História Incesto - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Rosa e o Dragão
Tags Doença, Incesto
Exibições 14
Palavras 805
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Luta, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Outro capitulo dessa história, espero que gostem fiz com bastante carinho...
Beijos de ou meus amores...

Capítulo 3 - 1x3 - enterro e indo embora parte 1;


Acordo me sentindo super pra baixo, mais como não sentir acabei de perder minha mãe e meu pai fugiu sem se preocupar se ela ia viver ou não, mais agora estou decidida acabar com essa história de família perfeita que não existe.

Me levanto e vou até a janela, olho para rua vendo a poça de sangue ainda ali, hoje é o enterro de minha mãe não sei se sua família ficou sabendo, mais mesmo sabendo estaria nem ai já que abandonaram.

Saio daquela janela e abro a porta do quarto e escuto barulho de panela, vou andando devagar até a cozinha e vejo os meninos todos ali, Fernanda no fogão e os outros todos sentados calados.

- que cheiro bom - digo entrando na cozinha.

- estou fazendo a panqueca que você gosta - diz Fernanda sorrindo.

- obrigado - digo me sentando no banco.

Olho para os garotos que só brincavam com as panquecas nos pratos, encosto minha cabeça na lateral do corpo de Juca, ele mexe em minha cabeça fazendo carinho.

- estão bem? - pergunto olhando para cada rosto daquela mesa.

- sim - diz joão sorrindo para mim.

Achei aquele sorriso muito falso, mais também olha e pergunta que eu fiz, sabendo que ninguém nessa casa está bem com a morte de nossa mãe.

- tenho algo a dizer para vocês - diz Felipe colocando o prato de lado.

- ok - diz Drake ainda olhando para baixo.

- vocês sabem que comprei uma casa não e? Então ela acabou de ser construída e está pronto para a gente - diz Felipe olhando para todo mundo.

- como assim a gente? - pergunta Carol ao lado de Roberta.

- nossa mãe não confiava muito em nosso pai, então uns dias atrás ela colocou suas guardas em minha mão, então depois do enterro vamos embora daqui ha comprei as passagens e tudo então podem arrumar suas coisas -diz olhando para a Fernanda que estava com um lindo sorriso para o amado.

- vou arrumar as minhas coisas - diz drake se levantando.

Todos os outros levanta junto com ele e cada um vai para o seu quarto, escuto algumas portas sendo fechadas com força e outras não, olho para Felipe que me olhava sério, ele nunca gostou de mim.

- isso não e verdade - diz me olhando.

- hã? - pergunto confusa.

- o que você acabou de pensar e mentira, não e que eu não goste de você só achou que você veio so para nos destruir - diz tomando seu suco.

- Felipe, não fale assim com ela - diz Fernanda batendo a colher em sua cabeça.

Ele da careta por causa da colherada e começa a sorrir, abro um pequeno sorriso, sinto que minha vida vai mudar a partir de hoje.

- anjo aqui seu prato - diz colocando um prato cheio de panqueca na minha frente.

- obrigado - digo sorrindo para os dois.

- de nada - diz beijando minha bochechas.

Sempre gostei das panquecas de Fernanda são simplesmente demais, ela se senta no colo de Felipe e começa a da selinhos no mesmo, la vem a melasao pego meu prato e vou para a sala, me sento na frente da janela e começo a comer.

Termino de comer e coloco o prato de lado me levanto e vou até a porta do quarto de Drake, estou preocupada com ele, escuto ele falando com alguém.

- olha amor...ah para, estou indo contra minha vontade...não posso fugir com você, tenho que cuidar de noemia...sei, sei concordo com você quando diz que ela e um problema, mais não posso fazer nada promete a minha mãe que cuidaria dela...você sabe que amo você mais que ela então não esquenta você e tudo para mim...ok, também te amo te ligo quando chegar...thau amor - diz desligando o celular.

Não sabia o que fazer, aquelas palavras me cortaram igual a uma facada, Noêmia você tem que parar de ser besta ela nunca ia gostar de você do jeito que você gosta dele.

A porta e a aberta e ele me olha surpreso, com certeza estava com uma cara nada boa, ele abre a boca para falar algo e sacudo minha cabeça e vou para o meu quarto, fecho a porta e tranco a mesma.

Pego meu vestido preto que usei no enterro de um amigo da família e visto, olho para o relógio vendo que já era a hora de sair de casa e ir para o enterro, mais como todo mundo está ocupado falando mau de mim vão demorar.

Pego as minhas três malas e coloco elas deitadas no chão, começo a colocar minhas roupas em uma, e na outra meu tênis e minhas sapatilhas. Fecho elas duas e olho para o guarda roupa vendo que ainda tinha roupa


Notas Finais


Nossa quase chorei com esse caps, coitada mais ela vai mudar e vocês vão vê


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...