História Inazuma Eleven - Nova geração - Capítulo 51


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inazuma Eleven (Super Onze)
Tags Futebol!, Inazuma Eleven, Shonen
Exibições 56
Palavras 3.591
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Escolar, Esporte, Fantasia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Shounen
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OLÁÁÁÁÁ! Mais um capítulo, vou tentar voltar a ficar no ritmo. Esse capítulo ficou bem grande aliás, digno de começo de arco. O arco Torre Celestial não vai focar apenas naqueles que estão na Torre, mas sim em TODOS que estão treinando. Ou seja, pode ser que tenhamos um capítulo focado em tal personagem, ou um capítulo focado em outro, sabem como é. Bom, boa leitura! Estão preparados para subir todos os duzentos andares?

OBS: Tem algumas pessoas me perguntando do SNG ED.3, ele já vai ser postado, e esse meu amigo, esse tem é COISA pra vocês enlouquecerem de vez. Revelações gigantes.

Capítulo 51 - O primeiro mês se passa! Tomem seus destinos, crianças!


Fanfic / Fanfiction Inazuma Eleven - Nova geração - Capítulo 51 - O primeiro mês se passa! Tomem seus destinos, crianças!


1 mês depois do Estadual..

Mansão dos Kido, 10:00

Amaterasu: Hiroo! Sai logo! Os outros estão nos esperando! — A garota fala, arrumada para sair.

Dentro da casa o garoto termina de se arrumar. Sua mãe já tinha recebido alta e já estava em casa. Ele desce as escadas bem rápido e vê sua mãe vendo televisão com seu pai, assim ele fala:

Hiro: Eu vou sair, volto daqui a pouco!

Sayume olha para trás e vê Hiro correndo para a porta e a abrindo. Ela sorri e comenta com Kido, que estava desatento na televisão:

Sayume: Amor, o Hiro realmente fez amigos nesse tempo? — A mulher fala e Kido olha na mesma hora, respondendo:

Kido: Sim.. Mas ele ainda não quer jogar futebol. Por mais que esses “amigos” todos adorem este esporte.

Sayume: Heh.. Quando ele voltar, iremos resolver isso, ok? Você disse que o futebol era a única coisa que o mantinha de pé. — Ela fala, abrindo um sorriso.

Kido: Ok, tudo por você.

Lá fora, Amaterasu e Hiro andavam pela rua. A garota apoia sua cabeça no ombro de Hiro, que faz uma cara de desconforto. Ele não estava acostumado com essas coisas, e também, fazia apenas 3 dias que ele tirou o gesso da perna. Ele anda junto com ela se lembrando da partida de 1 mês atrás, só faltava 1 mês pro Nacional e todos da New Raimon tomaram rumos diferentes. Ele fala, sem muita empolgação:

Hiro: Então? A New Raimon está treinando? Tipo.. O Yubetsu não pode treinar pelo braço e pelo oque eu sei o menino que se diz Deus teve que ficar treinando aqui em Tóquio junto com a sua amiga.

Amaterasu: Oh, claro. Todos estão treinando muito, o Noraneko e o Matsuda me mandaram umas fotos de Yakushima e de Kyoto, é muito bonito por lá! O Théos e a Sakin estão esperando o Yubetsu para irem pra Torre Celestial, mas ele já tirou o gesso.. E falando nisso..

A garota anda mais pra frente e para ficando de frente para Hiro. Ela fala, tentando o repreender:

Amaterasu: Você vai ou não para a Torre Celestial com eles? Você sabe que o Yubetsu quer muito que você vá.

Hiro: Amaterasu, eu já disse que não jogo mais futebol. Eu já fiz oque devia e o Yubetsu já é o melhor de Tóquio, apenas me deixe em paz.

Amaterasu: Você não pode simplesmente desistir, Hiro! Todos estão dando muito duro em seus treinamentos..! E a Teikoku?! Como você vai se preparar pro próximo Estadual?!

Hiro: Urgh.. Opa, olha só! Estamos atrasados pra nos encontrarmos com eles. Você não tirou esse dia apenas para nos ver? Faça juz a isso, a criança lá irmã da cabeça de tomate ficou bem trise.

Amaterasu: ARGH! QUE SACO! — Ele pega Hiro pelo pulso e começa a correr com ele, enquanto isso..

Yakushima, 10:10.

Noraneko e Toramaru estavam na ilha de Yakushima, ao sul de Kyushu. É uma ilha cheia de árvores e voltada para a natureza, perfeita para Noraneko treinar. O garoto passou o primeiro mês de treinos aprimorando sua resistência, força e velocidade para poder criar a técnica de reforço, era um treinamento intensivo. Toramaru fala, enquanto Noraneko estava de olhos fechados rodeado de pneus amarrados aos galhos.

Toramaru: Noraneko, você já tem noção do quer que sua técnica de reforço faça? É claro que tem que se lembrar de algo antes de tudo — Toramaru fala, sendo sincero.

Noraneko: Sim, eu sei. O efeito colateral vai depender da capacidade da minha técnica de reforço.

Toramaru: Exatamente. O Lightning Impulse de Hiro sobrecarrega seus nervos, e a Pumping Sound de Yubetsu sobrecarrega seus músculos. É tudo uma questão de condição e consequência.

Noraneko: Sim, eu sei. — Ventos fortes começam a soprar, e o menino, com olhos fechados, conseguia sentir os pneus vindo em sua direção. Ele desviava de todos facilmente a esse ponto, mas no começo dos treinos ele teve vários machucados.

Toramaru: Então, para começarmos a trabalhar na sua técnica de reforço preciso que me diga qual será a condição dela.

O menino começa a sentir os ventos se acalmarem e salta, ficando em cima de um pneu e sentando com “pernas de chinês” nele. Ele abre os olhos, que piscam em verde e logo após fala, tendo certeza:

Noraneko: Eu quero ser um animal feito para caçar. Rápido e sensitivo. Eu preciso ser mais rápido, eu preciso ser um verdadeiro leopardo.

Dessa vez, os olhos do garoto permanecem esverdeados. Um furacão surge ao redor dele e Toramaru se afasta um pouco. O processo da técnica de reforço é algo simples: Determine a condição, e ela decidirá a consequência. O garoto salta do pneu e o tornado ao redor dele se desfaz, e ele fala:

Noraneko: Papai, estou preparado para criar minha técnica de reforço!

Toramaru sorri e fica ao lado de seu filho, e eles começam o treinamento.

Kyoto, 10:20

Matsuda: É impossível eu ainda não ser forte o suficiente! — Matsuda chuta a bola em direção a um muro, ela abre uma rachadura enorme e a bola volta para Matsuda. Ao redor dele tinha brasas e mais brasas, e ele se lembra do episódio do começo do mês passado.

1 mês atrás, Heian Jingū.

As pessoas faziam fila para poder tentar tirar a joia da parede. Matsuda estava segurando sua mochila pela alça, a deixando sobre as costas. Ele via aquela fila enorme e tinha certeza que ele era o escolhido, então não se importava muito. Se passa cerca de 1 hora naquela fila e ele paga uma taxa de 500 ienes para poder tentar. Ele anda até a pedra, uma joia vermelha e laranja como a chama mais pura.

Matsuda: Heh, essa energia que emana de você é a mesma de uma Henkan Key, não é? — Ele fala, sorrindo de canto.

A pedra começa a ser tomada em algumas chamas e ele estende sua mão até ela, e de repente uma explosão de fogo é provocada. Matsuda se via num espaço vazio, flutuando. Tudo ao seu redor era vermelho e laranja, uma tonalidade de fogo. Ele ouve uma voz, e se assusta:

Voz: Você.. Você é quem eu estou procurando, jovem.

Matsuda: Q-QUEM ESTÁ AÍ?!

Voz: Não se assuste.. Você veio aqui atrás de meu poder, certo? Todo dia alguém vem atrás da força da Henkan Key Divina e ninguém é merecedor.. Mas você.. Você tem a força necessária para oque eu quero.

Matsuda: DEIXA DE PALHAÇADA, OQUE VOCÊ É?!

Voz: Apesar de tudo.. Você ainda é fraco e ingênuo.. Eu lhe darei um prazo, jovem Matsuda. Você tem 30 dias para se tornar oque eu tanto quero, caso consiga, irei deixar ter minha posse. A posse de uma Henkan Key!

Matsuda: Oque você quer de mim afinal de contas?! Me deixa sair desse lugar!

Voz: Seu coração está em chamas assim como a eterna chama que um dia o deus que me simboliza queimava. Você deve se tornar um Deus do Fogo, Matsuda!

De repente Matsuda vê um clarão e ele sai daquela “dimensão”. Ele não conseguiu tirar a pedra do lugar e o moço que cuidava daquilo manda ele sair. O garoto sai sem dar nem uma palavra e vai para fora, sentando num banquinho e olhando o céu. Ele coloca a mão na cabeça e fala:

Matsuda: Se tornar.. Mais forte?

Depois daquele dia Matsuda apenas treinou em Quioto. Toda semana ele ia no templo para tentar tirar a pedra de lá, mas nunca era o bastante. Dessa vez ele não conseguiu de novo e o prazo que aquela voz deu já estava se acabando, daqui a 2 dias ele não poderia mais tentar e a Henkan Key Divina ia escolher outro portador.

Matsuda: Droga..Droga! — Ele soca o chão enfurecido, e no templo, a Henkan Key continuava a queimar em chamas, esperando Matsuda.

Na Província de Kagawa, em Sendai às 10:20 da manhã estava Yahiko. Lá ele treinava com seu pai e sua mãe para o Nacional. Seu treinamento, diferente dos dos outros, não era para uma técnica nova ou para conseguir algo. Ele estava apenas aprimorando todos seus atributos.

Ichinose: Yahiko, pro lado!

Diversas bolas eram disparadas ao redor de Yahiko, e nos 4 cantos ao redor dele tinham gols. Seu objetivo era chutar todas as bolas e todas irem para o gol. A esse ponto desse treinamento ele já estava tão rápido e flexível que parecia que ele flutuava no ar enquanto chutava as bolas.

Aki: O Yahiko está muito melhor que você quando era menor, Ichinose!

Ichinose: Ei! Não fala besteira!

Yahiko: Ué! Mas não é besteira, é verdade. A mamãe sempre tá certa! — Ele chuta a última bola no travessão, e ela começa a ricochetear em todos os travessões até entrar em um gol. Yahiko conseguiu uma visão trigonométrica de tanto treinar daquela forma.

Aki: Esse é o nosso garoto!

Ichinose: Ai, ai..! Hehe, não acredito que viemos pra tão longe só porque ele achava que aqui seria um lugar melhor pra treinar.

Yahiko: Poxa pai, todo mundo do time tá indo pra outros lugares. O Noraneko foi pra Kyushu, o Matsuda foi para Kansai. Eu tenho que conhecer os lugares também, né?

Yahiko e Aki começam a rir, e Ichinose abre um sorriso de canto. Aquilo para ele e para Aki eram como férias, mas para Ichinose era realmente um treinamento pesado.

Residência dos Josuke, Tóquio. 10:20

Yukiny estava convertida em sua Henkan Key meditando em cima de uma árvore. Ela fazia isso se lembrando as palavras de Amaterasu no começo do treino.

Naquele dia Kyoko estava treinando nos fundos da casa e Amaterasu falava com Yukiny no jardim. Amaterasu comenta, bem séria:

Amaterasu: Yuki.. Você tem que entender que a Henkan Key não é um brinquedo.

Yukiny: Como assim? Oque eu fiz? — Ela fala, preocupada. Amaterasu coloca a mão em seu ombro e fala:

Amaterasu: Eu tenho que admitir, você é nova. Talvez às vezes você pense que oque você tem em mãos é só uma pedra que você achou por aí. Yukiny, a realidade é que a Henkan Key também pode ser usada como uma arma. Nós, que usamos elas no futebol, ignoramos esse fato mas temos que o entender.

Yukiny abaixa a cabeça e Amaterasu fala:

Amaterasu: Na realidade, nesse treinamento, você precisa entender o motivo pelo qual você tem essa Henkan Key. Ela é divina, Yukiny. Ela te escolheu e não foi por qualquer motivo.. Sabe, nós temos 2 meses antes do estadual começar e nós precisamos usar o primeiro mês para te ensinar: Você é uma escolhida dentre um mundo com mais de 7 bilhões de pessoas, a escolhida para ter esse poder em mãos.

Yukiny: S-Sim.. Eu entendo.

Amaterasu: Ótimo, por favor, sente na minha frente, ative a Henkan Key e comece a meditar. Se foque no motivo de você ter o privilégio de ter a Henkan Key em suas mãos.

A garota toca na pedra em seu brinco e uma explosão de luz ocorre. Os cabelos de Amaterasu voam devido ao vento e ela estava com uma cara séria. Amaterasu pensa, com sinceridade:

“Eu estou fazendo isso porque vejo potencial em você, Yukiny”

Yukiny para de voar em seus pensamentos e abre os olhos. Ela vê a altura que estava em cima daquela árvore e fala:

Yukiny: Uff.. Porque a Kyoko e a Amaterasu tiraram esse dia pra sair com eles? Eu precisava delas aqui.

A garota volta a meditar em cima da árvore e uma aura rosa a cobre. Enquanto isso, em Hokkaido:

Hokkaido, 10:25

Furosuto: Sora, pega! — Furosuto chuta a bola pra ele e a bola avança como um raio de gelo até Sora, porém Tatsumaki surge usando o Soyokaze Step e pega a bola, logo a chutando no gol. Anna olhava o treinamento lendo um livro japonês, e assim fala, normalmente:

Anna: Tatsumaki, você tem que pegar a bola com mais firmeza. Você quase deixou ela escapar!

Ela volta a ler e sorri. Furosuto, Sora e Tatsumaki continuavam a treinar. A menina se lembra do dia que Tatsumaki e Sora chegaram, foi um dia depois do Furosuto chegar. Ela não sabia que ia achar tanta gente da Raimon em Hokkaido.

1 mês atrás.

Anna estava estudando japonês enquanto Furosuto estava na varanda fazendo embaixadinhas. De repente é ouvido pelas crianças um “Furosuto, chegamos!”. O menino corre até a porta e vê Tatsumaki e Sora em pé, com suas mochilas. Ele faz um toca aqui com os amigos e os pede pra entrar.

Sora: Furosuto, eu não sabia que você tinha irmã. — Ele fala, olhando a garota, que fica um pouco envergonhada.

Furosuto: Ah, ela é visita. Bom, eu conheço um parque aqui perto que é bom para treinar, cheguem mais.

Ele e os outros correm para fora, indo para o tal parque que Furosuto comentou. A menina, vermelha e lendo um livro, consegue ouvir os passos de Fubuki. O homem fala, mostrando seu celular escrito em inglês pelo tradutor:

“Eles são da Raimon, amigos de Fubuki”

A garota para de se lembrar daquele dia e vê que ela ficou muito tempo lembrando. Furosuto, Sora e Tatsumaki já estavam saltando em blocos de gelo em um lago pra aprimorar seu equilíbrio e sorri, mas não esquece seu objetivo: Poder aprender japonês o bastante e ir para Kanto para desafiar Yubetsu.

Anna: Heh.. Furosuto, me diga como é o Yubetsu!

Ela grita e todos olham pra ela, caindo no lago gelado. Enquanto isso, em Kanto:

Campo da Raimon, 10:30

Tsurugi chutava muitas bolas até Kyodaina, que defendia algumas e outras levava boladas inesperadas. Sempre que ele era jogado ao chão ele se levantava.
Uma bola ia até Kyodaina na forma de um raio negro, era a técnica Death Sword. O garoto não consegue acompanhar e leva uma bolada no estômago, sendo arremessado no gol.

Tsurugi: Fique mais atento a bola, esqueça o seu redor.

Kyodaina: Sim senhor! — Ele se levanta e Tsurugi chuta mais uma vez, e Kyodaina bate de peito a bola a levando pro alto. Logo após ele dá uma cabeçada nela que faz a mesma avançar de forma brusca até Tsurugi, que para ela apenas com a sola do pé.

Tsurugi: É isso que eu quero ver, gigante.

Tsurugi chuta a bola que ele parou para o alto e dá um chute nela de novo, usando a técnica Death Sword. Kyodaina focaliza sua força em um único ponto e depois a libera, formando a técnica “O Muro”

Kyodaina: EU VOU.. CONSEGUIR!! — Ele grita, fazendo seu poder circular mais no muro. A Death Sword é parada com sucesso, Tsurugi sorri de canto e Kyodaina deixa a bola cair em sua cabeça, e ela se equilibra lá.

Tsurugi: Vamos continuar nesse ritmo, Kyodaina!

Eles continuam o treinamento intenso para fazer Kyodaina mais forte, e o garoto sorria.

Lanchonete no Centro da Cidade, 10:30

Yubetsu, Kyoko, Théos, Sakin, Amaterasu e Hiro se encontravam na frente de uma lanchonete. Yubetsu e Théos fazem um toca aqui e Hiro fica olhando tudo no fundo. As garotas se abraçam e de novo, Hiro fica olhando de fundo. Sakin anda para a frente e estende a mão para a lanchonete, falando:

Sakin: Sabe, planejamos esse passeio para mostrar pra um certo anti-social que a vida é bem melhor do que parece. Então nós podemos entrar?

Yubetsu e Théos começam a sorrir e Hiro faz uma cara de raiva. Amaterasu pega ele pelo ombro e o faz andar até dentro da lanchonete, e todos entram junto. Ele sentam numa mesa grande que ficava fora da lanchonete, dando vista para a rua. Amaterasu pega o tablet com o cardápio e olha a seção de doces, enquanto a garçonete os olhava sorrindo.

Amaterasu: Oh.. Parece tão.. Gostoso.. — Ela começa a salivar e Kyoko fala:

Kyoko: Bom.. Eu vou querer só um sorvete mesmo.

Yubetsu: Eu quero um hambúrguer! — Ele fala, sorrindo, e Théos fala com seus olhos fechados e sorrindo de canto.

Théos: Fritas, por favor.

Sakin: Um milk-shake de chocolate! — Ela fala, levantando o dedo indicador. Amaterasu fica salivando com o cardápio e Hiro fala:

Hiro: Terasu, pede oque quiser. Ah, e tia, pode me dar um sanduíche de peito de peru por favor? — Ele vira o rosto, um pouco vermelho.

Amaterasu: S-SÉRIO!? Ah, ah.. Senhora, eu quero um bolo de chocolate com morango, um milk-shake de creme, um brownie com sorvete de creme e um refrigerante por favor.

Todos olham a menina com uma cara de pavor. Ela olha ao redor de todos vermelha e fala:

Amaterasu: QUAL É?! EU NÃO TOMEI CAFÉ!

A moça anota todos os pedidos e vai pra dentro da lanchonete. De repente, todos fazem a mesma pergunta ao mesmo tempo:

—QUEM VAI PAGAR?!

No final todos olham para Hiro, que olha ao seu redor e grita:

Hiro: E-EI, PORQUE TEM QUE SER EU?!

Quando ele foi ver os pedidos já tinham chegado. Os garotos começam a comer e Hiro olha Amaterasu. A garota estava sorrindo como nunca sorriu antes, e logo após ele olha ao seu redor. Todos estavam rindo, conversando, brincando, falando de coisas normais. Ele nunca teve uma vida como aquela, e se sentia triste por isso.

Yubetsu: Ainda bem que planejamos esse passeio antes de irmos pra Torre Celestial amanhã!

Théos: Sim! Estamos na temporada de treino então vai ter bastante gente lá, Sakin, Yubetsu, já podem arrumar suas coisas!

Kyoko: Mas o Hiro não ia com vocês..?

Hiro fica calado e Amaterasu fala, dando uma mordida no seu brownie:

Amaterasu: Ele vai sim, se não eu não vou fazer oque a gente combinou. — Ela dá um gole no milk-shake e Hiro se lembra que ele e Amaterasu combinaram dela ver a mãe dele quando os treinos acabarem. Ele faz uma cara de raiva e dá uma mordida no sanduíche, e Théos grita:

Théos: S-SAKIN! EU JÁ DISSE PRA NÃO PEGAR AÍ! — Ele fala, vermelho.

Sakin: Poxa, porque não posso segurar sua mão?

Kyoko fica vermelha por algum motivo em relação a situação de Théos e Sakin. Sakin dá um gole em seu milk-shake e Yubetsu termina de comer seu hambúrguer, enquanto Hiro fala:

Hiro: OK! Já chega, vocês me querem tanto assim naquela tal de Torre Celestial?! Eu vou então! Mas não me encham o saco depois disso!

Todos ali sorriem e agarram Hiro, mexendo em seu cabelo ou apertando sua bochecha. No fundo, Hiro estava muito feliz, ele finalmente tinha feito amigos.
Enquanto isso, um menino de cabelos castanhos estava na outra mesa com um adulto de óculos. O menino sorri e fala:

???: Então minhas conclusões estavam certas, Kaze-sensei.

Kaze: Tsubasa, saiba que esses garotos são os melhores de Tóquio agora, tem certeza disso?

O menino dá um gole em seu refrigerante e olha para trás, os integrantes da New Raimon sorrindo e brincando, era muito.. muito interessante.

Tsubasa: Sensei, eu não saí da Torre Celestial nessa rodada por nada.

Tsubasa e Kaze saem da mesa e da loja, o dia se passa. Todos treinaram e Yubetsu e Hiro se preparavam para entrar finalmente entrar na Torre Celestial. No outro dia de manhã Yubetsu saía de casa falando com seu pai e sua mãe. Natsumi comenta, preocupada:

Natsumi: Bebê, por favor, se acontecer qualquer coisa volte para casa de imediato!

Endo: Cuida bem do filho do Kido, ele precisa de um ajuste, filhão! — Endo faz o sinal de Nice Guy e Yubetsu sorri, saindo de sua casa e vendo Théos e Sakin os esperando.

Sakin: Tá preparado, Yubetsu?!

Yubetsu: Eu não esperei um mês por nada!

Théos: Então vamos nessa, temos que ir buscar o Hiro.

Eles andam até a Mansão dos Kido e lá Hiro já estava na porta esperando. Ao seu lado, Kido e Sayume. Kido estava com uma expressão séria mais simpática, e Sayume estava sorrindo. A mãe dele segura seus ombros e fala, deixando o garoto vermelho:

Sayume: Por favor, cuidem bem do nosso bebê!

Hiro: M-Mãe!

Kido: E caso ele faça algo de mal, por favor, só liguem e eu dou jeito nele. — Ele fala, e todas as crianças balançam a cabeça dizendo “sim” Sayume larga seu filho e Hiro anda até seus novos amigos, e Yubetsu fala:

Yubetsu: Claro! Hiro a partir de agora é nossa responsabilidade!

Sakin: Vamos cuidar bem dele, eu prometo!

Théos: Ele está em boas mãos, Sra. Sayume, Sr. Kido. — Ele fala, se curvando a ambos. Sayume e Kido pedem obrigado com um sorriso e entram dentro de casa, e as quatro crianças se olham e balançando as cabeças. Elas andam até o centro da cidade, literalmente no centro, pois lá é onde estava oque eles queriam.

Centro da Cidade, 9:00 AM.

Yubetsu, Théos, Sakin e Hiro estavam em frente a uma torre colossal, ela tinha aproximadamente 200 andares. Cada andar era super tecnológico e bem arquitetado. Lá dentro, estádios de futebol, salões e quartos particulares. Yubetsu estava com uma bolsa, a segurando e a deixando nas costas. Sakin estava com uma bolsinha com roupas e uns lanches, Théos com uma mochila amarela e Hiro com uma mochila vermelha. Yubetsu fala para Théos, curioso:

Yubetsu: Então aqui é o lugar?

Théos: Sim, a Torre Celestial. O único lugar onde podemos treinar e ao mesmo tempo ver o nível de nossos oponentes. Cada andar é um desafio, temos que chegar no topo, o ducentésimo andar! 

Hiro: Vocês tem sorte de terem me convencido..

Sakin: Esse lugar.. É colossal.

Após terminarem de falar, as 4 crianças começam a andar até a Torre. Os ventos estavam fortes, seus cabelos voavam pelos cantos e tudo parecia muito intenso.

Yubetsu: Eu irei chegar ao topo.. Da torre celestial!


Notas Finais


Obrigado por ler!

E porque será que uma Henkan Key falou com o Matsuda, será que há algo nela que não sabemos? Hmmm...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...