História In Your Eyes - Imagine Kim TaeHyung (BTS) - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Red Velvet
Personagens Irene, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V, Wendy
Tags Amizade, Bts, Drama, Jimin, Jin, Jungkook, Menção Vrene, Morte, Musica, Namjoon, Namoro, Novela, Red Velvet, Romance, Sexo, Taehyung, Wendy, Wenga, Yeri, Yoongi
Visualizações 83
Palavras 3.459
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Lírica, Romance e Novela, Shounen, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá flores! ☺☺☺☺🌸🌸🌸
Voltei 🙋🙋🙋🙋
Como estão? Espero que bem.
Bom, espero que estejam passando um bom feriado.
Ah, e não vamos esquecer do aniversário do nosso Mochi, Park Jimin que está completando 23 aninhos. 🎂🎂🎂🎈🎈🎈🎉🎉🎉🎁🎊🎊
Gostaria de agradecer pelos 27 favoritos!
Vocês são incríveis, amo vocês muito! 💜❤💜❤💜❤💜
Espero que gostem do capítulo😊😊😊
Nos vemos lá embaixo!🙋🙋🙋
~Jasmine🌸🌸

Capítulo 6 - Parte VI


 

~~1 ano atrás
[…]
Eu me olhava no espelho, sorrindo. Já estava no último ano do ensino médio. A três anos, prometi que não sofreria mais por amor nenhum, e eu cumpri isso com afinco.

Tinha mudado bastante, tanto  corpo quanto mente estavam mais maduros, adultos. Encarava o mundo de outra forma e com outras perspectivas. Faltavam só mais alguns meses para o vestibular, então eu cursaria Enfermagem em uma boa universidade.

Decidi que seguiria a mesma carreira de Omma, e sei que se orgulharia de minha escolha. Passei meus dedos pelos cabelos, deixando a franja já grande penteada para trás. Peguei o rímel que estava na frente da penteadeira e passei em meus cílios, após isso, colori meus lábios com um batom rosa suave. Coloquei brincos de argola prateados e algumas pulseiras que foram presentes de Jimin e TaeHyung.

Elas eram lindas, todas diferentes e com pingentes particulares. Ajustei minha jaqueta preta com o escudo da Gold Wings High School, notei se o nó da gravata estava certo e olhei minha saia preta com duas listras horizontais brancas.
A blusa que usava por baixo era branca, combinado com o resto da farda.

Antes que pudesse fazer qualquer coisa, a porta do meu quarto se abre e um Tae com o rosto vermelho e gravata bagunçada. Segurei o riso, enquanto ele me encarava.

- Então... Pode me ajudar aqui? - Pergunta. Não consegui mais e comecei a gargalhar de seu estado.

- Como... Como fez isso? - Perguntei, ainda entre risadas.

- Eu não sei fazer isso, tá legal!? - Diz ele. - Pode me ajudar?

- Tudo bem, Kim Afobado TaeHyung. - Ri mais um tanto e me aproximei de si, arrumando sua gravata dando um perfeito nó. - Pronto. Parece um ser humano normal agora.

- Engraçadinha você... - Fez uma careta e eu sorri.

- Bom, vamos logo. Não quero chegar atrasada. - Peguei minha mochila e saímos juntos do quarto.

Ao descermos às escadas, fui até a cozinha e peguei uma maçã, ele apenas me esperou, abrindo a porta e nos dirigimos à escola.

[…]

Como a escola era no centro da cidade, tivemos que pegar um metrô. Depois de alguns minutos chegamos na estação e fomos andando para a instituição. Tínhamos feito provas de seleção, e fiquei feliz por saber que tanto Jimin quanto TaeHyung tinham passado junto comigo. Estávamos na mesma turma e mesmo colégio.

Eu tinha ótimas notas e fui classificada como a primeira da turma. Algumas pessoas não gostavam de mim por ser estrangeira e estar tão alto na classificação da escola.
Não me importava com os comentários maldosos e nem com as garotas que me enchiam por morar na mesma casa de V. Ninguém ali sabia sobre minha estória, e nem mesmo tinham direito de ficar me julgando por vivermos no mesmo lugar.

- Vou na biblioteca. - Digo a V. Mesmo que ainda fosse Fevereiro, gostaria de me esforçar desde o início. - Pode ficar por aí.

- Tem certeza? - Pergunta.

- Oppa! - Gritou uma garota,  Jeon Cho-hee, uma das mais atiradas do lugar. Revirei meus olhos quando ela pulou em seu pescoço o abraçando. - Faz tanto tempo que não nos vemos.

- Eu vou indo. Divirtam-se. - Sorri forçado e saí mordendo minha língua para não falar algo verdadeiramente desagradável.

- Oh, nossa ela estava aqui? - Escutei a ruiva falsa falar e bufei indo para a biblioteca.

"Não são nem 10 horas dá manhã e a garota já saí se atirando assim nos garotos? Coitadinha."

Eu sabia que não queria mais sentir nada por TaeHyung e prometi a mim mesma que afastaria qualquer resquício do amor que lhe dei, porém eu ainda ficava triste ao ver aquele tipo de cena.

Balancei minha cabeça, afastando a lembrança de poucos minutos atrás e me concentrando em procurar um livro para estudar. Daria tudo de mim e entraria na universidade, finalmente pagaria minhas dívidas com Sung-joon e Mi-hee.

Deixaria Omma orgulhosa de mim, onde quer que estivesse, sabia que olhava por mim e me protegia dos males.

"Farei isso por você também, Omma."

Um tempo se passou e o sinal de início das aulas tocou. Fui em direção a saída e logo depois a minha sala. Sentei-me na minha carteira e esperei a aula começar.

Jimin chegou logo depois e veio me cumprimentar. Ficamos conversando sobre qualquer coisa e Tae entrou agarrado com Cho-hee. Não pude evitar um olhar frio em direção ao - agora - castanho. O professor entrou na sala e a aula começou.

 ~~ 9 meses atrás
Era junho. O clima variava bastante, um dia estava quente e logo esfriava em segundos. Algumas vezes, existiam ameaças de nevasca, mas elas não aconteceram.

Quanto mais o tempo passava, eu me esforçava ao máximo. Nem saia mais com meus amigos apenas para poder estudar mais e mais. Eu coloquei na minha cabeça que teria a média mais alta e seria uma bolsista por ter notas tão altas. Nada parava meu desejo.

Ouvi batidas na minha porta e mandei entrar.

- Eu trouxe um lanchinho. - Diz Sung-joon.

- Obrigada, Joon-ssi. - Digo e sorri para ele.

- Ei, não acha que anda se esforçando demais? - Indagou, sentando em minha cama.

- Para falar a verdade, acho que não estou dando o suficiente. - Respondi, largando o lápis encima dos papéis sob a escrivaninha. Espreguicei-me. - Não sinto como se estivesse dando meu máximo... Acho que posso estudar muito mais.

- Hm, eu acho que deveria descansar um pouco. - Disse. Como minha cadeira era giratória com rodinhas, fiz um movimento simples e olhei para ele. - Desde o fundamental você se tranca no quarto e passa horas a fio estudando. Nem se alimenta direito por conta disso. Eu e Mi-hee ficamos preocupados com isso.

- Desculpa. - Sorri triste. - É só que... Às vezes eu me acho uma instrusa aqui, entende? Vocês sempre me trataram tão bem... Sinto-me no direito de recompensá-los por todas as despesas, preocupações que causei. Tenho devolver toda a ajuda que me deram, e assim eu farei. Assim que eu passar, vou para Seoul. E então a faculdade cuidará de mim financeiramente, não precisariam se preocupar mais comigo.

- Mas você ainda é menor, (S/A)-Ah. - Diz ele e se aproxima, fazendo carinho no meu cabelo. - Portanto, vai precisar que assinemos um termo e poderá cuidar de si mesma em Seoul.

- Eu sei... - Digo e suspiro.

- Sabe, eu lembro que a 3 anos atrás você disse querer ir logo para a faculdade por conta disso. - Sorriu para mim e pegou uma de minhas mãos. - Naquela época, você começou a se esforçar muito mais. Eu sei que esse é seu desejo, (S/A). Mas, como eu lhe disse: você ficou sobre nossa proteção. Foi o pedido da sua mãe, e se ela visse a pessoaa que se tornou, ficaria muito orgulhosa.

- Sung-joon-ssi... - Digo chorosa, ele faz carinho em meu rosto.

- Você é como ela. Tem um coração bom e sempre tenta ajudar os outros. - Suspirou e olhou para baixo. - Antes de você chegar, TaeHyung era um menino simpático, mas solitário. Ele brincava com todos, porém nunca chegava a chamar alguém de amigo. Somos gratos por ter sido tão boa com ele. Obrigado.

- Sung-joon-ssi...

- Eu desejo, de todo o coração, que consiga realizar seus sonhos, sei que não são poucos. - Olhou para mim novamente. Seu sorriso mais terno surgiu e ele pegou minhas duas mãos, colocando-as entre nós. - Mas saiba, mesmo que queira viver sua vida, ganhar o próprio dinheiro... Sempre estaremos aqui para lhe apoiar e ajudar quando precisar. Nós te amamos muito, (S/N).

- Sung-joon-ssi... - Senti às lágrimas se formando nos meus olhos e a garganta começar a arder. Ele desfez o aperto de nossas mãos e me abraçou forte. Retribui o gesto. - Eu amo vocês, muito. Obrigada por tudo que fizeram por mim, serei... Eternamente grata.

- Não precisa agradecer, (S/A). - Fazia carinho em minhas costas enquanto eu soluçava ainda mais alto enquanto apertava seu corpo com toda a minha força e molhava sua blusa com minhas lágrimas.

"Eu prometo que irei retribuir tudo, Sung-Joon, Mi-hee… Mi-cha. Apenas esperem mais um pouco."

[…]

 ~~ 2 meses atrás
               ~~ Vestibular

Era o grande dia. Eu acordei cedo, arrumei-me com uma calça jeans, sapatilha azul, blusa branca de mangas longas. Peguei uma bolsa e dentro coloquei algumas coisas para comer junto a canetas, celular e o comprovante que dizia onde eu faria a prova. Despedi-me de Sung-ssi e Mi-ssi.

Peguei um metrô já que o local era longe e a viagem seria de 40 minutos. Eu e TaeHyung iríamos para lugares diferentes. Só por hoje, ficaríamos separados. Esse fato me fazia ficar um pouco tensa. Sempre estávamos juntos, mas hoje não seria assim.

Daria tudo certo. Eu faria a prova e voltaria para casa como uma vencedora, já que o maior desafio teria sido derrotado.

Respirei fundo assim que as portas de abriram e saí do veículo. Fui andando até o local de prova. As portas ainda não tinham sido abertas, portanto fiquei esperando do lado de fora com alguns adolescentes.

Assim que deu o horário, eles se abriram e entramos. Segui com um grupo grande de pessoas atrás de minha sala. O local era grande, e o meu bloco parecia ser o último. Contei mentalmente até dez, tentando me acalmar e mentalizando que estava tudo bem.

Segui por mais algum tempo e acabei me perdendo no caminho. Precisei retornar à entrada do lugar e refazer meus passos. Parecia cada vez mais longe. Pensei que não poderia mais entrar assim que notei pessoas correndo, afim de encontrar suas salas.

Tentei correr, mas meus músculos travavam. Comecei a sentir tontura e quase desmaiei. Por sorte,  tinham muitas árvores ali e consegui me segurar.

Meus batimentos cardíacos estavam acelerados, a respiração era ofegante e algo dizia que não conseguiria me mexer para encontar minha sala a tempo. Entrei em desespero.

Estava ali sozinha, e uma pessoa a menos durante as provas garantia uma vaga, ou seja, ninguém viria me ajudar. Quando senti meus olhos encherem, meu celular tocou. Algo dentro de mim, deu-me força de vontade suficiente para abrir a bolsa e atender a ligação.

- Alô? - Perguntei.

- Eu sei que você deve estar nervosa agora, mas eu vou te dizer uma coisa: faz anos que se esforça para alcançar um resultado positivo nesse prova, por isso eu tenho certeza: você vai passar, seu sonho irá se realizar e será a enfermeira mais bem sucedida no mundo. Não deixe a dúvida vir te fazer desistir, (S/N). Você é mais capaz do que qualquer um de passar nesse exame. Eu acredito em você, pequena. Boa sorte e eu te amo. Você vai conseguir. - Ele desligou. Eu sorri.

Comecei a correr. Mesmo estando longe, ele dava um jeito de me acalmar e estar ao meu lado. Depois de todo esse tempo, e após os acontecimentos, ele ainda tenta cumprir sua promessa. Senti meu coração se aquecendo e vi o bloco em minha frente. Eu iria alcançar. Cheguei a tempo.

"Sempre juntos, não é mesmo TaeTae?"

Sentei-me na carteira da frente, prendi meu cabelo em um coque e esperei a aplicação do exame. Assim que recebi aquele maço de folhas e meu cartão-resposta o homem pediu calma e após todos terem suas provas, o sino soou e ele nos desejou boa sorte.

"Vou arrasar nisso aqui. Universidade, pode esperar por sua melhor aluna."

~~ Último dia de dezembro.

~~ Formatura da turma 3-J do Gold Wings High School.

A festa estava linda. Eu trajava um lindo vestido dourado graças ao escudo da escola, um salto preto, traça lateral com flores e um batom rosa escuro. Dançava com Jimin uma música eletrônica qualquer escolhida pelo DJ contrato pela escola.

Era divertido ver como meu amigo tinha crescido. Ele era um garoto bem diferente agora, seus músculos apareciam e a calça do terno deixava suas coxas marcadas. A cada dia parecia mais lindo, com um sorriso impecável no rosto, enquanto tentava me ensinar como se dançava aquilo.

- Aish, eu não sei fazer isso. - Digo, tentando imitar seus passos. - É difícil.

- Não é não. Vem, tenta fazer assim. - Fez os movimentos devagar, pedindo que acompanhasse. Errei tudo. - Talvez você que não consiga dançar.

- Não diga essas coisas, Aigoo. - Peço, batendo em seu braço. - Seu chato. É bom você cursar dança ou música, se não eu te mato. Um dom desses não pode ser desperdiçado assim.

- Tudo bem, Senhora. Farei como quiser. - Diz, batendo continência. Ri de seu jeito.

- Bobo. - Abracei-o. - Quero que estudemos na mesma universidade...

- Também quero. - Diz ele. - Aí podemos marcar várias saídas juntos e eu posso te ensinar a dançar.

- Gostaria. - Rimos juntos. - Jimin...

- O que foi, (S/N)? - Perguntou enquanto me abraçava pela cintura.

- Será que... Ainda vamos nos ver? - Perguntei.

- Claro. Você é minha melhor amiga... - Acariciou minha bochecha. - Não sei se o TaeHyung vai querer isso...

- Por que? - Perguntei. Ele surpirou e pediu para que fossemos a outro lugar. Chegamos no jardim da escola e sentamos em um banco.

- Sabe, lembra daquele dia que nos beijamos na Roda Gigante? - Perguntou. Assenti. - Bom, eu queria testar uma coisa. Naquela época, estava atraído por um de vocês, não sabia qual. Depois de te beijar, notei que eu gostava mesmo era do TaeHyung. Desculpa por isso.

- Aigoo... Minnie eu não sabia. - Coloquei a mão sobre a boca. - Tudo bem. E o que aconteceu?

- Bom, ele ficou estranho depois disso, lembra? Então eu pensei que estivesse com ciúmes de mim. Fui ignorado e depois ele voltou a ser carinhoso comigo e viramos confidentes. Aí, semana passada eu confessei gostar dele, jurando que ele sentia o mesmo.

- E então. - Mordi meu lábio, nervosa.

- Ele disse que... Gostava de outra pessoa. - Abaixou a cabeça. Senti meu coração contrair e o abracei.

- Oh, Minnie... Eu sinto muito. - Digo. Ele chorou em meu peito. - Um dia, vai achar alguém que te ame na mesma intensidade. Você é uma pessoa maravilhosa, o melhor garoto que já conheci, além do mais bonito e amável. Mesmo que ele não te ame, saiba que eu amo e estarei do seu lado, Park ChimChim.

- Obrigado, (S/N). - Disse, entre soluços. Consolei meu amigo enquanto chorava. - Obrigado por ser minha amiga.

- Eu que agradeço por ter conhecido você, Mochi. - Digo o apelido que lhe dei após suas bochechas terem ficado mais gordinhas e fofas, assemelhando-se a bolinhos de arroz.

- Aish, sabe que eu fico com vergonha desse apelido. - Enfiou o rosto entre os meus seios, com vergonha. Logo depois, notando o que fez, saiu dali. - Desculpa, desculpa, desculpa!

- Tudo bem, calma! - O rosto dele estava vermelho de tanta vergonha. - Calma. Vem cá.- Abri meus braços e ele veio, encostando o rosto no vão do meu pescoço. - Sabe, uma vez Mi-cha Ajumma me disse que devemos esperar, então o amor virá até nós. O tempo as vezes pode parecer longo, mas sempre vale a pena. Apenas seja paciente, Mochi. Logo o homem dá sua vida vai chegar.

- Obrigado, (S/A). - Aperta meu corpo contra o seu. - Farei como disse.

- Esse é meu garoto. - Digo. Outra música começa. - Agora vem comigo, ainda me deve uma dança. E essa música eu consigo seguir.

- É bom mesmo. - Diz e o puxei para sairmos dali.

Voltamos a pista de dança e nos divertimos como nunca. Fiquei feliz de ver Jimin sorrindo de novo. Sabia que ter um amor unilateral era doloroso, passei por aquilo.

Esperava de todo o coração que alguém viesse e tivesse o amor capturado por Minnie, ele era incrível, e merecia uma pessoa legal. Desejava que ele fosse feliz.

Ficamos ali mais um tempo e logo ele teve de ir a um lugar. Fiquei na pista sozinha, perguntando-me onde TaeHyung estava. Ele não tinha aparecido até aquele momento, estava preocupada e com presentimentos ruins. Peguei meu celular e iria o ligar até sentir dois braços me envolvendo por trás.

Parecia que o mundo todo tinha parado e só nós dois existíssemos ali. Eu sabia bem quem era o dono daquele aperto que fazia meu coração disparar, meu corpo suar, minha respiração pesar e uma sensação de calmaria e conflito pairar em minha mente.

Suspirei, sentindo o peso daquele rosto no meu ombro e os braços fazendo movimentos leves, uma dança calma.

- Onde estava? - Perguntei e me virei para si, vendo como seu cabelo estava lindo e seu smoking preto contrastava com sua pele dourada. - Fiquei preocupada, TaeHyungie.

- Eu sei. Desculpa. - Pediu. - É que você estava com o Jimin, e eu fiquei pensando quando seria o melhor momento para pedir uma dança.

- Escolheu o momento certo. - Digo a ele. Aquela altura, apenas casais de namorados dançavam agarradinhos enquanto trocavam olhares apaixonados e verdadeiros. - Música lenta? Pensei que não fosse o seu forte.

- Errou. - Disse e sorriu quadrado. Aquele que me destruía completamente por dentro. - Então, concederia-me essa dança?

- Depois de sumir por todo esse tempo só para ter o momento perfeito comigo? - Perguntei, semicerrando os olhos para ele enquanto sorria de lado. - Eu te odeio por ser tão fofo.

- Eu também te amo, pequena. - Diz ele e mostrei-lhe a língua. Coloquei meus braços em volta de seu pescoço e ele em volta de minha cintura, com certa possessão. - Você está linda.

- Eu sei que sou. - Digo e ele revira os olhos sussurrando um "convencida". Ri. - Obrigada. Você também.

Ficamos um momento apenas nos olhando fixamente um para o outro. Como se apenas estar daquela forma fosse o suficiente. Suspirei.

- Obrigada. - Soltei.

- Pelo que?

- Por me ajudar quando cheguei, por estar ao meu lado, por ser meu amigo, por ter me acalmado no dia do exame nacional. Obrigada por... Ser a pessoa que está sempre aqui quando eu precisar. - Digo, ele me olha.

- Nem tente me fazer chorar agora. - Pediu, sorri. - Eu sei que sou um idiota as vezes, mas faço de tudo para ser a melhor pessoa para você. Eu prometi um dia que protegeria a galáxia dos seus olhos, e eu estou cumprindo. Menos... - Suspirou. Soltou-me de seus braços. - Menos aquele dia.

- TaeHyung... - Tentei impedi-lo, mas foi em vão.

- Não, (S/N). Eu fui muito burro por aquilo. Na verdade... Na verdade... Não te beijei por querer me mostrar.

- E pelo que foi, Tae? - Perguntei. Ele suspirou pesado e umedeceu os lábios, olhando para baixo. Estiquei-me um pouco e toquei em seu rosto. - Diga, por favor.

- (S/N)... Eu... - Escutamos fogos de artifício e logo olhamos para cima. Era ano novo. As explosões coloridas refletiam nos olhos dele e em sua pele, deixando-o ainda mais lindo a meus olhos. - Eu...

- Você...? - Incentivei-o a continuar.

- (S/N), eu... Eu... Eu... Aish! - Bate uma mão no rosto, demonstrando raiva. - É melhor eu mostrar.

- TaeHyung, o que você...

No momento em que tentei argumentar, suas mãos seguraram meu rosto e nossos lábios foram selados. Senti muitos sentimentos em meio aquele beijo: amor, proteção, rendição, saudade... Carinho...

Através daquele gesto, senti o que ele queria dizer. Ele...
Simplesmente...

Ouvia fogos de artifício, mas nada se comparava as explosões no meu interior. Sentir novamente aquela boca contra à minha era uma sensação única que queria sentir para sempre. Rezava para aquele momento nunca acabar, mas infelizmente o ar fez falta e o beijo foi quebrado.

Nossas testas se encostaram, sentia sua respiração contra à minha. Seus braços rodearam meu corpo, abraçando-me. O calor que percorreu meu corpo com aquele contato repentinos me fez arrepiar, meu rosto foi comprimido contra o vão de seu pescoço, inalando aquele cheiro masculino forte e gostoso.

- Não importa o que aconteça de agora em diante... - Começou. - Eu serei aquele que irá apoiar em tudo que precisar.

- Tae... - Grunhi contra a pele sensível.

- Eu quero ser aquele que será capaz de proteger você em todos os momentos. - Afroxou o aperto apenas para olhar novamente em meu rosto. - Promete confiar em mim?

- Sim, eu prometo. - Digo. Ele sorri e beija a minha testa.

- Serei uma pessoa melhor, eu juro. Por você, serei o melhor homem desse mundo. 

 


Notas Finais


Será que (S/N) vai se entregar assim?
Será que TaeHyung vai melhorar e cumprir a promessa?
Bom flores, espero que tenham gostado.😊😊😊
Desculpa demorar. Eu estava meio sem ideias e estou muito atarefada... 😢😢😢😣😣😣
O capítulo foi meio longo para finalizarmos o período de memórias, a partir do próximo capítulo tudo será no tempo atual, e a formatação irá mudar.
Obrigada mais uma vez pelos favoritos e comentários, amo vocês. 💜💜💜💜
Sintam-se a vontade para fazer perguntas e comentar o que quiserem.☺☺☺
Meu perfil: @JasmineFlower
Meu Twitter: @LuvieArmyX (sigam lá! 😉😉)
Nós nos vemos no próximo capítulo.🙋🙋
~Jasmine🌸🌸🌸


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...