História Indesejada - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Colegial, Drama, Família, Incesto, Mistério, Novela, Originais, Original, Passado, Revelaçoes, Romance, Suspense, Triângulo Amoroso
Exibições 59
Palavras 876
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Incesto, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Boa tarde para vocês! Cheguei para marcar presença. Obrigada por estarem acompanhando até aqui ♥

Capítulo 33 - Sou uma má amiga


De pé agora já fora do prédio eu passei a mão pelos meus cabelos e tirei o chapéu de Henry que repousava no topo da minha cabeça. Eu sabia que o motivo para a mudança de comportamento de Stela comigo não estava relacionada com a nossa briga, e sim com Henry. Durante todo o tempo que Stela passou comigo ela ficava nervosa quando me via com ele e eu normalmente me distanciaria para agradá-la, mas não quero me distanciar do meu amigo, não quero observá-lo de longe conversando com outra pessoa. Henry consegue ser uma pessoa cheia de energia mesmo se estiver passando por uma situação difícil, o admiro muito, tenho muito carinho por ele. Apesar de tudo ainda considero muito a Stela, mas simplesmente não posso deixá-lo.

—Quer sair um pouco? –uma voz atrás de mim perguntou.

Surpresa eu acabei me virando no mesmo momento.

—Kaius...

Kaius colocou uma lata de cerveja em minha frente e se sentou ao meu lado.

—Em comemoração por você ter conseguido. –ele falou erguendo sua lata de cerveja e em seguida tomando um gole.

Eu consegui alguma coisa por acaso? Quem conseguiu tudo foi o Henry, e a agora mesmo que eu quisesse me distanciar dele para ajudar Stela não seria o suficiente.

—Você está ouvindo? –Kaius perguntou colocando a lata gelada sobre minha testa.

O olhei de cara feia.

—Você ouviu minha conversa com Henry? –perguntei.

—Uma parte sim e a outra eu deduzi. –falou limpando sua boca com a jaqueta.

—E o que exatamente você deduziu?

—Você escreveu a música, Henry foi lá e cantou ela. –Kaius respondeu.

Abri minha cerveja e tomei um gole.

—Você está assim porque te incomoda que Henry tenha tomado seu lugar? –ele perguntou colocando uma mecha de seu cabelo atrás da orelha.

—Eu não vejo as coisas assim. –respondi tomando um grande gole e soltando um suspiro.

—Como?

—Eu não vejo como se Henry tivesse tomado meu lugar. Henry é uma pessoa muito boa, ele fez o que pôde para me ajudar, sou muito grata. –falei de olhos fechados sentindo o vento bater em meu rosto.

—Sobre a Stela...

—Isso que me incomoda, –interrompi –mesmo com tudo que ela tem feito eu tenho uma grande afeição por ela, mas eu também tenho uma grande afeição pelo Henry. Eu fiquei mal vendo os dois juntos, isso faz de mim uma má amiga, não é?

Kaius ficou em silêncio por um momento.

—Você já está gostando dele, é por isso que está assim. –ele comentou virando o resto da sua cerveja.

—Eu gosto do Henry? –perguntei avaliando minha própria pergunta.

Tenho um grande carinho por Henry sim, ele me faz muito bem e não quero me distanciar dele, mas...

—Você passa a gostar tanto da pessoa que torce pra ela ficar com alguém melhor que você, mas por outro lado você não quer perdê-la. –Kaius disse sem me olhar.

—É assim tão ruim não querer deixar alguém que te faz bem? –perguntei virando-me para ele.

Ele deu seu típico sorriso torto.

—Não. Mas em certas situações você deixa por fazer mal pra pessoa, se esse não é o caso então eu não vejo motivo pra deixá-la. –respondeu.

—Você está dizendo que abriria mão de uma pessoa que gosta porque faz mal pra ela? –perguntei incrédula.

—Sim.

—E se ela acabasse com outra pessoa estaria tudo bem com você?

—Sim, eu teria feito o que era melhor pra ela.

Olhei para ele petrificada.

—Que diabos de sentido isso faz? –perguntei me colocando de pé.

—Como assim que diabos... –Kaius também se colocou de pé.

—Você toma uma decisão sozinho porque acha que é o melhor pra uma pessoa, em seguida joga ela pra alguém... Como ficam os sentimentos da outra pessoa aqui? Por que você está ignorando o que a outra pessoa sente? –perguntei irritada.

—Eu não estou ignorando nada, se você gosta de alguém você vai fazer o que é melhor pra outra pessoa. –retrucou.

—E quem é você pra escolher o que é melhor? A outra pessoa deve decidir o que é melhor pra ela, você não pode simplesmente decidir a vida de alguém porque acha que é o melhor.

Kaius ficou parado sem saber o que responder.

—Que merda de lógica é essa que você brinca com os sentimentos de alguém... –resmunguei.

Eu já estava bastante irritada com toda a conversa e então olhei para o Kaius e ele estava segurando uma risada.

—O que foi? –perguntei de cara feia.

—Nada. –respondeu deixando escapar a risada.

Kaius se apoiou em seus joelhos e riu tanto que lágrimas brotaram dos seus olhos. Vendo ele daquele jeito fez com que eu deixasse escapar um pequeno sorriso também.

—Idiota. –falei dando um tapa em sua cabeça e então caminhando de volta para o campus.

—VOCÊ ESTÁ PROCURANDO BRIGA? –ele gritou atrás de mim.

Comecei a correr e pude sentir o vento passando pelos meus cabelos, minhas orelhas pegavam fogo, meu corpo estava todo quente e eu sorria. Eu não estava achando nada engraçado, o sorriso simplesmente tomou conta do meu rosto e não quis ir embora, talvez porque Henry não era o único capaz de me fazer sorrir, havia outra pessoa que me fazia bem e eu nunca tinha percebido, Kaius também estava comigo.


Notas Finais


Espero que estejam gostando ♥ kkkkk adoro os comentários de vocês, sério. Obrigada por tudo e até o próximo capítulo. ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...