História In the Woods - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Lu Han, Sehun
Tags Aventura, Exo, Hunhan, Lobo, Luhan, Romance, Sehun
Exibições 100
Palavras 5.556
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Heeeey pessoas!
Miiiiiil desculpas pela demora! A vida entrou no caminho, sabe como é...
Aqui está enfim o fechamento de nossa fic!
Quero agradecer a todas as pessoas que estiveram apoiando essa belezinha e que deram muito amor a todos os capítulos.
Obrigado por aguentarem minhas pausas enormes e continuarem aqui.
Fiz esse capítulo mais longo para compensar pelo atraso e também por que todos merecemos um belo final para esses dois que passaram por poucas e boas.
E notícia pra quem quer mais uma HunHan pra ler!!
Tenho uma nova fic planejada e ela terá uma estrutura bem diferente. Estarei a fazendo em conjunto com uma pessoinha muito especial e espero que vocês gostem muito do que vem por aí!
Sem mais delongas!!!
Aproveitem o capítulo!
Amo todos vocês!

Capítulo 10 - Um novo capítulo


Fanfic / Fanfiction In the Woods - Capítulo 10 - Um novo capítulo

Depois do aniversário de Luhan e do pedido de casamento maravilhoso, as coisas não podiam estar melhores entre eles.  Os dias pareciam mais belos e as dores de dias passados já não existiam. 

Ambos não queriam esperar muito para se casarem pois já se sentiam assim há tempos. Sehun já tinha comprado uma nova casa para os dois e secretamente estava organizando tudo e aos poucos estava levando coisas que tinham em sua casa para a nova. As vezes Luhan ficava confuso por não encontrar algumas coisas mas ele logo deixava aquilo de lado e procurava outra coisa no lugar da que não fora encontrada. Sehun achava até engraçado aquilo.

A decoração da nova casa estava ficando muito bonita e havia espaço suficiente para tudo o que os dois planejaram, inclusive quartos para os futuros filhos e até uma sala para Luhan trabalhar agora que ele decidira seguir a vida como artista. Também o quintal era grande e o jardim na frente da casa já estava sendo decorado. Sehun havia pensado em tudo, até comprara uma caminha para o filhote que também já havia escolhido e estava apenas esperando para ser levado para o novo lar.

O quarto do casal era agora espaçoso e em vez de uma cama de solteiro de um tamanho um pouco maior que o convencional, eles teriam uma cama de casal com espaço suficiente para fazerem o que quisessem, mas no fundo Sehun sabia que quando dormissem estariam ocupando novamente o espaço de uma cama de solteiro. Eles não conseguiam ficar longe um do outro.

A cozinha era muito bonita e ajeitadinha e tinha até uma janela sobre a pia. A sala estava sendo arrumada ainda e Sehu havia escolhido móveis e objetos de decoração muito bonitos para a nova casa. Vasos de flores, tapetes, cortinas, lustres, entre outras coisas estavam sendo postas para todos os lados fazendo o ambiente ficar muito mais agradável e acolhedor. Até agora só havia uma coisa presa á parede. Um retrato do casal na sala da antiga casa. O cenário atrás não era dos melhores por que estava tudo bagunçado e havia até uma caixa de pizza sobre a mesinha de centro, mas ambos estavam muito mais que perfeitos naquela foto. Luhan era quem estava tirando a foto e enquanto ele olhava para a câmera com um sorriso magnífico e os olhos quase fechados , Sehun estava olhando para o menor como se estivesse vendo a joia mais rara do planeta inteiro, completamente encantado. Era uma bela foto e agora decorava a parede de seu novo lar. Sehun pensou que as paredes iriam ser enfeitadas conforme o tempo passasse pois ainda queria colocar a arte do menor como enfeite e muitas outras fotos deles também.

Os dias iam passando e Luhan se preparava para o vestibular que iria realizar para entrar na faculdade. Ele estava se esforçando muito para conseguir passar e Sehun tinha o sentimento de que o menor iria passar em uma posição melhor do que a que ambos esperavam. Ele estava ajudando o menor a estudar e Luhan cada vez mais se apresentava muito inteligente aos olhos de Sehun. Ele tinha uma memória incrível que facilitava em pelo menos 60% nos estudos.

O casamento havia sido marcado para um dia depois do resultado do vestibular que seria dois dias depois de a prova ser realizada. Ambos estavam muito ansiosos por tudo e quando o dia da prova de Luhan chegou, Sehun acordou um pouco mais cedo para preparar o café da manhã do menor. A prova começaria ás oito da manhã duraria cinco horas então Luhan não poderia estar de estômago vazio por que não existe resultados quando se tem fome.

O maior estava preparando uma omelete quando sentiu os braços de Luhan envolverem sua cintura e seu corpo encostar em suas costas. Ele parecia sonolento ainda e então Sehun desligou o fogo e se virou para o menor o abraçando carinhosamente e selando o topo de sua cabeça. Luhan ainda estava vestido com o que usava para dormir que era uma camiseta velha de Sehun que era tão grande para o menor que lhe cobria até a metade dos braços e ia até a metade de suas coxas. O maior adorava ver Luhan com aquela camiseta, pensava ser adorável.

-Bom dia baixinho

-Bom dia grandão. – Respondeu o menor com a voz ainda rouca pelo sono.

-Está com fome? –Sehun sentiu o menor concordar com a cabeça e então o guiou até a mesa o vendo se sentar e então se inclinou selando os lábios macios do menor adorando sentir sua suavidade tão cedo pela manhã. –Fiz uma omelete pra você. Vou trazer seu café daqui a pouco.

Sehun então vai até o fogão pegando a frigideira e servindo seu conteúdo nos pratos e os levou para a mesa vendo Luhan agradecer pela comida e começar a se alimentar. O maior serviu em duas canecas o café que tinha feito e foi para a mesa entregando a caneca para Luhan o vendo tomar um belo gole da bebida e sorrir.

-Está incrível como sempre Sehunnie. –Ele elogia e Sehun ri baixo. O café dele não era nem um pouco bom mas o menor insistia que gostava.

-Espero que isso cause uma dor de barriga em você na hora da prova. Sabe que meu café é péssimo.

-Não é não, eu adoro. É feito com amor.

-Tá bom baixinho. Se é assim tudo bem. Você dormiu bem?

-Dormi maravilhosamente bem. Depois da massagem que você me fez não tinha como não dormir bem assim.

-Que bom que gostou. Eu nem sabia o que estava fazendo.

-Pois fez muito bem, fiquei todo mole. –Ele ri e Sehun pensa que não havia som mais belo que aquele.

-Que horas você tem que estar lá?

-Sete e meia. Estou um pouco nervoso.

-Vai dar tudo certo, você vai lembrar de tudo o que estudou. Você é muito inteligente.

-Eu espero que sim. Hm... –Ele termina de beber o café e de comer e se levanta. –Vou me arrumar. –Ele anda até Sehun e se abaixo selando a bochecha do maior. – logo desço.

O maior vê Luhan saindo da cozinha de forma preguiçosa e então solta um riso baixo antes de falar em um sussurro:

-Preguiçoso...

Ele então termina de comer e vai lavar a louça. Depois disso ele se arruma e ambos vão para o carro. Luhan estava em silêncio e Sehun sabia que este estava se concentrando em manter em mente coisas que para ele seriam mais difíceis na hora da prova.

O maior dirige até a faculdade onde Luhan iria prestar a prova que era também onde ele queria estudar e dentro do carro ele segura o rosto do menor o beijando de forma apaixonada antes de o desejar sorte e o vê sair do quarto e entrar no prédio.

Sehun então volta ao trabalho, que era sua nova moradia. Ele tinha algumas coisas para organizar ali ainda e como ele iria esperar pela ligação de Luhan para ir o buscar, ele teria tempo suficiente pra fazer tudo o que desejava.

O tempo passa e logo já faziam três horas que Luhan estava em prova. Sehun achou que o menor iria realizar tudo rapidamente por ser bem inteligente mas quem sabe a prova estava difícil. Ele queria que Luhan conseguisse passar, o menor havia se esforçado muito e ele merecia uma vaga na faculdade. Ainda mais agora que ele estava todo animado com a ideia de estudar arte.

Mais uma hora se passa e Sehun decide que iria esperar o menor na frente da faculdade  já que faltava pouco para o tempo de prova acabar. Ele já havia terminado de organizar os últimos detalhes da casa deles e estava realmente perfeito. Ele sentia que Luhan iria adorar.

No caminho até a faculdade, Sehun ouvia as músicas preferidas do menor que agora também eram suas preferidas e começa a cantar. Ele encontra uma vaga não muito longe do lugar por onde Luhan entrou e ali ele ficou esperando enquanto jogava um jogo no celular. Faltavam agora quinze minutos para o fim das cinco horas de prova e Luhan ainda não havia aparecido. Sehun sai do carro e então se encosta nele de frente para a porta onde o menor deveria sair. Quando o tempo acaba, um sinal pode ser ouvido vindo do prédio e ele então ficou esperando a saída do menor.

Quando Luhan saiu ele parecia cabisbaixo. Sehun foi ao encontro dele e quando esse o viu, logo apertou o passo para encontrar o maior e Sehun o envolve em um abraço carinhoso.

-Eu já estava preocupado...

-Eu não sei se fui bem Sehun. Estava muito difícil. Eu tive que refazer muitas questões por isso demorei para terminar. Queria ter certeza mas eu já não sei mais o que pensar.

-Você está sobrecarregado. Vamos pra casa. Podemos tomar um banho bem gostoso de banheira, depois podemos até ver um filme ou passear na floresta. Pode ser?

-Uhum. Quero uma massagem...

-Pode ser também! –O maior ri e então eles andam para o carro onde Luhan se aninha no banco durante o caminho e brinca de escolher músicas.

O resto do dia foi voltado apenas para relaxar Luhan que não parecia feliz com a prova que havia feito. Eles evitaram tocar no assunto já que parecia deixar o menor ainda mais nervoso. Os dias que se seguiram estava também cheios de tensão por parte de Luhan e no dia em que o resultado da prova sairia, o casal foi surpreendido por uma ligação no celular de Luhan na hora do almoço.

Sehun apenas observava as expressões do menor enquanto ele falava ao telefone. Ele parecia não ter muita resção enquanto falava pequenas palavras e então quando ele desliga o telefone, ele cobre o rosto e começa a chorar. Sehun se levanta preocupado e quando ele para ao lado do menor colocando a mão em seu ombro ele ouve ele falar.

-Eu passei. –A voz dele sai fraca por causa do choro e então ele se levanta abraçando Sehun. –Eu passei!  Eu passei!

O maior apenas abraça o menor o ouvindo falar aquilo emocionado. Ele sabia que Luhan passaria na prova. Ele tinha certeza mas então uma nova informação vem.

-Eu passei em primeiro lugar. –Ele fala enquanto limpa o rosto e abre um largo sorriso. –Errei uma única questão. Eles querem me dar uma bolsa. Sehun... eu consegui!

Aquela notícia não poderia ter sido melhor.

Eles tinham uma boa quantia de dinheiro guardada mas ambos sabiam que seria muito difícil se manter apenas com aquele dinheiro. A bolsa havia vindo na hora certa. Assim, Sehun conseguiria um trabalho e teriam dinheiro suficiente para realizarem seus sonhos.

Amanhã seria o casamento deles e hoje mesmo já estavam muito felizes pelo resultado esplêndido de Luhan na prova.

Para a comemoração do resultado da prova, Sehun decidiu que deviam sair para jantar fora, pois nunca haviam feito algo do tipo.

O jantar havia sido maravilhoso. Eles foram a um restaurante chinês sabendo que Luhan tinha essa nacionalidade e que provavelmente sentia falta da comida tradicional. O jantar foi muito bom e ambos apreciaram o momento de descontração para conversarem sobre coisas que ainda não tinham decidido. Como por exemplo, em um futuro próximo como seria o nome de seus filhos.

Eles haviam decidido que primeiro adotariam um menino e que esse seria chamado Joshua. Depois que tivessem pegado o jeito com a criança, eles adotariam outra, uma menina, que á pedido de Luhan se chamaria Lilly.

Luhan também decidiu voltar na questão do animal de estimação que teriam e confessou que também gostaria de ter um gato além do cachorro. Sehun acha a ideia interessante ainda mais que tendo escolhido um cãozinho filhote, ele poderia amanhã antes do casamento quando fosse buscar o cãozinho, escolher um gatinho e então eles cresceriam juntos como amigos.

Quando voltaram para casa, Luhan contou a Sehun que estivera se preparando para sua noite de núpcias sentindo então que estava pronto para voltar a ter relações. Sehun pensou então que poderia por em prática o desejo que o menor tinha de fazer amor na floresta. Ele prepararia tudo para que na noite do dia seguinte eles tivessem um momento especial.

Quando o dia seguinte amanheceu, ambos levantaram cedo e Sehun com a desculpa de que precisava fazer algumas coisas antes que a hora de se preparar para o casamento, saiu de casa para fazer alguns preparativos. Primeiro ele buscou os animaizinhos no abrigo e os levou para a nova casa os deixando lá com comida e água suficiente até que ele voltasse mas dessa vez com Luhan junto.

Depois disso, ele foi preparar o lugar na floresta onde ele e Luhan consumariam seu amor. Ele conseguiu improvisar uma cama que havia até ficado macia e a cobriu com um edredom para ficar ainda melhor. Enchei o ambiente de velas que ele não ligou pois esperaria até quando viessem para o lugar pra acender aquilo. Havia ficado até bonito para uma coisa improvisada.

Enquanto Sehun não estava em casa, Luhan teve tempo de sobra para se preparar. Ele tomou um banho demorado mergulhado em sais aromáticos e outros produtos que deixaram sua pele bem hidratada. Ele queria estar perfeito para quando fosse a hora de estar junto de Sehun de forma íntima.

Ele então arrumou os cabelos, passou creme no corpo, e se vestiu com seu terno branco que havia comprado especialmente para essa ocasião. Ele se sentia deslumbrante. Seus olhos brilhavam mais do que o comum e seu rosto estava radiante. Ele iria se unir a quem amava de forma definitiva e isso era o que mais importava naquele momento.

Quando Sehun chegou em casa, ele teve que se controlar para não agarrar o menor ali mesmo pois ele estava maravilhoso. Era incrível como alguém pudesse ser tão perfeito aos olhos do maior.

Luhan teve que o empurrar para o banheiro a fim de fazer o maior desistir de tentar o seduzir pois não era a hora para aquilo e sim era hora de se arrumar.

Sehun tomou um bom banho, se preparou para parecer bom o suficiente para estar ao lado de Luhan que para ele era como uma figura quase divina. Quando Sehun terminou de se arrumar e vestiu seu terno preto, ele saiu do quarto segurando a gravata nas mãos pois não sabia fazer o nó. Ele desceu para a cozinha vendo Luhan ali tomando um pouco de água.

-Pode me ajudar com a gravata, Cogumelo? –Ele pergunta vendo Luhan se virar pra ele dando um sorriso gentil e se aproximar pegando a gravata de suas mãos e a passando por seu pescoço trabalhando no nó.

-Você está muito bonito, amor. Até parece que vai se casar... –Luhan brinca e sorri para o noivo se erguendo na ponta dos pés para selar os lábios do maior de forma terna. –Eu te amo.

-Eu também te amo Luhan. Agora vamos. Não podemos nos atrasar pra nosso próprio casamento não é?

-Não mesmo. Pegou tudo?

-Tudo o que? Só temos que levar as alianças!

-Então! É disso que estou falando Senhor Rabugento! Pegou tudo?

-Peguei sim amor. Agora vamos antes que você mude de ideia! –Sehun exclama dando leves tapinhas na bunda de Luhan pra o apressar para fora de casa o guiando para dentro do carro que ele mesmo abre a porta para o menor entrar.

Sehun entra no carro colocando o cinto e então dirige para o cartório ouvindo a música que Luhan escolheu para ouvir e que esse também cantava de forma tranquila. Sehun amava a voz de Luhan. Era suave e as vezes tinha uma potência incrível quando ele queria alcançar as notas mais altas das músicas. Se ele quisesse, poderia se tornar um cantor muito famoso mas Luhan não desejava isso. Ele queria apenas estar em paz com Sehun vivendo uma vida tranquila e formando uma família.

Quando chegaram ao cartório, saíram do carro e foram esperar na fila sua vez. Luhan parecia nervoso e Sehun tentava o fazer ficar mais confortável segurando suas mãos e lhe fazendo carinhos falando algumas palavras gentis de encorajamento. Sehun sabia que o menor as vezes tinha medo de estar em lugares com mais de 5 pessoas. Ele ficava ansioso, tinha medo de ser julgado e de que as pessoas de alguma forma descobrissem que ele havia sofrido abusos. Era algo da cabeça dele mas mesmo assim, Sehun respeitava seus medos e sempre tentava o confortar da melhor forma possível.

Logo chegou a vez deles e ambos foram até o juiz que os uniria em casamento. Sehun envolvia a mão de Luhan com carinho enquanto ouviam o senhor na frente deles. Ambos repetiram os votos e trocaram as alianças que Luhan pensava serem maravilhosas e que combinavam com eles.

Com um beijo gentil e carinhoso, eles selaram seu amor. Sehun ainda depositou um breve selar na testa do menor limpando as lágrimas de alegria que esse derramava. Eles assinaram os documentos e saíram juntos do cartório entrando no carro e ali finalmente sozinhos, ambos se entregaram em um beijo apaixonado em meio a sorrisos bobos que espreitavam entre seus lábios.

-Eu te amo... –Luhan sussurra entre os beijos que trocavam e um riso rouco vindo de Sehun pode ser ouvido enchendo o ambiente do carro.

-Eu também te amo. Meu marido...

-Nossa eu nunca pensei que alguém um dia me chamaria de marido! Isso é tão legal!

-Ah eu amo te ver assim empolgado meu pequeno!

-Hm... E eu amo te ver sorrindo assim, grandão. Nem parece o senhor Rabugento.

-Você nunca vai parar de me chamar assim não é, Cogumelo?

Luhan nega com a cabeça e ambos caem na gargalhada. Sehun começa a dirigir para onde havia planejado ir com Luhan. Primeiro um restaurante pequeno onde Sehun sabia que poucas pessoas frequentavam nesse dia da semana. Eles tiveram um jantar maravilhoso. Conversaram sobre o dia, sobre alguns desejos que ambos tinham mas secretamente Sehun já tinha preparado pra alegrar o pequeno.

Depois do jantar, Luhan dizia querer ter dinheiro pra poderem passar a noite em um lugar que não fosse sua casa mas Sehun garantiu ao pequeno que não precisavam de dinheiro pra fazer sua noite ser especial.

Primeiro Luhan não entendeu, mas quando Sehun parou o carro na entrada da floresta, ele entende. Era o desejo que havia contado ao maior. Sehun sai do carro e abre a porta para o menor lhe estendendo a mão e o ajuda a sair logo trancando o carro. Sehun não queria se transformar hoje então apenas anda com o esposo de mãos dadas pela floresta que aos poucos ia ficando mais e mais escura por estarem entrando mais a dentro dela. Quando já estavam quase no lugar que Sehun preparou, ele pega o menor no colo o ouvindo rir de forma doce. Chegando ao local onde tudo estava arrumado, Sehun coloca o menor no chão e começa a acender as velas cuidadosamente as colocando em seu devido lugar. Ele preparou apoios pra que não fosse perigoso manter as velas acesas ali no meio da mata.

Assim que todas as velas estavam acesas, Sehun andou até o menor vendo a expressão de encanto que lhe enchia os olhos. Quando o menor olhou para ele, Sehun lhe tomou os lábios de forma gentil e começou a lhe tirar o paletó que usava. Quando foi desfazer o nó da gravata do menor acabou se complicando e ambos riram enquanto Luhan fazia aquilo para o maior, gravatas nunca foram seu forte.

Eles começaram a despir um ao outro de forma calma mas ambos começaram a sentir a falta que ambos sentiam um do outro e tudo começou a ficar mais rápido. Logo estavam ambos nus trocando beijos intensos e carícias arrepiantes.

Sehun deitou o menor na cama improvisada que havia feito e ele viu o menor fitando o céu com um sorriso largo nos lábios.

-É tão lindo... – O menor fala baixo enquanto fitava o céu repleto de estrelas que presenciavam aquele momento de união entre os dois.

-Você que é lindo. –Sehun murmura depositando um beijo suave em sua testa. –Está pronto?

-Estou. Mas vá com calma, por favor.

-Vou sim. Relaxe pequeno...

Com calma, Sehun preparou Luhan enquanto lhe banhava de beijos gentis e delicados para o relaxar. Ele estava tenso, Sehun sabia que isso era um grande passo para o menor depois de tudo o que havia acontecido. Mas ele estava se saindo bem. Talvez a confiança que tinham um no outro o fazia se sentir mais seguro.  E era assim que Luhan se sentia. Ele sabia que Sehun não o machucaria. Em todo o tempo que eles estiveram juntos, Sehun o tocara apenas pra que Luhan mesmo se sentisse bem e assim Luhan o fazia com ele. O prazer que sentiam não era apenas para o bem de um mas de ambos. Os dois se preocupavam em fazer aquilo de uma forma que a troca de carinhos fosse a mesma entre um e outro. Não era como Luhan havia sido tratado por tantos anos, sendo usado apenas para o prazer de quem o abusava.

Luhan olhava para Sehun enquanto sentia os toques delicados que o maior lhe fazia. Seu corpo aos poucos ia relaxando e se entregando aos toques. Quando sentia que estava bem preparado para receber o esposo, ele afaga os cabelos do maior roçando a perna em seu quadril logo fechando os olhos esperando. Sehun sempre sabia interpretar a linguagem corporal de Luhan. Ele não precisava nem falar, Sehun sabia o que ele queria.

E dessa vez não foi diferente. Sehun entendeu o recado e logo estava se colocando de forma cuidadosa no menor ouvindo um leve gemido escapando dos lábios rosados dele. Primeiro ele se pôs todo no menor e então esperou. Esperou até que Luhan desse outro sinal de que podia continuar. O sinal logo veio quando o menor procurou segurar nos cabelos do esposo.

Sehun começou a se mover, primeiro de vagar e gentil, e aos poucos ia escalando a movimentos mais intensos que traziam imenso prazer para ambos.

Luhan acariciava o corpo do maior deixando gemidos suaves saírem livremente de seus lábios entreabertos. Sehun beijava Luhan por todos os lugares que conseguia alcançar lhe mostrando o quanto lhe amava. Seus corpos se movendo juntos em harmonia enquanto suas vozes baixas enchiam o ambiente.

O momento durou mais do que ambos esperavam. Parecia que eles precisavam disso, de todo o carinho e o sentimento que envolvia o ato. Quando alcançaram o ápice do prazer, ambos finalizaram tudo com um beijo doce e um abraço apertado.

Quando conseguiram recuperar o ritmo da respiração, estavam ambos deitados com as pernas entrelaçadas, mãos dadas e sorrisos de satisfação enfeitando seus rostos. Sehun acariciava os cabelos do menor enquanto lhe fitava o rosto iluminado pela luz da lua apenas já que as velas se apagaram com o tempo. Ele era tão lindo. Sua pele branca parecia ter um brilho perolado e nem as estrelas se comparavam aos olhos do menor. Luhan estava completamente feliz e Sehun sabia, sendo assim, ele também estava feliz tal qual o menor.

Eles passaram pouco tempo ali. A noite estava começando a ficar cada vez mais fria e eles sabiam que não podiam ficar ali assim. Sehun tomou o cuidado de vestir Luhan já que este estava demasiado cansado para sequer se levantar.  Quando ambos estavam devidamente cobertos, o maior pegou o esposo no colo o aninhando junto ao peito o levanto pelo caminho de volta até o carro. Quando chegaram, Luhan dormia tranquilamente e Sehun o colocou dentro do veículo com todo o cuidado o prendendo no cinto e deixando um beijo gentil em sua testa.

Sehun dirigiu para a nova casa deles e quando chegou, ficou com pena de acordar o menor mas ele sabia que valeria a pena e Luhan não se importaria. De forma gentil, ele começou a afagar os cabelos do menor o chamando suavemente pra acordar. Quando Luhan abriu os olhos de forma preguiçosa, ele imediatamente notou que não estavam em sua casa.

-Onde estamos? – Ele pergunta com a voz baixa e preguiçosa de quem acabou de acordar.

-Nosso novo lar, pequeno. –Sehun fala e sai do carro antes que Luhan possa falar qualquer coisa e vai abrir a porta para o pegar no colo e ir andando até a entrada da casa de dois andares que possuía um jardim maravilhoso na frente.

Luhan tentava processar tudo aquilo enquanto olhava para todo o novo ambiente que lhe rodeava. O belo jardim, a casa de arquitetura europeia, era tudo tão lindo.

Sehun coloca o menor no chão para lhe entregar a chave com um sorriso nos lábios.

-Faça as honras Cogumelo.

O menor pega a chave a olhando e nota que havia um chaveiro ali. Era metade de um coração. Ele viu Sehun tirar do bolso outra chave com a outra metade do coração como chaveiro e então sorriu achando muito fofo aquilo. Sehun era bem romântico quando queria. Assim que ele destrancou a porta e a abriu, um filhote de beagle veio correndo em sua direção todo atrapalhado lhe tirando um sorriso.

-Eu não acredito! –Ele exclama se abaixando pra receber o filhote que assim que é pego por Luhan, começa a lamber seu rosto enquanto abanava o rabinho euforicamente. –É tão fofo!

-Fico feliz que gostou, mas não é o único. –Sehun aponta pra dentro da casa onde um gatinho cinza estava sentado os olhando curioso com a cabeça inclinada. Luhan olha na direção apontada abrindo um largo sorriso ao ver o gatinho e então ele estende a mão para este que se aproxima aos poucos cheirando a mão de Luhan e logo roça a cabeça nela pedindo carinho.

-Sehun eles são tão lindos!

-E são nossos. É tudo nosso, amor.

Luhan solta o cachorrinho pra se levantar e abraçar o maior lhe dando um beijo carinhoso nos lábios.

-Eu te amo. Muito. Obrigado por me dar tudo o que eu sempre quis. Obrigado por ser meu.

-Não precisa agradecer Luhan. Seus sonhos são meus também. E eu sempre fui seu mesmo quando você não sabia. –Ele faz uma pausa pra dar um beijo carinhoso na testa do amado. –Eu te amo meu pequeno. Você é tudo pra mim.

Depois que entraram em casa e fecharam a porta, Luhan deu uma volta na casa pra ver todos os cômodos e se encantou com a decoração e os novos móveis que Sehun escolhera. Era tudo muito bonito. O sono do menor havia ido embora no segundo em que Sehun o tirou do carro e com todas as novidades que estavam diante de seus olhos. Eles passaram a noite acordados. Primeiro tomaram um banho bem gostoso na banheira que era bem maior do que a que Sehun tinha na outra casa, vestiram uma roupa confortável e foram inaugurar a cozinha.

Eles fizeram os biscoitos que Sehun gostava rindo vez ou outra dos filhotes que brincavam no chão da cozinha. Eles não sabiam ainda que nome dariam a eles mas logo iriam descobrir. Eles pareciam estar se dando muito bem juntos correndo pra lá e pra cá e rolando juntos pelo chão.

Sehun sentou Luhan sobre a bancada e ficou entre as pernas dele acariciando suas coxas nuas por estar usando apenas uma camiseta e Luhan lhe dava pedaços de biscoito após lhe selar os lábios algumas vezes.

Quando estavam cheios de biscoitos e suco, foram para a sala pra se deitarem no sofá que era bem macio. Ficaram ali envolvidos nos braços um do outro e logo os bichinhos vieram lhes fazer companhia. O cachorrinho se deitou entre eles e o gatinho ficou sobre o abdômen de Sehun recebendo carinhos de Luhan que descansava a cabeça no ombro do esposo.

Eles acabaram adormecendo assim, todos juntos envolvidos em uma felicidade plena.

2 anos depois

Luhan voltava das aulas que tivera pela manhã na faculdade. Ele estava indo muito bem e adorando tudo no curso. Descobriu que tinha um talento para pintura em tela e estava se focando nisso. As paredes de seu lar agora eram cheios de pinturas coloridas de diversos tipos de plantas e criaturas e isso contrastava com a mobília da casa que era em sua maioria preta e branca.

O dia estava muito bonito e ele tinha acabado de passar em uma floricultura pra comprar algumas flores. Ele gostava de decorar a casa com flores e Sehun quando decorou a casa em segredo havia enchido o lugar de vasos bonitos especialmente para que Luhan pudesse colocar suas flores preferias por todo o ambiente.

Quando chegou em casa e estacionou o carro, ele pegou todas as coisas que estavam no banco traseiro e trancou o veículo indo para dentro de casa. Pudim, o cachorrinho logo veio ao seu encontro vestindo algo que parecia uma fantasia de dragão que tirou um riso de Luhan que agora colocava as flores sobre um balcão decorativo que ficava logo ao lado da porta e se abaixou pra receber o cãozinho.

-Nem preciso adivinhar quem fez isso com você. –Ele fala rindo vendo o bichinho rolando no chão todo bobo com a língua de fora eufórico pela alegria de ver o dono chegar em casa.

-Olha quem chegou! –Exclama Sehun e Luhan levanta o olhar pra ver o marido carregando no colo o pequeno garotinho que haviam adotado pouco depois de se casarem. Joshua era seu nome e agora ele tinha um ano e meio de idade. Era muito inteligente e tão alegre que trouxe mais cor para seu lar.

-Mama! –O pequeno chama estendendo as mãozinhas na direção de Luhan que logo se levantou indo até os dois dando um beijo em cada lado do rosto do pequeno e um selar nos lábios de Sehun que o abraçara pela cintura.

-Como foi sua aula? –Sehun pergunta passando os dedos pelos cabelos castanho-claros do marido.

-Foi muito produtiva. E vocês se divertiram? Estavam torturando Pudim?

-Pudi! –Fala o pequeno que havia pouco tempo estava aprendendo a falar algumas coisas.

-Ah ele gosta Lu...

-Gosta sim que eu sei olha que bobão!

Eles olham pro cão que estava deitado de barriga pra cima na frente de Cinza, o gato, que batia a patinha em algum detalhe da fantasia que Pudim usava e lhe chamara a atenção. Eles riem achando tudo muito divertido e então Sehun deposita um beijo na testa de Luhan lhe entregando o pequenino que o abraça descansando a cabeça em seu ombro.

-Adivinha quem ligou. –Sehun fala indo até o cachorro pra lhe livrar da roupa que usava.

-Hm... não sei amor. Quem poderia ter ligado?

-A assistente social. –Responde o maior e então volta até o esposo sustentando um sorriso nos lábios. –Confirmaram a adoção. Temos uma semana pra nos organizarmos e irão trazer ela.

-Ai meu Deus! Eles aceitaram? Aceitaram mesmo?

-Sim. Disseram que quando vieram fazer as visitas e entrevistas com a gente, eles acharam que estamos cuidando muito bem de Joshua e que a casa tem espaço suficiente pra duas crianças. Também elogiaram a gente dizendo que somos muito responsáveis e que eles teriam muita sorte se todas as pessoas na fila de adoção fossem como nós. Conseguimos Lu.

Meio ano depois de adotarem Joshua, eles decidiram que podiam adotar mais um. Uma menina. Eles entraram na fila de adoção novamente e dois assistentes sociais foram colocados  pra os observarem durante certo tempo e estudarem o caso. Como eles tinham adotado Joshua fazia pouco tempo eles não sabiam como seria para a criança ou para os pais. Se tudo daria certo ou se haveriam problemas. Mas felizmente tudo parecia correr muito bem e havia uma harmonia muito bonita em sua família.

Depois das boa novas que receberam, eles começaram a se preparar pra receber a recém nascida que faria parte de sua família. Eles organizaram o quartinho, compraram roupinhas e todas as coisas que seriam necessárias pra receber a criança. Haviam muitas coisas que eles tinham que foram de Joshua quando chegara ao seu lar e poderiam usar agora.

Quando a pequena chegou, eles estavam prontos e até Joshua parecia na expectativa. Ela era linda. Quem a recebeu foi Luhan que ficou completamente encantado pela criança. Ela era bem calma e muito pequena. Foi explicado a eles que ela havia nascido prematuramente e por isso era bem miúda, mas que estava bem saudável.

Eles a chamaram de Lilly por que Lírios eram as flores preferidas de Luhan e representavam pureza.

Ao olhar para sua família agora mais completa que antes, Luhan lembrou-se do passado, de sua infância, seus traumas, suas alegrias e seus sonhos, e decidiu que daria seu melhor pra que seus filhos fossem felizes, que recebessem todo o cuidado que pudessem receber, que fossem amados incondicionalmente e vivessem em plena alegria.

O amor de Sehun por ele o havia salvado, o havia curado, havia lhe trazido vida novamente. O amor de Sehun por ele lhe deu paz, lhe deu um lar, e uma família. E esse amor não teria fim.

O amor deles era eterno.  O amor deles era maior que as dificuldades.

Sehun se aproximou do esposo e lhe tomou os lábios em um beijo repleto de carinho, marcando assim o início de um novo capítulo em sua história.

Mas com certeza, não o último. 


Notas Finais


Um agradecimento especial para minha querida lu_hannie á quem dedico toda essa fanfic.
Obrigado por me trazer a inspiração para essa história. Sem você ela nunca teria existido.
Ela é pra você, pequena.
Te amo muito!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...