História Inconsequência - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Xiumin
Tags Aikimsoo, Exo, Exo M, Exo-k, Fluffy, Kadi, Kaido, Kaisoo, Kid!exo, Yaoi
Exibições 656
Palavras 2.037
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oie gente.
Cheguei com mais um capítulo pra vocês.
Desculpa estar postando agora, cheguei da faculdade e só reli um capítulo, estava cheia de sono.
Eu tinha que ir no banco e nem fui, meu sono falou mais alto.
Ah! Deixa eu contar: Hoje eu cheguei na faculdade, aula de morfologia. Ai conversa vai e conversa vem, meus amigos soltam que a prova é sexta que vem!
MASOQUÊ? EU TAVA PENSANDO QUE ERA DIA 26! Chorei? Chorei. Eu não sei nada da matéria.
Quer dizer, saber eu sei, mas meu professor discorda de tudo, imagina esse troço lendo minha prova e meus trabalho? Chorei.
Enfim
Boa leitura.

Capítulo 7 - Amadurecendo


A semana da gincana tinha passado e junto dela toda a disposição que Jongin e Kyungsoo tinham. Os pais do Do estavam viajando a trabalho e por isso nem faziam ideia de como Kyungsoo estava exausto, diferente dos Kim, que sabiam exatamente o estado deplorável que o único filho estava.

Era domingo e a sra. Kim estava esperando ansiosa para que seu filho acordasse. Ele tinha passado sábado inteiro dormindo e só acordou quando sentiu fome, para logo dormir de novo. Ela queria conversar com ele e aguardava ansiosa para que seu filho sentisse fome.

Não demorou muito para que Jongin sentisse o cheiro do almoço e começasse a despertar. Levantou sonolento, seguiu para o banheiro, fez a higiene matinal e desceu as escadas para almoçar, almejando logo matar a fome e voltar para cama.

-Boa tarde... - Jongin murmurou ao entrar na cozinha e ver seus pais sentados à mesa.

-Filho! - a sra. Kim falou animada. - Senta aqui, venha, venha.

-Boa tarde, filho. - o sr. Kim saudou comendo.

-Que tanta animação é essa? - Jongin perguntou ao se sentar e ver seu prato já pronto. - Está querendo me falar alguma coisa né?

-Sim. Eu quero conversar com você, filho. - a sra. Kim respondeu. - É sobre a sua nova vida.

-O que tem ela? - Jongin indagou enquanto comia.

-Você não precisa passar por isso, filho. Você só dorme 5 horas por dia e ainda estuda. Você não precisa disso, se quer trabalhar, trabalhe pelo menos meio período. Não precisa se sacrificar tanto.

-Omma, daqui a dois meses dá pro Soo e eu comprarmos uma casa com nosso salário...

-Uma casa minúscula né? - a mãe desdenhou.

-Mas será NOSSA casa. - Jongin deu ênfase. - Não estamos em busca de luxo, desde que tenha um quarto, uma sala, cozinha e banheiro, dá pra viver bem.

-Se tiver um quarto, onde vão dormir 4 pessoas? Para com essa loucura, Jongin. - a mãe insistia.

-Durmiremos no mesmo quarto. Eu não vou mudar de ideia em relação a nada, omma. Por favor, não insista. - o moreno pediu.

-Isso tudo é pelo seu futuro filho ou por Kyungsoo? - sr. Kim falou pela primeira vez.

-O que quer dizer? - Jongin perguntou parando de comer e sentindo o coração acelerado.

-É que, por mais que eu pense, se você estivesse realmente preocupado com a criança, aceitaria todos os mimos da sua mãe. Você sabe que seria o melhor, mas você prefere viver do modo mais difícil. Está pensando na criança ou em Kyungsoo? - questionou fitando o filho.

-Nos dois. - Jongin respondeu sem hesitar, mesmo que estivesse com o coração acelerado. - Eu sei que seria melhor que meu neném tivesse os mimos da minha mãe, mas não quero que vocês arquem com o que eu fiz. Eu preciso assumir minha responsabilidade, mas não vou dizer que essa minha atitude partiu de mim. Quer dizer, partiu, mas ela é montada ao redor do Soo. Eu estou vendo que ele está passando pelo mesmo que eu, mas está sendo completamente responsável. Se ele consegue, eu também consigo. - explicou e respirou fundo. - Ele é meu melhor amigo e me conhece melhor que vocês. Todos viraram as costas pra ele. - falou encarando os pais. - Até quem deveria ser o principal apoio dele, lhe deu as costas. Ele estaria sozinho se dependesse de todo mundo. Eu não vou ser mais um a ignorar tudo o que ele está sentindo e passando. Ele não está sozinho, porque tem a mim. Eu sempre estarei do lado dele, assim como ele sempre estará do meu. Vocês não sabem, mas o Soo não é tão forte assim. - terminou de dizer e se levantou.

Seus pais ficaram calados e olhando o filho se levantar. Jongin tinha perdido o apetite. Não gostava quando seus pais, principalmente sua mãe, pedia para que ele desistisse de tudo. Não sabia se ninguém o considerava capaz de aguentar as dificuldades ou se ele era realmente um inútil. A única coisa que Jongin sabia, é que sempre correria para caminhar ao lado do seu hyung e por isso teria que enfrentar os obstáculos da forma mais difícil que eles viessem se mostrar. Não iria fraquejar em momento algum, desde que tivesse seu melhor amigo ao seu lado.

 

-x-

 

Um mês se passou desde que os melhores amigos tinham começado suas novas vidas. Jaehee e Sehyun estavam grávidas de 4 meses. Kyungsoo e Jongin estavam ansiosos para saber o sexo do bebê e a consulta seria dentro de duas horas. Caíra no sábado a consulta e por isso os dois puderam ir juntos das garotas.

O custo das consultas, exames e todos os outros gastos - que uma gravidez poderia dar - eram financiados pelas próprias garotas. Kyungsoo tentou se esforçar para pagar, mas os pais de Jaehee falaram que bancariam todos os custos, porque queriam que a filha tivesse do bom e do melhor, para não ocorrer problemas futuros com herdeiros legítimos. Sehyun já decidiu pagar por si mesma, porque queria gastar o dinheiro do noivo a quem era prometida. Por todos esses motivos, o objetivo de comprar uma casa antes dos 7 meses seria possível para os dois adolescentes.

Jongin buscou Kyungsoo, como fazia quando iam para a escola, com o diferencial de ambos estarem agitados tão cedo da manhã. Jongin pedalava bem rápido para chegar logo ao hospital, enquanto Kyungsoo comentava sobre os lados positivos e negativos de ter uma menina ou um menino. 

-Chegamos. - o moreno anunciou assim que avistou o hospital.

-Será que a Jaehee já foi atendida? - a pergunta de Kyungsoo incomodou ao mais novo. - Vou na frente, não quero perder nada. - o mais baixo avisou e saiu correndo apressado assim que Jongin parou a bicicleta.

-Jaehee, Jaehee, Jaehee... - Jongin resmungava enquanto prendia a bicicleta no ferro.

Jaehee e Jongin se gostavam tanto quando um rato e elefante. O moreno entrou no hospital e perguntou pela paciente Sehyun, tendo que dar seu nome para ser liberado a encontrá-la. Mal entrou no quarto e foi recebido com as batidas de um coraçãozinho.

-Jongin, olha o coração do seu filho. - a menina falou assim que viu o garoto entrar no quarto.

-Já sabem o sexo? - Jongin perguntou animado.

-Acabei de descobrir. - o médico avisou e logo Jongin ficou ansioso para saber.

 

-x-

 

-Vocês vão ter um casal?! - Luhan, Sehun, Baekhyun e Chanyeol gritaram.

Os meninos tinham combinado de dormir na casa de Kyungsoo naquele final de semana, para que assim o baixinho não se sentisse tão sozinho na ausência dos pais, que ainda estavam em viagem de trabalho.

-Sim! - Kyungsoo e Jongin responderam juntos.

-Eu vou ter um menino e o Soo uma menina.

-Não sabia que estavam grávidos. - Chanyeol zombou e todos reviraram os olhos.

-Que piada hein? Tinha uma melhor não? - Baekhyun questionou e viu o namorado gargalhar ainda mais.

-Então quer dizer que vai ter uma mini-Soo? - Luhan perguntou interessado. Ele era louco por crianças, ainda mais uma menina.

-Sim! Imagina como ela vai ser fofa! - Jongin quem respondeu, estava todo babão para cima da filha do amigo.

-Será que ela vai puxar mais a quem? Jaehee ou Kyungsoo? - Sehun provocou. Jongin na mesma hora fechou a cara.

-Espero que puxe o Soo. - o moreno respondeu sem pestanejar.

-O menino tem que puxar o Nini também. Vocês nem imaginam o quanto o Nini era uma coisa fofa quando neném. - Kyungsoo comentou para mudar o clima.

-Era? - Jongin perguntou semicerrando os olhos.

-É porque agora você é sexy. - Kyungsoo soltou sem pensar e ao ver os olhos dos amigos arregalados e a boca aberta, corou.

-Mas também sei ser fofo, hyung! - Jongin fez manha para mudar o clima. Aquele tipo de coisa só era dita quando estavam os dois, então Jongin sabia o quanto Kyungsoo deveria estar desejando sumir.

-Acha o Jongin sexy, hyung? - Sehun perguntou travesso. Ele não ia deixar passar.

-Você também não acha? Não é atoa que ele pega todo mundo. - Kyungsoo tentava contornar a situação.

-Menos você. - Sehun retrucou e Luhan lhe deu um beliscão disfarçadamente.

-Também não peguei vocês, bebêzão. - Jongin comentou e trocou caretas com Sehun.

-Então Soo, vocês já foram ver a casa que pretendem comprar? - Luhan questiou para ignorarem os outros dois.

-Ainda não. Estamos sem tempo e ainda falta 2 meses pra conseguirmos alguma coisa. - Kyungsoo respondeu.

-E os móveis? Vocês já foram ver? Pra ter uma base de preços? - Baekhyun estava curioso.

-Não, porque só vamos comprar o essencial. Precisaremos de uma cama, dois berços, geladeira e fogão. Televisão, sofá, mesa, cadeiras e essas coisas podem esperar. - o baixinho explicou.

-E o guarda-roupa? - Chanyeol lembrou.

-Vamos tentar arrumar uma casa que já tenha o guarda-roupa embutido, pra ser menos coisas a comprar.

-O guarda-roupa de vocês é embutido? Porque muita coisa vocês poderiam levar de casa. - Sehun comentou.

-Se nossos pais nos deixarem levar coisas nossas, tudo vai ser mais fácil. - Jongin murmurou.

-Eles vão deixar sim, agora vamos falar do sexo das crianças. UMA DO E UM KIM! - Luhan falou animado.

-EU VOU SER O PADRINHO DO CASAL! - Chanyeol avisou.

-Quê?! Eu que vou! - Luhan brigou.

-Eu que... - e então os meninos começaram a discutir.

Kyungsoo e Jongin apenas riam, porque eles não tinham pensado em nada de padrinhos para os bebês, estavam apenas focados em conseguir uma casa e estabilidade. Depois que conseguiram calar os amigos, foram jogar vídeo-game para se distrair.

O primeiro a adormecer foi Chanyeol, depois Luhan, Sehun, Jongin e Baekhyun. Kyungsoo permanecia acordado e olhando os amigos. Olhava principalmente Jongin. O moreno tinha adormecido com a cara na cabeceira da cama de Kyungsoo, que era de vidro.

O baixinho riu por ver a face acobreada esmagada no vidro de sua cama. Engatinhou pelo colchão até ficar perto da cabeceira. Fitava o rosto de Jongin com um sorriso bobo nos lábios. Jongin era tão bonito e alguém tão bom, que Kyungsoo sentia o coração ainda mais acelerado.

Não é porque Kyungsoo nunca viu Jongin dormir, afinal, já tinham dormido na casa do outro várias vezes. A situação só estava diferente no momento, porque Kyungsoo já não tinha mais certeza do que realmente sentia. Quando dissera, mais cedo, que Jongin era sexy, não fora mentira. A cada dia o moreno se tornava alguém mais bonito e responsável. Kyungsoo só conseguia assistir as coisas de longe e agradecer pelo maior estar o apoiando em um momento difícil da vida. Sabia que Jongin não precisava passar nem pela metade do sufoco que estavam passando.

-Nini... - o baixinho suspirou e acariciou a face de Jongin através do vidro que os separava.

Sentia um sentimento tão grande pelo mais novo, que não conseguia explicar. Fitou os lábios carnudos de Jongin e sentiu vontade de se aproximar. Seu rosto estava sendo puxado como se fosse atraído por um ímã. Foi no meio dessa atração, que Kyungsoo cedeu.

Com o vidro os separando, Kyungsoo beijou os lábios de Jongin. Fechou os olhos para imaginar que o toque era macio e quente, não duro e frio. Se afastou depois de alguns segundos e sentiu o rosto corar.

-Mas que porra eu tô fazendo? - murmurou para si mesmo e deitou na cama, de forma desesperada.

Kyungsoo puxou o edredom para cima de sua cabeça e se encolheu envergonhado. Queria cavar um buraco por ter feito o que fez. Agradecia por ter feito essa burrada com todo mundo dormindo. Sentia vergonha demais. "Céus, por que eu senti vontade de beijar o Nini?" se perguntava tentando colocar os pensamentos em ordem.

Antes de dormir, Kyungsoo se convenceu de que tudo era menos pior, por ninguém ter visto. O dono de olhos grandes só não sabia que uma pessoa tinha aberto os olhos bem na hora de seu ato. Baekhyun assistiu tudo de forma silenciosa e com um sorriso travesso no rosto. Torcia para Kyungsoo e Jongin ficarem juntos e depois do que viu, tentaria dar uma empurradinha nas coisas. Iria ser o cupido do casal.                         


Notas Finais


O que vocês acham?
O Jongin está amadurecendo pelo Soo, pela criança, pelos dois, por si mesmo ou só se iludindo, pq na verdade está abrindo mão de mordomia pra ficar ao lado do Kyungsoo?
Beijocas de tapioca doce.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...