História Ineffable - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Fantasia, Luta, Magia
Visualizações 12
Palavras 2.606
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


kkkkkj eai
aiai faz uns meses né kkj
aí vem aquela explicação
NÃO, eu não desisti da fic, nunca vou
Eu só tava de mudança de casa
Foram duas na realidade
Eu fui pra um apartamento, fiquei uns dias lá no meio da bagunça e depois voltei pra minha casa, tudo isso dentro desse tempo que me ausentei, levando coisas e caixas
No meio da bagunça não dá pra ter inspiração, e eu não tava com cabeça pra nada
Ainda não tô, mas consegui escrever isso sz
Bom, é isso, boa leitura sz
---------
Resumo: T e x t ã o .

Capítulo 15 - Deus


Fanfic / Fanfiction Ineffable - Capítulo 15 - Deus

- coé meu, e a comida? – Disse Allen, ansioso pelo jantar. O cheiro estava  realmente muito bom.

 

- Aguarde, tudo está pronto, só resta preparar a mesa. – Respondeu Derlos, finalizando o jantar.

 

- Precisa de ajuda, Derlos? – Ofereceu Rain.

 

- Obrigado, mas já está finalizado... Sirvam-se!

 

- Eeeee, nem parece que estamos há mais de 3 meses esperando o “jantar” sair! – Disse Garren, dando uma piscadinha.

 

E então, todos foram até a mesa e se serviram. Havia sopa, sanduíches, tortas salgadas e um grande peru, que era o prato principal. Garren fez questão de implorar para Derlos preparar alguma gelatina de limão.

 

- Então Rain, queria alguns esclarecimentos em relação a você. - Disse Derlos, com sopa em seu prato.

 

- H-m..? Gemeu Rain, com a boca cheia de torta. – Sobre o que? Pode falar.

 

- Não é somente sobre você, mas sobre Glitch também. – Disse Derlos. – Afinal, como e por quê ele é o tal herói que pode matar Elo? Nem os irmãos de Elo conseguiram fazer isso por completo!

 

- É que...Bem, quando eu tava... – Disse Rain, interrompido.

 

- GLR PELAMOR DO CATRA EU TÔ CANSADO DE FICAR BOIANDO EM TODO ASSUNTO HISTÓRICO DE VOCÊS... RAIN, TU SABE MAIS DO QUE NINGUÉM DISSO. TRATEM DE ME EXPLICAR T-U-D-O! GRR – Gritou Garren, irritado.

 

- Caçilda hein. – Disse Derlos. – Ok, ok, ok. Explicaremos tudo. Então comecemos do início de tudo, da criação de tudo.

 

- textãaaao – Disse Allen.

 

- Bom, antes de tudo, havia uma poderosa força onipotente chamada Novo, que tinha o mais vasto poder, o poder da Vontade. Ele estava entediado, e resolveu criar o universo. Criou estrela por estrela, e quando terminou, ficou fascinado com sua criação. Porém, ele estava se sentindo só, e então, usou seus grandes poderes para criar um herdeiro, este era Neo, o primeiro. Novo concedeu uma variação de seus poderes à Neo, o poder da Criatividade, e o permitiu criar novas coisas para o Universo. As criações dele que mais surpreenderam Novo foram as galáxias, os planetas, as variações das estrelas e os sistemas solares. Vendo tudo aquilo, Novo percebeu que, embora Neo criasse tudo aquilo se divertindo muito, ele ainda era só, como o pai. Novo não permitiria que seu filho sofresse, e então criou outro herdeiro, e o batizou de Nelo, o segundo. Para que não houvesse injustiça e conflito, Novo deu à Nelo outra variação de seus poderes, o poder da Inteligência, e permitiu que Nelo também criasse igual ao irmão. As criações que mais surpreenderam Novo foram a física, a química e seus elementos e os fenômenos astrofísicos. Neo e Nelo se divertiam muito criando juntos.

 Novo ficava encantado com as criações dos filhos, mas percebia que havia algo faltando. Tantos eram os lugares e planetas vazios, sem uma única vida para popular, e isso despertou a vontade de Novo em criar algo: A vida. Porém, aquela ideia tão original e grandiosa poderia magoar os filhos. Novo queria transmitir a ideia que os filhos eram melhores que o pai, não o contrário. Novo os amava muito. Com isso em mente, ele criou o terceiro herdeiro, e o batizou de Elo, o último, aquele que possuiria o mais valioso poder, o poder da Vida, e o permitiu criar também.  Os irmãos receberam Elo com muito amor, e ficaram fascinados com seu poder. Os três irmãos com auxílio do pai então continuaram com as criações, e Elo criou os humanos e os animais, em um planeta chamado Terra, criado por Neo e Nelo, com um fenômeno astrofísico. Elo também criou outras formas de vida, relativas aos humanos, em outros planetas.

 

Com tudo indo bem, Elo e seus irmãos criaram a Primeira Civilização, onde o primeiro grupo de humanos viveriam tranquilos eternamente, tendo uma infinita fonte de alimento, energia e paz. Elo foi quem mais se esforçou pra criar tudo aquilo.

 

Vendo os humanos aproveitarem tudo o que havia criado, Elo se preocupou com uma coisa: os humanos eram muito desleixados. Com uma fonte infinita de tudo, ninguém se importava de criar nem cuidar de nada. Isso o irritou, e então ele decidiu criar sigilosamente algo que faria os humanos trabalharem, e criou as doenças. No começo criou a Gripe, que incomodava os humanos com espirros e tosses. A esperança de Elo era fazer com que aquilo os fizesse buscar uma cura, e criar algo inovador, mas não foi o que aconteceu. Os humanos pouco se importavam com a doença, e descobriram que se esperassem um pouco, ela sumia, então Elo se irritou profundamente, o criou o Câncer. Os humanos finalmente se importaram com ela, mas ela era extremamente letal, e estava matando os humanos. Por sorte, nem Novo, nem Neo e nem Nelo perceberam, e Elo reviveu os humanos mortos a tempo.

 

 Elo estava gostando de tudo aquilo. O quão longe ele poderia chegar com as doenças? Ele havia descoberto um novo dom, o dom da morte. Elo parecia interessado em testar isso, e então voltou com as doenças, e criou uma um pouco mais fraca, mas mesmo assim, após o surto do câncer, os humanos continuaram ignorando, e Elo não suportava mais tudo aquilo, e criou então as catástrofes. Ele fez o chão tremer, o mar subir, o ar girar e meteoritos cair.

 

 Rapidamente Novo, Neo e Nelo notaram a destruição e foram até Elo. Toda a Terra estava destruída, e Elo não parava de destruir, ele havia gostado daquilo. Neo e Nelo usaram seus poderes para parar Elo, o prendendo em um tipo de prisão de vácuo. Novo havia ficado sem ação, ele não estava acreditando no que o filho estava fazendo. É errado ele pensar isso como pai, mas no fundo, Elo era o filho que Novo mais amava.

 

Ainda preso, Elo reagiu, tentando se soltar. Neo e Nelo questionaram Elo do motivo daquilo, e ele disse que estava cansado de ver todos os humanos sendo desleixados, não inovando e não apresentarem um pingo de gratidão por tudo o que ele havia criado. Ele queria reconhecimento por tudo.

 

Neo então disse que aquela não era a forma, e que Elo estava sendo consumido pelo gosto de destruição, e que conversar seria a solução. Mas Elo negou, e se debatendo de raiva gritou que não adiantaria, e que a morte é a punição por tudo. Os dois tentaram acalmar Elo, mas não adiantou, então eles pensaram muito no que fazer, e Novo surgeriu que Elo fosse exilado. Os irmãos pensaram ainda mais, porém não havia outra forma. Por maior que fosse o amor deles por Elo, a bondade do irmão havia sumido, e assim foi feito. Usaram seus poderes e Elo virou cinzas, que se espalharam por todo o planeta.

 

Neo e Nelo reconstruíram a Terra, afim de homenagear a criação de Elo e a primeira civilização.

Após um tempo, Novo, Neo e Nelo cuidavam da Terra, até que Novo declarou que estava sofrendo com a perda de Elo, e decidiu então que deixaria tudo nas mãos dos filhos, partindo daquela realidade. Como ele deixaria os filhos a sós, os concedeu o poder da Vontade para protegerem suas criações.

 

Os irmãos usaram a Vontade para criar mais vida na Terra, e fizeram de um modo de que ela continuaria crescendo.

As cinzas de Elo continuaram na Terra, e com o poder da Vontade sendo usado, as cinzas pareciam reagir a algo. Elo era filho da vontade de Novo, e ele queria mais do que tudo criar uma civilização perfeita e continuar vivendo, então ele usou isso para ter a vontade de continuar vivo, e assim foi feito. Ele viveria se tomasse posse do corpo de alguém que tivesse vida, então, com isso em mente, ele criou sua mais mortal criação, o Ódio.

 

O Ódio é a mais poderosa arma de influência que já existiu, é como um doença. Ele se aloja onde existe desigualdade, conflito e guerra, e nos leva ao quase impossível, criando guerras, brigas, morte e destruição. O conceito do Ódio criado por Elo era acabar com o erro que seus irmãos colocaram em sua criação, e continuar a expandir uma civilização perfeita, onde quem venerasse Elo e criasse sem descanso seria imortal.

 

E é assim até hoje. Quem é possuído pelo Ódio adentra para o vasto exército de Elo.

 

- coroi – Disse Garren.

 

- kkj ai minha crença – Disse Allen.

 

- Bls né, embora eu não acredite vou ficar quieto – Disse Garren. – Mas eu não acabei não fi. Sua vez, Rain.

 

- Hã? – Gemeu Rain.

 

- Agora tu desembucha que tu vai me contar tudo – “Ameaçou” Garren. – Primeiro, por que tu não me ajudou nos combate? Tu só ajudou com o Derlos e olhe lá hein. Segundo, como e por que tu fica se escondendo? Como tu sabe que eu era esse tal herói? Explica T U D O.

 

- minha nousa – Disse Allen.

 

- Realmente, eu acho que fiz muito mistério... Peço desculpas. – Disse Rain. – Bom, vamos lá... Eu não te ajudei nos outros combates simplesmente porque eu não podia... Eu nunca te contei, mas eu percebi que você fica mais forte a cada luta devido a algo que só você tem e eu não sei... Tenho muito medo de que algo aconteça se eu interferir nisso. É por isso que eu só te ajudo às vezes... Outra coisa que eu não contei é que eu sou meio que um fantasma. Resumidamente Elo também tem o poder de absorver almas com o Karmic Megagon, e nisso eu tive a minha absorvida e descobri que o real Snow ainda estava vivo, sem o Elo, na parte que não foi possuída pelo ódio, a parte da vida dele. Lá eu me curei e ele me teleportou de lá para o mundo real, isso eu estando ainda como uma alma. Aí eu procurei meu pai e expliquei pra ele o que houve, e ele disse que eu devia te achar pra impedir o Snow e tal. Ele mesmo não foi atrás de você porque só ele e uns magos lá podiam conjurar o feitiço pra avançar o tempo. Eu fui treinado loucamente e aprendi umas magias. Uma delas é o Shadowstepper, que faz com que eu me esconda na minha própria sombra. Eu me escondo pra poder coordenar e planejar o ataque. Também tem o Perfect Finder, que mostrava a localização dos fragmentos de chave e também, a sua. Eu estudei as Personificações e visitei cada uma delas, por isso eu tenho essa intimidade com elas. Acho que é só isso.

 

- Algo em mim... – Disse Garren. – Aaaaa eu quero saberrrrr, mas enfim, agora eu acho que entendi... Mals ae.

 

- Também tenho que dizer que meu sobrenome é Lügner, assim como o de toda a minha família. – Disse Rain.

 

- hail – Disse Allen. – isso me faz pensar... Derlos, você e as outras personificações tem sobrenome?

 

- Hum... Nunca parei pra pensar nisso... Eu devo ter, mas não me recordo... Sugestões? – Disse Derlos.

 

- eu acho que se todos tivessem o mesmo daria mais um xabam que são irmãos – Disse Allen. – que tal Nificate? Vem de “personificate”.

 

- Esplêndido! Derlos Nificate, meu mais novo nome! – Disse Derlos.

 

- Ei Allen, tu é bom nessas coisa? – Perguntou Garren.

 

- acho que sim, sempre fui criativo assim pra essas coisa eu acho – Disse Allen.

 

- Estranho hein, me lembra alguém – Disse Garren. – Mas eu esqueci de quem.

               

- Rain, isso me lembra de algo. – Disse Derlos. – Bom, você conhece os Dons Proibidos?

 

- Dons...? – Disse Rain. – Eu lembro do Snow, há muito tempo, me dizer algo sobre isso... Ele me mostrou um livro com um orbe estranho sobre isso uma vez.

 

- Hum... O livro... Esse livro foi escrito por Night, seu avô, que foi a pessoa que teve contato com os deuses. – Disse Derlos. – Contar a história me lembrou disso. De tanto que estudei, é difícil esquecer, haha. Bom, vamos lá mais uma vez.

 

- textão consumindo aqui – Disse Allen.

 

                - Os dons são dois, o Dom da Criação e o Dom da Destruição. – Começou a explicar Derlos. - Só tinha o Dom da Criação aquele que nasceu em uma terra e aprendeu a magia de outra, e só tinha o Dom da Destruição aquele que tinha pouco ou até nenhum talento pra aprender magias. O da Criação foi a benção que Neo e Nelo jogaram na Terra, afim de capacitar pessoas para defendê-la. Já o da Destruição é um pouco óbvio, foi a maldição que Elo jogou na terra para recrutar soldados de elite para seu exército. A Criação te dá conhecimento, criatividade e talento incrível para aprender, treinar e criar magias, além do mais forte, a Sinless Suit, uma armadura poderosa capaz de absorver toda energia que a toca, porém, se atingida com a energia de quem a possui, a armadura se quebra. Já o da Destruição te dá um imenso poder destrutivo, capaz de fortificar sem o mínimo esforço magias de dano, melhorar sua força, te deixar forte quando mais precisa e o mais amedrontador: Te permite invocar a Infinite Goner, a lâmina criada por Elo, capaz de destruir qualquer coisa de acordo com o nível de ódio de quem a possui. E esses são eles, Rain. Se identifica com algum?

 

- Na realidade, sim e não. – Respondeu Rain. – Olha, confesso que foi meio difícil eu aprender todas as minhas magias, criar Doomcloud foi um sofrimento, mas no fim de tudo eu aprendi, eu acho.

 

- PERAEPERAE – Gritou Garren. – kkkkkjjjj, o Snow tem esse bagui da criação né?

 

- Ao que tudo indica, sim. – Respondeu Rain.

 

- Então significa que ele tem a armadura op lá né? – Disse Garren.

 

- Uh... – Gemeu Rain – Sim...?

 

-kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkj – Riu Garren. – Vai ser impossível eu matar ele com essa armadura sendo que ela só quebra com a energia do Snow.

 

- Garry, na realidade acho que só você pode matar ele – Disse Allen.

 

- pq – Perguntou Garren.

 

- U.X – Respondeu Allen. – tu engole a energia dele e devolve pô, genial.

 

- CARAI BORRACHA É VDD – Disse Garren, animado. – VEI É ISSO QUE ME FAZ O HERÓI LOCO.

 

- Suponho que sim. – Afirmou Derlos.

 

- Então é isso... Pai, temos uma chance... – Disse Rain.

 

- qe – Disse Garren.

 

                - Am... Então né... Acho que já tá na hora de irmos... – Disse Rain. – A comida acabou de novo.

 

- Não fui eu não hein – Disse Garren, ainda comendo a gelatina de limão que ele tinha pego no começo da conversa.

 

- aff gente – Disse Allen. – a boca é feita pra come.

 

- Oh... Já? – Lamentou Derlos. – Façam uma visita! Vocês vão precisar fortalecer a forma morta de vocês!

 

- pode pá parça – Disse Allen.

 

E então todos levantaram da mesa e subiram as escadas, saindo do mausoléu e em seguida do cemitério de Derlos.

 

- Derlos... Obrigado por tudo, você é incrível! – Agradeceu Rain.

 

- Eu que agradeço por terem tirado a maldição de mim. – Disse Derlos. – Até logo!

 

- flw men – Despediu Allen.

 

- teau – Também despediu Garren.

 

 E então os três partem novamente, agora atrás de Aureola, a Personificação dos Céus.

 

Hum, parece que tem mais alguém aqui.

 

- Saíram, conseguiram pegar o terceiro. – Disse um homem escondido, aparentemente falando com alguém telepaticamente. – Void, o que fazer?

 

- Não me chame assim publicamente, tolo. – Disse...am... Void? – Continue usando o Shadowstepper e acompanhe eles. Siga o planejado, Dot, o Comma morreu tentando pegar o Temporal Xereta.

 

- Mas e se eles me perceberem? – Disse Dot. – E se eu tiver que lutar? Não sou bom nisso...

               

- Se te perceberem eu mando o Question e a Exclam, você sabe, a elite. Se necessário eu mesmo vou até eles. – Disse Void.

 

- O-Ok... – Disse Dot.

 

 

Quem seriam esses?


Notas Finais


Até breve seus lindo sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...