História Incondicionalmente RihKaty - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Katy Perry, Rihanna
Personagens Katy Perry, Rihanna
Tags Katy Perry, Katyrih, Perrihanna, Rihanna, Rihkaty
Exibições 64
Palavras 2.606
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Mistério, Orange, Romance e Novela, Violência, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, pessoas q lêem ... Hoje ou ontem sei la que horas vcs tão lenso foi ou ainda é meu niver.... Então eu vou lhes dar um presente.... Aí o cap pros cs


É isso e beijinho no clitóris.

E obrigada a quem me deu feliz Aniversário. Bjs.

Capítulo 19 - RaiNNha RihaNNa


Fanfic / Fanfiction Incondicionalmente RihKaty - Capítulo 19 - RaiNNha RihaNNa

               Pov's Rihanna

19:59hs

Abri meus olhos sem entender o que estava acontecendo. Eu estava me sentindo fraca, sem vida, talvez eu já estava morta. Forcei meus olhos para abrirem mais um pouco e pude ver que o câncer ainda não tinha me levado embora (ela ainda não sabe que não está doente.). Eu estava no quarto de um hospital, respirando por ajuda de maquinas. Senti um calor humano em minhas mãos, virei minha cabeça devagar e vi minha namorada sentada em uma poltrona dormindo enquanto segurava uma de minhas mãos.

—Katy..... Katy..... _sussrrei, porém minha amada não ouviu. Apertei sua mão de leve enquanto movia a mesma. Katy abriu os olhos no mesmo instante se levantando rapidamente passando as mãos pelo meu rosto me perguntando inúmeras vezes se eu estava bem e se eu estava precisando de alguma coisa.

Balancei minha cabeça positivamente devagar e Katy perguntou.

—Do que você precisa meu Amor?

—De..... um..... abra.... ço _falei fraco.

Katy sem pensar duas vezes me abraçou enrroscando suas mãos em minha cintura e deitando sua cabeça em meu abdômen. Katy começou a chorar sem parar, mas sem escândalo. Levei uma de minhas mãos até sua cabeça começando a acariciar seus cabelos enquanto pousava a outra em um de seus braços.

—Rih , me desculpa, me desculpa por não ter incistido perguntar oque você tinha. Me perdoa por não pergunta que remédios você estava tomando. Eu te amo Rihanna, me perdoa.... Por favor, você já fez tanto por mim e a única coisa que te cobro é sexo. Me perdoa, as vezes eu esqueço que a gente.não precisa de sexo pra viver e sim de uma saúde. _Katy levantou sua cabeça para me encarar, levou suas duas mãos até meu rosto retirando a mascara de oxigênio e me dando um selinho , em seguida recolocou a mascara no meu rosto novamente. —Você me perdoa Rihanna? _ deixei uma lágrima rolar pela lateral do meu rosto, Katy logo a limpou.

—Eu te perdôo meu Amor. _sussurrei iniciando rolagens de várias lagrimas pelo meu rosto.
—Mas eu te peço.... Que se eu morrer  você procure outro alguém para amar e que te ame, okay? _Katy sorriu e balançou a cabeça negativamente várias vezes.

—Sim Katy você vai. _Ela riu novamente. —Você me Promete?

—Não, sabe porquê?

—Por que?

—Por que você não vai morrer meu amor. _sorriu com os olhos lacrimejados.

Virei meu rosto para o lado, retirei a máscara de oxigênio e falei. —Não precisa ficar me iludindo Katy, eu sei que eu vou morrer.

Katy virou novamente meu rosto para encará-la e disse sorrindo. —Se você continuar tirando isso, você realmente vai morrer. _falou recolocando a máscara em meu rosto.

—Katy para. _fechei meus olhos tentando não chorar.

—Rihanna voc.... _Katy foi interrompido por um médico que não era o Dr. Carlos entrando no quarto.

—A que bom que a senhorita já acordou. _falou o médico.

—Quem é você? Cadê o Carlos? _perguntou Katy.

O homen moreno estendeu a mão para minha namorada para comprimenta-la. —Sou o doutor Rocky. O Dr. Carlos foi demitido creio que as srtas. já sabem o motivo não é mesmo?

—Sim.

—Não. Por quê ele foi demitido.

Dr. Rocky veio até mim. Retirou minha máscara de oxigênio e disse que eu não iria precisar mais dela. Mexeu em alguns botões ao lado da cama fazendo a mesma se mover forçando meu corpo a se sentar. Mediu minha pressão, meus batimentos cardíacos e depois de longos minutos começou a me fazer perguntas, Katy apenas me observava.

—Srta. Fenty. Quando você veio fazer os exames aqui, o doutor Carlos lhe falou que a srta. estava com um tumor na cabeça , correto?

—Sim.

—E depois ele te passou várias receitas de remédio para você tomar, confere?

—Sim.

—E você as tomou?

—Sim.

—Semana passada.... Como posso ver aqui em seu relatório... Você veio aqui no hospital e por dois dias você fez quimioterapia, estou certo?

—Sim Dr.

—Bem, srta. Fenty , tenho duas notícias para você. Qual você quer ouvir primeiro, a má ou a boa.

—A boa dr.

—Não , ela quer ouvir a má. _interrompeu Katy sorrindo. Eu apenas suspirei e acabei concordando com a cabeça.

—A má é que você vai ter que passar o resto da semana aqui no hospital.

—Só isso? Achei que você iria dizer que eu iria morrer.

—E por que eu diria isso? _perguntou sorrindo , olhei para Katy que mordeu o lábio parecendo ansiosa.

—Por que eu estou com câncer ?!

—É sobre isso que eu quero te falar. _Disse o dr. Rocky. Katy se levantou da poltrona, ficando em pé ao meu lado passando seu braço direito em volta do meu pescoço, segurndo uma de minhas mãos com sua mão esquerda.

—Ora, então diga?

—A srta. Não está com câncer.

—Como não? O dr. Car....

—Shiu Amor, deixa o médico falar. _Ordenou Katy

—Então como eu ía dizendo....

Dr. Ricky me contou tudo oque tinha acontecido. Minhas lágrimas rolaram por vários minutos pelo meu rosto de tanta felicida em saber que eu não iria abandonar minha amada Katy aqui na terra. Dr. Rocky saiu da sala deixando eu e Katy sozinhas no quarto.

—Você sabia? _perguntei me separando do abraço que Katy tinha me dado.

—Sim eu sabia. _sorriu limpando minhas lágrimas em seguida mexendo nos botões da cama para que eu me deitasse.

—Katy você ligou para os meus pais ou para o Rorrey? _perguntei encarando seus belos olhos azuis.

—Nosso nem me lembrei.

—Ótimo, não quero que eles fiquem sabendo do que houve!

—Certeza?

—Tenho.

—Okay.

Arredei meu corpo um pouco para a lateral da cama e pedi Katy que se deitasse comigo. Ela se deitou pegou um lençol que ela tinha buscado em casa enquanto eu estava desacordada e nos cobriu. Me aninhei em seu corpo e fechei meus olhos para sentir o calor de seu corpo junto ao meu, a segurança em minha alma, seu coração, sua respiração.

Katy me deu um beijo em cima da cabeça começando a acariciar a mesma , à abracei mais forte, pois não queria que ela saisse dalí nem pra ir ao banheiro.

—Katy? _perguntei com o rosto ainda sobre seus seios.

—Sim! _respondeu encarando sei lá oque.

—Você pretende se casar comigo algum dia?

—Você quer se casar comigo algum dia? _pude sentir a felicidade em sua pergunta.

—Sim, é claro. E você?

—Dês de criança eu sempre sonhei em me casar. Eu imaginava que eu entraria na igreja que nem uma princesa, e que quando eu entrasse na igreja, lá estaria meu PRÍNCIPE encantado. _Essa tal imaginação de Katy me deixou meio triste. Eu não sou oque ela imaginava?

Retirei meus braços de sua cintura virando o meu corpo contra o de minha namorada e deixando escapar algumas lágrimas.

—Só que agora eu cresci e já vi que não existe príncipes encantados. _falou pondo sua cabeça em meu ombro e sua mão esquerda em minha cintura , enquanto a direita acariciava meus cabelos.

—Então isso quer dizer que você não quer se casar? _perguntei tentando esconder minha tristeza.

—Com um príncipe não..... Mais sim com uma raiNNha. _me virei rápidamente para o seu lado novamente vendo minha piadista sorrindo e com os olhos brilhantes.

—Katy...... _A xinguei manhosa enfiando meu corpo entre seus braços novamente. —Eu achei... Que ..... que.....

—Acho errado. _falou levantando minha cabeça com uma das mãos. —Eu te amo.... E eu já te falei isso milhares de vezes... Eu não quero só me casar com você, quero ter as nossas filhas.... Como você disse mesmo que queria que elas se chamassem?

—Elizabeth e Charlotte.

—Então.... Como eu vou recusar isso? Você é muito boba Robyn _exclamou Katy.

—Aahhh.... Cala a boca e me beija... _mandei pegando em sua nuca , Katy rapidamente colou nossos lábios pedindo passagem em seguida, como eu estava um pouco fraca eu fui a submissa, mais ela vai ver quando eu estiver BOA.

Nossas línguas estavam em uma perfeita sintonia, Katy começou a sugar a minha língua enquanto eu descia minha mão até sua intimidade. Quando cheguei na mesma Katy deu um pulo para fora da cama me deixando incrédula.

—Mais.....

—Nada de mais, Rihanna, você não está em condições para isso.

Me sentei na cama e falei manhosa.

—Estou sim, vem cá ,deixa , deixa eu te mostrar.

—Não amor. Quando você estiver bem a gente faz .

—Eu já estou bem.

—Está vendo, era assim que eu me sentia quando você não queria transar comigo. _falou se sentando na poltrona e cruzando as pernas e os braços.

Abaxei minha cabeça mordendo o lábio inferior. Olhei pra Katy ainda com a cabeça baixa e falei baixo.

—Por favor Katy, por favor._fiz cara de cachorro sem dono.

—ohm mô Deusi. _fez voz de bebê. —Não é ruim quando você quer transar com a sua namorada e ela não te quer. _me fitou arquiando uma sobrancelha.

—Nossa Katy, desculpa tá. _cruzei os braços virando a cabeça para o outro lado que nem uma kiança.

Katy se levantou da poltrona fechou a cortina do vidro do quarto que dava direto para o corredor, já eram 22:45 provavelmente apenas eu e Katy estavamos acordadas e as enfermeiras.

—O que você está fazendo? _perguntei.

—Achei que você queria transar. Não? Okay._ se virou e me encarou.

— Não, eu quero, vamos! _mordi o lábio.

—Hum..... Perdi a vontade. _ela falou se sentando novamente na poltrona deitando sua cabeça na mesma.

—Katy.... Eu não acredito. _falei emburrada me deitando e virando meu corpo contra Katy. Pude ouvir sua risada nasal.

—Boa noite amor. _falou sarcasticamente.

—Vai se fude.

—Kkkkkkkkkkkkkkkkkk , ai que palhaçada gente.... Tendeu palha açada kkkkkkkkkkkkk.

—Katy não teve graça.

—Eu sei.

—Boa noite Katy.

—Vai se fude. Kkkkkkkkkkkk

Eu não conceguia acreditar que ela estava agindo que nem uma retardada.

—Cala a boca.

—Vem tampar.

Me levantei da cama com rapidez retirei a roupa do hospital. Katy sorriu mordendo a língua, arquiei uma sobrancelha, a puxei pelo braço e calei sua boca com a minha.

Katy puxou minha cintura colando nossos corpos, passou os beijos para o meu pescoço me dando mordidas e chupões.

Comecei a tirar toda a sua roupa, à deixando nua.

—Eu te amo Katy, Eu te amo.

—Eu te amo mais Rih, Eu te amo mais.

Katy retirou minha calcinha e me sentou na poltrona, me deu um beijo lento os passando em seguida para meus seios. Empurrei meus cabelos para trás do incosto da poltrona para não atrapalhar minha namorada.

Katy desceu com os beijos até minha barriga, me deixando cada vez mais exitada e molhada. Katy se ajoelhou abrindo minhas pernas. Me encarou com malícia, eu mordi o lábio com anciedade , Katy começou a alisar minhas coxas. Ela iria concerteza me torturar.

—Katy.... Por favor...._mordi o lábio novamente.

—Por favor oque? _perguntou maliciosa.

—Você sabe . _sussurrei.

—Me diga amor.

Não falei nada peguei a cabeça dela e direcionei rapidamente a meu clitóris, porém Katy não deixou barato e rapidamente retirou sua cabeça das minhas mãos.

—Opa, Calma amor, eu não vou fugir não. _minha respiração estava falha , mas era falha de apavoração, minha cara estava estampada em um.

—Katy, por favor, por favor eu não aguento mais, me perdoa por não ter transado com você, me desculpe. Mais por favor não me cartigue por favor. _meus olhos já estavam marejados.

Katy me olhou sorridente a cada palavra que eu disse. Quando meus olhos deixou escapar uma lágrima Katy abriu com suas mãos meus lábios vaginais e começou a me chupar.

Minhas mãos foram de encontro a sua cabeça com medo de ela sair e me torturar mais.

Katy apertava minhas coxas externas enquanto passava sua língua lentamente sobre meu clitóris, me fazendo gemer baixo.

—Amor.... Mais rápido.

Ela continuou me chupando devagar e sem força.

—Katy.... POR FAVOR.

Aí sim ela me chupou com força. Minhas mãos se fechavam cada vez mais em seus cabelos , ora sugava, ora beijava, ora chupava meu clitóris. Eu abaixava e levantava minha cabeça , minha boca estava aberta em um quero mais.

Katy penetrou sua língua em minha vagina a movimentando rapidamente. Mordi o lábio para não gritar, pois lembrando, eu estou em um hospital.

Minha vagina já começava a se contrair chegando meu em orgamos. Katy voltou a sugar meu clitóris me penetrando dois dedos os movimentando em velocidade máxima.

—Katy..... Hummm..... Eu vou.... Eu vou...... hummmm _sussurrei.

Katy sugou meu clitóris com força por 5s e eu gozei precionando sua cabeça contra meu sexo.

Ela se levantou, me puxou pela cintura pois uma mão na minha nuca e a outra em minha bunda e me beijou.

—Obrigada. _falei entre o beijo.

—De nada _sorriu.

——————————————--
               Pov's Katy

Deitei Rihanna na cama , subindo pelo seu corpo. Rihanna abriu as pernas e puxou meu corpo pela bunda para que nossas intimidades se conectassem. Comecei a beijar seu pescoço enquanto acariciava sua cintura.

—Katy , mova-se. _choramingou Riri me fazendo abri um sorriso. Não atende seu pedido. —Katy! Mova-se._ chramingou novamente.

Passei a beijar o outro lado de seu pescoço.

Rihanna apertou minha bunda pressionando nossas intimidades.

—Katy?

—Oi?

—Por favor.... Mova-se.

Mordi meu lábio. Eu estava me sentindo a SUPER ativa.

Comessei a movimentar meu quadril para sima e para baixo, uma das mãos de Rihanna subiram para minhas costas arranhando a mesma levemente.

—Hum.... Hum..... _murmurava Rihanna.

Ela subiu sua outra mão para minha cabeça puxando meus cabelos, comecei à morder seu pescoço de leve.

—Katy...... Amor.... Ahhhww.... Mais... Mais.... Rápido. _pediu , porém mesmo eu querendo ir também mais rápido não fui.

—Amor ...... Por ..... Por favor. _pediu entre gemidos.

Comecei a me movimentar e rebolar cada vez mais rápido.

—Hummm.... Hummmm. _eu murmurei.

—Ahw , ahw, Kaaaty..... _gemeu mordendo o lábio.

Afundei meu rosto no vão de seu pescoço, Rihanna me prendeu mais forte com suas pernas. Comecei a me movimentar ainda mais rápido e em questão de segundos gozamos juntas. Nossas respirações estavam ofegante . Dei um beijo leve em minha amada deitando minha cabeça em seu ombro em seguida subindo minhas mãos para apoiar também em seus ombros.

Rihanna começou à acariciar meus cabelos e minhas costas, e perguntou em seguida.

—Como foi ser a ativa pela segunda vez?

Comecei a rir e respondi. — Eu não fui só à ativa dessa vez, eu fui a chefe.

—Idiota, você me castigou hoje.

—É pra você pensar na proxima vez em que você disser não para mim , entendeu? _falei séria.

—Tá... _respondeu baixo.

— Por que, se não, eu vou te exitar e não vou transar com você. Então senhorita Robyn, não diga nao, quando eu perguntar o quê você tem. Não diga nao, se eu quiser transar. Não diga nao, se eu disser sim. Entendeu? _permaneci minha cabeça deitada em seu ombro em todo tempo e com a voz firme.

—En-entendi. _podi sentir em sua voz que Rihanna ficou um pouco assustada, eu ser autoritária , pra Rihanna, isso era novidade.

— Ótimo. Agora vamos vestir nossas roupas. _Rihanna concordou com a cabeça. Eu visti minha roupa e Riri a roupa do hospital que ela estava antes.

A deitei na cama e dei um beijo em sua testa e disse Boa noite.

—Katy, deita comigo? _perguntou segurando minha mão esquerda. À olhei e sorri. —Por favor. _Sorri novamente. —Por fav.......

—Shh.... Não precisa ficar falando ''por favor'' _falei e me deitei ao seu lado. Rih sorriu e se aninhou em meus braços.

—hum. _murmurou e dormiu.

—Boa noite amor. _falei e sormi em seguida com minha amada em meus braços.


Notas Finais


É isso. Bye bye.... Comentam, me deem feliz aniversário... Que foi 27/11 e bjs no clitóris.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...