História Inesperadamente amor - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Ficção, Original, Revelaçoes, Romance, Yaoi
Exibições 25
Palavras 1.836
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


A musica titulo é , The One That I Want - Lo-Fang

Desculpa a demora pra postar gente, sorry mesmo.

Espero que gostem ;- )

Capítulo 9 - The One That I Want


Vicio, palavra interessante, uma vez eu ousei pesquisa lá, o significado foi, defeito ou imperfeição grave de pessoa ou coisa, como sinônimos se encontravam maniaperversãopecadodepravaçãodefeito. O ser humano é cercado de vícios, álcool, cigarros, sexo e poder, alguns vícios nos empoderam, outros nos entorpecem, á vícios que nos beneficiam e outros que nos enlouquecem. O que Nick produz em mim não se encontra em nenhuma dessas categorias, e isso me inquieta.

Vesti-lo na alfaiataria levou todo meu controle e um homem como eu não gosta de ter seu controle testado, ver como ele reagia a mim, saber o sabor daquele corpo, ver que me queria e testemunhar o desejo naqueles olhos violetas foi quase o fim. Felizmente ou não consegui recuperar o bom juízo e me afastar, deixei o garoto na casa de Carisy e voltei ao meu apartamento; combinamos de nos encontrar no coquetel e eu acabei me masturbando duas vezes no chuveiro com o pensamento naquele moreno.

Já estou pronto no entanto resolvo tomar uma dose de whisky para me aquecer a respeito da noite de hoje, o liquido âmbar desse queimando mas, é uma sensação gostosa.

 

Assim que adentro a recepção do hotel escolhido para o coquetel de hoje noto as pessoas adentrando o salão onde será o evento. Todos estão em seus melhores trajes e sorrisos de efeito; entre os rostos que reconheço vejo investidores em potencial e alianças que poderiam ser úteis, algumas modelos, alguns de meus funcionários e membros do conselho. Nem sinal do pirralho. Um garçon me oferece um martine e eu aceito, assim que tomo o primeiro gole, sinto um braço no meu ombro.

_ Curtindo sua festinha ? Diz a voz brincalhona.

_ Você sabe tanto quanto eu que isso é um pé no saco. Falo reconhecendo Ben , ao meu lado.

_ Procurando alguém ? Sugere ele.

_ Apenas checando o lugar. Minto, para não dizer que estou de babá essa noite.

_ Sei. Argumenta ele com sarcasmo.

Ben me acompanha na conversa com alguns investidores, conhecer a pessoa certa é sempre melhor negocio em nosso mundo, e fazer isso na presença de Benjamin Knight  era tanto lucrativo quanto divertido, o homem com toda sua classe inglesa era um demônio nos negócios, sua competência para fazer um contrato era comparável apenas aos pactos feitos próprio diabo, mas, como ele vive me dizendo “Todos os advogados vão pro inferno”  então sou homem de sorte, tenho o tinhoso ao meu lado.

Se passa algum tempo quando consigo uma pausa, no entanto sinto que meu trabalho esta longe de acabar assim que vejo ele. Nicolas Jones. Cabeças se viram no recinto assim que ele adentra, realmente esse traje Black tié se tornou uma bela embalagem para ele, totalmente comestível; o cabelo negro encontrava-se  perfeitamente penteado para trás destacando os olhos violetas naquela face. Seu olhar cruza com meu suspendendo o tempo enquanto ele faz sua caminhada até mim.

_ Acertou a gravata Jones. Brinco ao notar peça em seu pescoço.

_ Carisy me ajudou. Explica ele.

_  Que pena, pensei ter sido um bom professor. Sorrio para o rosto ruborizado de Nick.

_ Olá jovem. Ben reaparece de seja lá onde estava e vem cumprimentar o novo modelo.

_ Prazer. Diz Nick estendendo a mão para um aperto, o qual Knight  retribui.

_ Nicolas este é Benjamin Knight   advogado principal da empresa, Ben esse é ... Sou interrompido em meio as apresentações.

_ Você é o novo modelo da marca certo ? Fala Ben com um sorriso em minha direção, em seguida Jones confirma tímido com um aceno. _ Ouvi falar de você o new face de Rachel, parabéns . Maldito seja tenho certeza que o infeliz esta lembrando do almoço que tivemos quando conheci Nick.

_ Grato. Responde o garoto conciso _ Se me desculpem acho que vou pegar uma bebida.

Ben e eu concordamos silenciosamente e ele sai em meio as pessoas presentes.

_ Realmente até eu que tenho meu gosto bem definido poderia dar uma chance a experiência com esse seu modelo. Dispara meu amigo.

_ Jones é uma peça complicada. Observo ele a distancia enquanto alguns convidados vão cumprimentar ou simplesmente conversar com ele; não sei qual a preocupação de Rachel, o garoto estava indo bem.

Volto a me relacionar com os outros presente na festa, eis que vejo um velho amigo Aleck Thorne , ele era um herdeiro obstinado da ultima vez que o vi, agora porém parece ser um empresário que colheu bem os seu frutos, ele vem me cumprimentar.

_ Parece que alguém se deu bem, esta no meu coquetel. Digo sarcástico.

_ Quanta presunção. Replica Thorne._ Definitivamente humildade não é o seu forte Sparks.

_ Nem o seu se bem me lembro. Como tem passado ? Questiono.

_ Bem, mas infelizmente meu pai faleceu ano passado, estou gerindo a Thorne Enterprise, entretanto por motivos que não desejava.

_ Lamento. Respondo sincero.

_ Obrigado mas, não quero te aborrecer com esse tipo de historia.

_ Não é aborrecimento, me diga como estão indo as coisas.

Entramos numa conversa  que me faz lembrar de anos atrás, passou tempo desde a faculdade, as descobertas que fizemos lá, as experiências que adquirimos, gostos que carregamos ; ser jovem para mim era carregar a responsabilidade de ser irresponsável; olhando para Nick um pouco longe ele esta longe de ser como eu ou Aleck naquela idade, eu cresci com o tempo, o que deixa a questão do que o fez crescer ? Thorne acompanha meu olhar e parece intrigado.

_ Quem é atração que todos comem com os olhos e faz você esquecer seu amigo aqui ? Pergunta ele.

Nick esta de costas para nós mas, é claro que esta fazendo sucesso entre os presentes, mulheres o olham, homens o olham, alguns cativos, outros impressionados mas, a maioria excitado. 

_ Ninguém importante, a nova aquisição da Sparks e o new face da minha irmã. O olhar de Thorne continua curioso _ Quer conhece-lo ?

_ Claro, porque não. Responde satisfeito.

Nos dirigimos até onde Nick se encontra, e antes que eu me dirija a ele o garoto se vira para me fitar, o rosto tinha um sorriso que fazia o brilho se projetar nos olhos, aquele era um olhar que eu ainda não tinha presenciado nele mas, se tinha algo que Jones podia fazer era me surpreender; eis que então a face feliz é tomada, o brilho se apaga e o sorriso se esconde numa face neutra e um tanto apagada.

_ Como esta Nick ? Pergunto assim que os encontramos frente a frente.

_ Bem . Responde monossilábico.

_ Tem um garoto formidável nas mãos. Comenta uma voz feminina toda alegre .

_ Não diga isso a ele ou vai subir-lhe a cabeça. Falo no meu papel de bom anfitrião _ Nick gostaria de apresenta-lo a um velho amigo. Thorne sai de trás de mim _ Nicolas Jones esse é Aleck ...

_ Thorne. Completa ele a voz levemente dura.

_ Olá Nick, quanto tempo.

_ Se conhecem ? Questiono confuso.

_ Não. Responde o garoto e ergo uma sombrancelha inquisitiva _ Nos conhecemos brevemente.

_ Muito brevemente. Sorri Thorne e não sei se gosto disso.

_ Jonnathan pode me dar um minuto ? Diz o garoto, e eu realmente me sinto grato por sair daquela situação.

Caminhamos até uma varanda que estava coberta com cortinas para evitar que a brisa noturna entrasse. Assim que estamos no local o garoto suspira e diz.

_ Eu preciso sair daqui Jonnathan.

_ Estamos no fim do coquetel já, tem certeza ? Me ponho ao lado dele, que segura forte as barras do parapeito, era como se algo assombrasse sua memória.

_ Só me tira daqui. Seu rosto era nervoso mas, não de raiva, era como se outro sentimento o dominasse naquele momento, seus olhos encontraram os meus como se procurasse algo; alguns dizem que os olhos são a janela da alma, eu não sei se posso dizer que tenho uma alma e se tiver não posso dizer que seja bela mas, posso afirmar que Nick tem, pois o que mora naquele olhar é algo tão belo quanto seu dono, a profundidade que alguém nos olha as vezes pode soar invasiva pois com o olhar podemos dizer tudo, mesmo que as palavras falhem os olhos nunca mentem; ao ver Jones eu me sinto invadido, aquele garoto me tem em um silencio tão intimo quanto a maior das intimidades trocadas.

_ Anjo. Digo segurando seu rosto com ambas as mãos e ele parece relaxar ao meu toque _ Eu vou nos tirar daqui. Ele assente com a cabeça _ Siga-me.

Saindo de nosso refugio caminho discretamente entre os convidados, Nicolas logo atrás de mim, assim que passamos pela saída do salão retiro o telefone do bolso e peço a Tom para que venha nos encontrar na entrada do hotel; após passar a multidão Nick caminha ao meu lado.

_ Obrigado. Diz ele com a voz baixa assim que chegamos a entrada do hotel, a cabeça baixa.

_ Lembre-se sobre o que eu disse sobre manter a cabeça baixa Nick. Replico não querendo entrar naquela conversa de gratidão.

Logo o carro estaciona a nossa frente e faço sinal para Nick que entre, em seguida vou a Tom e dou lhe algumas instruções, quando vou para o banco traseiro o vidro fume que separa o banco do motorista do de trás já foi erguido; o garoto parece relaxado tirou o smoking e a gravata e abriu os dois primeiro botões da camisa. Assim que me viu disparou.

_ Desculpe, me sentia um tanto... enforcado, precisava de ar.

_ Não faz mal, assim é bem mais agradável. Jogo com o sentido duplo e ele pega, logo um sorriso desbotando em seu rosto e me vejo incapaz de não retribuir.

Tiro meu smoking e gravata e arregaço as mangas da camisa.

_ Com certeza assim é melhor . Ele comenta com graça _ Se não soubesse como é as coisas com você eu até desconfiaria desse flerte.

_ E quem disse que você sabe como eu sou? Desafio  enquanto me aproximo mais.

_ Então isso não é um flerte ? Replica ele com uma pergunta garoto pertinente, eu gosto da sua boca.

_ Não, isso meu caro se chama preliminares. Seu rosto parece surpreso mas, não dou tempo para ele responder ,num impulso o levanto para o meu colo e ataco aquela boca deliciosa, os lábios num leve gosto de licor, suas mãos são rápidas e enquanto uma segura o meu ombro a outra se perde em meu cabelo. Seu corpo esta quente, e ele geme quando eu mordo e chupo seu lábio inferior.

Como já dizia Wole Soyinka “O poder é o domínio, o controle, e, portanto, uma forma muito seletiva de verdade, que é uma mentira.” Eu estava quebrando uma regra com Nick, meu muito trabalhado controle se desfazendo, sentir seu desejo em mim era um erro que eu pensaria amanhã mas, um pecado que eu aproveitaria hoje.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...