História Inconsequência - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Xiumin
Tags Aikimsoo, Exo, Exo M, Exo-k, Fluffy, Kaisoo, Kid!exo, Yaoi
Exibições 439
Palavras 3.234
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


ENTÃO.. Chegamos ao penúltimo capítulo.
Não sei se conseguirei postar o último hoje, porque eu estou estudando.
Mas preparem-se
esse capítulo está quente.
Boa leitura.

Capítulo 14 - Expansão de um banho


-Eu tô exausto. - Kyungsoo murmurou se jogando no sofá.

Tinham chegado da festa 6h da manhã. SunIn e TaeOh tinham adormecido por volta das 3 da madrugada, porém, acordaram assim que chegaram em casa e isso fez com que os pais não dormissem.

-Eles demoraram muito pra dormir de novo. - Jongin resmungou se jogando no sofá também. Eram 12 horas da tarde e as crianças tinham acabado de adormecer.

-Pelo menos deu pra perceber que se divertiram. - Kyungsoo comentou e olhou para o moreno, que já o encarava.

-Sim. E eu só tenho a agradecer ao Minseok e Jongdae-hyung por terem nos dado férias. - Jongin comemorou feliz.

Fazia mais de um ano que o casal trabalhava e não descansava. Minseok e Jongdae viviam querendo dar as férias, mas Kyungsoo e Jongin achavam que iria ficar sem receber, então trabalharam um pouco mais, para que assim pudessem ter um salário. Sentiram-se surpresos quando souberam que tinham acumulado muitas horas extras, ou seja, tinham dinheiro sobrando e uma ideia em mente para ele.

-Minha mãe falou que os pedreiros vão vir amanhã pra começar a obra. - o Do comentou e sorriu. - Vamos ter nosso quarto, finalmente.

-Privacidade também, porque eu estou subindo pelas paredes.

-Nini! - Kyungsoo brigou e Jongin gargalhou.

A casa só tinha um quarto, que abrigava o casal e os filhos. As crianças já estavam com um ano e o casal sentia necessidade de privacidade, então viram o orçamento para fazer um quarto em cima da casa e ficaram felizes quando souberam que o dinheiro extra cobria todos os custos e sobraria mais um pouco.

Os pais do Do conheciam pedreiros de confiança e por isso sabiam que a obra seria concluída antes de um mês. Todos estavam ansiosos para ver como ficaria mais espaçoso o lugar. Era mais uma das situações que reafirmava a independência dos dois adolescentes com relação aos pais. A primeira fora comprar uma casa e segunda era a expansão.

-x-

Fazia uma semana de férias do casal e 4 dias de obra. Metade do quarto - que estava sendo construído em cima - já se via em pé. Kyungsoo e Jongin sabiam que com o tempo as crianças precisariam dormir sem eles, por isso achavam melhor criar logo os quartos. Seriam feitos dois cômodos no andar de cima. Um quarto com banheiro - que seria destinado a Kyungsoo e Jongin - e um quarto normal. Tinham em mente deixar aquele quarto para uma das crianças, quando entendessem o que era ter seu próprio espaço e não quisessem dividir com o irmão.

Já era um pouco mais de 13h, então Jongin e Kyungsoo se viam jogados no sofá vendo desenho infantil enquanto recebiam o vento do ventilador. Jongin estava meio sentado e Kyungsoo no meio de suas pernas, complemente deitado e sendo abraçado. Os dois assistiam Pororo com os filhos, que estavam no cercadinho, e riam das coisas engraçadas do desenho.

-A-a-appa. - os dois mais velhos ouviram um murmurio e olharam para o cercadinho, que tinha duas crianças de fralda e cheia de brinquedos. - Appa. Appa.

-OMO! - Kyungsoo se soltou de Jongin rapidamente e pegou TaeOh no cercadinho. - Você está falando appa!

-Appa! - TaeOh repetiu sorridente.

-Nini, o TaeOh ta falando appa! - Kyungsoo falava empolgado e o moreno sorria radiante.

-Repete, filho. - Jongin pediu olhando para sua miniatura.

-APPA! - e eles ouviram o chamado, mas não fora de TaeOh.

SunIn, sem blusa e apenas de fralda -por culpa do calor - chamava os pais enquanto batia o pézinho. Estava emburrada e Jongin quase morreu de fofura, ainda mais porque a menina lembrava muito a Kyungsoo quando mais novo.

-Awn... Parece que a princesinha está com ciúmes. - Jongin brincou e se inclicou para pegar a pequena no colo, enquanto Kyungsoo ria da manha da filha.

-Appa. - ela repetiu com um biquinho.

-Omo! Mas essa minha filha é muito manhosa! - Kyungsoo comentou fazendo carinho na mesma.

Os dois estavam radiantes por verem os filhos balbuciarem as primeiras palavras. Começaram a fazer cócegas nos bebês e a casa foi preenchida com gargalhadas infantis. No meio da bagunça, ouviram a campainha e Jongin se levantou para atender - carregando SunIn consigo.

-Boa tarde! - Luhan cantarolou.

Parados na porta estavam: Sehun, Luhan e Hansu, que segurava a mão dos mais velhos. O trio estava com roupa fresca, visto o tempo quente que fazia. Jongin deu espaço para os amigos entrarem e assim que fechou, iria contar a novidade.

-TAEOH FALOU APPA! - Kyungsoo deu a notícia primeiro.

-Quê? - Luhan e Sehun perguntaram juntos.

-TaeOh falou appa e SunIn repete constantemente! - Jongin apressou-se a dizer. Estava muito feliz.

-Ah! Isso me lembra quando Hansu começou a falar as primeiras palavras. A primeira palavra dele foi Mama. - Sehun contou e se abaixou para pegar o irmão no colo. - Adivinha quem vai morar com quem.

-Sehun vai virar pai junto comigo! - Luhan falou apressado.

-Como assim pai? - Jongin perguntou indo se sentar no sofá e viu os amigos fazerem o mesmo.

-Meus pais precisaram se mudar e Hansu não queria ir. Como eu cuido dele desde mais novo e não queria me mudar pra ficar com ele, sou quase pai desse chato. - contou e levou um tapa de Luhan.  -Meus pais foram morar no exterior e eu pedi pra ficar com o Hansu. Fizemos o teste de uma semana e ele parece preferir ficar comigo, então...

-Vamos ser appas também! - Luhan concluiu feliz.

-Fico feliz com isso. Seus pais quase não conseguiam ficar com ele né? O trabalho consome o tempo. - Jongin observou e viu os amigos concordarem.

-Mas... E como vai ficar a faculdade e o trabalho de vocês? - Kyungsoo perguntou.

-Minha omma vai olhar o Hansu nesse meio tempo. Ela adora esse menino e ele só se comporta com ela. - Luhan respondeu e fez carinho no garotinho.

-Se precisarem de ajuda em qualquer coisa, a gente tenta. Estamos virando experientes nessa arte de ser pai. - Jongin brincou e todos riram.

SunIn, TaeOh e Hansu foram colocados no cercadinho, enquanto os mais velhos conversavam. Fazia um tempo que não tinham um papo amigável, por culpa de suas agendas lotadas de trabalho. Estavam na cozinha, distraidos e gargalhando.

-Hyung! - ouvira uma voz infantil gritar.

-Hansu? - Luhan questionou e largou os amigos na cozinha, chegando e encontrando os dois mais novos sem fralda. - Omo!

-Hannie, tiraram a fralda. Por que ela é diferente? - Hansu perguntou e Luhan ficou sem saber o que responder.

-O que... DO SUNIN! VOCÊ TIROU A FRALDA DE NOVO?! - Kyungsoo gritou assim que viu a filha.

-KIM TAEOH! - Jongin repreendeu o menino assim que viu que o mesmo também tinha tirado a fralda.

-Hyung, por que ela diferente? - Hansu tornou a perguntar com a falta de verbo na frase, por estar aprendendo a construir orações.

-Porque ela é uma menina. - Sehun respondeu e Hansu olhou para o irmão de forma confusa. - Ela é diferente, isso é normal. - Sehun reforçou, enquanto via os donos da casa pegando os filhos no cercadinho para colocar outra fralda.

-Hansu ta na fase do "por quê?"? - Jongin perguntou e viu um suspiro pesado vindo do amigo alto e loiro. - Vocês devem sofrer. - o moreno implicou e Sehun riu.

-Lembrem-se que vocês sofrerão em dobro. - Sehun ressaltou e o moreno parou de rir na hora.

-x-

Três semanas tinham se passado e o quarto já estava pronto. Kyungsoo e Jongin faziam a mudança de cômodos sozinhos. SunIn e TaeOh estavam brincando alegremente com Koji no cercadinho, porque Minseok foi com Jongdae ao hospital. O segundo iria operar a vista e precisaria de alguém consigo, então o casal só conseguiu pensar em seus amigos para olhar o mais novo pupilo deles.

Antes de darem início à mudança, Jongin e Kyungsoo ficaram observando as três crianças. Quando tiveram certeza que estavam se dando bem e que não brigaram, resolveram desmontar a cama para montá-la no quarto de cima. Estavam suados e tentando subir a cabeceira da cama pela escada.

Os dois eram orgulhosos e não gostavam de pedir ajuda. Se alguém oferecesse, eles aceitariam, mas caso o contrário, nunca iriam cogitar pedir para alguém olhar os filhos ou ajudá-los com a mudança. As únicas pessoas que eles se permitiam importurnar, eram eles mesmo. Kyungsoo só pedia ajuda a Jongin e Jongin só a Kyungsoo.

Conseguiram terminar de subir a cabeceira e respiraram cansados. Jongin foi o primeiro a tirar a blusa, porque estava todo suado e ainda existia muita coisa para subir. Kyungsoo encarou o corpo moreno e sentiu o rosto corar. Fazis dias que tinha desejos pelo namorado, mas não sabia como prosseguir caso fossem se tornar um, então sempre guardava os pensamentos para si.

-Gosta do que vê, hyung? - Jongin provocou.

-Cala a boca. - Kyungsoo mandou e apressou-se a descer as escadas.

Jongin riu e seguiu o menor. Adorava provocar o seu hyung. Fazia isso, porque tinha esperanças que o mais velho cedesse e tomasse iniciativa, mas o alvo sempre resmungava e fugia. Jongin não aguentava mais se reprimir e agora que teriam um quarto somente para os dois, pretendia avançar no relacionamento. Só não sabia como.

Os dois passaram o dia todo fazendo a mudança de um quarto para o outro. Quando terminaram de subir tudo, tiveram que começar o trabalho de arrumar. Bom, Jongin que ficou com a tarefa de arrumar e montar, enquanto Kyungsoo fazia a papinha das crianças e a janta para Jongin e ele mesmo.

Depois da comida pronta, as crianças banhadas e o quarto arrumado, apressaram-se em alimentar as crianças primeiro. Quando os 3 pequenos adormeceram, o casal resolveu jantar. Estavam um caco, tinham trabalhado o dia todo. Assim que terminaram a comida e levantaram para lavar a louça, a campainha tocou.

-Corre lá, Nini! O barulho vai acordar as crianças. - Kyungsoo sussurrou e Jongin correu para atender a porta.

-Boa noite. - Minseok saudou e Jongin fez gestos para que o mais velho falasse baixo.

-As crianças estão dormindo. - o mais novo sussurrou e Minseok sorriu.

-Koji se comportou? - perguntou entrando e vendo o garotinho deitado no cercadinho, enquanto dormia e servia de ursinho para TaeOh.

-Sim. Ele é calminho e os três se deram muito bem. - Jongin respondeu e Kyungsoo apareceu na sala.

-Boa noite, hyung. Como está o Jongdae? - Kyungsoo perguntou.

-Ele está lá no carro. A cirurgia ocorreu bem e logo ele já pode voltar a ativa. - Minseok explicou sorridente. Agora seu DaeDae não sentiria mais dores de cabeça por culpa do seu astigmatismo.

-Que bom. Vai conseguir cuidar do Koji e do hyung ao mesmo tempo? Pode deixar o Koji aqui se precisar. - Kyungsoo ofereceu.

-Não precisa. Obrigado mesmo pela ajuda. Vocês quebraram um galho e tanto. - Minseok agradeceu e se curvou para pegar Koji, porém parou ao ver como a criança estava agarrada a outra. - Hum... Como faço pra tirar o Koji daqui? O TaeOh vai acabar acordando, não?

-Vai não. - Jongin lhe assegurou e se curvou, para poder soltar o abraço de TaeOh no garotinho japonês.

-Hum... - TaeOh resmungou e se agarrou ainda mais.

-TaeOh tem mania de dormir agarrado com bonecos ou ursinho. Parece que ele achou o Koji adorável demais e o usou como um brinquedo. - Kyungsoo comentou e riu, se curvando para ajudar Jongin a separar as duas crianças.

Com muito esforço, tiraram TaeOh de cima de Koji e Minseok conseguiu pegar o seu novo filho. Depois de se despedirem, Kyungsoo pegou SunIn e a levou para o quarto, deitando-a no berço enquanto Jongin fazia o mesmo com TaeOh.

Ambos estavam receosos de dormirem longe das crianças, mas seus pais viviam insistindo que não era bom as crianças se acostumarem a dormir com os pais, porque no futuro poderia causar dependência da parte dos mais novos. Com o coração na mão, o casal deixou duas babás eletrônicas no quarto e subiram para o deles.

Nenhum dos dois tinha tomado banho ainda, então Kyungsoo foi mais esperto e correu para o banheiro. Jongin se sentiu frustrado por ter que tomar banho no andar debaixo. Não aguentava mais subir e descer escada. Estava procurando sua toalha, calça e cueca para descer enquanto praguejava.

-Nini! - Kyungsoo chamou do banheiro e o moreno não entendeu nada. - Nini, me ajuda aqui!

-O que houve, hyung? - o mais novo perguntou enquanto entrava no cômodo.

-Muda pro quente pra mim? Eu to me sentindo dolorido e não consigo levantar o braço. - o mais velho pediu e Jongin riu. - Não ria! Bota na água quente pra mim, por favor.

-Mas ai eu vou ter que entrar no box, hyung. - Jongin observou, mas já estava com a mão na porta que o dividia do seu namorado.

-Eu sei. É só você não olhar pra mim. Eu estou de costas, entra logo. - Kyungsoo mandou e Jongin atendeu ao pedido.

O moreno entrou de olhos fechados e Kyungsoo se apressou a ficar de costas, enquanto Jongin estava de costas para si. O moreno abriu os olhos para mudar o interruptor de frio para quente e quando iria sair do box, teve que prender a respiração.

Kyungsoo estava de costas para si, porém nu. Isso lhe dava a visão das costas branças - com algumas pintinhas - e das nádegas fartas do menor. Aquela visão fez Jongin sentir calor e até mesmo um repuxar em seu baixo ventre.

-Nini, sai logo. Estou começando a ficar com frio. - Kyungsoo pediu.

-Eu estou com muito calor. - Jongin balbuciou.

-Sai logo, eu quero tomar banho. - Kyungsoo insistiu e se esqueceu a razão para estar de costas, se virando e dando a visão de seu corpo nu para Jongin.

-Caralho! - Jongin arquejou.

Kyungsoo percebeu o que tinha feito e corou completamente. Ficou de costas novamente, mas logo sentiu braços lhe rodearem e um corpo ser colado às suas costas. Jongin suspirou na nuca de seu hyung e aquilo arrepiou o alvo todo. Jongin beijou a curvatura do pescoço de Kyungsoo e ficou deixando beijos ali.

-Nini, o que...

-Hyung... Eu estou me sentindo quente e muito apertado. - dito isso, o moreno roçou sua ereção nas nádegas do menor e ouviu Kyungsoo arquejar. - Podemos tomar banho juntos?

-Nini, eu não sei o que temos que fazer. - Kyungsoo sussurrou e sentiu os braços ao redor de si se estreitarem.

-Apenas vamos deixar a situação no guiar. - Jongin pediu e Kyungsoo concordou.

O moreno soltou o alvo, que seguiu até o chuveiro e o ligou. Kyungsoo deixou que a água quente relaxasse seu corpo e tomou uma decisão. Iria dar aquele passo importante sim, porque ele desejava Jongin e Jongin também o desejava. Os dois estavam sem se envolver com ninguém há um ano e alguns meses, então não via razão para ficar se guardando.

-Para tomar um banho, é necessário tirar a roupa, Nini. - Kyungsoo falou com a voz rouca e Jongin se arrepiou.

-Pode tirar pra mim, hyung? - Jongin provocou e deu seu sorriso de lado, enquanto se aproximava do mais velho.

-Posso sim. Sou seu hyung, não é? - Kyungsoo entrou no jogo de sedução e puxou Jongin pela blusa.

Os dois ficaram debaixo da água quente, enquanto se beijavam. Mãos percorriam por ambos os corpos e Kyungsoo logo se afastou, para poder tirar a blusa de Jongin. Aproveitando que estavam afastados, Kyungsoo desceu o short e a cueca do moreno de uma vez só. Ficou olhando para o corpo escultural do mais alto e mordeu o lábio inferior.

-Agora você sabe o que sinto quando te vejo assim. - Jongin sussurrou e puxou Kyungsoo pela cintura, colando ambos os corpos e fazendo com que os membros se roçassem.

Não falaram mais nada. Kyungsoo envolveu o pescoço de Jongin com seus braços e o puxou para mais um beijo. Esse não era tão afoito quanto o primeiro, mas deixava transparecer todo o desejo que sentiam um pelo outro. Desejo esse que vinha de muito tempo.

Jongin deixou que suas mãos começassem a explorar o corpo do mais baixo, segurando as nádegas fartas e fazendo Kyungsoo gemer entre o ósculo. Quando o ar se fez necessário, ambos se afastaram e se fitaram. Kyungsoo resolveu conhecer o corpo de Jongin com beijos e o moreno apenas fechou os olhos para apreciar.

A água quente relaxava os músculos de ambos e o ato que cometiam os deixava mais excitados. Kyungsoo não se fez de rogado e ficou de joelhos na frente de Jongin. Nunca tinha feito aquilo antes, mas ouvia Baekhyun e Luhan comentando como um boquete era bom de fazer e receber. Kyungsoo queria que tudo fosse bom para seu moreno.

Jongin estava em êxtase com as mãos de Kyungsoo o masturbando, que nem percebeu a movimentação do mais velho. Não viu Kyungsoo se ajoelhar e por esta razão, abriu os olhos ao gemer. Kyungsoo o tinha tomado em sua boca e aquilo levou o moreno a loucura. Já tinha sido chapado, porém, era mais prazeroso ser quando era com alguém que gostava. Amava.

Kyungsoo era inexperiente e tentava fazer o que gostaria que as garotas fizessem em si. Jongin estava adorando toda a falta de experiência do mais velho, porque isso só mostrava que ambos seriam os primeiros dos dois. O moreno seria o primeiro homem do alvo e o alvo seria o primeiro homem do moreno.

A felação continuou e logo os espamos anunciavam que Jongin estava chegando ao seu ápice. Kyungsoo aumentou o ritmo e levou suas mãos para as nádegas de Jongin. Depois de mais cinco sugadas, o mais novo se desfez na boca de seu hyung, enquanto gritava "Soo".

Kyungsoo se pôs de pé e começou a se masturbar, enquanto via a bagunça que tinha deixado em Jongin. O moreno tentava se recuperar e quando viu a imagem de seu hyung em busca de prazer, fechou o chuveiro e atacou os lábios do mais velho.

Ambos tinham lembrado que o ato não poderia ser consumado, por não terem se preparado antes. Sabiam que sexo com homem era diferente de sexo com mulher, então não podiam se tornar um naquele dia, mas iriam trocar prazeres.

Jongin guiou Kyungsoo para fora do box e depois para a cama. Deitou o mais velho, sem se importar que molhariam a cama, e abriu as pernas do mesmo. Daria prazer para Kyungsoo. Engatinhou até o meio das pernas de Kyungsoo e o abocanhou sem cerimônias. Aquilo fez o mais velho gritar chamando seu nome.

Se Kyungsoo tinha sido inexperiente, Jongin não ficava atrás. Tentava repetir o que mais tinha gostado quando recebera aquele gesto de seu hyung e seguia daquela forma. Kyungsoo gemia e tentava se controlar, mas estava muito bom. Não precisou de muito tempo na sucção para se despejar na boca do moreno. Tinha estado duro por muito tempo.

Os dois se encararam, com as respirações ofegantes e sorriram. Não iriam concluir o ato naquele dia, mas já estavam felizes demais por terem conhecido o corpo do outro. Por culpa da exaustão do dia e do orgasmo, os dois adormeceram sem roupa e molhados. Mas não fazia diferença. O quarto estava quente demais para ambos.                         


Notas Finais


Eles expandiram a casa! Isso é algo muito grande pra ambos. Eu to bem feliz.
Eu to com calor desse banho deles.
Beijocas de tapioca doces.
Talvez até amanhã.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...