História Indesejada - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Colegial, Drama, Família, Incesto, Mistério, Novela, Originais, Original, Passado, Revelaçoes, Romance, Suspense, Triângulo Amoroso
Exibições 49
Palavras 1.284
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Incesto, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 35 - Novos caminhos


Fanfic / Fanfiction Indesejada - Capítulo 35 - Novos caminhos

Tomei um banho, vesti meu pijama e voltei para o meu quarto com uma caneca de chocolate na mão.

Mesmo que eu tentasse bloquear meu pensamento Kaius sempre surgia novamente. Eu devo estar louca para ficar pensando naquele garoto, ele me tira do sério.

Dei um pequeno gole no chocolate e fechei os olhos desfrutando do seu doce sabor. Me senti aquecida e relaxada, é assim que me sinto quando não tem Kaius por perto. Espera, por que estou pensando nele de novo? Sacudi a cabeça e tomei mais um gole do chocolate, tenho que esvaziar minha mente.

—Ah, você estava aqui. –alguém falou atrás de mim.

Acabei engasgando com o chocolate no susto, me virei tossindo para a pessoa que estava entrando pela janela. Henry correu e deu alguns tapas em minhas costas.

—Mas que merda... O que foi agora? –perguntei afastando-me dele.

—Ué, você sumiu. –falou se sentando em minha cama com as pernas cruzadas.

—Fui dar uma volta com o Kaius. Você não pode entrar no quarto de uma mulher assim Henry! –disse me sentando na poltrona perto da TV.

—Como assim? –perguntou com uma expressão falsa de inocência.

—E se eu estivesse me trocando?

—E daí? –insistiu.

—E daí que meu quarto é a casa da mãe Joana? –perguntei nervosa.

—É. –ele respondeu e deu um sorriso doce.

Peguei a almofada que estava atrás de mim e joguei nele.

—Sabe que os jurados me chamaram para dizer que adoraram a sua música, eles querem que você escreva mais. –comentou enquanto colocava a almofada entre suas pernas.

—Você disse que a música era minha?

—Não porque queria apresentar você pessoalmente e contar. –falou agora se deitando.

—Henry... –murmurei.

—Eu sei, sou demais, o melhor amigo do mundo. –disse.

—Tira os pés da minha cama. –falei batendo em suas pernas. –De qualquer forma, eu acho melhor não contar que sou eu quem escreve as músicas... Veja bem, se eles resolverem revirar o meu passado... Não vai ser bom...

—Você tem certeza? Mas você merece reconhecimento pelo seu talento. –Henry falou se sentando novamente.

—Henry, eu fui amiga do Kaius quando criança e nem me lembro disso, provavelmente tem muita coisa que eu não me lembro... Eu não sei o que esperar do meu passado.

—Te entendo, mas tudo bem em você ficar como uma compositora fantasma? –meu amigo perguntou preocupado.

—Eu já sou praticamente um fantasma pra todo mundo mesmo... E eu fico feliz de você poder mostrar minhas músicas. –respondi sem hesitar.

—E eu fico feliz em te ajudar. –ele sorriu – Ah, e pensar que eu estava todo preocupado te procurando e você tinha saído com o Kaius. Você tem ficado bastante com ele não é?

—Aquele garoto me faz tanta raiva. –soltei um suspiro de frustração.

Henry deu uma gargalhada.

—Sei exatamente como se sente.

—Mas o Kaius não é uma má pessoa. –comentei enquanto girava a caneca entre minhas mãos – Quando ele quer consegue ser o demônio em pessoa, mas ele também é muito engraçado. Quem diria que ele é o tipo de pessoa que se preocupa mais com os outros do que com ele mesmo? –sorri me lembrando da nossa conversa de mais cedo.

Henry me observava sério.

—Então é assim que você pensa nele. –falou sem entusiasmo.

Ficamos em silêncio sem sequer nos olharmos até que me lembrei de uma coisa.

—Você disse que estava me procurando Henry. –falei.

Henry olhou para mim e concordou com a cabeça.

—Você me procurou antes ou depois de beijar a Stela? –perguntei.

Ele somente arregalou os olhos sem me responder.

Dei um sorriso para tranquilizá-lo.

—Não precisa ficar tão tenso, sou sua amiga, torço por você. –falei ficando de pé e colocando minha caneca sobre a escrivaninha.

—Sobre o que eu te falei mais cedo... Eu disse para você ser quem quer ser independentemente de me querer como seu amigo ou não, eu retiro o que eu disse. –ele falou ficando de pé em minha frente.

—Huh? O que você quer dizer com isso?

—Eu quero dizer que tudo que eu fizer agora vai ser por você, você me colocou nessa posição, você escreveu a música, você ganhou aquela competição Elizabeth. –disse dando um passo para frente.

—Como assim eu ganhei? Foi você quem cantou... –disse me afastando.

—Os próprios jurados elogiaram a música que você fez. –falou dando mais um passo para frente – Tudo que eu conseguir vai ser graças a você. Estou em suas mãos.

Olhei para o Henry surpresa e ele sorriu de volta para mim.

—Eu não quero perder você, então eu vou me tornar o homem que você vai gostar independentemente de quem você se tornar. –ele colocou um dos meus cachos atrás da minha orelha e repousou sua mão ali – Mesmo que você goste de outra pessoa agora, apenas veja eu fazer tudo que está em meu alcance para ficar com você e depois tome sua decisão. –disse se inclinando em minha direção.

Seu rosto se aproximava cada vez mais, em um momento parecia ser em câmera lenta, já em outro pareceu ser rapidamente. Os lábios de Henry tocaram suavemente os meus, pisquei os olhos lentamente observando Henry se afastar de mim com o rosto corado.

—Eu acho que não devia ter feito uma coisa assim em seu quarto. –falou sorrindo nervosamente.

Eu não conseguia falar, eu não conseguia nem me mover.

—Isso é perigoso... É melhor eu ir... Tchau. –falou indo na direção da janela e em seguida batendo sua cabeça na mesma. –Eu estou legal, não se preocupe. –sua voz saiu trêmula.

Pouco depois ouvi um barulho e corri para a janela, Henry tinha tropeçado e caído no meio de um arbusto.

—Eu estou bem! –falou gemendo enquanto se levantava com algumas plantas em sua cabeça.

Sentei estupefata em minha cama.

QUE MERDA DE RUMO MINHA VIDA TOMOU?

Me joguei para trás e fiquei observando o teto.

O que eu deveria fazer nesse tipo de situação? Como eu deveria reagir nesse tipo de situação?

Dei alguns tapas em meu rosto tentando me recompor. Meu celular tocou ao meu lado e alarmada eu acabei caindo da cama.

—Quase me matou de susto! –resmunguei esfregando meu traseiro dolorido.

Peguei o celular e respondi a ligação sem sequer olhar quem era.

—Oi. –falei.

—Elizabeth? Você está bem? –a voz perguntou.

Distanciei o celular da minha orelha o nome “Kaius” aparecia na tela.

—Eu já disse que não precisa fingir se preocupar comigo. –respondi.

Eu não finjo me preocupar, eu me preocupo de verdade.

Parei a meio caminho de me sentar na cama.

Escuta, eu nunca disse que não gosto de você Elizabeth... –ele continuou – Você foi minha amiga por muitos anos, passamos boa parte do tempo juntos, mas nossa vida seguiu e nós não somos mais amigos. Eu espero que você seja feliz, mesmo que eu não faça parte disso...

Fiquei em silêncio apenas ouvindo sua respiração do outro lado da linha.

Eu acabei parecendo esquisito de novo né? Esquece isso, provavelmente bebi rápido demais... Eu só... Eu não te odeio Elizabeth. Boa noite. –e dizendo isso ele desligou.

Passei a mão em meu rosto tentando enxugar as lágrimas que escorriam sem parar. Eu me sentia tão aliviada e contente ao mesmo tempo, não conseguia parar de chorar, mas não era um choro de sofrimento, era um choro reconfortante, era algo que parecia estar preso há muito tempo. Kaius me afeta mais do que eu gostaria, e com certeza ele afeta mais do que uma simples pessoa que gostei no passado, ele é bem mais do que isso. Sinto que esse alívio não vem da minha “eu” do passado, e sim da minha “eu” do presente que se preocupa se ele ainda gosta de mim.


Notas Finais


Muito obrigada por acompanharem, por me apoiarem e me incentivarem a continuar escrevendo, eu escrevo para vocês de todo coração, espero que estejam gostando ♥
Até o próximo capítulo!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...