História Inconsequência - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Xiumin
Tags Aikimsoo, Exo, Exo M, Exo-k, Fluffy, Kadi, Kaido, Kaisoo, Kid!exo, Yaoi
Exibições 780
Palavras 2.917
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oie!
Então, chegamos a reta final. Último capítulo. Obrigada pelos 160 favoritos.
Eu queria dar um aviso:
ESSA SHORT FIC É UMA DESPEDIDA MINHA DO SS
mas não se desesperem!
Bom, não sei se vocês iriam se desesperar né? Não sou tão boazona hahah
O fato é: as coisas apertaram pra mim na faculdade e eu vou ter que ficar sem postar fic por um tempo. ISSO NÃO QUER DIZER QUE EU VOU PARAR DE ESCREVER!
Eu já estou fazendo outra e só vou postá-la quando tiver pronta, porque aí eu não vou ficar apertada na facul.
EU NÃO VOU LARGAR VOCÊS! NEM AS FICS!
Enfim, boa leitura.

Capítulo 15 - Eu amava meu melhor amigo e ele me amava


-Vai ser o passivo, Kyunggie? - a voz irritante de Baekhyun soou no ouvido do mais novo.

-Cala a boca e me diz logo o que tenho que fazer. - Kyungsoo resmungou.

O Do sabia que dormir com um homem era diferente de dormir com uma mulher. Havia certas preparações, que seus amigos viviam falando e ele nunca deu atenção, que era necessário tomar. Por achar que pesquisar na internet daria muito trabalho, tinha decidido pedir ajuda para Baekhyun e Luhan, deixando SunIn e TaeOh com Jongin, porém, começava a se arrepender amargamente.

-Para de perturbar ele, Baekkie. - Luhan tentou apaziguar tudo, já que era o mais velho.

-Mas perturbar o Kyunggie é muito legal! Ainda mais que ele está vindo procurar ajuda com a gente, quando na verdade eu pensava que ele seria o ativo... Mas se bem que o Kai também parece ativo... Acho que eles vão acabar brincando de Star Wars na cama. - Baekhyun concluiu e recebeu um tapa forte no braço. Não precisava nem olhar para saber quem tinha sido o autor da ação.

-Vai se foder! - Kyungsoo praguejou e Baekhyun gargalhou.

-Eu bem que queria, mas estou aqui planejando a sua foda no lugar da minha. Já que você está com pressa, vamos para a depilação. É o primeiro passo de tudo. - o coreano falou e segurou a mão dos dois amigos, enquanto os arrastava pelo shopping.

-Depilar? Essa merda dói. - Kyungsoo observou.

-Mas é necessário. Nada na vida é um mar de rosas, precisamos passar por algumas dores pra chegar ao prazer. Relaxa, você vai ouvir os gritos estridentes do Baekkie quando puxarem a cera. - Luhan brincou e viu Kyungsoo empalidecer mais que o normal.

-Não podemos pular essa parte? Eu não estava interessado nela e sim em uma outra. Não sei se você lembra, mas é a preparação para a...

-A gente te explica, mas vamos tudo de acordo com a lista. Precisamos comprar lubrificantes, camisinhas... Ou vocês não vão usar camisinhas? Bom, quem sabe alguns consolos... - e assim Luhan se perdeu nos pensamentos junto com Baekhyun, que dava palpites do que deveriam comprar ou não. Kyungsoo estava se arrependemos amargamente.

Chegaram ao lugar para fazer a depilação e cada um foi levado para uma cabine diferente. Kyungsoo estranhou o rapaz mandando que ele ficasse sem roupa. Foi entender somente depois que a depilação era em tudo. Absolutamente tudo. Se Baekhyun gritava, Kyungsoo com certeza o acompanhou na ópera.

Luhan ria dos amigos, porque ele já estava um pouco acostumado com aquilo. Era para Baekhyun ser acostumado também, mas Luhan sabia que o Byun adorava fazer um drama e por isso agia como se fosse a primeira vez sempre. Luhan estava até acostumado.

Saíram da sala de depilação completamente livres de qualquer pelinho. Kyungsoo, mesmo de roupa, estava se sentindo nu. Assim que saíram do estabelecimento, Baekhyun e Luhan começaram a explicar o que Kyungsoo realmente queria saber. Enquanto ouvia a explicação, nem percebia que estava sendo levado para um sexy shop.

-x-

Jongin tinha pedido ajuda para Chanyeol e Sehun. Os amigos o tinham levado para um lugar para retirar os pelos do corpo, depois da senhora Lu aceitar ficar com os gêmeos, Hansu e os irmãos. Jongin não sofreu muito, porque já fazia depilação normalmente. Nunca gostou de ter pelos e por isso sempre estava "limpo". Chanyeol e Sehun aproveitaram a viagem para se livrarem de tudo também.

O moreno começou a pensar no que Kyungsoo deveria estar fazendo. Não veria mal algum em seu hyung não se depilar, porque o alvo quase não tinha pêlos. Para Jongin, Kyungsoo era perfeito de todas as formas. Estava sorrindo abertamente pelo shopping do outro lado da cidade, porque seus dois amigos sabiam que no outro shopping estariam seus companheiros e estragaria a surpresa de Jongin.

-Estou surpreso que você vai ser o passivo. Você sempre pagou de fodão. - Sehun comentou.

-Ser passivo não é humilhante. - Jongin comentou rindo. - O importante é sentir o prazer de todas as formas.

-Não há como negar. Adoro trocar posições com o Hannie. - Sehun confessou sorrindo maliciosamente.

-Quem não troca, não sabe o prazer que está perdendo. - Chanyeol concordou e os três riram.

Jongin não pretendia ser sempre o passivo, estava interessado em um relacionamento flex com seu hyung, mas como estava necessitado de desejo, preferia conversar sobre a questão depois.

-x-

Kyungsoo finalmente tinha se livrado dos seus amigos. Abria a porta de sua casa pensando no que teria que fazer depois da janta. Baekhyun e Luhan achavam que era melhor se preparar depois de ingerir algo. Com um suspiro, entrou na casa e a encontrou sem ninguém.

-Aonde o Nini e as crianças foram? - murmurou e puxou o celular, digitando o número tão conhecido por si.

-Oi hyung! - a voz de Jongin soou.

-Onde você está? E cadê as crianças? - Kyungsoo foi logo questionando.

-Eu estou quase chegando, hyung. Eu deixei as crianças com a senhora Lu...

-Você o quê?! - Kyungsoo o interrompeu. - Jongin, desde quando deixamos nossos filhos nas mãos de outra pessoa? Eu lembro que deixei os dois com você e não com a mãe do Luhan! - brigou.

-Eu sei, eu sei, mas os meninos insistiram pra ir com eles ao shopping...

-Ok, Jongin. Chegue em casa e conversamos. - com isso o dono dos olhos grandes desligou.

Não gostou de saber que suas crianças tinham sido cuidadas por outra pessoa. Não sabia se a senhora Lu tinha dado lanche, comida e muito menos os olhado direito. Estava realmente furioso por saber que Jongin tinha deixado seus filhos com outra pessoa.

Marchou - irritado - até o banheiro, lavou as mãos e foi fazer comida. Jongin não merecia, mas Kyungsoo tinha coração mole quando se tratava do moreno. Ficou distraído preparando o jantar e nem ouviu Jongin chegando com as crianças, somente se sobressaltou quando sentiu braços o rodearem.

-Mas que susto! - praguejou e ouviu a risada de Jongin. - Não adianta vir de dengo, que estou irritado com você. - declarou.

-Soo... - Jongin chamou manhoso e Kyungsoo revirou os olhos. - Para de ser durão, eu realmente precisei ir e a senhora Lu fez questão de ficar com as crianças...

-Onde elas estão? - Kyungsoo questionou.

-No cercadinho. - respondeu e o alvo soltou-se do abraço, indo direto para a sala.

Kyungsoo chegou perto das duas crianças e as pegou no colo, para poder avaliar se elas estavam bem. Sabia que a senhora Lu não era uma pessoa ruim, mas ainda se sentia preocupado por ter tido seus filhos nas mãos de um estranho. Seu coração só se acalmou, quando viu SunIn e TaeOh brincando dentro do cercadinho.

-Eu falei que eles estavam bem, Soo. – Jongin comentou e Kyungsoo suspirou.

-Mesmo assim, eu não aceito que você os deixou com outra pessoa. Se eu as deixei com você, foi com você e não...

-Soo, eu já entendi. Foi errado, prometo que da próxima vez eu te pergunto. – Jongin admitiu e viu Kyungsoo o ignorar, voltando para cozinha.

O moreno não se preocupou em ficar choramingando para o mais velho, porque sabia que precisava esperar Kyungsoo ficar com a cabeça fria. Aproveitou para ir tomar banho e se preparar. Sabia que era uma boa ideia fazer essa preparação depois da janta, mas já tinha comido no shopping e não pensava em jantar outra coisa que não fosse seu hyung.

Kyungsoo começou a pensar que tinha sido duro com o moreno e que a senhora Lu era uma pessoa boa, por isso o moreno tinha deixado as crianças com ela. Suspirou – pesadamente – enquanto apagava o fogo do fogão e começava a botar comida para si e as crianças. Jongin que colocava o próprio prato, por isso Kyungsoo nem se preocupou em preparar o do moreno.

Chegou a sala e começou a gritar Jongin, mandando que o moreno aparecesse para ajudá-lo a dar comida para as crianças. O moreno demorou, mas depois apareceu. Kyungsoo engoliu em seco, porque Jongin tinha gotinhas de água pelo tórax e vestia apenas uma bermuda bege. Aquilo era muita sacanagem.

-Qual deles eu pego pra dar comida? - o mais novo perguntou e se sentou ao lado de Kyungsoo, que sentiu o cheiro do perfume de Jongin.

-Qu-qual-quer um. - respondeu aos gaguejos e praguejou internamente.

Jongin ficou feliz pelo modo como seu hyung agiu e logo puxou TaeOh para o colo, começando a dar papinha para a criança. Os ex-adolescentes ficaram em silêncio e se focando em não deixar as crianças se lambuzarem tanto. Quando os pequenos terminaram de comer, Jongin ficou responsável por dar banho neles. Kyungsoo precisava tomar um banho e começar sua noite, ou definitivamente morreria de frustração.

Kyungsoo terminou de jantar e subiu para o quarto. Queria banhar-se logo e nem se deu ao trabalho de pegar roupas no guarda-roupa. Geralmente era mais organizado, porém, estava com pressa e por isso largou suas vestes pelo meio do caminho.

Jongin não demorou em fazer as crianças dormirem e tratou de subir. Apagou todas as luzes do andar de baixo e foi pelas escadas, pensando na noite que pretendia ter com seu precioso hyung. Assim que adentrou o cômodo - que mais desejava estar no momento - encontrou blusa, short e cueca do seu Soo espalhadas pelo quarto. Ouviu o barulho do chuveiro e soube que Kyungsoo estava se lavando.

Um nervosismo tomou conta de Jongin. Tinha conhecido o corpo de seu hyung previamente, mas agora ambos se conheceriam de forma completa. Não entendia como podia estar nervoso, se não era virgem e a prova disso era ser pai. Talvez fosse o medo de fazer algo errado, de não saber se portar. Queria agradar Kyungsoo, não queria estragar nada.

-PORRA! - Jongin arquejou ao ver Kyungsoo saindo do banheiro.

O baixinho estancou no lugar e corou. Não tinha levado roupa e nem toalha, então estava completamente nu. Jongin o devorava com os olhos e Kyungsoo resolveu que era melhor agir logo. Andou até Jongin - que estava deitado na cama - e sorriu travesso.

-Já que estou sem roupa, você podia dançar pra mim. - o mais velho sugeriu e tinha um tom malicioso.

-Pedindo um strip-tease? - o mais novo resolveu entrar no jogo e levantou da cama. - Você é um tanto quanto malicioso hein?

-E você um santo do pau oco. - Kyungsoo retrucou e sentou na cama.

-Eu danço se você cantar. - Jongin declarou e aproximou-se do rosto do mais velho, ao se inclinar. - Solte seus acordes. - após falar, Jongin mordiscou o lábio superior do mais velho e se afastou.

Kyungsoo cantou qualquer coisa que viesse a sua mente e viu o mais novo passar a mão pelo corpo, em uma tentativa de se insinuar. Jongin ficava cada vez mais excitado em ver como o membro do seu hyung ganhava vida com seus movimentos e isso o fazia começar a ficar mais apressado. Queria Kyungsoo logo.

Com um surto de pressa, Jongin abaixou sua bermuda de uma vez. Kyungsoo parou de cantar e ficou estático, porque Jongin não estava com nenhuma roupa íntima. O membro do moreno estava desperto e necessitado, assim como o do próprio Kyungsoo. Cansados de tanta demora, ambos se olharam e decidiram que era hora de começar.

Jongin avançou em Kyungsoo e começou a beijá-lo. Um ósculo afoito os dominava, assim como mãos bobas comandavam os toques. Gemidos eram soltos e os atiçavam cada vez mais. Repetindo todos os atos que tinham cometido na noite anterior, os dois estavam êxtasiados de prazer.

Jongin parou a felação no membro de Kyungsoo, para pegar dois dedos do mais velho e chupar. Aquela atitude foi a que decretou quem seria o que na cama. Kyungsoo gostou, embora tenha ficado surpreso. Assim que teve seus dedos lubrificados, Kyungsoo os retirou da boca do mais novo o fez deitar na cama. Jongin tinha pressa e por já foi abrindo as pernas, para que seu namorado pudesse começar a preparação.

-Tem certeza? - Kyungsoo questionou e Jongin sorriu.

-Está esperando o que, Soo? Eu já subi pelas paredes tempo demais. - o moreno retrucou e o baixinho riu.

Jongin não tinha vergonha nenhuma e Kyungsoo não era nenhum padre. Com cuidado e delicadeza, Kyungsoo penetrou o primeiro dedo em Jongin. O moreno arquejou, mas logo pediu para que Kyungsoo movesse o dedo. O mais velho sabia que quanto mais demorasse na preparação, poderia correr riscos de machucar Jongin, por isso o penetrou com o segundo dedo e teve os braços arranhados de leve.

Após ter certeza que Jongin estava pronto, retirou os dedos e foi até o criado mudo. Pegou um pequeno frasco de lubrificante e jogou em seu falo. Gemeu com a sensação do gelado com o quente. Pediu que Jongin ficasse de quatro - para facilitar a penetração - e espalhou lubrificante na entrada do mais novo. Queria que doesse o menos possível.

Depois de se certificar que Jongin estava bem lubrificado, Kyungsoo começou a forçar sua entrada. Jongin era apertado e quando Kyungsoo ficou dentro do moreno, arquejou de prazer.

-Você é tão apertado, Nini. - murmurou e Jongin corou.

O moreno apertava o lençol abaixo de si e logo sentiu suas costas ser beijada. O membro foi tomado pela mão de Kyungsoo e Jongin percebeu que o baixinho estava tentando distrai-lo de qualquer possível desconforto.

-Pode se mover. - Jongin gemeu e Kyungsoo segurou a cintura morena, para começar as estocadas.

Fazer amor com Jongin era muito melhor do que todos os sexos que já tinha feito. Não eram tantos, mas também não eram poucos. Ouvir os gemidos do moreno e sentir suas reboladas contra seu falo, fazia com que Kyungsoo ficasse perdido em um mar de prazer.

O moreno gemeu mais alto quando sentiu Kyungsoo tocar um ponto em seu interior. Pediu que o baixinho mirasse ali e assim foi feito. Depois de vários estímulos, o ápice de ambos foi atingido. Um gemido final e sincronizado mostrava a união daqueles melhores amigos e namorados.

-×-

 

Do Kyungsoo

Alguns anos depois.

Eu estava correndo para conseguir chegar a tempo de buscar meus filhos. Nini tinha avisado que estava em um trânsito, mas que não desistiria de pegar as crianças. Quem chegasse primeiro, melhor.

SunIn e TaeOh já estavam com 6 anos e passavam quase o dia todo no Colégio, o que me permitiu fazer faculdade e Jongin arrumar cursos de dança para praticar e dar aula. Nós só estávamos desesperados para buscar as crianças, porque a diretoria tinha ligado nos informando que ambos estavam reclamando de cólica. Só podia ser a porcaria do hot-dog que tinham comido na rua.

Fiquei feliz ao ver que eu já soltaria do ônibus. Eu tinha matado aula para pegar meus filhos o mais rápido o possível, não podia demorar. Meu ponto chegou e eu dei sinal. Assim que desci, vi um ônibus parando atrás e Nini descendo.

-Soo! - Jongin estava todo descabelado.

-Depois a gente conversa. - avisei e segurei sua mão, para que ele pudesse me acompanhar na corrida.

Não demoramos a chegar na escola e a diretora nos entregou as crianças. Peguei SunIn no colo e Jongin pegou o TaeOh. A diretora questionou se não tinha problemas em ficar com minha filha no colo, porque a mesma poderia sujar minha roupa branca. Foi então que eu estava vestido como um cheff de cozinha.

-Não. Meus filhos em primeiro lugar. - respondi.

-Diretora, nós podemos usar o banheiro? - Jongin questionou e a diretora concordou.

Nos despedimos da mesma e fomos para o banheiro masculino. Assim que entramos, cada um foi para uma cabine e enfiamos o dedo na boca das crianças, para que elas pudessem vomitar. Elas tinham reclamado que não conseguiam. Eu não gostava de vê-los passando mal, porém, era sempre assim quando teimavam de comer mais do que o estômago deles era capaz de suportar.

-Se sente melhor? - perguntei ao ver que SunIn não tinha mais nada para por para fora.

-Tô com sono. - ela respondeu e eu concordei.

Tornei a pegá-la no colo e fui até a pia limpar sua boca. Jongin apareceu ao meu lado com TaeOh dormindo em seus braços. Limpei a boca de SunIn primeiro e depois a de TaeOh.

-Está vendo, Nini? Quando eu falar que já está bom e que eles não precisam comer mais, você deve me apoiar. - repreendi meu marido. - Caso o contrário, nossos filhos vão sempre passar mal. Comer porque está com fome é uma coisa, comer de olho grande é outra. Eles por acaso passam fome?!

-Claro que não! Com um chefe de cozinha em casa, impossível comerem mal. - meu moreno me bajulou e se aproximou de mim. - Você quem decide a comida deles.  - sussurrou e me roubou um beijo.

Eu retribui, mas quando nos afastamos, revirei os olhos. Era sempre assim: Nini prometia não deixar as crianças comerem demais e no final sempre faria as vontades delas.

Porque Nini é muito manipulado por nossos filhos.

Nini é um ótimo pai.

E eu não podia desejar outra pessoa para passar o resto da vida comigo. Nini estava comigo desde que nasceu e estaríamos juntos até o último segundo.

Eu amava meu melhor amigo e meu melhor amigo me amava.

Juntos, superamos todas as dificuldades de pais solteiro. Juntos, iríamos crescer e ver nossos filhos crescerem. SunIn e TaeOh foram nossos maiores cupidos. Eu não me arrependida de nada.


Notas Finais


Gostaram do final? Começou narrado pelo Jongin e terminou narrado pelo Soo.
Os dois ultrapassaram barreiras e vivem como uma boa família.
Vocês gostaram?
Queria saber.
Enfim, beijocas de tapioca doce!
Até a próxima! Aguardem meu comeback!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...