História Inconsequência - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Xiumin
Tags Aikimsoo, Exo, Exo M, Exo-k, Fluffy, Kaisoo, Kid!exo, Yaoi
Exibições 641
Palavras 2.302
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Voltei com mais um capítulo.
Ele é uma transição de tudo. Vai mostrar um pouco do Kaisoo, como eles se conhecem e tudo mais.
Vai aproveitar e explicar que o prólogo é um passado, não tão passado assim. Como? Vocês vão entender, só digo que o prólogo está no meio da história.
Fiquem com esse capítulo.
Boa leitura.

Capítulo 2 - Importava o presente e nada mais que isso


Fanfic / Fanfiction Inconsequência - Capítulo 2 - Importava o presente e nada mais que isso

Fazia 3 meses que o ano escolar tinha começado. Era o último ano de Kyungsoo no colegial e ele se preparava para passar no vestibular, junto de seus amigos Luhan, Chanyeol e Baekhyun. Passava o dia todo estudando e se sentia um zumbi. Não aguentava mais aquela vida de escravidão acadêmica.

-CREDO! Você está horrível, Soo! - Jongin, o melhor amigo de Kyungsoo, falou assim que se encontraram na porta do menor.

-Essa vai ser sua vida no ano que vem também, Nini. - o mais velho murmurou saindo de casa e bocejando. - Você sabe quando nossos pais voltam da viagem?

-Meus pais falaram que daqui a dois dias. Os seus não falaram nada? - o moreno perguntou e viu o alvo dizer que não. - Eles devem voltar tudo junto. Sabe que essa viagem de negócios foi necessária.

-Vamos de bicicleta hoje? Diz que sim! Eu quero dormir. - o menor pediu manhoso, ignorando o que o mais novo disse.

-Aff. Você só me explora. - Jongin reclamou brincando, mas logo foi puxando o melhor amigo para o quintal da sua casa.

Do Kyungsoo e Kim Jongin são amigos desde o ventre. Seus pais se formaram juntos na escola e trabalhavam na mesma empresa, além de serem vizinhos. Foi inevitável que uma amizade surgisse entre os filhos dos dois casais. Kyungsoo e Jongin eram como um só. Só não estudavam na mesma sala, por culpa da diferença de uma ano de idade entre eles. Enquanto Kyungsoo tinha 17 anos e estava em seu último ano do colegial, Jongin tinha 16 e estava em seu penúltimo ano escolar.

Subiram na bicicleta do mais novo. Kyungsoo estava sentado entre o banco e o guidão, agarrando a cintura do melhor amigo e fechando os olhos. Jongin riu, mas não implicou, por saber que seu hyung estava dando tudo de si para passar na faculdade dos sonhos. Saber que Kyungsoo estava tão perto de completar um sonho era o que fazia o moreno aguentar a ausência do amigo durante as tardes.

Seguiram à pedaladas silenciosas pelas ruas. Jongin ouvia música em seu celular, enquanto Kyungsoo estava agarrando o mais novo pela cintura e dormindo. Era um hábito de ambos irem juntos de bicicleta – embora antigamente conversassem mais – e por isso nem se incomodavam com a forma que estavam. Há algum tempo – no passado – tentaram zuar ambos, dizendo que eram namorados. Os dois negaram arduamente e provaram suas masculinidades ao ficarem com meninas diferentes na escola. Não negaram por terem preconceito, uma vez que ambos tinham um casal de amigos gays, negaram apenas por não se considerarem gays. Jongin virou garanhão e Kyungsoo apenas ficava quando lhe dava na telha. Nunca quiseram namorar, porque se achavam novos demais para isso, então apenas curtiam a vida como todo adolescente.

-Hyung, chegamos. Acorda logo. - o moreno chamava o melhor amigo, que fazia manha e se recusava a acordar.

-Depois vocês querem ficar pagando de macho alfa por ai. - Chanyeol comentou enquanto se aproximava, de mãos dadas, com Baekhyun.

-Ninguém quer pagar de macho alfa, seu orelhudo. - Kyungsoo resmungou ainda de olhos fechados e agarrado a Jongin.

-É. Se um dia viermos a gostar de algum homem, não vemos mal nisso. - Jongin explicou.

-Só que gostar dele é nojento! - os dois melhores amigos falaram juntos e riram. Chanyeol e Baekhyun sabiam que eles sempre falavam juntos, mas ainda se assustavam com a sincronia.

-Seria como gostar do meu irmão mais novo. - Kyungsoo justificou, largando Jongin e descendo da bicicleta. - Eu não aguento mais essa vida de escravo. O que um sonho não faz, não é?

-Ainda bem que o Kai e eu somos novos demais ainda. - Sehun falou se aproximando do grupo na entrada da escola, onde guardavam as bicicletas.

-Novo demais o meu pau, seu idiota! Vocês precisam decidir o que querem ano que vem. - Luhan repreendeu o namorado.

-Palavreado tão lindo a essa hora da manhã, Luhan. - Baekhyun ironizou e o chinês deu a língua para o menor.

-Maturidade a gente se vê por aqui. - Jongin brincou.

-Gente, vamos sair hoje? Soube que a Lee Sehyun vai dar uma festa hoje e vocês sabem como são as festas dela. Hoje é sexta, vamos nos distrair um pouco e largar essa vida chata de estudante. - Chanyeol sugeriu.

-Por favor! Eu não aguento mais olhar meus livros. - Kyungsoo foi o primeiro a aceitar e todos o olharam confusos. – Por que estão me olhando assim?

-Porque você é tipo a mãe do grupo e sempre fica ponderando as coisas antes de fazer. – Sehun respondeu.

-Ponderar o cacete. Eu só quero me distrair um pouco ou não vou conseguir realizar meu sonho. - falou e o sinal tocou. - Bora correr? Bora correr. - e após isso, todos começaram a correr para dentro da escola.

Teriam provas naquele dia e por isso não podiam chegar atrasados. Chanyeol, Baekhyun, Luhan e Kyungsoo entraram em suas salas, após deixarem Jongin e Sehun nas deles. O professor ainda não tinha aplicado a prova e por isso entraram sem ter que implorar. Sentaram em suas respectivas cadeiras e aguardaram a prova começar.

 

-x-

-GRAÇAS A TUDO QUE ACREDITO, ESTOU LIVRE DESSAS PROVAS! - Kyungsoo comemorava enquanto Jongin pedalava.

-Só dessas, porque você ainda tem o vestibular. - o moreno lembrou. Sentia suadades do tempo que nenhum dos dois precisava se preocupar com nada, mas não era por isso que iria ser egoísta. Se importava demais com Kyungsoo e por isso jamais o deixaria esquecer de suas responsabilidades.

-Aish Jongin, vai ser chato no inferno! - o menor resmungou e o mais novo riu.

-Quanta birra hein? Você sabe que me preocupo com você e só desejo que consiga realizar seu sonho. - se defendeu.

-Eu sei, eu sei. Eu também me importo com você não é? Por isso, hoje o almoço é por minha conta. Sei como seus pais te mimaram ao ponto de você ser desprovido de qualquer habilidade culinária, por isso, hoje você irá comer uma comida saudável e não viver de frios como tem feito na ausência dos nossos pais. - Kyungsoo falou e sorriu para Jongin. Era o sorriso mais verdadeiro que conseguia dar, uma vez que, Jongin era o único que o conhecia completamente.

-Agora estou gostando da conversa. Vou até pedalar mais rápido. - avisou e começou a colocar mais rapidez nos pés.

Não demoraram a chegar à casa do mais velho. Desceram do transporte que usavam e adentraram o lar. Kyungsoo foi logo para a cozinha e Jongin começou a tirar a farda escolar, subindo para o quarto do mais velho e pegando uma bermuda velha para ficar à vontade.

Kyungsoo não se incomodava com a intimidade que Jongin tinha, porque eram assim desde que se conheciam por gente. Os próprios pais de ambos também eram cheios de intimidades entre si. Enquanto sorria ao pensar na felicidade de ter um melhor amigo como Jongin, escutou o moreno entrar na cozinha.

Jongin era falante. Somente ele conseguia fazer com que Kyungsoo falasse muito também. Eram tão amigos, que um completava o outro, fosse em defeitos ou em qualidades. Faziam isso de forma tão natural, que nem percebiam. Era essa naturalidade de ambos, que fazia os outros pensarem que eles namoravam.

Eles sempre negavam namorarem por vários motivos. Aparentemente eram heteros, não tinham desejo de namorar e queriam apenas aproveitar a vida. Mas o principal motivo para não quererem namorar, nunca seria dito a ninguém e muito menos entre eles. Era uma certeza que guardavam para si. Ambos tinham medo de que o outro namorasse e o largasse de lado, logo, tomavam a decisão de nunca namorar, para que o outro também nunca quisesse fazer isso. Era a melhor solução que ambos encontravam para não terem que dividir a atenção que tinham com outras pessoas.

-Nini, hoje eu não quero você me supervisionando e eu também não vou te supervisionar. - Kyungsoo avisou enquanto apagava o fogo e entregava os pratos para o moreno.

-Que ótimo, hyung, porque eu estou na seca e quero muito transar. - o mais novo foi sincero e os dois riram. - Hoje eu só quero beber e ser feliz.

-Somos dois. Então combinado?

-Combinado, Soo. Nenhum de nós vai empatar a foda do outro. - o moreno concordou e os dois riram.

Como dois adolescentes, tinham os hormônios à flor da pele e precisavam liberá-los. Não tinham os pais em casa e ninguém que pudesse freá-los na festa. Os únicos que podiam freá-los, além de seus pais, eram um e o outro. Tinham combinado de não supervisionarem-se, então, mal podiam esperar para se divertirem mais tarde.

 

-x-

 

Kyungsoo não aguentava mais esperar Jongin. O moreno estava se arrumando há uma hora e meia. Sabia que o moreno gostava de se produzir todo e era justamente essa vaidade que o tornava um dos mais populares e requisitados do Colégio. Sabia disso, mas já estava saturado.

-CACETE, JONGIN! COLOCA A PORCARIA DE UMA CALÇA JEANS E UMA BLUSA QUALQUER! VOCÊ VAI FICAR PARECENDO UM MODELO DE QUALQUER JEITO! - Kyungsoo esbravejava no quarto do moreno, que estava trancado no banheiro se arrumando.

-Vou ficar parecendo um modelo, é Soo? - Jongin perguntou saindo do banheiro e dando um sorriso de lado.

Kyungsoo prendeu a respiração e soltou um palavrão mentalmente. Sabia que Jongin era lindo, mas o amigo parecia se suparar sempre. O moreno tinha pintado o cabelo de rosa misturado com castanho, enquanto Kyungsoo se arrumava, então estava surpreendendo o mais velho. Era a primeira vez que Kyungsoo via o amigo com aquele cabelo.

-Caralho, Jongin, quando você pintou esse cabelo? Essa cor ficou muito boa! - Kyungsoo elogiou. Não conseguia deixar de elogiar, afinal, seu amigo era lindo.

-Acha que vou conseguir sair da seca hoje? - Jongin perguntou se aproximando do mais velho e o segurando pela cintura, colando os corpos.

-Se fizer como está fazendo agora, você vai sair de lá pai. - Kyungsoo respondeu brincando para poder esconder o coração acelerado. Aquela aproximação de Jongin estava lhe deixando ansioso. Os olhos felinos do mais novo eram sensuais demais.

-Então vamos brincar de casinha, BabySoo? Eu sou o Daddy. - Jongin provocou e isso fez com que o mais velho o empurrasse.

-Saí daqui, seu tarado! - Kyungsoo resmungou e saiu do quarto, com o rosto vermelho, enquanto Jongin gargalhava por ter deixado o mais velho sem graça.

Aquele tipo de provocação entre eles era normal, mas de uns tempos para cá estavam ficando um pouco mais frequente. Não era só Jongin que provocava, Kyungsoo também o fazia e deixava o mais novo completamente envergonhado e com o coração acelerado. Eles só eram assim quando estavam sozinhos e colocavam a culpa nos hormônios. Afinal, era impossível a brincadeira ser verdadeira, se os dois eram irmãos. Seria nojento, era o que pensavam.

Jongin desceu as escadas e encontrou Kyungsoo o esperando no sofá. Estavam à espera de Luhan, porque ele era mais velho, possuía habilitação e um carro. Se não tivesse sido pela mudança de país - por culpa do trabalho do pai - Luhan já poderia estar frequentando a faculdade e não estar atrasado um ano.

-Me apressou tanto, pra nada! - Jongin resmungou e Kyungsoo riu.

-Luhan acabou de me mandar mensagem falando que está estacionado na sua porta. - Kyungsoo avisou, ficando de pé e se aproximando de Jongin. Colocou a mão na nuca do mais alto e ficou na ponta dos pés, aproximando os rostos. - Eu nunca faço algo por nada. - sussurrou com os rostos próximos, sorriu de lado e quebrou o contato.

-Aish! - Jongin praguejou ao ver seu hyung se afastar. - Isso foi vingança é? - questionou com o rosto vermelho.

-Entenda como quiser, Jongin. - Kyungsoo respondeu saindo da casa e indo em direção ao carro, enquanto esperava o moreno fechar a porta.

-Prontos para perder o cabaço hoje? - Baekhyun perguntou assim que os dois capricornianos entraram no carro. Ele estava sentado no colo de Chanyeol, para que assim Kyungsoo e Jongin coubessem no banco de trás, uma vez que, Luhan e Sehun ocupavam os da frente.

-Estamos prontos pra tirar cabaços, hyung. - Jongin quem respondeu e os seis riram.

-Deveria ser menos garanhão e fisgar uma pessoa só. - Chanyeol comentou.

-Namorar pra quê? Somos novos demais. - Kyungsoo apressou-se a dizer. Detestava quando os amigos pressionavam Jongin para namorar e quando o pressionavam também.

-Exatamente, por isso, ninguém empata a foda de ninguém hoje. - Jongin avisou logo e os amigos riram.

-Seu cabelo ficou legal nessa cor, Jongin. - Luhan elogiou.

-Obrigado, hyung. - o moreno agradeceu sorrindo alegre.

Seguiram em direção a casa - de Lee Sehyun - em meios a risos e brincadeiras amigáveis. Assim que Luhan estacionou, saíram e encontraram a festa bombando. Pegaram bebibas e logo trataram de beber. Kyungsoo encontrou uma garota da escola, uma série a menos que a sua, que se insinuava para si. Soube que seria ela a quem se envolveria naquela noite. Jongin também já tinha descoberto com quem se envolveria. Não era ninguém menos que a dona da festa, uma nona da sala de Kyungsoo.

Os quatro se encontravam bêbados e dançantes pela casa. Não tardaram a subirem as escadas e procurarem um quarto. Kyungsoo e Jongin saíram da seca naquela noite, mas não se sentiam satisfeitos. Em busca de uma satisfação maior, fizeram duas vezes com suas respectivas parceiras e por conta disso, adormeceram nos quartos, sem se importarem com nada. Eram adolescentes, com hormônios a flor da pele, logo, tornavam-se inconsequentes. Para eles, importava o presente e nada mais que isso.                         


Notas Finais


Vocês estão reparando nas partes em itálico, negrito e coisas afins? Então...
Elas são importantes sabem.
Os créditos da capa vão para essa fanart. Apesar de ter plotado essa fic enquanto eu escrevia a Kaisoo Abo (Alma Gêmea), essa fanart me inspirou para momentos deles indo para escola.
Espero que estejam gostando.
Beijocas de tapioca doce.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...