História Inconsequência - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Xiumin
Tags Aikimsoo, Exo, Exo M, Exo-k, Fluffy, Kaisoo, Kid!exo, Yaoi
Exibições 458
Palavras 2.060
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Vindo postar o último capítulo de hoje.
Ele está mais levinho que os anteriores.
Boa leitura.

Capítulo 6 - A nova rotina


Após a conversa que tiveram com os Kim, Kyungsoo ficou perguntando várias vezes se Jongin estava certo do que pretendia fazer e sentia o coração acelerar a cada vez que Jongin respondia que sim.

Kyungsoo foi para casa radiante e seus pais perguntaram se ele tinha ganhado na loteria, foi então que o pequeno Do explicou tudo. Seus pais se sentiram um pouco mal pelo o que estavam fazendo o filho passar, mas eles queriam fazer com que o pequeno Kyungsoo subisse na vida por conta própria, igual eles fizeram quando a senhora Do engravidou. Se eles tinham conseguido se erguer, tinham fé que Kyungsoo também conseguiria, principalmente pelo fato de que estariam ali para caso o filho fraquejasse.

 

-x-

 

-BOM DIA SOO! - Jongin saudou animado. Se sentia mais feliz em saber que agora as coisas poderiam começar a se encaixar. Pela primeira vez sentia que estava servindo como um pilar para seu pequeno melhor amigo.

-Quanta animação a essa hora, Nini. - Kyungsoo resmungou sentando em seu lugar na bicicleta e abraçando a cintura do amigo. - Boa noite...

-Ah não! Não, não, não! Você não vai dormir não! - Jongin reclamou enquanto começava a pedalar. - Vamos contar pros nossos amigos hoje?

-Aham... - Kyungsoo murmurou.

-Na hora do intervalo? - Jongin insistiu.

-Aham...

-Aish Soo! - Jongin resmungou ao ver que não conseguiria fazer o amigo falar mais do que estava falando.

Chegaram à escola e logo foram para suas respectivas aulas. O dia parecia estar querendo ir mais rápido, portanto, o sinal do intervalo tocou e logo os 6 amigos se encontravam sentados no chão do pátio.

-Por que faltaram ontem? - Chanyeol foi o primeiro a perguntar.

-Precisamos contar uma coisa pra vocês. - Kyungsoo anunciou.

-Devo deduzir que tem a ver com o fato de você ter saído do pré-vestibular? - Luhan rebateu.

-Sim. - Kyungsoo respondeu ficando um pouco para baixo. Abrir mão da faculdade não estava sendo fácil.

-O que está acontecendo hein? Vocês dois estão escondendo alguma coisa da gente. - Baekhyun falava de maneira preocupada.

-O Soo e eu vamos sair de casa. - Jongin começou. - Nós dois seremos pais.

-QUE?! - os 4 gritaram. Baekhyun e Sehun se engasgaram com o lanche, Chanyeol cuspiu o suco e Luhan deixou cair o bolinho.

-Isso mesmo que ouviram. Há dois meses nós fomos na festa da Sehyun e lá ficamos com duas meninas. Eu fiquei com a Jaehee e o Jongin com a Sehyun...

-Por isso aquela garota está te fazendo de gato e sapato, hyung? - Sehun interrompeu a explicação do moreno.

-Sim. Ela engravidou de mim e a Sehyun do Jongin. Elas estão com 3 meses e vão nos entregar as crianças quando nascerem, porque elas estão com medo de abortar. - Kyungsoo explicou.

-Meu Buda... - Luhan murmurou incrédulo.

-Contamos pros nossos pais e eles mandaram que a gente assumisse as responsabilidades. Será mais fácil o Soo e eu vivermos juntos, do que separados. - Jongin justificou.

-Eu... Não sei o que dizer. Agora faz sentido por vocês estarem estranhos e pra baixo. Nós podemos ajudar de alguma forma? - Baekhyun perguntou preocupado com os amigos mais novos.

-Não. As coisas estão se acertando. A gente só precisa arrumar um emprego, pra que a gente possa começar a dar rumo as coisas. - Kyungsoo tranquilizou o amigo.

-Vocês já conseguiram emprego? - Chanyeol questionou e viu os dois fazerem que não. - Eu tenho um primo que está precisando de empregados.

-Trabalharíamos em quê? - Kyungsoo e Jongin perguntaram juntos.

-Credo! Detesto quando falam juntos. - Chanyeol resmungou. - Eles precisam de garçons para a cafeteria. Não é muito longe daqui e eles não estão pedindo experiência.

-Eles? - Kyungsoo perguntou.

-É. É que a cafeteria é do namorado do meu primo. - explicou.

-Ah sim! Você pode nos levar lá? - Jongin perguntou ansioso.

-Claro! Vamos na hora da saída e...

-Kyunggie! Você sumiu desde ontem! - a voz de Jaehee se fez presente.

-Aish! - Jongin resmungou.

Kyungsoo teve que se afastar dos amigos, para servir de empregado para a garota. Se o humor de Jongin tinha começado bom, agora começava a decair. Os dois casais se entreolharam e trocaram uma mensagem silenciosa. Estavam preocupados com Kyungsoo e Jongin, principalmente porque agora ficaria mais complicado para os dois perceberem o que todo mundo já sabia.

 

-x-

 

O sinal da saída tocou e logo Jongin corria para a entrada do Colégio, afim de encontrar com Kyungsoo, Chanyeol e Baekhyun. Os mais velhos viram quando o mais novo veio correndo e sorriram. Caminhavam enquanto conversavam da gravidez das garotas. Chanyeol e Baekhyun estavam surpresos pela forma como Kyungsoo e Jongin pareciam levar tudo.

-Posso ser indelicado? - Baekhyun perguntou enquanto andavam e viu os mais novos confirmarem. - Por que vocês não estão... Como posso dizer? Chateados? É que... Veja bem, o Kyung vai ter que abrir mão do sonho dele.

-A gente procura não pensar muito. - Kyungsoo quem respondeu. - De toda forma, eu também não seria capaz de preferir meu sonho do que a criança. Nunca pensei em ser pai, mas fico ansioso com a ideia. Eu vou ter o Nini junto comigo também, então tudo vai dar certo!

Aquelas palavras acertaram Jongin em cheio. Ele sabia que seu hyung teria que abrir mão do sonho e sabia o quanto estava difícil, mas era a primeira vez que ouvia que tudo estaria bem, desde que estivessem juntos. O mais novo não poderia se sentir mais feliz.

-Chegamos! - Chanyeol avisou e assim olharam para frente, dando de cara com um letreiro sofisticado.

MinDae's coffe

-Que cafeteria linda! Hyung, seu primo é rico? - Jongin questionou encantado com o lugar.

-Ele não, mas o namorado dele sim. - o grandão respondeu puxando Baekhyun para entrar no estabelecimento.

Kyungsoo e Jongin se entreolharam nervosos. Não queriam fazer nada errado caso fossem contratados. Respiraram fundo e seguiram os amigos. Torciam para que pudessem ser contratados, mesmo que o medo do desconhecido fosse bastante presente.

-Dae??? - Chanyeol gritou.

-Yoda? - ouviram uma voz gritar de dentro da cafeteria e logo um rapaz, menor que Chanyeol e Kai, mas da mesma altura que Baekhyun e Kyungsoo, aparecer. - YODA!

-Yoda? - Kyungsoo e Jongin murmuraram.

-É que ele tem orelhão igual o cara do Star Wars. - Baekhyun explicou.

-Caraca! Verdade! - Jongin exclamou e começou a rir do jeito escandaloso dele.

-Pronto, agora o Nini não vai mais parar de rir. - Kyungsoo resmungou enquanto cutucava o mais novo para que ele parasse de rir.

-Gosto de pessoas com muitos risos! - o estranho primo de Chanyeol comentou após abraçar o grandão. - Seus amigos, Yoda?

-Sim! Vou apresentá-los. Este nanico olhudo é o Kyungsoo e o moreno risonho é o Jongin. - aprensentou.

-Olá! Eu sou Kim Jongdae, é um prazer conhecê-los. - os saudou e os dois se curvaram. - Baekkie, você também tá aqui!

-Demorou pra me ver, Dragão. - Baekhyun resmungou enquanto abraçava o amigo.

-O que vocês vieram fazer? Tomar café? Pera ai que eu vou chamar o Minnie.  - falou e saiu correndo para dentro do espaço que só se era permitido a empregados.

-Caraca, Nini, comporte-se. - Kyungsoo resmungou.

-Relaxa, os hyungs gostam de alegria. - Baek os tranquilizou.

-Chanyeol, Baekhyun! - um novo rapaz apareceu. - Olá amigos deles.

-Boa tarde. - os quatro o cumprimentaram.

-Hyungs, vocês ainda estão precisando de garçons? - Chanyeol perguntou.

-Estamos sim. O movimento aqui ficou maior, deve ser porque separamos esse espaço à noite pra boate e agora está mais visado. - Minseok respondeu.

-Está querendo trabalhar? - Jongdae perguntou.

 -O Baekkie e eu não temos tempo, mas nossos dois amigos estão querendo um emprego e eu pensei em vocês. - o grandão respondeu.

-Ah, vocês querem trabalhar? - Minseok quem perguntou e os dois concordaram. - Quantos anos vocês têm?

-Eu tenho 16. - Jongin murmurou.

-Eu tenho 17. - Kyungsoo respondeu.

-Então são estudantes... Teriam que trabalhar meio período, certo? - Minseok perguntou.

-Posso trabalhar de noite também, só a parte da manhã que não dá, por causa da escola. - Kyungsoo apressou-se a dizer.

-Trabalhar a noite seria uma boa também. Estou precisando de baristas. - Chen comentou pensativo. - Mas você largaria por volta das uma da manhã, teria problema?

-Não! - Kyungsoo ficou logo feliz. Sabia que se trabalhasse durante a tarde e a noite, ganharia como um emprego integral.

-Eu também posso trabalhar à noite. - Jongin avisou e viu o casal se entreolhar.

-Então vamos conversar sobre a contratação. - Jongdae declarou e notou a felicidade dos dois mais novos.

Jongdae e Minseok não teriam contratado adolescentes para trabalhar à noite, se não tivessem notado um certo desespero nos rapazes. Eram bons observadores e por isso sabiam que deveria existir um motivo muito maior para que Kyungsoo e Jongin estivessem dispostos a largarem a adolescência para trabalhar. Não iriam perguntar aos rapazes, por não quererem ser indelicados, mas sentiam que de alguma forma descobririam depois.

  

-x-

 

Fazia uma semana desde que Kyungsoo e Jongin tinham sido contratados. Os pais dos garotos ficaram surpresos quando ambos chegaram com os contratos do emprego e pedindo a autorização dos responsáveis, visto que, ambos eram adolescentes ainda. Os Kim foram os mais complicados de convencer a assinar os papéis, enquanto os pais de Kyungsoo não contestaram.

Se antes Kyungsoo dormia na ida para a escola, agora estava ainda pior. Dormiam apenas 5 horas por dia, já que acordavam 7h da manhã para ir para a escola e chegavam 2h da madrugada em casa. Estava sendo uma rotina puxada, mas pelo menos não trabalhavam durante o final de semana.

O dinheiro que iriam receber no final do mês não era ruim e isso os deixava felizes. Pelas contas, quando as garotas fizessem seis meses, eles já estariam preparados para comprar uma casa pequena. Queriam ter o lar antes do nascimento das crianças, porque precisariam imobiliar tudo na casa.

Estavam na escola, em um dia de sábado, porque precisavam fazer um trabalho em grupo e o Colégio disponibilizava os sábados para grupos de estudos.

-Como está a rotina de vocês? - Sehun perguntou curioso. Já iria completar duas semanas que os amigos tinham tomado responsabilidades.

-Puxada, mas a gente está conseguindo levar. - Kyungsoo respondeu concentrado em fazer a margem na folha.

-Cara, vocês precisam ver como a boate bomba! O Soo fica fazendo as bebidas e eu entrego. Aquilo lá é um mar de perdição. - Jongin contava animado.

-Claro, você trás 100 números de telefones pra casa por dia. - Kyungsoo resmungou. Detestava quando via os outros passando um guardanapo para Jongin.

-100?! Caraca! - Luhan exclamou surpreso.

-Jongin, tu faz sucesso lá hein? - Chanyeol comentou sorrindo.

-Faço sim, mas jogo tudo fora quando chego em casa. Acho que peguei trauma de transar. - o moreno confessou e todos caíram em gargalhada.

-Transe com um homem, assim você não precisa de camisinha e ainda pode gozar dentro dele sem medo de ter um filho. - Sehun provocou e viu os futuros papais o olharem com os olhos arregalados.

-Cacete Sehun, cala a boca! - Luhan reclamou chutando a canela do mais novo e corando.

-Isso dói! - o mais novo de todos choramingou.

-E o que você acabou de falar envergonha, seu tarado. - Baekhyun quem falou.

-Como se vocês fossem santinhos e ninguém soubesse que homem não engravida. Vou é beber água, vocês são muito dementes. - com isso o mais novo levantou e saiu como se nada tivesse acontecido.

Aquilo não era uma briga e muito menos algo para começar a discutir. Estavam acostumados com as taradices de todos, apenas ficaram envergonhados com o que Sehun falou. Voltaram a trabalhar no que tinham que fazer, porque na semana seguinte começaria a gincana da escola e os cartazes do time deles precisavam estar prontos. Todas as turmas de letra A estavam juntas, por isso o 2° ano A e o 3° ano A estavam reunidos para fazer as faixas e os amigos não se separaram. A única coisa que preocupava Kyungsoo e Jongin era o fato de que se desgastariam o dobro com as atividades na escola e no emprego. Torciam internamente para que conseguissem ser fortes o suficiente para enfrentar a nova rotina que tinham.


Notas Finais


A vida não é fácil, não é mesmo?
Eles estão se sacrificando pra conseguir arcar com a vida das crianças
Com o futuro que eles tanto tiveram medo e agora os está afrontando.
Eu não vou dar uma de filosófica hoje, porque meu professor falou algo em sala que me deixou com isso na cabeça.
"O autor nunca será o melhor intérprete de sua obra. O autor, nunca terá a palavra final em sua obra" Adorno.
O que eu penso ter abrangido com o tema, pode ser muito maior visto por outros olhos. O que eu tenho como interpretação do que eu escrevi, pode ser criticada e interpretada de várias maneiras.
Essa é a graça de escrever
essa é a graça da literatura.
Você pensa e não se aliena.
Beijocas de tapioca doce. Até amanhã.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...