, seu rosto estava colado em minha nuca, eu sentia sua respiração bater contra minha pele causando arrepio nos pelos de meu pescoço. Minhas mãos estavam apoiadas em seus ombros e meus olhos estavam fechados. Nossos corpos começaram inconscientemente a se mover lentamente mesmo com á musica agitada até pararem de vez.

-Vem comigo Marriah –Daniel sussurrou e meu corpo todo reagiu a rouquidão de sua voz. -Me segue vem... –Sussurrou mais uma vez antes de soltar minha cintura e caminhar a passos apresados pelo meio das pessoas.   

Eu paralisei ali alguns segundos até me dar conta de que era para acompanha-lo.

Passei entre as pessoas esbarrando em algumas que tive que parar pra me desculpar. Olhei para a mesa que há poucos minutos estava sentada, e apenas avistei Sarah e Alex sentados lá. Eles estavam se beijando. Sorri e continuei a andar tentando achar Daniel.  

Tive a impressão de vê-lo seguir caminho por um corredor pouco iluminado, então foi por lá mesmo que caminhei apressadamente. Mas quando cheguei não avistei nada e nem ninguém ali. Só avia uma porta no final do corredor, e quando me preparava para adentrar a mesma alguém me segurou por trás. Aquele cheiro inconfundível... 

-Daniel? –Perguntei em um fio de voz me sentindo inebriada com seu corpo, sua pele, e seu cheiro tão doce. Ele me apertou contra ele e por impulso levei minha mão até seu cabelo enquanto seus lábios percorriam por meu pescoço. Ele me virou de frente pra ele em um movimento rápido que me fez suspirar em surpresa. Nos conectamos de forma intensa assim que nossos olhares entraram no mesmo campo de visão.

Eu o puxei para mim, e tomei seus lábios em um beijo carregado de desejo e vontade, vontade dele. Sua língua habilidosamente pediu espaço entre meus lábios, para se encontrar com a minha, movendo-se em uma sincronia perfeita e excitante. Uma de suas mãos que apertava minha cintura desceu pela lateral de meu corpo até chegar a onde se encontrava o final do meu vestido.

Com um pouco de dificuldade ele subiu o mesmo um pouco pra cima pra conseguir me colocar em seu colo. Isso sem atrapalhar nem por um segundo o nosso beijo. Eu me encontrava completamente entregue aos seus braços, e o mesmo me levava no colo em direção à porta no final do corredor.

Assim que abriu a porta descobri que ali avia um grande banheiro. Do tipo que até divisórias de cabines particulares tinha. Daniel me colocou no chão e grudou seu corpo no meu, fazendo-me encostar na porta atrás de nós que se fechou. Eu fechei os olhos sentindo seus lábios molhados na pele de meu pescoço. As minhas mãos adentraram por debaixo da sua camisa vinho social tocando em sua pele quente e fazendo um leve carinho ali.

Tirei minhas mãos de dentro de sua blusa e comecei a desabotoa-la. Me faltou paciência e eu á rasguei e á joguei no chão mesmo. Daniel riu em meio ao beijo que ainda trocávamos.

POV Daniel Coller

A nossa afobação só diminuía mais o cômodo que estávamos. Marriah arranhava meu peito toda vez que eu apertava sua cintura ou beijava seu pescoço. Desci minhas mãos outra vez pelo corpo dela e suspendi do chão colocando-a em cima da pia.

 Parei a poucos centímetros de seu corpo pra puxar o ar, e com as mãos afastei seus cabelos para um lado, deixando sua nuca totalmente exposta para mim. Ela estremeceu assim que meus lábios entraram em contato com a pele fina daquela região, onde fiz absoluta questão de beijar delicadamente, enquanto minha mão subia a barra de seu vestido preto lentamente. Marriah pendeu o pescoço pra trás com os meus toques.

Por Deus, alguem poderia querer uma mulher mais perfeita que essa? Eu sorri mordendo o nódulo da sua orelha escutando um gemido sair de sua boca. E quando ia puxa-la de cima da bancada a porta do banheiro se abriu. Dando espaço pra Thayson e Vic que se beijavam ardentemente, mas pararam no exato instante que nos viram lá dentro.

Nós quatro nos entreolhamos como se estivéssemos acabado de realizar um crime.

-Ér...nós estavamos...bom.. –Vic começou falando.

-É que... Eu e ela nós só... –Thayson tentou falar também.

Visivelmente todos nós estávamos em um estado deplorável. E sim eles chegaram em uma hora péssima.

-Nós também. –Falei.

-Bom... Podemos fazer todos juntos. Se bem que vocês dois já começaram há tempos não?

-Vic!  –Falou Marriah me fazendo prender uma risada.

-Oque? Olha o seu estado é deplorável. E Daniel! Você tá gostoso mesmo hein.

-VICTORIA! –Thayson a empurrou.

-Eu só tenho olhos pra você meu amor. –Ela disse seria, olhando pra o homem ao seu lado.

Todos nós estávamos passados de bêbados.

-Vocês cortaram o clima. Acho que não. –Falei pegando minha blusa do chão.

 Marriah suspirou e sorriu de canto, e eu rapidamente cuidei de me ajeitar. Ela desceu da pia, colocando as duas mãos em seu vestido preto para arruma-lo em seu corpo.  

-Vocês não perdem o costume de interromper a gente, não é Victoria? -Exclamou Marriah enquanto arrumava os seus cabelos ondulados no espelho.

-Babou pra todo mundo então –Thayson falou soltando uma gargalhada, mas logo parou devido o soco que recebeu no estomago de Vic.

-Culpa sua isso! –Reivindicou ela parecendo irritada. –Pela segunda vez essa noite!

-MINHA CULPA?

-SUA! –Dissemos os três.

Acabamos que saímos os quatro dali. O clima avia acabado no segundo em que eles entraram com tudo no banheiro. Assim que passamos pela porta sussurrei um ‘’Se prepara’’ pra ele que me olhou confuso.

Caminhamos até o jardim outra vez e antes que Thayson pudesse sentar a mesa com a gente o joguei na piscina com ajuda do Alex. 


Notas Finais


Até o próximo capitulo 💓Oque acharam desse? O proximo vai começar pegando fogo, então já liguem o ar condicionado e o ventilador bbs 😂

P.S. Qualquer erro concerto depois.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...