História Incesto (Jikook and Sawako) - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Incesto, Yaoi, Yuri
Exibições 516
Palavras 1.261
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eeeeee, voltei com mais um Cap pra vcs lesados, como eu sempre digo, minha net tá um lixo 😢😢, mas eu faço meus sacrifícios por vcs..
Me desculpem pelos erros..
Obg pelos favoritos e pelos comentários também ,amooo muitoo vcs tesudas(o)

BOA LEITURA❤

Capítulo 8 - Jimin pov hot Fim


Fanfic / Fanfiction Incesto (Jikook and Sawako) - Capítulo 8 - Jimin pov hot Fim

Logicamente eu não iria o machucar mais, pois ele não aguentaria. E tudo o que eu mais queria agora era fodê-lo com precisão, com audácia, mas com o maior carinho que eu pudesse lhe oferecer – Sádicos também amam e cuidam do que é seu. 
Beijei seus lábios macios, sentindo o salgado de umas lágrimas que rolaram por ali em meio àquela tortura. Me bateu um certo arrependimento em meu âmago, mas eu jamais conseguiria distinguir isso alguns instantes atrás. Então tentei manter o foco naquilo que ainda viria a acontecer. 
Cheguei meu corpo para trás novamente para poder encaixar a camisinha em meu pênis. Peguei logo o lubrificante que eu havia trazido comigo junto do chicote e molhei bem os dedos com ele – umedeci também sua entrada com o liquido geladinho. 
Ainda conseguia escutar uns choramingos de dor. Aonde eu tocava ele resmungava de agonia, mas logo foi se acostumando com meus toques em sua derme, e assim peguei e sua cintura com uma das mãos e apertei de leve – eu não queria o ferir ainda mais. Me acheguei bem dentre suas pernas as abrindo ainda mais e com meus dedos devassos, contornava a entrada piscante de Jungkook fazendo pressão para conseguir enfiar ao menos um deles ali dentro. 
Quando eu já conseguia o penetrar e estocar sua entrada com dois dedos, segurei firme sua cintura o instigando a se mover contra eles. Eu estava querendo gozar só de escutar aqueles gemidos manhosos e senti-lo se jogando contra meus dígitos. Os movi com intensidade dentro do corpo dele, já que percebi o quanto ele estava gostando daquilo eu já estava gemendo junto com ele em deleite, e percebi que meu pequeno estava preparado para a melhor parte do sexo. Retirei os dedos de seu interior e dei um pouquinho de atenção ao seu falo latejante em minha frente. Desci a boca até ali dando algumas sugadas, engolindo algumas vezes tudo até o fundo da garganta. 
- Você gosta disso irmãozinho? 
O vi manejar positivo com a cabeça. Jeon estava embebido na luxuria, e estava terrivelmente sexy daquele jeito - tão submisso. Ele parecia querer se desprender das algemas improvisadas para se tocar, já que ele estava incapacitado de descer a mão para ajudar-se a gozar de uma vez e muito menos a se defender de minhas mãos maldosas – isso seria impossível para ele agora. 
Subi meus beijos de baixo até acima de seus lábios novamente, me aconchegando bem sob seu corpo deixando um encaixe perfeito entre nossos corpos. Eu já estava com o preservativo e tinha uma entradinha bastante lubrificada implorando para ser preenchida por meu sexo, então o segurei em minha mão direita sem deixar de sair de cima de seu tronco, e assim que encontrei seu escroto fui me enfiando dentro deste com meu falo ereto e bastante duro – latejante – eu diria. 
Para amenizar sua dor de ser penetrado – provavelmente pela primeira vez – eu o enchia de beijos carinhosos e sussurros ao pé do ouvido para o distrair daquela ardência característica no interior. 
E logo depois de um tempinho estando totalmente dentro dele, eu o beijava com mais desejo ainda, e assim fui me movendo sutilmente ondulando minha cintura para me enfiar e sair de leve de dentro de seu escroto, dando início a um sexo maravilhosamente delirante e gostoso. 
Conforme o sentia mais à vontade e menos apertado eu acelerava meus movimentos sobre si, o deixando visivelmente mais extasiado com todas aquelas sensações que percorriam todo seu corpo – assim como eu também estava entorpecido de tanto prazer. 

Era errado fazer sexo com meu irmão? Sim. Até poderia ser o maior pecado do mundo, mas de longe era ruim para nós dois ali naquele momento. 

Conseguia sentir o calor tomar a atmosfera de todo o aposento de Jeongguk; sentir o suor nos molhar por completo morrendo por fim nos lençóis brancos da cama dele; a cama rangendo e batendo com a cabeceira na parede algumas vezes em que eu o estocava com mais força que eu deveria; os gemidos... aah sim! Essa era uma das melhores partes. Estávamos em quase sincronia, um gemendo cada vez mais instigante que o outro ora e outra. Era tudo muito maravilhoso. 
Não sei bem o quanto aquilo estava durando, mas fizemos um sexo tão gostoso que o tempo sequer importava naquela altura da vida. Depois de mais umas estocadas mais rápidas e fortes – o suficiente para fazer Jeon gemer quase gritando, arfando-se e jorrando seu sêmen entre nossos corpos – eu acabei por gozar urrando ainda mais alto que meu irmão. 
Ainda gemíamos sôfregos e o ar entrava e saia desesperado dos pulmões, sequer dando o tempo certo de ser sorvido corretamente. Não conseguíamos falar nada diante aquilo tudo, precisávamos nos acalmar, caso contrário morreríamos se não acalmássemos o fôlego. 

- Não acredito no que acabamos de fazer. – Disse Jeon de peito para cima respirando menos apressado. 
- Eu vou para o inferno! E a culpa é tua Jeon Jungkook! 

Escutei o som de sua risada ecoando no quarto escuro não mais alta nem mais longa que as normais, mas que de fato me trouxe um pouco de tranquilidade interna, pois eu já estava me vendo o maior desgraçado de todos os tempos por ter fodido com meu irmão de sangue, quando meus pais sequer imaginam que obscenidades fazemos debaixo desse teto. 
Meu Deus! Definitivamente irei para o inferno! 

- Você pode ir para o inferno depois de soltar essas amarras filha da puta dos meus pulsos, né hyung? Elas já estão me machucando mais que seu chicote! 
Me lembrei somente agora das falsas amordaças que usei para prendê-lo e o deixar indefeso por meros fetiches meus, eu sequer havia tirado o preservativo imundo de meu falo ainda. – Literalmente eu havia comprado minha passagem direto para o reino de baixo! 

- Desculpe por isso... e também por ter te batido com tanta força. 
Eu estava deitado do seu lado agora que desamarrei seus pulsos, fitava o breu naquele cômodo junto dele escutando a chuva cair lá fora acompanhada de alguns trovões, estava procurando qualquer coisa que não fosse pensar tanto nas consequências desse sexo louco que fizemos. O ar no recinto começava a esfriar tudo, trazendo assim meu pequeno irmão sob meu peito, se aconchegando para se esquentar. 

- Já não dói tanto. E outra coisa hyung... 
Olhei para seus olhinhos – seja lá onde eles estiverem no meio da escuridão, mas seu rosto estava bem perto do meu, então não era difícil o encarar como eu queria. 
- Outra coisa o que? 
- Eu gostei... gostei de tudo o que a gente fez aqui. 
De modo simplista em meias palavras Kookie acabou me abalando mais que deveria com aquelas falas. Sério! Eu esperava ser xingado de tudo o que existe de ruim no universo depois daquele sexo, mas daí o ouço me correspondendo a tudo o que fiz consigo. 
- Jura? 
O vi acenar positivo e então mais uma surpresa... Ele colou os lábios nos meus em seguida, dando início a um osculo carinhoso que não durara muito. Então ele se achegou mais pra perto se enroscando em meu corpo num abraço terno – provavelmente o sono já estava o derrubando novamente, ainda mais depois de se cansar tanto. 
O acolhi com carinho em meus braços e ali cochilamos na mesma cama em que havíamos transado. 

Espero que Jeon cometa mais erros para assim eu ter sempre a velha desculpa de o punir com meus fetiches secretos. 

[Jimin POV OFF]


Notas Finais


Gostaraammm?
Eu ameiiii, sério.
Comentem o que acharam tesudas (os) do meu kokoro


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...