História Inconvenient Teens - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroko no Basuke
Personagens Akashi Seijuro, Aomine Daiki, Kagami Taiga, Kise Ryouta, Kuroko Tetsuya, Midorima Shintarou, Murasakibara Atsushi
Tags 7some, Akakuro, Aokaga, Aoki, Kagaki, Kagakuro, Kikuro, Kiseki No Sedai, Kuroko No Basket, Midotaka, Muraaka, Murahimu, Ot7
Exibições 42
Palavras 2.175
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Harem, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


⠀⠀Annyeong ~
⠀⠀Já faço questão de dizer que foi inspirada nas músicas do My Chemical Romance e na fanfic da @sasahtiwiki.
⠀⠀Links nas notas finais. ~

⠀⠀Viso informar, igualmente, que estou mais familiarizada com drama...
⠀⠀Talvez a comédia saia meio merda.
⠀⠀Já que esse gênero não é bem a minha praia. Mal aí.
⠀⠀Espero que divirtam-se lendo. ~

Capítulo 1 - Aceite o seu eu se quiser ser popular




⠀⠀⠀⠀⠀⠀Adolescência é a fase mais desgraçada da vida de um ser humano, que marca a transição complicada entre a infância e a idade adulta, uma fase que parece durar séculos judiando do físico e do psicológico de um jovem que dizia-se comum até então enfrentar a sua nova evolução. A tal é caracterizada por alterações no qual todos estão cientes que podem ocorrer em diversos níveis – físico, mental e social – e representa para o jovem um processo de distanciamento de um comportamento sociável e até atributos típicos da noção do correto, sem esquecer da aquisição de características mais maduras. Também sendo obrigado a adequar-se a agir em competência que o capacitem a assumir os deveres e papéis sociais de um adulto, ou simplesmente dificulta-lo propositalmente até atingir o próximo nível e continuar imaturo.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀Como se viu, as mudanças típicas da adolescência iniciam, em maioria, em uma idade específica da vida. No entanto, alguns adolescentes iniciam o seu amadurecimento mais cedo do que a média enquanto outros o fazem mais tarde, nessa estória estes jovens não querem nem saber se um dia são capazes de amadurecer mentalmente. E isso ainda fica mais claro em suas atitudes...


⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Olhe nos meus olhos, e diga que não me ama, Carlos Daniel! — De forma cômica o azulado segurava o rosto do esverdeado bem próximo ao seu com uma expressão digna de novela mexicana, com direito a entonação de voz dramática e tudo, já a vítima parecia noiada demais para recusar o gracejo.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Eu não te amo, Aomine... Eu... Você... É uma usurpadora... — A voz saiu espremida assim como sua cara, seus lábios praticamente ejetaram um pouco de saliva mas não acertaram o azulado que apenas começou a cena mas desnecessária já vista, ele apenas soltou um desabafo agudo enquanto colocava uma de suas mãos na testa. Desnecessário, e idiota. Já o esverdeado, apesar da wave que estava tendo, possuía ainda seu ar monótono e sério, parecia que ainda reconhecia as burrices de Aomine mesmo com uma pitada de preguiça e moleza no corpo.


⠀⠀⠀⠀⠀⠀Mal sabiam aonde estavam, mas tudo indicava que estavam no covil – no quarto bagunçado – de Murasakibara. A maioria estava dopada demais graças a um doce distribuído pelo roxeado, nunca aceitem algum lanche oferecido por este cheirador de açúcar. Senão você pode acabar como esses quatro trouxas – Aomine, Midorima, Murasakibara e Kagami – agindo iguais a idiotas que aproveitaram bem a festa mas acabaram por ser os perdedores que não agem com noção no final dela e acabam sendo julgados por aqueles que não viram graça naquilo desde o começo, e como se não bastasse o drama mexicano desses dois, ainda o próprio residente do quarto dormiu que nem uma pedra – dentro do próprio armário – após ingerir mais uma carreira seguida de um doce. Já o quarto em meio essa história, o ruivo mais responsável, que agora nem é tanto pois foi enganado pelo residente que dizia ser um doce comum, agora estava morto e roncando levemente na cama anormalmente grande que acomodaria o roxeado dopado.


⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Como você não pode amar um ser tão gostoso quanto eu? — Esbravejou segurando o intelectual que estava com cara de sono, o braço do azulado era a única coisa que estava mantendo o esverdeado ainda de pé. Ou quase isso, já que o mesmo fazia questão de gesticular enquanto falava altas baboseiras egocêntricas. — Você tem problemas sérios, quatro-olhos, se eu visse um clone meu passeando na rua, eu mandava o Tetsu jogar água nele pois eu iria passar o rodo! — Gritou, atraindo o olhar reprovador do mencionado.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Convenhamos que o Aominecchi é bem bonito, ssu ~ — O loiro já começou com suas falas que faziam todos ali o olharem torto, como se já não bastasse a sua chatice natural e meninices que recusava que dissessem que transparecia. — Não me olhe assim, Kurokocchi! Será que um homem não pode elogiar outro homem? ~
⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Não a nada de errado nisso, Kise-kun. — O loiro sorriu vitorioso mudando a posição das pernas cruzadas, agora a esquerda estava em cima da direita. — Porém sabemos da sua “fama” por entre os corredores da escola... Então...
⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Tá me estranhando loira do banheiro? Eu curto outra fruta! — Descontrolou-se após o ligeiro elogio inocente, derrubando o esverdeado que caiu que nem uma jaca podre no chão e interrompendo o azulado inexpressivo de continuar seus argumentos. O esverdeado acabou por pegar num sono profundo e soltar um ronco que mais parecia uma locomotiva velha. Logo o azulado drogado reagiu olhando o esverdeado numa posição cômica com o rosto raspando no carpete felpudo lilás e com o traseiro levantado... — ...Êpa, foi mal Midorima.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Aaaah! ~ Que cruel! — Choramingou inflando as bochechas e depois empinando o nariz para direção oposta, parece que não se livraria facilmente do bullying que sofria entre seus únicos amigos.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Aomine-kun, tire o Midorima-kun do chão, por favor. — Iniciou o outro azulado com as unhas pintadas de preto que adornavam um copo vermelho de plástico com uma bebida alcoólica, ele estava acomodado numa poltrona julgando rapidamente de cato de olho o loiro, mas sem desfocar o seu educado pedido. Ele parecia bastante revoltado com a situação em que estavam, principalmente ao ver que seu melhor amigo o deixou por ter comido o que não devia. O que restava era fazer o que fazia de melhor, e com gosto: — Se fosse com você, você acabaria por achar ruim, não é? Então tire-o daí.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Você sabe ser bem ríspido e gentil ao mesmo tempo, hein, Testu? Oxê.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Kurokocchi é tão fofo quando dá tiradas em alguém!
⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Aconselho a se meter somente nos seus assuntos, Kise-kun.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Cruel!


⠀⠀⠀⠀⠀⠀O clima de fim de festa e de começo de um chilique feminino desnecessário foi devastado após a porta bater com tudo na parede, assustando até mesmo os únicos dois – Mursakibara, é claro, e Midorima – que capotaram após ingerir o que não deviam. O ruivo autoritário que ostentava roupas de mauricinho observava o olhar espantado de todos por ali, exceto o outro ruivo que dormia até mais do que o roxeado que bateu a cabeça em algum lugar durante o susto, fazendo com que uma pilha de roupas caísse em sua cabeça.


 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Porra, Murasakibara! — Aomine aproximou-se segurando o riso, e também um sutiã bastante ousado da mesma cor dos cabelos do roxeado. — Eu até suspeitava que o Kise demorava até demais pra sair do vestiário, mas tu metido com essa boiolagem?
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— ...Eu vou te esmagar, Mine-chin... — O roxeado agarrou a peça, estava ainda meio noiado, então sua frase característica saiu junto a um riso de um verdadeiro drogado. Os dois se olharam e começaram a soltar umas risadinhas falhadas como se isso fosse a melhor piada que já ouviram, ou visto.
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Chega, não temos tempo para discutir a orientação sexual de ninguém. — Começou já impaciente o ruivo de olhos coloridos, fechou a porta atrás de si com mais agressividade do que sua entrada. Mas isso não deixou de fazer a veia do roxeado saltar furiosamente e fazer o azulado segurar a risada com as duas mãos. — Enfim, acho que terei de repetir o quão fracassados somos...
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Mas, Akashicchi, eu estou no alto da liga de basquete e ainda sou modelo! Como pode ainda me chamar desse jeitinho?
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— “Jeitinho”... Cara, cê é muito gay.
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Continuando... — Pigarreou olhando diretamente para o azulado que levantou-se do chão após a aproximação do ruivo, como se estivesse fugindo, ou apenas arrumando um lugar comodo. Já que o ruivo estaria recomeçando mais uma de suas palestras no qual a maioria fazia questão de ignorar por serem mais chatas que a própria professora de geometria. — Convenhamos que somos os excluídos de tudo, não só por sermos...
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Esquisitos?
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Drogados...
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Ignorantes...?
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Bonitos? ssu ~
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Invejosos, já que eu sou o mais bonito por aqui e por conta disso vocês tem um complexo de inferioridade?


 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀Todos olharam o azulado, típico, era o que podia-se dizer da personalidade previsível de um cara como este. Um pouco revoltante também ter que ouvir isso todos os dias, e aparentemente ficar cada vez pior. Mas isso não vem ao caso no momento, estamos ainda no começo e isso nem se quer define o jeitinho egocêntrico e insuportável do azulado. Continuando o, talvez, importante discurso:


 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— ...Peculiares. — O ruivo fez questão de responder a própria pergunta, ainda encarando de esguelha o azulado que fazia uma expressão de que não teria falado nada demais. — Somos meros rótulos descartáveis na escola sem nenhum destaque na primeira capa, por isso estou declarando novamente: Somos um bando de fracassados que merecem ser reconhecidos.
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— E o que você sugere, Akashi-kun? ...Olhe para nós somos um quarteto ridículo só que sete vezes mais ridículo. Olhe para nós! — E assim o ruivo de olhos coloridos olhou, no rosto de cada um. Julgando as caretas narcisistas do próprio azulado. Acabando por ser interrompido pelo suspiro pesado do azulado inexpressivo. — Sou um gótico trevoso, o Aomine-kun é um delinquente irresponsável e pervertido...
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Oxê, o que tu tem contra mim Tetsu?
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Pior que ele não está falando mentiras, Aominecchi.
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— ...O Kise-kun pode ser modelo e atleta, porém todos o enchem de suspeitas por ter seu jeito diferente... — Ignorou a conversa dos dois, abrindo-se, e abrindo, a mente dos dois citados sobre suas respectivas personalidades. O loiro, ouvindo sem argumentar, abaixou a cabeça com um olhar triste... Parecia divagar em pensamentos já ocorridos sobre esse assunto, não tardando para o azulado inexpressivo continuar... — O Murasakibara-kun pode até ser uma pessoa fácil de lidar por ser calmo até demais, mas o que dizer da sua reputação? Já perdi a conta de quantas vezes o diretor veio na sala de aula com policiais procurando por drogas! — O azulado encarou fielmente a figura do roxeado, ele olhou para as próprias mãos que agarravam seus pés, já que ainda estava sentado. Kuroko então encarou Akashi que parecia tão perturbado quanto os mesmo citados, chegou sua vez. —...Sem desrespeitar você, Akashi-kun, mas o que dizer de você? Autoritário tanto quanto os professores, exigindo demais de cada um e reprovando os atos que, em sua opinião perfeccionista, são completamente ignorantes. Todo mundo na escola te odeia por conta disso! — O azulado parecia cuspir as próprias palavras com desgosto. Chegava a fazer a maioria abaixar a cabeça e tentar desvanear para afastar aquilo que fazia seus estômagos embolarem. — Já cansei de ver as pessoas tratando o Midorima-kun mal e zoarem ele por ser inteligente demais e não ter o melhor porte atlético por aqui... E o que do Kagami-kun?! Ele é o mais normal de todos nós, tem vezes que acho que ele só anda com a gente por pena!


 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀Era demais para qualquer um ouvir aquilo, era verdade, nua e crua. Cada demônio jogado na cara de cada um e tornando tudo mais complicado. Ainda mais sendo jogada pela pessoa no qual todos ali realmente gostavam de sua presença e importavam-se caso não esteja ali. Foi então a vez de Akashi-kun suspirar pesadamente, ver seus únicos amigos ficarem em meio a um clima tenso e negar-se a falar mais uma palavra por estarem intimidados.


 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Não quero condenar ninguém, vocês são amigos legais e me fazem rir de vez enquanto. Só que o que Akashi-kun está idealizando que devíamos ter aquilo que não nascemos para ter... — Sua voz saiu baixa, agora olhando para o copo vermelho depositado em seu colo, o líquido parecia tremer levemente. — Então me diga, Akashi-kun, você nos diminui nos chamando de fracassados. Mas ninguém aqui é diferente, só não temos-
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Destaque. — Kuroko sentiu o ombro ser tocado, o outro ruivo acordou sem ninguém ter percebido. Recebeu o olhar de todos ali por ser o único a pronunciar algo além do azulado inexpressivo. — ...Ninguém aqui precisa de destaque para ser reconhecido, mas se é isso que todos almejam, por que não ignoramos o nosso passado e erros? Sei que vamos conseguir derrubar a hierarquia clichê da nossa escola mostrando que até o gótico, o delinquente, o atleta, o gênio, o drogado e o presidente do conselho, podem ser mais do que meros coadjuvantes nas vidas daqueles que estão no topo!
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— É por isso que o Kagamicchi é tão legal! ssu ~ — Afirmou o loiro motivado, olhando para os companheiros admirados pelas palavras do companheiro.
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Concordo com o Bakagami, posso ser autodestrutivo mas sei que tenho potencial...
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Eu topo... Kaga-chin tem os melhores discursos... — O roxeado esboçou um mínimo sorriso recebendo um aceno positivo da maioria. Parecia como mágica as palavras do ruivo, não era atoa que todos ali gostavam pra valer de sua pessoa. 
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— Mesmo com as sábias palavras do Kagami, — Interrompeu a euforia dos demais, o esverdeado então ajustou o óculos e olhou fielmente a figura ruiva. — o que a sua pessoa sugere para chegarmos ao topo sem danificar os nossos ideais eu?
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀— É aqui que eu entro, Shintarou. — Recomeçou o outro ruivo, ele aproximou-se com um sorriso vitorioso nos lábios. — Eu tenho grandes ideias para sermos os donos do pódio.


Notas Finais


⠀⠀Teenagers, http://s2.vc/6s1n
⠀⠀Young Folks, http://s2.vc/6ruw

⠀⠀Eu tenho que admitir, nunca me senti tão animada.
⠀⠀Era para eu postar amanhã cedo, no caso, hoje cedo, porque... Né?
⠀⠀Mas enfim, espero que tenham gostado! ~

⠀⠀Ah, sim.
⠀⠀Vai ter suruba sim, porque eu sou uma pervertida.
⠀⠀E é culpa das fanfics de OT7 de BTS.
⠀⠀Vlw. Flw.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...