História Inegável Atração - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Astoria Greengrass, Cedrico Diggory, Draco Malfoy, Fleur Delacour, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Luna Lovegood, Neville Longbottom, Pansy Parkinson, Theodore Nott
Tags Astodore, Aston, Cedriome, Dramione, Drinny, Hansy, Hinny, Nevina, Ronsy
Exibições 220
Palavras 2.701
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Esporte, Famí­lia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 27 - Renascida - Parte Dois


Fanfic / Fanfiction Inegável Atração - Capítulo 27 - Renascida - Parte Dois

O feitiço é quebrado

***

Àquele nome paralisou todos que estavam ali, segurando suas respirações e tentando se livrar do transe que estavam. Draco ficava encarando o rosto molhado da ruiva, sua garganta estava seca, seu coração acelerado. Sua mente tão confusa que mal conseguia processar realmente o que via. Hermione ao seu lado estava completamente em choque, tentava acordar-se, tentando relaxar seu corpo que parecia ter congelado.

Astória que estava sentada no sofá, pareceu levar um choque, sua mente tão bagunçada que não entendia direito o que estava acontecendo. Mal percebeu que correu em direção dela empurrando Hermione para cima de Draco que abriu ainda mais a porta. A morena encarou o rosto da melhor amiga, nem percebeu que sua própria face estava molhada por causa das lágrimas.

__ Gii.. - Murmurou ela. Observou a ruiva sorrir e assentir com a cabeça.

Astória simplesmente jogou-se em cima da ruiva com tanta força que acabou ambas cairam no chão. Nenhuma ligou para a força da queda; mesmo Gina sentindo dores em alguns locais de seu corpo, afinal, ele ainda não estava 100% recuperado; estavam envolvidas em suas emoções que nada mais importava. Astória abraçava a amiga como se ela fosse sumir à qualquer momento, Gina retribuia na mesma intensidade. Chorando, Astória sentia seu corpo tremer e Gina nunca ficou tão emotiva como dessa vez. Abraçaram-se mais ainda, sentindo à saudade misturada com a dor.

Pansy que havia escutado o silêncio do apartamento, estranhou. Ela ainda não tinha entrado no banho, saiu do quarto. Caminhou para a sala observando todos seus amigos em choque como se tivessem congelados no tempo. Franziu o cenho, sua mente vagava para mil perguntas, antes de pronunciar alguma coisa ouviu a voz de Astória.

__ Você está viva, viva. Gina...

Pansy paralisou, seu coração acelerou. Ela havia acordado, Gina estava viva. Sem perceber, sorriu, estava feliz por Gina. A ruiva poderia continuar sua vida. Observou Astória entrar ao lado de Gina que chorava apoiada no ombro da morena que tentava se acalmar.

__ Meu Deus.. - Sussurrou Hermione para a ruiva. Sem dizer nada a morena puxou Gina para um abraço. A ruiva retribuiu prontamente, precisava disso, precisava sentir-se amada. - Como.. C-como...?

__ Eu vou contar tudo. - Falou Gina entendendo-a. Soltaram-se.

Harry levantou-se, o sorriso apareceu em sua face. Gina simplesmente correu para os braços dele, sentindo-se bem. O moreno não conseguia controlar seu alívio por vê-la bem ali na sua frente, saudável.

__ Gina... Céus.. - Murmurou Pansy indo até a morena que abraçou-a.

Draco parado no mesmo lugar encarando Gina simplesmente suspirou, quando a ruiva soltou-se da loira e dirigiu seu olhar para si; Draco sentiu seu peito doer, àqueles orbes claros destruíram seu coração, sem dizer nada saiu do apartamento batendo a porta com força fazendo-os olharem confusos para a porta e Gina se sentir magoada. Mas a ruiva ignorou o sentimento e recebeu o abraço de Theo.

Luna levantou-se, mesmo que ambas não se deram muito bem no passado; ela decidiu cumprimentá-la. Afinal, Gina não tinha voltado de uma viagem, sim, de uma quase morte. Observou Rony abraçando-a, suspirou, aproximou-se da ruiva que olhou para si.

__ Bem-Vinda de volta. - Disse Luna estendendo sua mão para ela.

Gina encarou-a, sem hesitar apertou-a fortemente. Encarou Luna e sorriu em meio às lágrimas, seu coração estava leve, suave. Luna retribuiu prontamente, estava realmente feliz por ela. Gina lutou, ela venceu.

__ Pode me dizer por quê não ligaram para a gente?. - Perguntou Hermione finalmente. Estava se recuperando da surpresa, ainda queria ir ver como seu namorado estava.

Gina deu um sorriso envergonhado e limpou seu rosto.

__ Bom, eu pedi para ninguém falar nada. - Respondeu ela calmamente. - Ah! Minhas malas estão ali fora. - Murmurou indo até a porta e abrindo-a. Observou o corredor vazio, puxou suas coisas para dentro deixando ao lado da porta. Virou-se para o grupo. - Posso ficar com vocês?

__ Claro que sim!. - Exclamou Hermione sorrindo para a ruiva que se sentava no sofá da sala. - Você acordou faz quanto tempo?

__ Faz duas semanas. - Respondeu Gina. Todos se acomodaram para conversar com a ruiva tranquilamente. - Eu acordei bem confusa, fiquei alguns dias no hospital.. Fiquei atualizada sobre tudo o que aconteceu, estava me preparando antes de vim para cá.

__ Fico feliz que tenha acordado. - Disse Rony sinceramente. Gina sorriu para o amigo, sentiu seu celular vibrar.

__ Pode pegar um copo de água?. -Pediu ela para ninguém em particular. Levantou-se pegando sua bolsa que estava em cima de uma mala abrindo-a, pegou um vidro de remédio. Seus olhos deram-se de encontro com a porta, sem perceber ficou pensando na pessoa que tinha acabado de passar.

Hermione suspirou, caminhou calmamente em direção da ruiva que desviou seu olhar novamente para a bolsa.

__ Ele me odeia. - Sussurrou Gina.

__ Ele pode sentir qualquer coisa e te odiar seria à última.- Exclamou Hermione  sinceramente. Gina deu um sorriso fraco e observou Astória vim com um copo de água, abriu o remédio pegando um. Engoliu.

Era um remédio para dor, mesmo depois recuperada a ruiva ainda sentiria sequelas por causa do acidente.

__ Tem algum lugar para mim?. -Perguntou Gina sorrindo sem jeito, pegou uma cartela de comprimidos, bebeu outro. Suspirou.

__ Sim, tem o quarto de hóspedes. Pode ser seu agora. - Falou Pansy sorrindo docemente para ela que retribuiu.

Gina olhou para suas malas, Rony, Harry e Theo pegaram suas coisas caminhando em direção do quarto. Astória passou o braço pelo pescoço da ruiva levando-a dali. Hermione encarou as duas amigas sumindo no corredor.

__ Eu vou ver o Draco. - Disse a morena saindo do apartamento. Abriu a porta ao lado, entrando-a.

Gina seguiu observando o apartamento tranquilamente, chegaram no último quarto. Os rapazes tinham deixado suas coisas no meio do quarto, a ruiva agradeceu. Entregou o copo para Astória.

__ Quer ajuda?. -Perguntou a morena se referindo as malas. Gina negou.

__ Não...Esses remédios me dão sono.- Negou a ruiva.- Muito obrigada, pode deixar que amanhã eu arrumo.

__ Até amanhã, fico feliz que esteja melhor Gina.- Astória falou e saiu tranquilamente do quarto com Rony e Theo.

Harry ficou parado perto da porta encarando-a. Sorriu.

__ Eu nem sei o que dizer.. -Admitiu ele. - Ainda estou bem surpreso.

Gina sorriu e deixou sua bolsa em cima de uma das suas caixas, aproximou-se dele. Olhou nos olhos escuros.

__ Só seja você mesmo! Só preciso de normalidade, Harry. - Disse a ruiva sendo sincera.

Harry assentiu, puxou-a para mais um abraço. Estava tão feliz de vê-la na sua frente, Gina sorriu abertamente. Soltaram-se.

__ Então.. Boa noite.- Murmurou Harry saindo do quarto encarando-a com um sorriso. Fechou a porta.

Gina aproximou-se do quarto trancando a porta com a chave, sentia-se mais segura daquela forma. Passou os olhos rapidamente pelo quarto, caminhou até uma de suas malas pegando um pijama. Uma calça e uma blusa de mangas, observou uma porta que havia no quarto. Pegou uma toalha e roupas íntimas.

Caminhou para a porta percebendo ser mesmo o banheiro que havia cogitado, fechou a porta. Ligou a luz, deixou sua roupa em cima da bancada de mármore que havia ali. Amarrou seus cabelos em um coque, tirou o celular do bolso da sua calça jeans e deixou ao lado da sua roupa. Desviou seu olhar do espelho do banheiro e tirou sua roupa, caminhou para debaixo do chuveiro deixando a água morna cair sobre o seu corpo.

Fechou os olhos tentando relaxar, pegou um sabonete e passou por seus seios, braços, quando chegou ao lado esquerdo de seu corpo notou duas cicatrizes, eram grandes e finas. Olhou para sua pele branca marcada pela cirurgia que fizeram para tentar "arrumar" suas costelas. Seu corpo ainda doía, sentia tonturas de vez em quando.

Uma lágrima desceu pelo seu rosto molhado, sua vida tinha mudado drasticamente. Lembrava-se das palavras de seu médico, tantos anos apanhando e ainda um acidente feio como àquele lhe causou sérios problemas. Abandonaria de vez os saltos, não poderia nunca mais andar sobre eles, tentou, mais suas pernas sentiram o impacto do esforço do seu corpo. Sua respiração estava difícil, havia perfurado o pulmão, mesmo ficando meses internada e isso facilitou o processo de cura havia situações que nada voltaria ao normal.

Ficar em locais apertados seria uma meta difícil, ainda tinha algumas tonturas. Dores de cabeça, por pouco seu cérebro não foi afetado da forma mais cruel, por pouco perderia sua habilidade de mover suas pernas, por bem pouco sentiria a dor de ser paraplégica. Passou sua mão molhada na sua cabeça percebendo a cicatriz da cirurgia, uma parte perto da sua nuca havia sido raspada para fazeram o processo da cirugia. Naqueles meses seu cabelo tinha crescido, não muito.

Com os fios agora curtos era bem mais fácil disfarça como havia ficado com os cabelos na parte de trás. Suspirou, saiu do banheiro e enrolou-se em sua toalha. Enxurgou-se, caminhou para perto de suas roupas, decidiu se olhar no espelho. Desde que acordou não conseguiu fazer isso, observou-se. Era difícil olha-se, saber que havia mudado, que não era mais a mesma. Sentia-se diferente.

Soltou a toalha de seu corpo úmido sentindo-a cair sobre seus pés. Seus orbes notaram seu corpo bem mais magro, pálido, os fios ruivos, sentia a franja sobre seus olhos. Seus cabelos batiam sobre seus ombros, passou sua mão atrás sentindo que faltava cabelos. Parecia ser um corte Channel, suspirou.

Abriu a gaveta do armário tirando uma tesoura, aproximou-se dos seus fios cortando-os. Sua mãe havia lhe dito que seus cabelos estavam lindos, como não tinha se olhado no espelho, então não soube como estava. Sentia os cabelos caindo sobre seu corpo úmido.

Soltou a tesoura sobre a pia, seus olhos deram-se de encontro com os fios batendo em seus ouvidos, curtos, agora acompanhava os fios atrás. Balançou sua cabeça para tirar o excesso, jogou seu cabelo para o lado vendo que tinha ficado perfeito em seu rosto.

Seus olhos desceram -através do espelho- sobre seu corpo notando a cicatriz em abaixo do seu seio esquerdo notando-se a cirurgia que tinha sido feita em seu pulmão. Era pequena, era irreversível, observou as outras duas sobre suas costelas.

Suspirou, voltou para debaixo do chuveiro. Tinha que tirar àqueles cabelos de si.

***

A morena encarou a sala silenciosa e a luz acessa, andou ouvindo seus passos atingindo o piso limpo. Olhou para o apartamento do namorado tranquilamente, suspeitava onde ele estaria. Sem dizer nada caminhou para o corredor chegando na porta do quarto dele, simplesmente abriu a porta notando Draco deitado sobre sua cama, encarando o teto branco do quarto. Ele parecia perdido em pensamentos, suspirou.

Os orbes azuis logo foram dirigidos para si rapidamente, Hermione notou a decepção que passou pelas àquelas íris. Tinha acabado de confirmar sua suspeita.

__ Se você queria falar com ela, não deveria ter ido embora. - Comentou Hermione aproximando-se da cama de casal. Observou o quarto super arrumado do loiro, sentou-se na beirada da cama vendo-o lhe olhando na mesma posição de sempre. - Estava acostumado com ela correndo atrás de você, certo?

O loiro se sentiu envergonhado, sentou-se na cama de frente para ela que se ajeitou sobre o colchão. Frente à frente.

__ Sim, a única vez que ela não correu atrás de mim foi quando a gente terminou. - Respondeu Draco olhando suas unhas cortadas.

A morena engoliu em seco, passou a mão sobre sua nuca tentando prever as melhores palavras para dizer o que queria.

__ Draco... - Murmurou ela vendo-o lhe olhar com curiosidade. - Eu sempre adiei dizer tudo o que eu concluir deste que conheci a Gina, no começo por não ter intimidade bastante com você e depois venho o acidente. Mas agora é o melhor momento..

O loiro semicerrou os olhos em sua direção.

__ O que você quer dizer?. -Perguntou ele curioso.

__ Bem, a primeira vez que vi a Gina eu cogitei que ela era uma mimada, metida, filhinha de papai e tudo mais. - Admitiu Hermione se sentindo envergonhada, mas Draco nada disse, ele sabia que todo mundo iria comparar Gina com àqueles atributos. - Mesmo depois do acidente eu ainda não entendi como você poderia namorar com ela, eram tão surreal para mim até realmente descobrir o que ela sofreu. Tudo o que ela viveu dentro de casa.

__ O que...

__ Então... - Interrompeu Hermione. Olhou para ele atenciosamente. - Eu realmente entendi tudo o que eu vi. Gina via em você um porto-seguro, uma pessoa em que se apoiar, uma pessoa que sempre estaria ao seu lado. Todos os chiliques que ela dava com as meninas da escola, a possessividade com você, não se resumia ao fato dela amá-lo incondicionalmente. Não estou dizendo que ela não ame você, só que não é apaixonada...

__ Como assim? Está dizendo que amar não é ser apaixonado?. -Perguntou Draco confuso atrapalhando o relato da namorada.

__ Amar. Há várias formas de amar Draco. -Explicou Hermione pegando à mão do loiro. - Tem amor de mãe, amor fraternal. Amor de amigos que eu associo também ao fraternal, o amor paternal. Agora ser apaixonar é tão diferente, você realmente ama essa pessoa, mas é diferente. Você pode amar mil coisas, mas só pode ser apaixonar por uma única pessoa. Mesmo que essa paixão acabe e venha outros amores, só que sempre terá àquele que você irá amar com todo o seu ser, sem vírgulas ou pontos. Estou te dizendo que para mim, Gina realmente te ama, mas nunca se apaixonou por ninguém, nem por você. O que ela sentia demostrando tanto ciúmes era o simples medo de perdê-lo, a única pessoa que ela poderia contar naquele momento de desespero, não podia contar com sua mãe que tentava lhe ajudar de outra forma ao mesmo tempo tentar se erguer. Então apenas sobrava você e a Astória. Ela sabia que fisicamente Astória  não poderia e nem teria a chance de fazer nada contra Chris, mas você tinha.Tudo o que você me relatou, dizendo que lhe protegia apenas confirmou a minha teoria.

__ O que você está tentando me dizer?. -Perguntou ele ainda confuso.

__ O acidente à mudou Draco, mudou todos ao seu redor. Uma fatalidade como àquela, sete meses em coma e duas semanas tentando entender a realidade que perdeu mexer com uma pessoa fatalmente.

__ Duas semanas?. -Perguntou ele engolindo em seco. - Ela acordou esse tempo todo e nem me ligou.

__ Você esperava que ela acordasse pulando?. -Retrucou Hermione revirando os olhos. - Ela mal conseguia andar, além pelo acidente e o tempo que seu corpo ficou imóvel. Depois de duas semanas ela conseguir andar sozinha é um milagre.

__ Está querendo dizer..

__ Ela ela mudou. -Interrompeu Hermione lhe encarando seriamente. - Gina mudou. Ela não é mais a mesma, ela está pronta para seguir sua vida sozinha.

__ Mas..

__ Draco, todo mundo precisa de alguém. Primeiro dos nosso pais, eles são fundamentais na nossa vida. Depois mesmo segundamente precisamos dos nossos professores para nos ensinar como tentar viver no mundo, afinal, só apreendemos quando estamos livres das amarras que nos prende. Depois dependemos de nossos patrões, mas dessa vez fazemos algo para sermos retribuídos. É inevitável não depender de alguém na nossa vida, só que tem vezes que dependemos muito de uma única pessoa. Ela virar nosso anjo da guarda e quando lhe perdemos, tudo desandar. O acidente venho para tentar fazê-la seguir em frente sem ninguém. Uma única chance.

__ Está querendo me dizer que a Gina não precisar mais da minha ajuda?. -Perguntou Draco confuso vendo-a sorrir.

__ Ela vai precisar, sim, todos precisamos em algum momento. Só que ela não pode voltar a vida que tinha antes, ser dependente de você ou de qualquer outra pessoa. O sinal dela de não vim correndo atrás de você é puro, claro, resumidamente coerente em lhe dizer que ela precisar fazer tudo sozinha.

__ O que eu tenho que fazer?. -Perguntou Draco suspirando.

__ Liberte-a. -Respondeu Hermione. - Está na hora de ser apenas amigo dela, não seu anjo da guarda. Está na hora da Gina florescer. Deixe-a ir.


Notas Finais


Espero que tenham gostado. A fanfic está em uma fase mais calma; mas logo a situação muda. Haha. Bom, espero encontrá-los nos comentários.

Quem achou que a Gina voltou para atrapalhar o Casal Dramione relaxem, ela não vai atrapalhar esse casal. Haha.

Bjs da Lay.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...