História Incondicional - Será que gosto dela segunda temporada - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cúmplices de um Resgate
Visualizações 45
Palavras 2.443
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura😊😊

Capítulo 36 - Recomeço... Ou quase?


Fanfic / Fanfiction Incondicional - Será que gosto dela segunda temporada - Capítulo 36 - Recomeço... Ou quase?

Safira:  O que mais me espanta é que eu era namorada do seu irmão - Ela não pode evitar uma risada - Como ela queria que você acabasse com um casamento assim?

Regina: Talvez ela soubesse que nem eu nem o Geraldo, seríamos felizes a partir dali.. - Ela suspira

Safira: Ainda bem que ela não teve tempo de ver o caos que nossa vida virou depois daquilo tudo. Seu pai também passou a me cobrar, me tratar mal, me fazer duvidar de mim logo após meu casamento com Geraldo… -Nota a expressão confusa da ruiva - Eu não fugi do perfeccionismo do seu pai. - Ela olha no relógio -Preciso ir.

A expressão de Regina era de tristeza, Safira havia mudado mesmo com ela

Regina: OK - Ela força uma expressão neutra

Safira: Regina, não precisa mentir pra mim. Sei que você não gostou, mas eu também tenho muito o que pensar e estou confusa, ainda trabalho amanhã e minha mãe não está bem, então eu tenho que dormir cedo. Vou levá-la para uma consulta de rotina

Regina: Desejo melhoras pra ela

Safira se despede e vai embora. Apesar da tristeza, Regina não sabe definir o que sente. Se é calmaria por ter finalmente começado a se libertar das suas paranóias, ou se era medo por fazer tudo errado com Safira; Ainda tinha a felicidade de ela ter escutado e desafiado Regina a provar que podia ser uma pessoa confiável.

Regina amava desafios Mas esse não sabia nem por onde começar

Quando vai pagar a conta, não pode evitar sorrir para Suri

Regina: Está vendo? Não houve briga, não tinha que se preocupar. Amiguinha difícil a sua - Ela sorri e deixa a língua de lado como muito vira Safira fazer

Suri: Eu devo agradecer- Ela corresponde o sorriso - Ou não?

Regina: Não. Talvez eu pudesse ter evitado tanta coisa e não percebi - Aquela frase foi dita tão displicentemente que não era um término de resposta  - Só isso? - Volta sua atenção para Suri ao observar a conta

Safira fez questão de pagar a parte dela - Ela dá de ombros

                                                                                    X

Indo pra casa Regina não pode deixar de evitar pegar o celular, e para sua surpresa havia uma mensagem da morena

Hey

Você me deu muito o que pensar. Acho que eu esperava que fosse algo muito forte pra você reagir dessa maneira a tudo, mas não esperava tanto. Eu não quero que esqueça que independente do casamento, você tem com quem contar. Você tem quatro pessoas com quem contar, suas filhas e eu. Não se feche ao mundo por que uma pessoa te machucou, não acabe machucando quem gosta de você.

Safira

Ps paguei meu suco, espero que não surte com isso também. Sei que você convidou mas me sinto melhor assim

Aquela mensagem faz Regina sorrir.

 

Oii,

Já deu saudade? Nossa, como você é apegada SQN!

Falando sério, não se preocupe eu sei muito bem disso, eu te diria que eu estou leve, mas isso ainda é uma confusão pra mim, imagino pra você. Ser uma “ pessoa melhor” é um processo. Mas prometo tentar.

RPS: Pagar um suco, digamos que não seria problema. Mas ok, você ganhou

Regina

 

Olha, eu não definiria essa situação como ser uma pessoa melhor. Acho que seria ver seus traumas de uma forma positiva. Afinal você, não seria quem é sem eles, pois não teria aprendido nada. Digamos, que você tem um certo charme em ser toda marrenta e não precisa deixar de ser quem você é.

Estamos aqui quando precisar. Vou voltar a dirigir

Safira

ESTÁ DIRIGINDO? DEPOIS EU QUE SOU SEM JUÍZO SAFIRA

R

 

NÃO ESTOU. EU PAREI O CARRO PRA TE RESPONDER, NÃO SOU IDIOTA. E VOCÊ É SEM JUÍZO.

Safira

 

Por quê está gritando mesmo???E por que motivo acha isso?

R

A mensagem vai, mas Safira não responde. Deveria ter voltado à dirigir, provavelmente; Regina chega ao seu carro, sorrindo de orelha à orelha. “  você tem um certo charme em ser toda marrenta “ talvez ela fosse idiota em se iludir mas, ao que parecia Safira não tinha desistido completamente dela. “E VOCÊ É SEM JUÍZO.”  Sabia que essa era a maneira indireta de Safira não dar a entender que estava importando -se ou cuidando dela, mas lá estava e ela já havia se convencido de que ela era a última pessoa que Safira ainda tinha amor

Regina: YES! - Quem visse Regina agora, provavelmente diria que ela era uma infantil - TOMA VERGONHA NESSA CARA E FAZ TUDO CERTO - Diz para si mesma através do retrovisor- VOCÊ JÁ DISSE ISSO Á SI MESMA E CONTINUOU SENDO UMA COMPLETA PALHAÇA REGINA SALDANHA

                                                                                      X

Como foi?? - Safira mal chega em casa e já ouve três vozes ansiosas e não contem o riso

 

Safira: Bem.. Melhor do que eu esperava - Ela olha para cada rostinho curioso- Vocês ainda acordadas à essa hora? Esqueceram da escola amanhã?

Priscilla: Não me diga que vocês voltaram - A filha junta as mãos em desespero - Mamãe! Você é muito mole!

Safira: Quem aqui falou em volta? Que eu saiba eu não disse nada sobre volta Gi

Priscilla: Ufa! Graças a Deus! - Luisa lhe lança um olhar indignado, mas Priscilla, o ignora

Luisa: Vocês conseguiram conversar?- Luisa sendo a mais velha das três e a unica capaz de entender que aquela conversa não envolvia apenas o relacionamento da mãe e Safira, mas sim também a história da mãe era a mais preocupada. Podia perceber agora que Regina era uma pessoa completamente instável, não que Safira não fosse, mas ela se controlava melhor

Pérolla: Vocês se beijaram?? Por favor diz que sim!

Safira: Conseguimos sim. Eu diria pra vocês que eu poderia considerar que conheci a Regina novamente, e não meu amor não nos beijamos- Ela abaixa - se na altura da criança - Calma meu anjo. Às vezes, não é porque conhecemos a pessoa que o beijo tem que acontecer rápido, ou tenha que necessariamente acontecer.

Pérolla: Fazer o que? - A filha ficara de mau- humor e deixara isso claro - Boa noite, vou dormir

Safira: Ei, não vai me dar um beijo? - Pergunta Safira tentando fazê-la esquecer

Pérolla: Eu já te dei boa noite- Diz ela, se encaminhando para a escada

Safira: Tudo bem. Boa noite filha

Quando Pérolla sai, Safira diz:

Safira: Eu não sei o que fazer com vocês! -Uma fica brava por eu não beijar a Regina. outra se eu tivesse beijado teria surtado - Ela revira os olhos

Priscilla: O que ela disse te fez mudar de ideia? - Ela não queria admitir que queria o mesmo que Pérolla, bem no fundo

Safira: Não, me fez entender. Se esse casamento vai ser reatado eu não sei. Uma coisa que eu queria conversar com vocês duas… Principalmente com você Gi - Ela não pode evitar sorrir para Priscilla ao ver seu olhar de estranheza - É que a Regina talvez passe por um período muito mais complicado do que imaginamos. Pelo que percebi, ela tem muita coisa com que aprender a lidar com relação à si mesma, e a Regina é uma pessoa que se estiver sozinha deixa se entregar.

Priscilla:Mãe, você também é assim e está aqui até hoje. Ela não vai morrer não sabia? Talvez você esteja mesmo impressionada demais- Ela encara os olhos escuros da mãe, que entende o medo de Priscilla, que ainda querendo ou não era uma criança, de sair mais uma vez machucada por Regina. - Mas se você tanto quer, eu ajudo

Luisa: Eu topo! - Diz sorrindo

 

                                                                                                    X

Safira estava colocando as meninas na cama. Fazia isso até pelas quais haviam crescido, ela se sentia bem assim

Safira: Durma bem Priscilla- Ela beija a filha, aproveita e lhe diz baixinho - Você não precisa ter medo, eu não vou deixá-la se machucar

Priscilla: Será?? - Safira sente que a filha se entregara ao choro e a acolhe

Safira: Tenho certeza que a Regina não te machucaria intencionalmente filha. Ela ama você

Priscilla: Ela também amava … - Ela dá de ombros - Você

Safira: Olha, casais sempre brigam. Sei que você vai dizer que ela é sua tia, mas no fundo,você a considera sua mãe, tanto quanto eu sou. E filhos… São pra sempre. Agora dorme. Você tem que acordar cedo amanhã. - Dá mais um beijo na filha e fica ali até ela acalmar- se e dormir. Sai fechando a porta e apagando a luz

 

Quando deita - se, vê a mensagem, que lhe causa um sorriso

 

Gritei porque você gritou primeiro. Digo que você é sem juizo porque…. Porque tive que muitas vezes acudir você. Então sei muito bem como você é

Tive que colocar as crianças na cama, desculpe a demora e o horário

Boa noite

Ah é?? eu discordo que eu tenha gritado, mas, ok. Você deve estar cansada. Obrigada pela preocupação comigo ( por mais que você negue )) sei que se preocupa comigo tanto quanto me preocupo com você

Durma bem

Regina

 

Se eu me preocupar isso não seria errado, seria? Afinal somos amigas

Durma bem também

 

Safira sabia ser muito mais que amiga para Regina. Mas nem ela sabia lidar com os últimos acontecimentos e destemperos de Regina. Muito menos ainda com os próprios sentimentos, Não podia negar que o amor irrefreado que sentia, parecia ter sido liberto outra vez.

 

Ps: Regina você pode buscar a Pérolla na escola amanhã? Acho que faria bem à ela, mas se não aceitar tudo bem. Desculpe se já tiver dormido

Safira

 

Ser sua “ amiga” já é um passo que eu jamais achei que voltaria a dar. E não quero apressar nada. Vou deixar seguir o seu ritmo. É estranho você se preocupar comigo, estou surpresa

Porque buscar a Pérolla seria um problema?  Eu busco. jamais seria um incômodo; até parece que esqueceu que eu tenho insônia

Regina


 

X

Regina tinha ido buscar Pérolla na escola. Priscilla e Luísa pelo que Safira havia lhe dito iam para a casa de amigas. Chegou muito cedo então teria que esperar um momento e decidiu puxar a conversa que tivera pela manhã

Flashback on

Safira: Hey. Quem é viva  sempre aparece- Diz a morena que entrou em sua sala com um sorriso. Aquele sorriso

Regina: Hey, engraçadinha. Eu sei que tinha que vir hoje, tinha certos papéis para assinar. - Diz revirando os olhos para não demonstrar o que aquele sorriso realmente a fizera sentir

Safira: Eu estava brincando. - Ela adota seu tom profissional - Seus papéis para assinar são esses - Ela os estende

Regina: Sei que estava.Como sabia que eu realmente vinha hoje? - Ela decide testar Safira

Safira: É melhor dizer antes. Você acha que tudo é ofensa agora. Ela suspira - Eu imaginei né? Esses documentos da nova filial são importantes - Diz meio de mau humor

Regina: Sensível, sensível, sensível. Vem cá seu signo é o mesmo?

Safira: Sim. -Responde rapidamente com uma expressão de dúvida

Regina: Você costumava ser mais forte - Ela diz sem pensar

Safira: Ninguém é forte o tempo todo - Diz ela recolhendo os papéis que Regina havia acabado de assinar

Regina então, percebe que por um momento tinha estragado tudo

Regina: Safira…. Desculpa! - Ela diz ao ver a morena se encaminhar para a porta

Safira vira - se incrédula

Safira: Você????

Regina: Você costumava dizer… -Faz menção de pensar - Que as vezes é muito mais fácil pedir desculpas, mesmo não tendo costume, culpa ou nem ao menos saber o que ocorreu do que perder uma pessoa à qual nos importamos, não é? - Ela respira,muito fundo - Perder eu perdi, mas essa sua cara de “mais uma decepção” me incomoda muito mais do que imagina. Ela é muito mais difícil do que pedir desculpas

Safira fica sem muita reação em primeiro momento, mas não consegue, pelo menos não abraçar a ruiva

Safira: Obrigada… Pelo esforço - Ela sorri por fim

Regina: De nada - Ela de repente se lembra - E sua mãe? Como está?

Safira: Fizemos os exames. Alguns não saíram ainda, é com isso que estou preocupada

Regina: É, eu devia ter imaginado - Safira não era o tipo brincalhão, provavelmente essa manhã quando entrou em sua sala queria desviar a própria atenção de suas preocupações - Não preocupe- se, não será nada. Agora pelo visto a Sra Resolveu me desafiar senhorita Menezes? - Ela puxa outra vez a brincadeira para que Safira se distraia

Safira: Eu???- Ela nota que Regina resolveu brincar

Regina: Sim. A sra acha que eu sou preguiçosa que não sabe que tenho que trabalhar e assinar malditos papéis - Ela ri - Eu queria morrer essa manhã de ter que levantar cedo… Mas não conta pra ninguém  - Diz em tom baixo

Safira: Eu sabia! - Ela acaba gargalhando

Regina: O filme da Netflix estava tão bom! - Protesta

Safira: Como é mesmo?? Minha chefe sempre diz : Trabalhe primeiro, divirta- se depois

Regina: E você pelo visto aprendeu certinho. Que chefe terrível. Mas eu tinha que trabalhar e buscar as nossas filhas na escola, já que você parece estar com preguiça hoje

Safira: Ela é terrível.. Mas paga o meu pão de cada dia não é? - Ela pisca - Priscila e Luisa vão para casa de amigas… É só a Pérolla mesmo

Regina: Sinto que as duas maiores me evitam - Diz referindo - se às filhas

Safira: Luísa não… A Priscilla… Bom a Pri talvez sim -Responde sem rodeios

Regina: Claro… Entendi - Ela encara Safira- Não esperava menos; Hey amanhã eu vou… à uma primeira consulta com … Um psicólogo - A última palavra demora a sair - Você……

Safira: Se eu aceitaria ir com você? Seu sorriso é calmo - Claro!

Regina parece aliviada e Safira quase a beija mas, não o faz

Safira: Bem… Eu preciso ir

Regina:Lógico tem que manter a posição funcionária do mês para aquela sua chefe terrível

Safira: Digamos que ela é legal

“E terrivelmente linda” - Pensa

Regina: Só… Legal? - Ela ergue uma sobrancelha

Safira: Se eu fosse você… Passaria longe - Ela concorda fazendo uma cara séria para a brincadeira

Regina: Ciúmes? - Indaga

Safira: Dela sim. Talvez - Sai tão rápido da sala que Regina mal tem tempo de registrar sua resposta

Flashback Off

Regina: Então quer dizer que ainda tenho chance? - Um pequeno sorriso se forma em seus lábios com a constatação

O dia que começara tão sem graça como os outros, de repente se torna interessante. Mas ela não tem muito tempo de pensar ao ouvir o sinal da saída das crianças…..

 


Notas Finais


....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...