História Inesquecível é o Amor - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Personagens Alison DiLaurentis, Aria Montgomery, Caleb Rivers, Dr. Rollins, Emily Fields, Ezra Fitzgerald, Hanna Marin, Jason Dilaurentis, Maya St. Germain, Pam Fields, Personagens Originais, Samara Cook, Spencer Hastings, Toby Cavanaugh
Tags Emison Haleb Spoby Amor Amizade Drama Destino
Exibições 96
Palavras 2.075
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Esporte, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oláaaaaa meus amores, me desculpem a demora, de verdade.
Depois de muuuuito tempo, eu escrevi uma cena hot. HAHAHAHA. Espero que gostem. Comentem o que estão achando e o que vocês gostariam de ver, quem sabe eu consiga colocar, a fic está perto de acabar. AHHHHHH :'(
Então é isso. <3
bjussss

Capítulo 30 - Uma velha amiga


Fanfic / Fanfiction Inesquecível é o Amor - Capítulo 30 - Uma velha amiga

Alison pov's

Segunda feira chegou e eu decidi que levaria as crianças na escola hoje.

-Em, eu vou levá-los a escola. Você pode pegá-los? Tenho uma reunião na DiLaurentis. Que não da pra ser por computador. -Eu digo sorrindo pra ela e dando um selinho rápido.

-Ok Miss DiLaurentis. -Ela diz sorrindo.

-Amor, acho que já é Mr. -Eu digo a fazendo rir e dando outro beijo rápido nela. -Eu amo você.
-Tenha um bom dia. -Ela diz sorrindo. -Então eu pego as coisas dos meninos e os levo para dentro do carro, colocando cada um na cadeirinha. E  depois indo pra reunião na DiLaurentis.

Emily pov's

Passei o dia vendo uns papéis até a hora que buscar as crianças. Cheguei na escola e peguei eles, era o dia do sorvete, então fomos a sorveteria. Chegamos lá e nos sentamos, Blair como sempre era impaciente. Me fazendo rir da carinha dela de brava devido a demora. E então surpreendentemente escuto uma voz que não era estranha.

-Emily? -Era a voz de Maya, eu instantaneamente olho pra trás.

-Maya? -Eu não sabia identificar se eu estava surpresa positivamente ou negativamente.

-Eu mesma. -Ela diz sorrindo. -Não vai me dar um abraço? -Ela pergunta me tirando do transe.

-Claro. - Então eu a abracei rapidamente, enquanto éramos observadas por Blair e Ben. -O que faz aqui? -Eu pergunto sorrindo.

-Visitando a cidade, e dando uma ajuda no time de natação. -Ela diz sorrindo .- Quem são essas crianças? -Ela pergunta parecendo séria.

-São meus filhos. -Eu digo sorrindo.

-Seus filhos? -Ela pergunta arqueando a sobrancelha, mostrando um expressão que eu não conhecia.

-Sim. Meus e de Alison. Blair, Benjamin, digam Oi para a Maya.

-Oi. -Disse Ben. Enquanto Blair apenas a olhou e se voltou para Ben como se estivesse ignorando Maya.

-Blair... -Eu digo chamando sua atenção. O que fez ela simplesmente também me ignorar. -Desculpe, ela tem o gene difícil da Alison. -Eu digo tentando me desculpar pelos modos de Blair, e vendo Maya a observar com uma cara feia, o que já estava me incomodando. -Mas, nós temos que ir, bom te ver. -Eu digo mentindo, não estava sendo bom ver Maya, e eu não sabia se devia contar a Alison que estava na cidade, ou me fazer de doida.

-Foi muito bom te ver, mesmo com essa surpresa. -Ela fala apontando para os meninos. Ok, ela realmente não havia gostado deles, o que era bastante estranho, pois todos gostavam das crianças, inclusive meu antigo agente era apaixonado pelos dois. Eu apenas sorri, peguei meus filhos e vim embora. Chegamos em casa, banhei as crianças, dei o almoço e eles foram tirar o cochilo da tarde. Então Alison chegou.

-Oi. -Ela diz colocando algumas sacolas no sofá e vindo em minha direção me abraçando de forma inesperada.

-Ei, ei. O que temos aqui, quanta felicidade. -Eu digo sorrindo e a beijando.

-Eu fechei um contrato pra DiLaurentis, meu pai está muito feliz. E o melhor, não preciso estar na empresa pois o Jason sabe exatamente o que fazer. -Ela diz ainda abraçada comigo.

-Parabéns meu amor, as vezes não entendo como alguém desse tamanho consegue ser tão grande. -Eu digo rindo, então ela revira os olhos e tenta sair dos meus braços, fazendo com que eu a prendesse com mais força, fazendo ela sorrir e nem tentar outra vez por que sabia que não teria mais força que eu.

-Vou ignorar o que você falou. -Ela diz sorrindo.

-Então, para comemorar, eu acho que posso levar a minha mulher para o quarto, e dar um ótimo presente pra ela. -Eu digo falando ao seu ouvido, e logo em seguida mordendo sua orelha, fazendo ela soltar um gemido leve em meu ouvido.

-Em... As crianças...-Ela diz tentando resistir.

-Elas acabaram de dormir. -Eu digo ainda mordendo sua orelha.

-Você me enlouquece. -Ela diz sussurrando fazendo agora com que eu ficasse excitada.

-Posso fazer muito mais. -Eu digo e então a beijo, apertando sua cintura com uma mão e a sua nuca com a outra, puxando-a para mais perto de mim, poucos segundos e eu estava completamente excitada, então entre amassos quentes subimos ao nosso quarto e eu tranco a porta, as babás eletrônicas estavam ligadas para que pudéssemos ouvir as crianças. Então eu a encosto na parede e a pressiono cada vez mais levantando uma de suas pernas e pressionando meu corpo ainda mais nela, enquanto ela alternava entre arranhar minhas costas e me dar pequenas mordidas, voltamos a nos beijar e era como se estivéssemos desesperadas por aquele contato, retiro seu blazer com a maior rapidez do mundo, então ela logo retira minha camisa posicionando suas duas mãos no cós da calça jeans e me puxando para ainda mais perto, nossos corpos estavam incendiados. Então retiramos as calças, e eu fico apenas na box pois ela também retirou meu sutiã, apertando os bicos do meu seio logo em seguida, fazendo eu soltar um pequeno gemido, então eu volto a beija-la e retiro também seu sutiã, sugando com voracidade cada seio, alternando entre chupar, morder e passar a língua vagarosamente neles, o que estava deixando Alison totalmente excitada. Então eu desço sua calcinha, e venho subindo beijando todo o corpo dela, deixando-a ainda presa na parede, enquanto ela agarrava os próprios cabelos por provavelmente estar ansiando que eu a tocasse. Então com a mão direita, eu toco seu clitóris vagarosamente fazendo ela gemer um pouco mais alto.

-Ah. -Ela solta e eu continuo fazendo um jogo lento na entrada, eu não queria que Alison gozasse agora, eu queria torturá-la um pouco.

-Em... Ma-maiss... -Ela diz cravando as unhas com mais força nas minhas costas agora. O que me deixava ainda mais excitada.

-O que você quer? -Eu disse sussurrando em seu ouvido ainda passando os dedos na sua entrada.

-Vo..você. -Ela dizia totalmente sem fôlego.

-Como? -Eu estava amando ver Alison desesperada pelo meu toque, me dava uma sensação de poder sobre ela.

-Eu quero você... dentro de mim... agora. -Ela disse sussurrando. -Então eu a beijei e com uma mão na sua cintura eu a pressionei, colocando dois dedos dentro dela.

-Ahhh... isso Em, isso. -Ela disse mordendo os lábios, e fechando os olhos. Então eu comecei a acelerar os movimentos vendo suas paredes apertarem contra os meus dedos. Então quando eu senti que ela ia gozar, eu parei.

-Ainda não... -Eu disse a tirando da parede e literalmente a jogando na cama que me olhava com uma cara de tesão, então eu retiro minha box e me encaixo nela, fazendo com que nossos sexos se encontrassem imediatamente. Então nós soltamos gemidos ao mesmo tempo, eu apoiei minhas duas mãos na cama, e Alison prendeu as pernas em minha cintura, então eu comecei a rebolar sobre ela freneticamente, enquanto ela soltava gemidos altos, e arrancava minha pele com suas unhas, que estavam grandes. Soltando cada vez mais palavras desconexas.

-Em... mais rápido, mais rápido. -Ela falava enquanto me beijava, fazendo com que eu segurasse na cabeceira da cama e acelerasse ainda mais o ritmo. Gemendo como ela. Então depois de alguns minutos.

-Em... eu vou... eu vou gozar. -Foi a última coisa que ouvi, então nossos corpos entraram em um ritmo acelerado de vai vem e em segundos, explodimos numa maravilhosa sensação, o que fez Alison definitivamente cravar as unhas nas minhas costas, logo em seguida relaxei sobre ela. Nossas respirações estavam pesadas. Ficamos alguns segundos em silêncio.

-Isso foi... incrível. -Ela disse ainda ofegante me olhando.

-Muito. -Eu digo sorrindo.

-Você é muito sexy Fields. -Ela diz se aproximando de mim novamente e me dando um pequeno beijo, enquanto respiravamos um pouco. Adorávamos isso, o nosso casamento nunca mais esfriou, éramos como gasolina e fogo, explodíamos em qualquer hora e qualquer lugar. Não tínhamos que fazer sexo apenas a noite na hora de dormir, todas as vezes que as crianças dormiam, ou estavam fora eu e Alison parávamos para nos amar. Em qualquer lugar, sala...quarto...cozinha...piscina. E muitos outros. Alison era como o melhor morango de todos, macio e suculento. Demos uma pequena cochilada até ouvirmos o barulho da babá eletrônica.

-Temos mesmo que levantar mesmo? -Eu dizia escondendo o rosto no travesseiro.

-Sim, mamãe. -Alison disse sorrindo me dando um selinho e se vestindo rápido.
Então levantamos e fomos aos quarto das crianças. Levamos eles pra sala e começamos a brincar com eles, até que...

-Como foi o dia de vocês em? Mamãe estava com saudade. -Ela diz beijando a cabeça de cada um, eu era tão feliz e completa com eles na minha vida.  

-Foi legal, mama. -O Ben disse. -Mainha levou a gente pa toma sovete. -Ben disse rindo. As vezes dava vontade de apertá-lo de tão fofo que ele era.

-Foi, e mainha tabem convesou com uma amiga dela, que eu não gostei. -Blair disse cruzando os braços, ótimo, isso seria um grande problema.

-Uma amiga? -Alison olhou para Blair que balançou a cabeça de forma positiva, o que fez ela me olhar instantaneamente. -E por quê não gostou dela, princesa? -Alison perguntou novamente para Blair.

-Ela não gosta de mim e do Ben mama, tenho ceteza. -Aquela menina era uma peça, e pior é que eu também havia tido essa impressão.

Alison pov's

Depois de ouvir o que Blair disse a minha única reação foi questionar Emily, que amiga era essa? E o pior, por quê ela não havia gostado dos meus filhos, eles eram adoráveis.

-Quando você vai começar a explicar? -Eu a olho cruzando os braços, vendo Blair fazer o mesmo. Eu até quis ri, mas estava com raiva no momento.

-Deuses vocês são tão parecidas. -Emily me olhou rindo, e por mais que eu quisesse rir eu continuei séria.

-Eu estou esperando Catherine. -Eu dizia num tom seco.

-Isso é coisa da cabeça de Blair. Você sabe que ela não gosta muito das pessoas. -Ela disse tentando se explicar, mas não estava me convencendo.

-Quem era a sua "amiga"? -Eu perguntei.

-Era Maya. -Ela diz me olhando firme. -Nos encontramos por acaso na sorveteria, eu não fazia ideia que ela estava na cidade, e ela ficou surpresa ao ver as crianças.

-E quando você pretendia me contar? -Eu a perguntei firme.

-Hoje Alison, mas nós estivemos meio... ocupadas. Por favor, não fique chateada. -Ela disse se aproximando. E a minha reação foi me afastar dela, talvez eu estivesse me sentindo insegura, não pelo fato de ser Maya, mas pelo fato de Emily ter me traído uma vez, mesmo que tenha sido apenas um beijo. Eu a tinha perdoado de todo coração, mas eu sempre teria essa insegurança. -Ali, por favor, me desculpe, eu não estava escondendo de você, eu ia contar, mas Blair fez isso por mim, não existem motivos para você se chatear. Eu não sou mais aquela pessoa que te magoou, nosso casamento é lindo, nós temos duas crianças incríveis, e minha vida não tem espaço pra nenhuma outra pessoa. -Ela disse me confortando. -E tem. -Logo eu olhei pra ela séria. -Talvez um novo bebê quem sabe. -Ela disse sorrindo e me dando um rápido selinho.

-Me desculpe... -Eu digo sorrindo fraco. -As vezes eu tenho medo de que aconteça aquilo... -Eu falo ainda de cabeça baixa.

-Alison, aquilo foi o meu maior erro certo. E não tem um dia que eu não me arrependa do que eu fiz. Mas olhe nos meus olhos. -Então eu olho. -Você realmente acha que eu faria isso de novo? Olhe bem no fundo dos meus olhos, eu sou louca por você, eu não me imagino com mais ninguém que não seja você, eu a amo, eu daria minha vida por você, e essa é a maior prova de amor que eu posso lhe dar. -Ela disse com os olhos intensos, e aquilo era o remédio para acalmar meu coração. Depois de voltarmos, eu nunca mais havia sentido Emily distante e muito menos me distanciado dela, era tudo lindo quando se tratava de nós.

-Eu também amo você, com todo meu coração. -Então eu a beijo calmamente até ouvirmos Ben e Blair.

-Hummmmmm... Ta namolando.... ta namolando. -O que fez a gente se afastar na mesma hora e olhar para eles rindo. Então continuamos a brincar, montando um quebra cabeça que eles adoravam. A minha família era minha vida, e nada nem ninguém iria conseguir nos atingir, eu iria protegê-los com unhas e dentes. A minha pergunta era uma só: "O que Maya estava fazendo em Rosewood?"

 


Notas Finais


E então o que acharam???
Maya não gostou das crianças, como assim braseel?? '-' Eu acho que é inveja da Ali, digo mesmo.
O que será que ela vai aprontar???
Até a próxima <3333333333333


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...