História Incest Prostitution - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Amor, Bts, Drogas, Improprio, Incesto, Irmãos, Ódio, Prazer, Segredos, Sexo
Visualizações 70
Palavras 2.576
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Espero que gostem

Capítulo 23 - Pra bem longe


Fanfic / Fanfiction Incest Prostitution - Capítulo 23 - Pra bem longe

Um mês depois..

 

Um mês havia se passado mas mesmo sabendo que eu era filha daquele imprestável, o mesmo não parava de me mandar para o puteiro; o tempo se passou e ao perceber que eu não iria tentar correr ele começou a pegar leve, bom, pelo menos isso. Parou de colocar um saco preto em meu rosto e finalmente deixou eu ver a rua quando a gente saia; a real é que eu sabia onde eu estava e só de lembrar me lembro dos momentos estranhos porém bons, um sorriso surgia

 

Flashback On

 

Ele estava com uma mão no volante e a outra apertava seu membro, seus lábios estavam entreabertos e ele dirigia calmamente até parar em um local vazio, mas não era um LOCAL vazio, ele havia estacionado na frente de um galpão mas por ali noto que não passava ninguém, eu sei o que ele quer.

 

(...)

 

JK: Quer sentar aqui -ele abre o zíper da sua calça e junto com ela desce sua box deixando livre seu membro que já estava duro- ou eu terei que contar ao papai que mesmo de menor anda entrando em puteiros...que erradinha Carol

 -Você está querendo me manipular?

JK: Só estou te salvando para que não fique de castigo por um ano sem celular ou algum aparelho eletrônico...vamos lá, só umas cavalgadas 

 

Flashback Off

 

Uma coisa levou a outra e olha só como estamos agora, bom, praticamente isso já que nem juntos estamos agora. 

Hoje eu iria voltar novamente para aquele lugar mas como sempre o Min Hyun, ou melhor, meu pai, não me deixava transar com ninguém, mas ao menos havia me dado um anticoncepcional e isso me impediu de ter filhos.

A tarde era sempre longa pois eu não tinha nada pra fazer e nada pra mexer pois o quarto que eu era obrigada a ficar havia pouca coisa e de semana a semana o meu pai me comprava apenas roupas; ele tentava ser bom, agora me dava duas refeições por dia e não que isso fosse bom, mas pelo menos eu não fico mais o dia todo com fome. A cada hora ele sempre aparecia e me perguntava como eu estava mas pra não ser rude, dizia que estava bem; ele estava tentando recuperar o tempo que perdeu comigo mas mesmo que ele me desse bastante amor, eu ainda me sentiria incomodada até porque do que adianta receber o amor dele mas não poder ser livre?; era como um castigo, do galpão para o puteiro e nada a mais, eu estava definitivamente presa e não podia e nem tinha forma alguma de como pedir ajuda. 

Já fazia tempo que eu não fazia sexo com alguém e por um lado isso é ruim porque eu já era acostumada com isso, mas veja pelo lado bom, espera...não consigo ver lado bom; eu estou parecendo uma louca, além de presa, eu também necessitava de sexo, ou melhor, precisava sair daquele local. 

Isso tudo só aconteceu porque eu pedi demissão, ou não, talvez ele só estivesse procurando formas de como me dizer isso assim como o Kwan que pra falar a verdade eu também estou bem chateada com ele, ele já deveria ter me dito isso mas infelizmente eu tive que saber pela pior forma. Estava passando a gostar pra falar a verdade daquele lugarzinho, ali eu tinha silêncio e calma, poderia pensar no que eu falaria ao Kwan ou ao jungkook que por lembrar nele já deve estar com outra...mas eu não ligo, ou finjo não ligar, eu estava com tanta saudades dele, da minha antiga vida, da minha infância, se eu soubesse eu nunca teria entrado nisso.

Sem vê-lo, sem toca-lo, me sentia vazia novamente e dessa vez não era apenas uma semana sem vê-lo, era exatamente um mês e sentia que aos poucos ia me esquecendo da sua feição, do seu sorriso e também do seu beijo que me acalmava de forma inexplicável. 

Do outro lado da janelinha, o dia ia escurecendo mas eu nem sequer me importava já que nem pro outro lado eu iria mesmo; já havia tomado banho e por incrível que pareça sim, havia um mini banheiro dentro daquele quarto, composto por apenas o chuveiro e a privada, o banheiro era minúsculo mas eu não ousava reclamar porque da última vez que eu fiz isso...

 

Flashback On

 

 -EU QUERO IR PRA UM OUTRO LUGAR

Anderson: Cala boca menina, tua voz irrita, sabia?

 -Foda-se, esse lugar é uma porcaria, olha esse banheiro lixo, olha esse quarto de merda, olhem pra vocês, são um bando da capangas de merda

Anderson: Ah é? 

 

Sem falar nada ele simplesmente sai mas antes pega minha refeição que anteriormente ele havia deixado encima da cômoda do lado da cama e gargalha alto enquanto trancava a porta do lado de fora. Meu pai havia viajado e só iria voltar daqui a três dias, tanto o Alex quanto o Anderson nunca foram muito próximos de mim pois sempre que eles se aproximavam a gente brigava, eu nem precisava perguntar ou fazer algo pois eu já sabia o que ele iria fazer com a minha comida.

Foram os três dias sem comer mais radicais da minha vida.

 

Flashback Off

 

Pelo visto já era noite e estava já deitada a espera da minha comida que sempre foi apenas um sanduíche de saladas desde quando entrei aqui; não era ótimo, mas era comida e sempre que chegava minha fome falava mais alto então sequer pensava e já comida tudo.

Levanto-me e começo a rodear aquele mini cantinho que no caso deveria ser um quarto enquanto esperava alguém vir com a comida; já era a quinta vez que eu ia e voltava as quatro paredes daquele quarto quando escuto a porta ser aberta, era o meu pai com a comida 

 

MH: Boa noite filha...como está? Está bem?

 -Sim appa, agora passe a comida pra cá huh -falo calma e ele sorri estendendo a comida pra mim-

MH: Hoje eu deixarei você descer daquele palco mas você precisa acabar antes das duas da manhã ok? Amanhã iremos viajar

 -Viajar? Pra onde? -falo surpresa-

MH: Iremos para o Brasil as quatro da manhã e eu estou bem ansioso...você está? 

 -Uau...é bem longe o Brasil mas as comidas são boas 

MH: São? Como sabe?

 -Eu já comi uma vez com o Kwan e o Jungkook um tal de bobó de camarão 

MH: Dizem que no carnaval lá é bem agitado 

 -Mas pai...deixe-me ao menos me despedir dos garotos 

MH: Não....assim que você terminar o trabalho nós iremos vir pra cá, nos arrumar e já partir 

 -Ok então -falo entristecida-

 

Ele sai e tranca a porta do lado de fora, começo a comer o sanduíche enquanto pensava em tudo e em todos que eu seria obrigada a deixar pra trás, Kwan, Jimin, Taehyung, Hoseok, Jin, Namjoon, Yoongi e o mais importante...jungkook...que agora seria meu ex namorado e também ex irmão. Assim que termino de comer, começo a fazer exercício, sentia que estava engordando porque quando comia eu deitava e isso era péssimo; movimentava os pés e as mãos, corria parada e entre outros que me faziam soar e até que era bom porque era a única coisa que eu fazia naquele quarto e sempre fazia após comer pois além de fazer eu perder peso, isso também fazia as horas se passarem mais rápido.

Assim que termino após uma hora, pego uma roupa na gaveta da cômoda e vou ao banheiro pequeno, tomo banho rápido por causa da água que sempre era gelada e após fazer minhas higienes me enxugo e visto a roupa que havia pegado; deito-me na cama e sem querer acabo dormindo rapidamente 

 

 -Mamãe...mamãe -grito-

 

Onde eu estava era totalmente Branco, parecia um cubo que não havia parede porque eu corria e corria mas não conseguia sair dali ou ao menos encontrar uma parede

 

 -Eu estou sozinha?

 

Do nada algo aparece em minha frente o que me assusta um pouco mas que logo me faz sorrir, era o jungkook mas por incrível que fosse o moreno agora estava com o cabelo vermelho escuro que fazia seu rosto ganhar destaque, ele havia ficado ainda mais lindo daquela forma 

 

 -Kook-ah...que saudades sua -tento me aproximar mas ele se afasta- Kook...o que foi?

 

Assim que ele abre a boca para falar algo, começa a sair sangue o que me assusta um pouco, eu estava de olhos arregalados e quando ele fecha a boca ele tenta se aproximar mas dessa vez sou eu quem me afasto 

 

 -O que aconteceu com você? -falo chorando mas ele não respondia nada- ME RESPONDE JEON, POR FAVOR 

 

Corro em direção à ele para poder abraçá-lo mas assim que me aproximo ele some; olho pros lados e só consigo ver tudo Branco, já havia girado umas dezenas de vezes até que ele finalmente aparece de novo mas dessa vez completamente diferente do que o anterior, ele dessa vez estava sorrindo, gargalhava alto e parecia que não se importava com a minha existência ali já que nem sequer olhava pra mim, até então. 

Grito pelo seu nome e assim que ele me ver, arqueia as sobrancelhas e desfaz o sorriso, olha novamente para o nada e abraça algo que aos poucos vai ganhando cor, era uma menina, uma galega que o abraçava forte; ouço ele mandar ela não ligar pra mim e em seguida a beija calmamente enquanto eu apenas assistia aquilo tudo; o beijo vai ganhando intensidade e ele a suspende no colo e depois coloca ela no vazio que aos poucos vai ganhando cores, era uma cama, mas não uma qualquer pois eu reconhecia aquela cama, era a minha cama. Eles tinham cada vez mais saturação, parecia que aquelas cores significavam o calor entre eles e quando olho pra baixo, mais específico pro meu corpo, vou percebendo que aos poucos vou ficando sem a minha cor, eu estava ficando preto e Branco o que era estranho mas assim que estendo minha mão, vejo a mesma sumir e logo percebo que ele já estava penetrando na garota; a cada estocada nela, meu braço ia sumindo e me deixando cada vez mais desesperada 

 

 -Você está me matando -grito chamando a atenção dele mas ele sequer parou ou melhor, só fez mais força-

 

A garota gemia a cada penetrada enquanto eu chorava já notando que meu corpo havia sumido, a única coisa que me restava era a visão, droga de visão.

Já não me existia ali mas minha visão era obrigada a ver aquilo, ele e ela gemendo enquanto eu me sentia vazia, falta de fôlego, falta de ar e por fim, tudo fica preto.

 

Acordo desesperada, eu soava bastante e estava toda arrepiada, lágrimas já permaneciam em meus olhos e assim que os fechei elas caíram. Aquilo parecia muito real que até tenho medo que ele esteja fazendo isso por aí por fora; eu necessito vê-lo antes de partir.

Meus pensamentos são interrompidos pelo Anderson que abre a porta e sem falar nada apenas me puxa pra fora daquele lugar e assim que saímos ele me joga dentro do carro. O motorista mas específico Ismael começa a dirigir rápido e enquanto isso eu apenas fico olhando a rua e também a lanchonete que me trazia várias lembranças boas 

 

Flashback On

 

 -O que você vai querer? -falo enquanto dava atenção ao cardápio-

JK: O que eu quero não tá no cardápio com certeza 

 -Ué querido...isso é uma lanchonete, claro que vai -o olho semblante confusa-

 -Eu queria uma comer uma Carol -ele sussurra em meu ouvido-

Carol: Credo seu viciado em sexo 

 

Flashback Off

 

Assim que chegamos, Anderson me puxa para fora do carro e vai me empurrando até o camarim daquele puteiro onde eu me trocava e assim que entro ele sai e fecha a porta. Sem hesitar, já que não tinha outra escolha, começo a me despir e já nua coloco a calcinha que haviam colocado ali para eu vestir, por um lado eu estava feliz, eu iria ganhar uma grande quantia hoje, mas mesmo assim, eu não queria estar ali, eu só queria seguir minha vida normal como qualquer uma mas eu tinha que me apaixonar pela pessoa errada.

A música começa e já preparada subo no palco assim que me chamam, dançava sensualmente ao som de "Chamber of Reflection", era um tanto difícil por ser bem lenta mas mesmo assim eu tentei o máximo, quicava e rebolava enquanto os homens e até algumas mulheres jogavam dinheiro pra mim e eu apenas prestava atenção no fundo daquele puteiro, a parede vermelha iluminada por algumas luzes que rodavam por ali, a música tocava alto e parecia que eu estava bêbada, aquela música tinha uma batida bem vibe, como de quem se drogou e estava no mundo da lua, o que com certeza o cantor estava.

Assim que ela acaba, ofegante desço daquele palco e fico em frente a um garoto que estava junto com um bonde de garotos que eu sequer me importava, eu apenas queria ele 

 

?: Vamos pro quarto, o melhor show vai acontecer agora 

 -Eu concordo 

 

O puxo e noto que ele estava com uma bolsa mas não ligo e o levo pra um quarto mas ao chegar lá ele se afasta e pega seu celular, isso nunca me aconteceu então por isso, desentendida, me sento na cama e apenas o espero até que o mesmo começa a falar com alguém do outro lado da linha

 

?: Ela já tá comigo, podem começar -ele espera a pessoa falar algo e depois desliga e olha pra mim- acho melhor se vestir -joga a bolsa do meu lado-

 -Como assim?

?: Meu nome é António 

 -Conheço um António -sorrio ainda semblante confusa-

António: Que bom...faço parte da gangue do Chung e estamos aqui pra te buscar 

 -Espera -rio irônico- quê?

António: Seu irmão está aqui...ele vai matar quem te sequestrou 

 -Espera...espera...ele não pode

António: Por que? -dessa vez foi a vez dele se ficar som semblante confuso-

 -Porque ele é meu pai -falo um tanto alto e assim que paro de falar, o tiroteio começa-

 

Assustada me abaixo e ele também mas ele manda eu me vestir e por isso pego a bolsa e acocorada eu começo a me vestir; o barulho não parava, e a música insistia em repetir assim que acabava. Já estava pronta e já acostumada com o barulho, então por isso, tanto ele quando eu levantamos mas ele me abraça forte me impedindo de sair dali, que por mais estranho que fosse, era o que eu mais queria; eu só estava esperando que ele vacilasse e eu sabia que ele uma hora iria vacilar.

Dito e feito! Seu celular começa a tocar e ele se afasta e com isso ganho tempo para sair daquele quarto às pressas mas logo quando ele percebeu, ele veio atras de mim. Corri mais do que pude por aquele lugar não me importando com os tiros que rolavam ali mas por ver o Jungkook, todos os pensamentos positivos me veio à tona e por isso minhas pernas auto travaram; eu estava ali, parada no meio de tudo, apenas o observando matar as pessoas ao redor não se importando comigo ali um pouco longe dele, mas por pouco tempo.

Ele me olha mas antes sinto algo arder, tudo começa a definitivamente rodar e assim que olho pra baixo vejo acima do meu peito jorrar sangue

 

JK: Caroline -ele grita por mim e isso foi a única coisa que eu ouvi antes de definitivamente apagar-


Notas Finais


Olhem pelo lado bom, pelo menos ela não vai precisar viajar :')


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...