História Inesperado - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Flash
Personagens Barry Allen (Flash), Dra. Caitlin Snow
Visualizações 132
Palavras 1.894
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


É claro que eu não consigo ficar longe de Barry, Caitlin e bebês.

Capítulo 1 - Capítulo 1


12/10/2017

-Então, quando é que você vai se resolver com Iris? - Caitlin indagou levando o copo com algum drink exótico até a boca.

-Não faça perguntas difíceis há essa hora da noite. - Barry pediu fazendo-a rir. 

-Vocês têm que se resolver logo, o futuro depende disso. - ela disse, ele riu. 

-Será que você consegue não ser irônica ou sarcástica pelo menos uma vez na vida?

-Depende. 

-Depende do quê? 

-Se eu tenho a intenção ou não de te irritar. 

Barry riu, Caitlin deu de ombros. O bar começava a se esvaziar, o relógio marcava quase duas da manhã, já era a sexta garrafa dele e o segundo copo dela, mas nenhum dos dois parecia ter vontade de ir embora, a conversa fluía de uma maneira tão natural que parecia ser injusto interrompe-la. Era estranho terem um tempo só para eles, nunca mais haviam saído para beber ou fazer alguma juntos, as coisas em suas vidas acontecem tão rápido que mal havia tempo para respirar direito, quem dirá passar uma noite em um bar apenas conversando. 

Caitlin acenou para o barman pedindo a conta.

-Deveríamos fazer isso mais vezes. - ela disse deixando algumas notas em cima do balcão. 

-Com certeza, quer que eu te leve para casa? - Barry perguntou puxando o casaco da cadeira, Caitlin assentiu. Então ele a puxou pela mão até a saída, uma sensação tomou conta do corpo dela, quase como se uma corrente elétrica corresse em suas veias, abaixou a cabeça deixando o cabelo lhe cobrir o rosto, podia sentir a bochechas queimarem, aquilo não parecia certo. 

Em segundos eles chegaram ao seu apartamento, puxou a bolsa procurando as chaves, Barry se encostou na parede a observando.

-O que foi? - indagou sem olhar para ele.

-Nada, apenas...você está bonita.

-Obrigada. - sussurrou finalmente abrindo a porta, se virou para ele. - Quer comer alguma coisa? Acho que ainda tenho pizza congelada na geladeira.

-Seria um prazer. 

Ela entrou primeiro acendendo as luzes do apartamento, jogou a bolsa no sofá e as chaves na mesa do abajur, caminhou até a cozinha abrindo a geladeira e pegando a pizza ou resto dela. 

-Desculpa se esta faltando alguns pedaços é que às vezes de madrugada me bate uma baita de uma fome. - disse colocando a pizza no micro-ondas, Barry riu se sentando na cadeira.

-Não sabia que você é morta de fome. 

Caitlin deu de ombros pegando impulso e se sentando na bancada, balançou os pés até seus sapatos caírem no chão. 

-No que você está pensando? - perguntou olhando para Barry que parecia bastante centrado em algum ponto da cozinha.

-Em coisas.

-Coisas ruins ou boas? 

-Depende.

-Do quê?

-De muitas outras coisas. 

Caitlin franziu a testa confusa, Barry voltou a rir.

-Depois diz que Cisco é o melodramático de nós três.

-Nunca disse que Cisco era dramático, ela apenas exagera nas coisas mais do que devia. - ele se defendeu, ela revirou os olhos e o chutando, a cozinha era pequena o suficiente para fazer com que o pé dela se encontrasse com o ombro dele, Barry segurou seu pé a puxando, Caitlin gritou quando se sentiu arrastada para frente, fechou os olhos se preparando para o impacto de sua bunda contra o chão, mas não sentiu, na verdade quando abriu os olhos a única coisa que via era os olhos de Barry contra os seus, suas respirações se misturavam e seus corpo todo estava arrepiado. Entreabriu a boca umedecendo os lábios, o olhar dele desceu até a sua boca, Caitlin não sabia o que fazer, aquela aproximação não parecia ser correta, se remexeu tentando se afastar dele, mas as mãos de Barry continuavam firmes contra o seu corpo. Eles estavam perto, perigosamente perto. 

Fechou os olhos se deixando levar por alguns segundos, continuou assim até sentir a boca de Barry contra a sua, ele tinha gosto de cerveja barata e bala de menta, seu corpo relaxou com aquela sensação de prazer imediata, levou a mão até a nuca dele puxando seu cabelo com cuidado e arranhando de leve o couro cabeludo, se sentia viva com aquilo, sabia que era errado mas havia algo na maneira como Barry a beijava que fazia com que aquilo parece-se extremamente certo. As mãos dele percorriam seu corpo fazendo uma leve pressão em certos pontos estratégicos, ela agradeceu mentalmente por estar ligeiramente bêbada assim poderia culpar a bebida na manhã seguinte.

O micro-ondas apitou sinalizando que a pizza estava pronta, porém nenhum dos dois fez qualquer menção de se separar, pareciam ímãs de pólos diferentes, uma bela analogia a atual situação deles. 

Deixou o gemido que estava preso em sua garganta escapar entre seus lábios, sentiu Barry sorriu contra sua boca. Não precisava ser um gênio para saber como a noite acabaria para eles dois, e nem para entender que aquilo não daria certo no dia seguinte.

02/12/2017

Aquilo mais parecia um filme de drama do que sua própria vida, tudo estava prestes a desmoronar e ela não tinha a menor idéia do que fazer, tinha que contar a Barry, não poderia esconder aquilo para sempre, mas havia Iris e o casamento deles que aconteceria em poucos semanas. Não podia jogar aquela bomba no colo de Barry e fingir que tudo estava bem, porque não estava! 

Fechou os olhos sentindo jogando a cabeça para frente, o teste estava sobre a pia e a caixa no lixo, girou o celular entre os dedos batucando na tela em busca de coragem. Não podia ser fraca ou hesitar, tinha que contar a verdade, Barry precisava saber, abriu os olhos digitando o número dele, bastou apenas dois toques até ele atender.

-Hey Cait.

-Oi, desculpa ligar há essa hora, mas eu preciso falar com você. - disse tentando manter o tom de voz calmo, seu coração batia acelerado por baixo da camisa de algodão. 

-Algum problema? Você está bem? 

-Não, quer dizer, sim. Apenas...Eu preciso de você. - sussurrou a última parte, queria muito chorar, mas estava em estado de choque, não sabia muito bem o que fazer. - Por favor.

-Já estou indo. 

Desligou o celular e em menos de um segundo ouviu a porta da frente se abrir, encarou os ladrilhos brancos da parede a sua frente. 

-Ei, o que houve? - Barry indagou se sentando ao seu lado, Caitlin não o encarou enquanto pegava o teste de farmácia em cima da pia.

-Isso. - entrego o pedaço de plástico para ele. Havia dois risquinhos vermelhos naquele teste, duas listras que indicavam que sua vida iria mudar para sempre. Abraçou as pernas escondendo o rosto, estava envergonhada demais para falar alguma coisa, então sentiu os braços de Barry a envolverem gentilmente, deitou a cabeça contra o ombro dele sentido as primeiras lágrimas rolarem pela sua bochecha. 

-Você tem certeza? - ele perguntou em sussurro, ela assentiu sem conseguir dizer nenhuma palavra, sabia que se abrisse a boca acabaria desabando. 

-Barry, estou com medo.- revelou.

-Não fique, eu estarei aqui, eu prometo.

Barry a puxou para o seu colo, Caitlin de encolheu deixando as lágrimas rolarem à vontade. O relógio marcava pouco mais de duas da manhã, quem disse que nada de bom acontece às duas da manhã estava certo. 

Não sabia dizer quanto tempo havia passado com Barry naquele banheiro, nem quanto há ia chorando, pois quando acordou na manhã seguinte ele não estava mais lá. Sentiu o aperto no coração e a vontade de chorar cada vez aumentava mais. Pegou o celular em cima do criado-mudo, havia um pedaço de papel sobre o aparelho, o desdobrou e leu.

“Cait, tenho que resolver algumas coisas, tem café na cozinha e suco na geladeira, comprei sua torta favorita. Descanse, voltou em poucas horas. - B”

Fechou os olhos se jogando contra os travesseiros, ainda teria que ligar para Cisco e dizer que não iria ao trabalho, corria um sério risco de desabar no choro caso algo acontecesse. Alguma hora teria que contar para Cisco o que estava acontecendo, mas precisa de tempo para entender o que estava acontecendo. Precisava de Barry

23/01/2018

Ela umedeceu os lábios enquanto encarava Iris que estava linda em seu vestido de noiva. Felicity lhe estendeu uma das taças de champanhe, ela gentilmente recusou, não poderia beber pelo próximos meses. Olhou para o celular mais uma vez, Barry já deveria estar ali para pega-la e leva-la para a ginecologista, seria a primeira ultrassom do bebê, finalmente poderia ver seu filho. O grande problema era que até agora Barry ainda não havia conversado com Iris, não havia contado a verdade sobre eles dois, e Caitlin havia acabado de descobrir que não era um Boa mentirosa como havia pensado, não iria conseguir esconder aquilo para sempre, uma hora sua barriga iria aparecer e todos iriam descobrir. 

-Obrigada por aceitarem vir comigo. - Iris disse sorrindo, Caitlin tentou devolver o sorriso, mas se estômago revirou ao ver a alegria estampada no rosto dela. 

Aquele era o segundo vestido que Iris havia encomendado, o primeiro não havia servido, não tinha entrado o que gerou uma série de burburinho sobre uma suposta gravidez que logo foram descartados, então o novo vestido era completamente repaginado e diferente do primeiro. 

-Não tem problema. - disse olhando para o celular. Barry havia mandado uma mensagem dizendo que já havia saído do trabalho, instintivamente se levantou. - Iris se não se importa eu tenho que ir, acabei de lembrar de uma coisa importante que é tenho que fazer.

-Ah, claro. 

Pegou a bolsa saindo do ateliê, Barry já a esperava na porta do seu carro, jogou as chaves para ele, olhou uma última vez para o prédio a tempo de ver que Felicity a encarava pela janela, entrou no carro e fechou a porta. O caminho até o consultório e a consulta em si haviam sido silenciosos, Caitlin havia chorado quando viu seu bebê pela primeira vez, menor do que uma azeitona. Barry havia ficado surpreso com aquilo, mas feliz, ela podia ver isso em seus olhos. Mas também podia ver que algo o incomodava.

-Você tem que contar para ela. - disse quando ambos se encontravam no carro.

-Eu falarei. 

-Quando? Seu casamento é na próxima semana. 

-Hoje, vou conversa com Iris hoje, ela irá entender.

Caitlin sabia que Iris amava Barry mais do que tudo na vida, ela havia esperado por ele por meses, mesmo que depois de um tempo houvesse duvidado que ele voltasse, Caitlin nunca duvidou que Barry voltaria, ela sempre teve fé, ela sempre acreditou nele. Se Iris amava Barry tanto assim, seria muito fácil para ela entender e aceitar o bebê que viria. Pelo menos era isso que Caitlin achava.

-Recebi uma proposta de emprego. - disse, Barry a olhou pelo canto do olho.

-De quem

-Um laboratório em Nova York , ele já tinha me feito essa proposta antes, mas eu recusei.

-Vai recusar novamente, não é? 

-Não sei. - deu de ombros. - A proposta é boa e seria muito bom conhecer um lugar novo.

-Você não pode ir.

-Eu sei. - sussurrou fechando os olhos e encostando a cabeça no vidro. Não cogitava a idéia de aceitar a proposta, não seria justo deixar seu bebê longe de Barry, ele era o pai. Mas sua escolha dependia apenas da reação de Iris ao saber do bebê, não iria deixar seu filho conviver com alguém que o odiasse. Não mesmo. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...