História Inconsequência - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Xiumin
Tags Aikimsoo, Exo, Exo M, Exo-k, Fluffy, Kadi, Kaido, Kaisoo, Kid!exo, Yaoi
Visualizações 734
Palavras 2.607
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Último capítulo de hoje, porque minha bunda já tá doendo de ficar sentada na cadeira do pc.
Vou passar a madrugada lendo as fanfics senpais que foram atualizadas (Hotel Conect e Hurt).
Boa leitura.

Capítulo 10 - Ensinando


Kyungsoo e Jongin andavam como dois zumbis. SunIn e TaeOh davam trabalho, mesmo que só tivessem 2 meses. Trocar fralda, dar banho, comida e os vestir era tão perigoso para os dois adolescentes, que eles faziam com o maior cuidado do mundo. Recém-nascido é frágil e eles tinham tanta noção disso, que se preocupavam com cada toque que davam nos bebês.

Os dois já tinham voltado a trabalhar. Kyungsoo ficava olhando as crianças durante o dia, para que Jongin estudasse e trabalhasse, e depois Jongin olhava as crianças durante a noite. Mal se encontravam, somente final de semana que podiam conversar e dividir as crianças.

Os pais de ambos sempre perguntavam se os dois precisavam de ajuda ou de algo, mas eles negavam arduamente. Tudo por orgulho. Claro que não impediam os avós de verem os netos ou passarem um dia com as crianças, somente negavam ajuda financeira.

Era dia de sábado e os dois estavam jogados no sofá da sala, enquanto olhavam as crianças dormindo no cercadinho. Assistiam televisão, mas não prestavam inteiramente atenção. Kyungsoo estava tomando coragem para levantar e preparar o almoço.

-Hyung...

-Eu já vou...

-Não é isso. - Jongin cortou o mais velho. - Eu só queria saber como você está. O trabalho durante a madrugada, como vai?

-Normal, eu fico preparando drinks a noite toda. E você? Como vai a escola? Sua semana de prova ainda não chegou? - questionou.

-Aish, pra quê falar de prova hyung? - Jongin resmungou.

-Nini, quando começam suas provas? - Kyungsoo tornou a perguntar e Jongin olhou as crianças. - Se não me falar, vou ligar pro Luhan e pedir pra ele perguntar ao Sehun.

-Aish! Maldita hora que Sehun resolveu me seguir em um Colégio público. - o mais novo resmungou. - Começam segunda.

-E por que não está estudando enquanto as crianças estão dormindo? - foi questionando.

-Porque estou cansado e quero relaxar. - respondeu de pronto.

-Relaxar o caralho, bora, levanta e vai estudar! - Kyungsoo mandou batendo na perna do mais novo.

-Depois hyung...

-Então você vai ficar sem almoço. - Kyungsoo avisou.

-Você não faria isso...

-Você realmente me conhece? - Kyungsoo indagou e ficou de pé. - Estou indo cozinhar. Até, preguiçoso.

-Aish! - Jongin resmungou ao ver Kyungsoo se afastando. O moreno se inclinou para perto do cercadinho e murmurou: - O Soo-appa é um velho chato. Nem meus pais pegavam no meu pé.

-Estou ouvindo, Jongin! - Kyungsoo gritou e o moreno praguejou, levantando para logo ir buscar os livros. Sabia que ficaria sem comida caso não estudasse.

Por conhecer o mais velho, começou a estudar arduamente. Entendia que Kyungsoo estava fazendo isso, porque não teria tempo para estudar toda a matéria um dia antes. Por mais que resmungasse, gostava da preocupação de Kyungsoo consigo.

Passou o dia inteiro estudando, visto que, Kyungsoo colocou as crianças no carrinho e foi passear, para que o moreno tivesse silêncio. No meio dos estudos, Jongin sentiu fome e levantou para procurar algo. Sorriu ao ver que Kyungsoo tinha deixado lanche para si. Não existia ninguém no mundo que cuidasse e conhecesse Jongin mais que Kyungsoo.

-x-

O baixinho chegou em casa na hora do jantar. Sabia que Jongin deveria estar faminto. As crianças tinham adormecido no caminho de volta para casa e por isso não precisaria se preocupar em distraí-las para Jongin estudar.

-Boa noite, Nini. - saudou baixinho.

Sem dúvida Jongin tinha passado o dia inteiro estudando. Kyungsoo viu livros espalhados para todos os lados e anotações também. Sorriu para o moreno assim que o mesmo lhe olhou.

-Boa noite, Soo. - Jongin saudou e viu o pequeno se abaixar atrás do carrinho e depois levantar. - O que...

-Trouxe sua recompensa por estudar o dia todo. - interrompeu ao moreno enquanto falava e balançava o pacote de chiken.

-Soo... - Jongin murmurou choroso de alegria.

O mais velho colocou o pote de chiken na mesa e foi levar as crianças para o quarto, pois não queria correr risco das mesmas acordarem. Quando voltou para sala, pensou que veria Jongin afobado enquanto comia sua comida preferida, mas tudo o que encontrou foi o moreno sentado e empurrando os livros para o lado.

-Por que ainda não começou a comer? - Kyungsoo perguntou.

-Estava te esperando, oras! - o mais novo respondeu o óbvio e o coração de Kyungsoo deu umas piruetas.

-Ah... - foi tudo o que conseguiu falar.

Se sentou no chão, ao lado de Jongin, e começaram a comer. O moreno - agora - atacava com vontade sua comida preferida e Kyungsoo assistia tudo com um sorriso no rosto. Estava sendo difícil aguentar aquela vida, mas amava tanto Jongin, que conseguia suportar. O mais novo só estava passando por toda dificuldade para que amaduressem juntos. Kyungsoo era muito grato por ter Jongin em sua vida.

-Por que me olha tanto, hyung? - Jongin questionou e Kyungsoo ruborizou.

-Você fica engraçado comendo. - respondeu. Não era a verdade sincera, mas ainda fazia parte da verdade.

-Hyung, você pode me ajudar com uma matéria? - o moreno pediu.

-Qual?

-Interpretação de texto. - respondeu.

-Sério que você está com problemas nela? Não é você que interpreta as danças, como pode não interpretar o texto? - Kyungsoo questionou com um tom de voz brincalhão.

-Mas eu interpreto o ritmo, não a letra. - Jongin se defendeu.

-Ok. De toda forma, eu ia te ajudar mesmo. - confessou.

Já tinham comido mais da metade do pote grande de chiken e por isso Jongin resolveu pegar seu livro e mostrar o que tanto lhe instigava. Kyungsoo leu e acabou rindo.

-Eu não entendo esse negócio de beijo por tabela. Como eu vou me confessar a alguém, beijando uma tabela? Isso é broxante! - resmungou e Kyungsoo gargalhou mais.

-Não é beijar uma tabela, Nini. Você beija a pessoa, mas sem beijá-la. - tentou explicar e viu a feição confusa do mais novo.

-Ótima forma de explicar hein? Mais fácil eu entender sozinho. - o mais novo resmungou.

-Vou te explicar. Ele está dizendo que pretendia se confessar e dar um beijo de tabela. - começou a falar. Levou seu indicador até os próprios lábios e o beijou com carinho.

-Você está beijando seu dedo, hyung. Não sei o que é pior. A tabela ou... - Jongin foi calado com o indicado de Kyungsoo, que outrora estivera nos lábios do mais velho.

-Isso é um beijo por tabela. - explicou e tirou o indicador dos lábios do moreno. - Eu beijei meu indicador e depois o coloquei nos seus lábios. É como se eu estivesse te beijando, sem realmente te beijar.

-Ah... - Jongin murmurou e sorriu. - Mas eu prefiro beijar beijando mesmo. - falou e se inclinou, tocando seus lábios aos semelhantes do mais velho.

Kyungsoo fechou os olhos e não se afastou. Estava acostumado com esse tipo de toque vindo do moreno. Já tinha tentado se envolver com outras pessoas, mas não conseguia. Sempre soube que o que sentia pelo melhor amigo ia muito além de amizade. Tentou se enganar dizendo que era por considerá-lo como um irmão. Mas irmãos não beijam irmãos. Foi assim que entendeu o "muito além de amizade".

-Estamos com gosto de chiken. - Jongin comentou se afastando do selar. Não tinha aprofundado, para não tirar a concentração.

-Por que será hein? - Kyungsoo debochou e voltou a explicar a matéria.

-x-

Dois meses se passaram desde que Kyungsoo ensinou interpretação de texto para Jongin. O moreno tinha ficado com o beijo por tabela na cabeça e não parava de pensar no tantão de vezes que beijava Kyungsoo por tabela.

-CACETE, KAI! - Sehun gritou batendo na perna do moreno. - Porra, tô falando com você.

-Andou engolindo muita porra do hyung é? Boca suja do caralho. - Jongin resmungou.

-Pelo menos eu tenho motivo pra estar com a boca suja, enquanto você não sabe o que é foder há um ano e pouco. - o mais novo rebateu e antes que Jongin pudesse responder, apressou-se a dizer. - O caso é: nós temos que fazer a apresentação de dança.

-Eu sei, eu sei. Eu estou ensaiando em casa enquanto as crianças dormem. - o moreno falou cansado.

-Vai apresentar balé mesmo?

-Sim. Eu sempre dancei balé e sempre gostei, acho que não poderia ter dança melhor pra mim. - respondeu com sinceridade.

-Tem razão. Ainda bem que a apresentação vai ser sábado. O Kyungsoo e os outros vão poder vir nos ver.

-Sim. As crianças também vão vir, estou animado. - o moreno se empolgou.

Queria dançar balé, porque sabia que Kyungsoo adorava vê-lo dançar aquele estilo. Ainda não tinha contado para Kyungsoo o que dançaria, apenas disse que iria dançar. De uns tempos para cá passou a pensar que - se não fossem as crianças - teria decidido fazer faculdade de dança.

-x-

Kyungsoo estava assistindo televisão, quando ouviu a campainha tocar. SunIn e TaeOh estavam com 4 meses e naquele momento dormiam. Kyungsoo gostava que as crianças dormissem, porque assim descansava um pouco a si e Jongin. Por este motivo, apressou-se a ir até a porta.

-Tio Soo? - o filho do vizinho, que tinha 4 anos estava na porta. - Podi mi dá um poco di cumida? Omma tá dodói e falô pra eu ti pedi. - o garoto falou e Kyungsoo sorriu.

-Claro. Sua omma já comeu? - perguntou e viu o menino fazer que não. - Então senta ali no sofá, que eu vou colocar comida pra vocês dois. - falou e o menino concordou.

Kyungsoo seguiu até a cozinha e colocou o almoço em dois recipientes diferentes. Uma para a criança e o outro para a mãe. Colocou dentro de uma sacola resistente e entregou ao garotinho, avisando que iria passar para ver a moça quando as crianças acordassem.

-x-

Duas semanas se passaram. Kyungsoo passou a entregar quentinha, porque sua vizinha indicou sua comida para várias pessoas. O que mais encantava Kyungsoo, era que as pessoas iam até ele buscar. Isso lhe deixava feliz, uma vez que seu sonho sempre foi ser um cozinheiro.

Jongin não gostava muito de saber que seu hyung estava tendo mais trabalho, mas não podia negar a felicidade que Kyungsoo estava pelos cantos e muito menos o dinheiro extra que entrava para as crianças. Pouco se importaria com o dinheiro, se não soubesse as despesas que tinham.

Kyungsoo tinha acabado de entrar na escola que Jongin e Sehun estudavam. Chanyeol, Baekhyun e Luhan estavam à sua espera e assim que o viram chegando com as duas crianças, correram para ver quem pegava os bebês primeiro. Kyungsoo ria dos amigos, porque era sempre assim quando se encontravam.

Sehun e Jongin não estavam no meio da confusão, porque se encontravam em uma sala se preparando e aguardando a hora de serem chamados. Sehun foi o primeiro e dançou muito bem. Jongin veio duas danças depois e quando a música se iniciou, Kyungsoo sorriu abertamente.

Era a música da primeira apresentação de balé que os dois tinham ido assistir quando crianças. Jongin dançava perfeitamente e Kyungsoo estava fascinado. Amava quando seu moreno dançava balé e se pegou pensando se aquela apresentação poderia ser algum tipo de homenagem a si.

Quando a música terminou e Jongin deu a última pirueta, após pular, caiu no chão como deveria ser. O que ninguém notou, foi que sua queda havia causado certa dor. Jongin tinha virado o pé um dia antes, quando estava andando na cozinha da cafeteria e pisou em uma tampa de panela. Não tinha sido nada grave, mancara um pouco e depois andou normalmente. O problema foi o esforço exercido em seu pé direito ao longo da dança.

Ao levantar, depois de encerrar sua apresentação, cambaleeou um pouco. Tentava não mostrar a dor que sentia, mas os olhos grandes e atentos de Kyungsoo perceberam que Jongin não estava bem. Olhou para o lado e viu que Chanyeol segurava SunIn e TaeOh, enquanto Luhan e Baekhyun tenhavam pegar os bebês. Sabia que as crianças estavam bem protegidas com seus amigos e por isso foi atrás de Jongin.

Correu para a direção que viu seu melhor amigo ir e o encontrou mancando. De longe viu quando o moreno se sentou em um banco que tinha ali perto. O que o espantou foi ver que Jongin chorava.

-NINI! - chamou e saiu correndo, assustando ao moreno, que pensou estar sozinho.

-Onde estão as crianças? - o mais novo questionou se levantando, mas pisando com o pé machucado.

-Com nossos amigos. - Kyungsoo respondeu enquanto forçava o maior a se sentar. - Nini, o que aconteceu? Virou o pé? Precisamos te levar ao médico.

-Eu estou bem...

-Bem estou eu, seu idiota! - Kyungsoo brigou e deu um tapa no ombro do mais novo.

-Poxa hyung, nem pra dizer que fui bem. - o mais novo fez manha e o mais velho revirou os olhos, mas logo sorriu.

-Você foi perfeito, Nini. Dançou muito bem e eu fiquei emocionado. Lembrei de quando éramos criança. - confessou e viu o sorriso de Jongin se abrir.

-Então eu consegui dançar bem? - perguntou.

-Melhor do que aqueles bailarinos. - Do foi sincero e Jongin sorriu ainda mais. - Agora precisamos te levar ao hospital. - tornou a falar e se agachou, de costas, para Jongin. - Sobe ai, eu vou te ajudar.

-Quê? - Jongin perguntou surpreso e sentiu seu rosto corar. - Hyung... Eu sou pesado e ainda tenho um pé bom...

-Para de graça e sobe logo. Vou te levar até nossos amigos, pra eles poderem te levar ao hospital. - insistiu e Jongin não sabia o que fazer, apenas acatou a decisão do menor.

-Eu sou um idiota. - Jongin murmurou sendo erguido por Kyungsoo.

-Claro que não. Se machucar é normal e você não é de ferro. - o menor tentava consolar o amigo. - Você foi tão bem, Nini. Eu esqueci de filmar... Eu fiquei hipnotizado... Queria ter filmando...

-Depois eu danço pra você, hyung. - Jongin declarou ao pé do ouvido do mais velho, arrepiando a ambos.

-Vou cobrar. - Kyungsoo avisou e logo foi avistado pelos amigos.

Chanyeol, Baekhyun e Luhan correram em suas direções. Kyungsoo resumiu o que aconteceu e logo estavam dentro do carro do maior, seguindo para o hospital. SunIn e TaeOh estavam distraídos brincando com Baekhyun, enquanto Kyungsoo olhava Jongin, Chanyeol dirigia e Luhan ficou na escola para avisar a seu namorado o que aconteceu.

Não demoraram a chegar ao hospital, assim como Jongin não demorou a ser atendido. No final de tudo, o moreno teria que suportar um gesso no pé por 3 meses, pois tinha quebrado um ossinho de ligação.

-Serei mais um peso pro meu hyung... - Jongin murmurou e sorriu quando avistou Kyungsoo vindo em sua direção.

-Nini? Sua mãe me ligou e pediu pra você ficar na casa dela nesse tempo. - o baixinho comunicou. Jongin tentou ver alguma expressão no mais velho, mas ele parecia não se importar com nada.

-Se eu for, como ficariam as crianças? - o moreno questionou.

-Sua mãe falou que cuidaria delas. - Kyungsoo respondeu e sorriu. - Vá com ela. Vai ser o melhor pra todo mundo.

-Mas e você?

-Eu vou ficar bem. - o baixinho voltou a sorrir. Não iria ficar bem, sentiria saudades de Jongin e das crianças, mas sabia que com Jongin ficando com a perna ruim as coisas em casa se complicariam e por isso precisava pensar com frieza.

Jongin olhou para o menor com um pouco de tristeza, mas por não querer ser um peso para o mais velho, decidiu ir com seus pais.                         


Notas Finais


Jongin está bem tristinho, mas Kyungsoo só teria mais trabalho se Jongin não fosse pra casa dos pais.
O que vocês acham? Concordam com a atitude do Kyungsoo?
E essa aula de interpretação de texto? Bem meiguinha né?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...