História Inalcançável - Taehyung - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens V
Tags Bts, Drama, Taehyung
Exibições 5
Palavras 1.375
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Lemon, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


To tentando começar uma fic com nosso Tae, vai ser Vmin ou não.. não sei, to pensando shuahsu deem uma olhada e me digam o que acharam.
To entendiada gente, ai faço essas bobeirinhas shuahsuah
depois dou uma melhorada e reviso kissus ;*

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Inalcançável - Taehyung - Capítulo 1 - Capítulo Único

Como sempre, não sabia onde estava, mas pelas vagas lembranças da noite anterior sabia que estava bem pois se recordava de Jimin consigo naquela boate. Podia sentir o agradável perfume do amigo em si e a maciez do colchão que se encontrava, o quarto escuro tornava tudo mais tranquilo e só se ouvia um pequeno cochicho do lado de fora do quarto. Para ele, Jimin era como seu anjo protetor, sempre aparecia no lugar e na hora certa o salvando de suas insanidades pós-balada ou das consequências de seus trabalhos. Seu corpo estava dolorido, como se tivesse levado uma surra, o que provavelmente deva ter acontecido depois de sentir o gosto de ferro em sua boca. Tentou se sentar na cama mas uma pontada forte na cabeça o fez desistir e voltar pela forma anterior. Taehyung deveria estar acostumado com isso, beber a noite inteira, pegar geral e apanhar pelas merdas que fazia, mas não, ele sempre se arrependia no dia seguinte e logo após fazia tudo exatamente igual. Sua vida nunca foi lá uma maravilha, seus pais moravam no exterior e mal procuravam saber de sua existência só lhe mandavam o suficiente para ter uma vida boa em Seul, o que sempre fazia o contrário, se metia em brigas e colocava terror pelas ruas. A única coisa que tinha de bom era a sua amizade com Jimin e J-hope que sempre fazia de tudo para ver o amigo bem e protegido, mas mesmo assim nunca era o suficiente.

Ele se lamentava por sempre por seus amigos em situações como essa, já tentando por diversas vezes se afastar mas sempre se rendia aos apelos e lágrimas que surgiam dos olhos dos próprios, os amava, isso ele jamais poderia negar e consequentemente era retribuído. 

Quando menos esperou já havia pegado nos sono novamente, mas logo sentindo bater em seu rosto um vento com cheiro de café que bagunçava seus cabelos extremamente lisos, não se tardou em abrir os olhos para ver o que ou quem era que fazia aquilo consigo.

-Bom dia, dorminhoca. - Jimin dizia com um sorriso no rosto que deixava seus olhos em uma pequena linha que mal se podia ver com aquelas suas bochechas grandinhas e rosadas.

-O que pensa que está fazendo ChimChim?! - Disse se levantando lentamente por conta da maldita dor que sentia.

-Acordando a donzela, o que mais?

-Estamos onde, não reconheço esse lugar. - disse esfregando os olhos e passando uma olhada rápida no lugar no qual Jimin o olhou franzindo a testa.

-Não acredito que você esqueceu de como era meu quarto. Estamos na casa dos meus pais oras. - disse o olhando incrédulo fingindo uma cara de espanto.

-A sim. Tenho que ir, tenho que trabalhar. - disse secamente.

-Aquilo você chama de trabalho? TaeTae por favor, não vá.

-Eu tenho que ir.

Em pulo Taehyung se fez de pé e consequentemente cambaleou, Jimin só observava o amigo, com o pouco de lucidez que ainda tinha se virou para o amigo ergueu uma de suas mãos e com delicadeza passou o polegar na bochecha de Jimin dando um de seus pequenos sorrisos quadrados logo se dirigindo até a porta - Até mais ChimChim. - Foi apenas o que disse, seu amigo se fez em silêncio e abaixou a cabeça como se já soubesse cada passo que Taehyung irá tomar. -Não vai nem perguntar o que houve Tae?- disse bem baixo e o amigo apenas acenou com a mão em negação, talvez já soubesse de cor e salteado o que havia acontecido contigo. Não dava mais importância a aquilo, não mais.

 

Logo após passar em seu apartamento e se vestir apropriadamente Taehyung caminhava pelas ruas de Seul até seu destino, o vento gélido batia em seu rosto jogando suas mechas castanhas para o lado enquanto observava as folhas de outono que já começavam a dançar pelas ruas, aquilo era momentaneamente agradável ao seu ver, gostava do outono e da bagunça que ele trazia, passou os olhos rápidos por uma família que passava ao seu lado e não evitou de dar seu típico sorriso ao ver a criancinha correndo de seus pais enquanto os próprios a acompanhavam, lembrou de sua irmã e sentiu uma pontada no peito, aquilo doeu, doeu muito, tratou logo de tirar aquela lembrança de sua cabeça e se concentrar no que lhe foi ordenado, como sempre tudo era momentaneamente bom, logo passará. Seu trabalho já havia sido passado pelo telefone e já com a encomenda em mãos para ser entregue mal via a hora de acabar logo com aquilo e voltar para o quentinho de seu apartamento e tomar um bom Whisky enquanto assistia qualquer asneira na TV.

Ao chegar no estabelecimento deu um breve suspiro e adentrou pela porta de vidro, o local cheirava a álcool e cigarro, reparou as bebidas muito bem organizadas atrás do balcão e aquelas putas se jogando para cada homem presente ali, o que não tardou muito de uma o notar. -Boa tarde querido, posso te servir em algo? - sua pele era branca e seus lábios possuiam uma cor avermelhada, seu cílios eram grandes e bem chamativos, postiços talvez. -Não Obrigada, só quero falar com Sr.Alex. - A jovem pareceu temer por aquele nome e gaguejando o pediu que a seguisse, e esse o fez.

-Sr.Alex o jovem chegou. - ela disse ao bater na porta e logo se retirou, uma loira de peitos avantajados pulando pelo decote veio o atender e pediu para que adentrasse, na sala se encontrava um Sr. que aparentava seus quarenta e poucos anos usurfluindo de uma carreira branca em cima da mesa, a famosa cocaína e seus capangas em volta só observando, sem pestanejar Taehyung jogou a encomendar em cima da mesa e se pronunciou. -Esta aí Sr. são dez mil dólares. - O cara apenas deu uma risadinha como se estivesse alucinado e fez sinal para que um de seus capangas desse o pedido o que não demorou muito. Ao pegar o envelope Taehyung ia passar pela porta e pode ouvir o Sr.Alex o chamar. -Garoto, você é muito novo e bonito para isso. - Taehyung queria lhe mandar o dedo do meio e continuar o seu caminho, mas como se tratava de um cliente VIP apenas se virou e deu uma piscadela para o Sr. que apenas sacudiu a cabeça e continuou a se drogar ali. Já do lado de fora do bar Taehyung agradeceu aos céus por não ter tido ninguém ameaçando matá-lo após fazer sua entrega, o que acontecia vez ou outra, a tal "queima de arquivo".

Enquanto caminhava de volta para casa ligou para que um dos caras viesse pegar o dinheiro e logo após desligar uma mensagem apitou em seu celular, era Jimin.

"Tae, você tá bem? Já chegou em casa?"

Um sorriso sincero brotou em seus lábios e não demorou muito para responder o amigo.

"Sim, Hyung, estou indo para casa."

"Por Deus Taehyung, agora que tu responde desgraça, estava preocupado, não viu minhas mensagens e ligações???"

Não se conteve em rir de novo, seu amigo o tratava como uma criança, mas sabia o porque de tal preocupação, Taehyung era errado.

"Acabei agora, estou a caminho de casa."

"Quando chegar me liga infeliz.  :* "

 

No fundo Tae sabia que Jimin o queria mais que amigo, por mais cauteloso que fosse estava estampado em seus rosto o desejo do próprio quando o via sair do banho de toalha, ou quando pegava alguém em sua frente a forma que aquilo o irritava, para Taehyung já estava mais que provado que Jimin queria tê-lo, como diversos garotos e garotas o teve, mas Tae negava e negaria até o seu último suspiro,  não queria machucar o amigo. Odiava qualquer tipo de relacionamento, com ele as coisas só funcionava carnalmente, sexo era uma boa necessidade, mal passava um ou dois dias sem, mas amor, amor era perda de tempo, de vida.. claro que sentia atração pelo mais velho não podia negar mas não o suficiente para lhe dar o seu coração, considerando que para Tae, ele nem devesse ter um. Acendeu um cigarro e calmamente voltou para casa, as coisas poderiam ser sempre assim rápidas e tranquilas, mas não, sabia que aquele dia ele teve muita sorte. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...