História Incondicionalmente seu. - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai)
Visualizações 22
Palavras 1.791
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Pessoal esse episódio ficou um pouco curto mas acho que ficou bem interessante, de qualquer forma boa leitura!

Capítulo 13 - Batalha Final


Fanfic / Fanfiction Incondicionalmente seu. - Capítulo 13 - Batalha Final

Batalha Final

 

- Me sinto revigorado depois de tanto tempo eu admito. Escanor disse estralando os músculos de seu corpo que a tanto tempo já não eram utilizados.

- M-Mas o que?! Como você está assim?! Eu pensei que tinha te derrotado naquela época. Hendrickson disse com o semblante visivelmente preocupado.

- De fato, você me derrotou, já faz um tempo, porém após eu ser gravemente ferido por você eu consegui sobreviver, invadi o seu laboratório logo depois e consegui a última seringa com o líquido que me deu esses poderes, de fato suas pesquisas foram muito além, eu preservei minha juventude até quando eu precisasse, e então fiquei naquele corpo fraco e indefeso, agora que chegou o momento eu irei com tudo.

- V-Você então, eu entendi, eu pensei que você não seria um problema sem os seus poderes, mas eu não imaginei que tinha sido você que tinha me roubado, novamente nos encontramos então, haha! Mas fique sabendo que sua força já não é suficiente para me derrotar, eu sou mais forte que você.

- Não fique convencido, eu também melhorei muito com o tempo.

Com uma velocidade incrível Escanor já estava ao lado de Hendrickson que o olhou perplexo, com um soco o jogou com tanta força em uma região de sua propriedade que toda aquela região virou apenas escombros, o grisalho se levantou com raiva e partiu para cima de Escanor com tudo o socando bem no meio do peito o jogando para trás também, até que sentiu uma mão na região de cima de seu pescoço viu que era Ban que o golpeava acabou sendo arremessado de cara ao solo, sem nem mesmo perceber Escanor já estava por cima dele e sentiu ser esmagado por uma força fora do comum, utilizou de seus poderes para se teletransportar para frente dos dois novamente e os olhou com ódio, a dor tinha realmente danificado sua sanidade.

- Maldito Escanor! Eu vou fazer você deixar de ser tão orgulhoso seu inseto! Hendrickson alçou voo, e criou uma esfera de energia preta gigantesca, a cada momento em que ela crescia as manchas obscuras de seu corpo também desapareciam quando perceberam todo seu poder estava reunido naquilo que já tinha um tamanho enorme talvez maior que aquela mansão.

- Vocês vão morrer!

- Que merda o que vamos fazer?! Arthur gritou realmente desesperado.

- Acho que acabou. Merlin sussurrou para si mesma.

- Droga! Elaine! Ban correu para dentro da casa e pulou pela janela agarrando Elaine pelos braços a envolvendo, ela possuía um semblante assustado, e o grisalho só torcia para que seu corpo fosse o suficiente para proteger sua baixinha.

Hendrickson ria feito um louco e lançou toda aquela massa de energia obscura onde eles estavam criando uma grande luz que cegava todos que olhavam aquela região.


 

Quebra de Tempo.

 

Um garoto corria com um sorriso estampado até sua casa, quando adentrou a casa o sorriso se desfez em um rosto totalmente desesperado quando viu sua mãe sangrando por cima do sofá, a quantidade de sangue era enorme, preenchia toda a sala, as lágrimas já desciam pelos seus olhos, até que escutou um grito do andar de cima, correu o mais rápido que pode avistando seu pai segurando o punho de um homem que não conseguia enxergar por causa da sombra que cobria aquela parte do cômodo.

- Fuja Escanor! Salve sua vida! Aqui não é seguro!

- M-Mas pai!

- FUJA! NÃO ME DESOBEDEÇA!

As lágrimas continuaram descendo mas teve que obedecer seu pai, correu o mais rápido que pode na direção oposta da briga, mas de relance olhou para trás e viu um homem grisalho lutando com seu pai, foi ali que viu pela primeira vez Hendrickson, o homem que tanto odiava, correu sem parar pela estrada da pequena casa que ficava em um beco vazio em uma cidade humilde com poucos habitantes, quando percebeu já estava até com buracos nos sapatos de tanto que correu, acabou tropeçando e batendo o rosto com tudo no chão, as lágrimas continuavam descendo de seus olhos, até que escutou uma voz, quando olhou para cima viu um homem barbudo o observando.

- Você está bem filho?

- N-Não, e-eu não sei, estou perdido, eu não quero mais..

- Ei, se acalme, venha comigo, prazer eu sou Bartra! Um sorriso se formou por baixo daquele bigode, Escanor permitiu deixar um sorriso sair pela sua boca depois de tantos dias correndo sem rumo, deu a mão para ele e o seguiu, talvez agora sua vida mudasse.

 

Volta a atualidade

 

Ban abriu os olhos achando que tudo tinha sido destruído, quando olhou para baixo viu que Elaine ainda estava protegida pelos seus braços, um sorriso gigantesco se formou em seu rosto, mas depois logo se desfez quando lembrou de seus amigos, correu para o lado de fora e viu Merlin e Arthur olhando para cima perplexos, a esfera de energia obscura de Hendrickson ainda permanecia lá, mas Escanor a segurava apesar de sangrar em várias regiões do corpo, a esfera aos poucos foi ficando clara, e em um momento parecia mais um sol do que a escuridão que mal aparecia agora, de pedaço em pedaço aquela esfera foi sendo diminuída até que virou pequena como uma bolinha de gude na mão de Escanor que a olhava com o semblante sério, Hendrickson estava ofegante de joelhos frente a frente de Escanor que o olhou imponente após esmagar a esfera.

- Desgraçado parou meu ataque.

- Você matou meus pais, e eu nunca vou te perdoar por isso sua praga.

- Mesmo que tenha vencido a batalha, eu ganhei a guerra. Hendrickson retirou um dispositivo do bolso aparentava ser algo que enviaria um comando para outra região, quando ia apertar o botão, sentiu sua nuca ser fortemente atingida caindo no chão desmaiado instantaneamente, Escanor já estava atrás dele na mesma imponência que lutou a poucos segundos.

- Eu queria muito te matar, mas não sou um assassino como você, garotos, a batalha acabou. Escanor sorriu para Merlin, Arthur, Ban e Elaine que tinha se juntado a eles.

 

Um mês depois do incidente na mansão Escanor.

 

- Está preparada? Sabe eles devem estar morrendo de preocupação.

- Estou sim Ban, a saudades tá me corroendo já.

- Certo.

Elaine já ia abrir a porta até que foi parada pela mão de Ban que a olhava de cima com um semblante sério, ele corou e olhou para o lado pronunciando baixo.

- Eu te amo. Elaine abriu um grande sorriso que animaria qualquer pessoa que o visse.

- Eu também te amo. A baixinha ficou na pontinha dos pés e selou seus lábios aos lábios de Ban que retribuiu com vontade, após isso deixou um sorriso escapar.

- Então, vamos? Ou a gente pode ficar se pegando, sabe eu prefiro a segunda ideia.

- Para de ser idiota Ban, vamos logo. Elaine revirou os olhos e Ban deixou uma risada fraca escapar, quando a loira tocou a campainha, a porta foi aberta por seu irmão, que abriu um enorme sorriso se jogando por cima dela a abraçando, mas depois olhou rapidamente para Ban com um olhar raivoso o que o deixou meio envergonhado.

- Onde vocês se meteram?! FOI VOCÊ NÉ BAN?! EU SABIA QUE VOCÊ ERA UM MALUCO, COM FETICHE POR GAROTAS BAIXINHAS E LOIRAS, EU VOU TE MATAR!!! King pulou em cima de Ban e começou a socar o peito do grisalho que tentava o segurar, até que Diane por trás dele o puxou com tudo, olhou para os dois com um olhar sério.

- Entrem, vamos conversar dentro!

Todos entraram após o aviso sério de Diane que quando queria era os er mais forte do universo, até que Meliodas, Elizabeth, Gowther se juntaram também, estavam todos no apartamento de Diane.

- E então por onde andaram?! Diane disse séria.

- É mesmo nós ficamos preocupados caramba! Meliodas disse também sério.

- Pensávamos que vocês tinham sido raptados ou algo do tipo! Elizabeth disse aflita, Gowther não se pronunciou.

- Amigos, irmão, peço que me perdoem, eu fiquei sem manter contato com vocês por todo esse tempo, eu sinto muito! Elaine se curvou diante de todos, e algumas lágrimas escorriam pelo seus olhos, estava arrependida de não ter falado com eles, já iam se pronunciar até que Ban foi mais rápido.

- É culpa minha, eu afastei ela de vocês.

- Como assim Ban?! Você não era amigo nosso?! King gritou com ele.

- E sou, permita-me que eu explique tudo a vocês, eu peço humildemente.

- Não quero saber de explicações! Sai daqui! Como você pode?!

- Ei King, para com isso, deixa ele explicar. Gowther desta vez se pronunciou.

- Bem.. é uma história estranha, e vocês provavelmente não vão acreditar, mas se esforcem.

Se passou pelo menos uma hora com Ban contando tudo que aconteceu, com cada detalhe, e todos escutavam abismados.

- Você tá brincando Ban?! King gritou para ele.

- Não. Ele disse seriamente.

Um silêncio tenso se formou no local, até que Meliodas levantou e andou até a cozinha, todos prestaram atenção nele, até que ele voltou com uma faca e cravou na lateral do pescoço de Ban, todos gritaram assustados.

- VOCÊ FICOU LOUCO MELIODAS?! Diane gritou.

Até que Ban tirou a faca tranquilamente da região e a jogou no chão, o ferimento se fechou na hora, todos ficaram perplexos, até que Meliodas abriu um sorriso.

- Pronto gente, ele não é mentiroso!

- O-O-Oque isso não pode ser possível. King disse perplexo.

- MAS COMO?! Desta vez Gowther gritou o que foi uma surpresa para todos.

Ban e Elaine prolongaram a conversa explicando para eles sobre tudo, é claro que disseram que era informação confidencial.

- Chocante! Caramba Ban você é incrível! Vamos ser melhores amigos?! Meliodas estava abaixado perto do seu pé com um sorriso engraçado no rosto, uma gota escorreu pela cabeça de cada um na sala, até que todos começaram a rir, todos pararam quando viram lágrimas escorrendo dos olhos de Ban que olhava eles.

- Obrigado.. obrigado por me aceitarem, por não me taxarem de mentiroso, por mesmo desse monte de mentiras eu ainda ser aceito aqui por vocês, eu não podia ter pedido nada melhor do que amigos como vocês.

Até que Ban olhou de relance para Meliodas que tinha o punho fechado para ele com um semblante sério que nunca ninguém tinha visto, o grisalho arregalou os olhos e por um momento recuou, mas fechou a mão também e tocou no punho do loiro que sorriu.

- Não importa que você seja um maluco imortal somos amigos não é mesmo?! Meliodas disse com um sorriso no rosto, Ban olhou para os outros que concordaram, ele sorriu também.

- É.. somos amigos.

 


Notas Finais


Neste episódio fechamos a trama de Hendrickson, e próximo episódio terá hentai de Ban e Elaine, eu agradeço aos favoritos de vocês leitores e a todo apoio!! Até um próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...