História In your eyes - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Romance, Sexo, Super Poderes
Exibições 5
Palavras 897
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Festa, Ficção, Ficção Científica
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - Raiva


6 – Raiva

Cristine pov.

*quinta-feira*

                                     Logo que cheguei na escola, Sophia veio me dizer o que havia acontecido ontem. Não consigo imaginar que tipo de coisa eles podem ter feito com a gente pra algo assim acontecer.

                                   To preocupada com a Luiza. Isso tudo pode piorar em muito a situação dela, que já é bem instável. Ela já sofre muito com a depressão, não quero que isso a atrapalhe de certa forma. Hoje ela faltou, o que me preocupa, por que ela nunca falta...

 *sinal do recreio*

                                     Fui passar o recreio com Emily, mas minha cabeça estava em outro lugar, e acho que ela percebeu.

                                     - ei – ela disse, virando calmamente meu rosto para encara-lá.- o que tá acontecendo?

                                    - nada, eu só to com sono – respondi.

                                    - sério, me fala – ela insistiu.

                                      Eu queria muito contar pra ela, mas não faço ideia de qual seria a sua reação. Decidi arriscar.

                                  - é que...

                                    De repente, Jake, um amigo muito próximo meu, começa uma briga violenta com um garoto do nono ano. Me levanto rapidamente e corro em direção a eles, Emily faz o mesmo.

                                 Empurro o garoto do nono ano, que cai no chão, e vou ajudar Jake a levantar.

                                      - Tudo b – minha fala foi interrompida, o garoto me empurrou por trás, e a gora desferia socos em mim.

                                   Empurrei ele pro lado, e dei três socos em seu rosto, mas ele inverteu de novo as posições, me dando mais socos. Ele ficou de pé e desferiu chutes, nessa hora, percebi que Jake havia desmaiado.

                                 O garoto finalmente para de me chutar e sai correndo. Me levanto rapidamente, e o observo ir embora. A raiva vai crescendo dentro de mim como um vulcão quase em erupção. Eu poderia matá-lo agora, quebrar toda a sua cara, desmembrá-lo vivo. Finalmente percebo os absurdos que estou pensando e volto meu olhar pra mim. Percebo que minhas veias estão com um brilho vermelho, como Sophia havia descrito a suas, mas com outra cor. Volto meu olhar pro vidro da janela ao lado e percebo meus olhos vermelhos, que já estavam voltando a sua cor normal. Vou retomando minha consiencia.

                                  - Cristy... – diz Emily, espantada pelo que viu.

                                  - Eu... não sabia que eu podia... que eu conseguia...eu... – como eu explicaria pra ela??

                                 - ei! – disse um dos funcionários da escola – o que aconteceu?

                                - Ele e um garoto mais velho estavam brigando...

                                 Enquanto eu explicava a historia (com dificuldade) pro funcionário, percebi que Emily havia ido embora.

                                 Eu tinha estragado tudo. TUDO.

                                 E tinha me tornado uma aberração. Sempre fui uma pessoa bem calma, com muita paciência, e do nada isso acontece!!

                                Quando voltei pra sala de aula, fiquei as ultimas três aulas só pensando sobre o que podem ter feito com a gente. Fizeram algo diferente comigo do que fizeram com Sophia, algo muito pior, pelo visto.

                                                                                                              .  .  .

*casa de Luiza*                 

                                  - ...E meus olhos ficaram vermelhos, como os seus, só que de outra cor – disse, terminando de explicar o acontecimento de hoje mais cedo pra Luiza e Sophia.

                               - nossa... – disse Luiza, espantada.

                               - E se isso acontecer de novo? Na frente de mais pessoas?- perguntou Sophia, preocupada.

                                - Eu... não sei... – respondi, pensando na hipótese.    

                                - Então eu sou a próxima – disse Luiza- todas vocês sentiram algo, eu sou a próxima...

                                 Ficamos em silencio, e eu pude perceber o desespero em Luiza. Então ela começou chorar, abracei ela e fiquei conversando com ela no quarto, tentando fazer ela se sentir melhor. Odeio ver ela assim.

Sophia pov.

                 - Eu vou beber água – disse, indo em direção a porta, enquanto Luiza e Cris ficavam conversando.

                                     Sai do quarto e fechei a porta, e percebi que Thomaz estava sentado na cama de seu quarto, que estava com a porta aberta. Resolvi ir  lá falar com ele.

                                    - posso entrar? – perguntei, ele olhou rapidamente pra mim.

                                    - hã.. pode, claro – respondeu meio sem jeito.

                                    Sentei ao lado dele, e ficamos um momento em silencio só olhando um no olho do outro.

                                   - hm, tava me stalkeando ontem? – perguntei, puxando conversa.

                                   - meio que sim – respondeu, ficando vermelho.

                                  Percebi que ele estava REALMENTE com muita vergonha.

                                   - Calma – disse, segurando em sua mão.

                                    - Perto de você, isso é meio que impossível – ele disse, fazendo meio que um elogio.

                                      Nossos olhares se encontraram, e nossos rostos foram se aproximando, coloquei minhas mãos em seu rosto, e ele abraçou minha cintura. Fomos nos aproximando cada vez mais, até que nossos lábios se juntaram, num beijo calmo. E continuamos durante uns 5 minutos, e de repente...

                                    - Puta que pariu, que pecado! – ouço Luiza gritar.

                                     Viro rapidamente meu olhar pra porta, e lá estava Luiza e Cris, rindo de nós dois.

                                    - nossa lu, estragou o clima todo – disse Thomaz.

                                    - Verdade – eu concordei.

                                   - Ihhh já tão ate concordando, shippo – disse Cris.

                                    - Quem diria né, Cristine Schneider shippando héteros, que isso em. – disse Luiza, fazendo nós três rirmos.

                                  - Enfim, vão bora moça, minha mãe vai te deixar em casa. – disse Cris, se dirigindo a mim.

                                - tá – me voltei pra Thomaz e lhe dei um ultimo beijo – tchau.

                                - Tchau – ele me respondeu.

                                Cris me zoou muito enquanto estávamos descendo de elevador por ter ficado com o Thomaz. Admito, ri muito.

                                 Pretendo ficar com ele de novo, ou, quem sabe, até tentar um namoro...

                                                                                                                        .  .  .

 

             

                                

 

                                 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...