História Inexplicable Love (Camren) - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camilacabello, Camren, Laurenjauregui
Visualizações 403
Palavras 2.304
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Escolar, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura 😘

Capítulo 15 - Capítulo 15


Fanfic / Fanfiction Inexplicable Love (Camren) - Capítulo 15 - Capítulo 15

Lauren voltou para o apartamento perdida em seus pensamentos, sequer percebeu que Selena havia ido embora e alguns de seus amigos também, restando apenas Harry, Paul e Lucy. Ela seguiu para o seu quarto, se trocou e voltou para a sala, sentou-se em um dos sofás e se manteve inerte. Harry queria conversar com a amiga, mas não sabia por onde começar, pois sempre que tentava ajudar às vezes acabava piorando a situação.

Por tanto tempo Lauren nunca mais havia chorado de verdade, não após a morte de sua irmã Taylor, mas sabia que dessa vez seria diferente, não importa o quanto segure. Seus amigos vendo seus olhos marejarem não acreditavam no que estavam vendo, foi então que sem conseguir conter um instante à mais algumas lágrimas começaram a cair.

Ela então limpou o rosto com as duas mãos na tentativa de cessar o choro, mas ele ainda estava ali, preso em sua garganta e seu coração o empurrava para fora para que ele saísse de uma vez. Até que Harry aproximou-se e a acolheu em seus braços sem dizer nada, sequer quis questiona-la, entendia que ela precisava de um momento só para ela, nunca havia visto a amiga assim por ninguém. Agora teve a certeza de que Camila era aquela que ele tanto falava que um dia Lauren encontraria, a moça capaz de domar a fera, derreter seu coração, e que seria insubstituível.

Em casa Camila estava inerte viajando em seus pensamentos, era como se estivesse revendo tudo o que aconteceu novamente. Aquela cena de Lauren com Selena não saia de sua cabeça, precisava de alguém, precisava de um abraço, precisava do seu pai. Esse chegou minutos após, estava animado com algumas sacolas em mãos, havia comprado algumas coisas para eles prepararem o jantar juntos, mas ao fechar a porta e virar-se preparado para chamá-la, ele pôde ver seus olhos marejados e logo identificou que algo estava errado.

- O que aconteceu minha Filha? - perguntou a olhando preocupado, ela apenas desviou o olhar e não pôde impedir que lágrimas teimosas percorrecem seu rosto.

Preocupado, Alejandro deixou as sacolas em cima da mesinha de centro, aproximou-se da filha que sem deixar que ele dissesse mais alguma palavra o abraçou forte de repente e deu-se a chorar desesperadamente. Um choro doloroso, em poucos instantes soluços saiam entre o choro, deixando seu pai cada vez mais preocupado. Porém entendia a dor da filha, e pela situação em que se encontrava não fora difícil adivinhar que aconteceu algo entre ela e Lauren.

- Quer me contar o que está acontecendo? - tentou ele ao vê-la mais calma em seus braços.

- Não quero falar sobre isso agora. - disse quase num sussurro.

- Bom... Eu trouxe algumas coisas pra gente fazer nosso jantar juntos, podemos ouvir uma música enquanto preparamos, e quem sabe nos divertir um pouco o que acha? - sugeriu.

- Vamos por a mão na massa, o que tem aqui? - ela não estava com fome, mas não queria deixar o pai preocupado então começou a fuçar nas sacolas demonstrando interesse.

• • •

- O que pretende fazer? - perguntou Harry agora sozinho com Lauren no quarto dela.

- Nada, no momento não estou afim de fazer nada. - respondeu ríspida, estava odiando sentir o que estava sentindo. Não queria sentir nada, não queria sentir a dor que estava sentindo.

- Não pode definhar dentro desse apartamento. - especulou, haviam passado o dia todo no ap.

- Você está certo, não posso definhar aqui. - ela levantou-se e seguiu para o closet.

- Vai fazer mesmo isso? - ele já conhece Lauren há muitos anos, já sabia o que a garota tinha em mente.

- Se me conhece bem de verdade não preciso responder. O que acha dessa? - ela pegou uma camiseta e o mostrou.

- Querida você sempre teve estilo, não precisa da minha opinião e além do mais se eu falar uma coisa você escolhe outra. - murmurou.- Já que não vou te impedir de fazer isso, eu vou junto.

- Ótimo. - ela sorriu satisfeita e piscou pra ele.

Em poucos minutos ela estava pronta, nada de maquiagens, nada de brincos, estava como gostava de estar. Ela havia optado por uma camiseta branca, calça preta, seu costumeiro nike branco e um boné aba reta preto e branco. Da casa dela os dois seguiram para a casa de Harry para que ele se arrumasse, o que foi rápido apesar dele demorar muito sempre que vai sair.

Já em frente a Spirit uma casa noturna conhecida na cidade os dois pagaram suas entradas e logo estavam dentro. O público era todo GLS, haviam pessoas se pegando por grande parte, enquanto outros fritavam e dançavam sensualmente na pista de dança. Inevitavelmente alguns olhares cairam sobre os dois que por sinal eram bem conhecidos ali, Lauren sorriu satisfeita e seguiu para o bar a fim de pedir alguma bebida.

- Quem é vivo sempre aparece. - brincou a barman.

- Sentiu saudades Ketrina? - perguntou Lauren debruçada no balcão.

- Com toda certeza, vai querer o de sempre? - ela sorriu.

- Só pra começar. - respondeu balançando a cabeça no ritmo da música.

- Amiga pega leve tá, até porque...

- Harry, vai caçar algum brinquedinho pra você se divertir vai. - disse ela o interrompendo.

- Aqui está. - Katrina colocou um drink sobre o balcão para ela.

- Obrigada minha linda! - Lauren o pegou e deu uma leve piscada.- A vida é muito curta para ser desperdiçada com bobagens, não era você quem vivia eufórico nas noitadas? Relaxa e goza Harry, você está precisando. - ela deu um sorriso cínico levando o canudinho a boca.

- Ai, tá bom. - Harry cedeu e respirou fundo.- Depois não fala que eu não te avisei, noitada, bebidas e mulheres só vão te fazer livrar-se da dor momentaneamente. Quando o efeito passar ela estará de volta, vai saber do que estou falando amanhã.

- Por que está me falando isso? - perguntou séria.

- Porque você é nova no assunto sobre amar alguém, não vai passar da noite pro dia. - ele também a olhava sério.

- Foda-se! - murmurou ela seguindo para a pista.

A noite estava apenas começando, e Lauren já estava em seu décimo drink além de algumas outras bebidas a qual ela misturou enquanto dançava com outras garotas. Lauren não dominava mais sua mente, era como se sequer houvesse conhecido a novata, e em mais algumas horas ela sequer realmente se lembraria de alguma coisa. Em alguns momentos antes do terceiro drink ela se perguntava o porque disso, as pessoas falavam tão bem do amor que esqueciam de falar da parte que dói, e dói de verdade. Era nova no assunto, não sabia com que estava lidando, ainda tinha muito para aprender e talvez Camila a ensinaria.

- Lucy? Kloe? - indagou ao ver as amigas aos beijos.

- Lauren? - indagou as duas em coro a olhando assustadas.

- Caralho, quanto tempo isso está acontecendo? - questionou referindo-se ao beijo que vira à pouco.

- Ôh, é... Alguns meses. - respondeu Kloe.

- E quando iriam me contar? - ela cruzou os braços, apesar da muita bebida ainda estava falando bem.

- Na verdade estávamos ensaiando como e onde faríamos isso. - agora era Lucy. - Desculpa.

- OK, agora chega de mimimi e vamos voltar de onde paramos, podem continuar se comendo. - ela acenou com uma das mãos e saiu andando.

- Acha que ela ficou brava? - perguntou Kloe à Lucy.

- Acho que ela está muito louca. - respondeu tentando seguí-la com os olhos a perdendo de vista em seguida.

Do outro lado da cidade Camila assistia à algumas séries com seu pai, estavam deitados juntos no sofá, ele acariciava seus cabelos enquanto assistiam. Mesmo com a série preferida passando na tv, sua mente estava cheia, se perguntava o que Lauren estava fazendo agora, se perguntava com quem ela estava agora, qual de suas aventuras a fazia companhia esta noite. Sentia raiva por ter acreditado nela, por ter acreditado em si mesma que haveria chances de fazê-la mudar, arriscou sua própria vida por ela, faria de novo se fosse preciso. Mas questionava a forma como fora agradecida. Afinal seria Lauren capaz de amar alguém de verdade? Seria ela capaz de dizer “Eu te amo” com toda sinceridade? As perguntas embaralhavam em sua cabeça em busca de respostas. Mas no momento só queria mesmo fechar os olhos, dormir e descansar sua mente, e acordar no outro dia com a certeza de que tudo não passara de apenas um pesadelo.

• • •

Lauren despertou no dia seguinte com uma dor de cabeça horrível, pra sua sorte o quarto estava completamente escuro ou a claridade só pioraria sua dor. Ela só teve tempo de levantar-se e correr para o banheiro, por pouco não sujou tudo a sua volta. Depois de horas vomitando até seu próprio rim, ela tomou uma ducha um pouco fria, deixando a água cair sobre sua cabeça na tentativa de se livrar da ressaca.

Uma hora depois de fazer suas higienes matinal ela saiu do closet com uma calça de moletom e uma camiseta qualquer. Para não aguentar o barulho infernal do secador optou por deixar seu cabelo secar naturalmente. Estava tão distraída que sequer havia notado que em sua cama havia uma companhia da noite anterior, por estar escuro achou que o volume na cama fosse apenas das cobertas. Ela saiu do quarto, e seguiu para a cozinha em seguida.

- Acordou? - indagou Chris sem tirar os olhos do jornal em sua mão.

- Não, virei sonâmbula maninho. - respondeu ela pegando uma xícara e se servindo com café.

- Carinhosa como sempre. - murmurou tomando um gole de seu café.- Olha, pela situação que estava ontem devo te perguntar como conseguiu chegar em casa? - ele dobrou o jornal o colocando sobre a mesa.

- Não me lembro, estava aqui quando cheguei? - questionou tomando um generoso gole de café.

- Claro que estava, chegou na hora que eu estava saindo para trabalhar, por volta das 6:00hrs da manhã. - explicou.

- E que horas são agora? Por estar tomando café pensei que...

- Café da manhã? Não maninha, estou tomando café da tarde. Já são pouco mais de 15:00hrs. - disse a interrompendo.- E a moça que veio com você?

- Moça que veio comi...- antes de poder terminar a pergunta, Lauren foi interrompida novamente.

- Estou bem obrigada! - exclamou Ela ao aparecer de supetão.

- K-Katrina? - gaguejou ela ao ver a barman na sua frente.

- Deixa eu adivinhar, não se lembra não é? - Lauren se manteve em silêncio.- Imaginei, bom... De qualquer forma estou indo embora. Preciso me preparar para trabalhar hoje à noite.

- Toma um café. - sugeriu Chris.

- Obrigado lindo, mas preciso mesmo ir e sabemos que sua irmã evita certas intimidades. - ela soltou um beijo no ar, acenou para nós dois e se retirou.

- E Camila? Pensei que estivessem...

- Ótimo, podia ter perguntado qualquer coisa. - irritou-se o interrompendo.

- Aconteceu algo que eu não saiba? - insistiu.

- Talvez não seja da sua conta. - debateu.

- Ótimo, faço de tudo pra te ajudar e assim que me agradece. - na tentativa de se levantar Lauren segurou um de seus braços e o fez sentar-se novamente.

- Está bem, me desculpa. - desculpou-se olhando para xícara à sua frente.- Acho que realmente preciso conversar com alguém sobre.

- Olha só estamos progredindo, Lauren admitindo que precisa conversar. - brincou.

- Vai ficar debochando de mim? Se for, prefiro voltar para minha cama e terminar o meu dia dormindo. - ela o olhava nada contente.

- Não está mais aqui quem falou. - ele ergueu as mãos em rendição.- Vou deixar falar.

Ela começou a contar tudo que aconteceu, e Chris ficou surpreso com a revelação, tentou também imaginar o lado de Camila, que ficou arrasada com tudo. Por mais que não tenha sido intencionalmente sabe o quanto deve estar machucada, ninguém ficaria feliz ao ver alguém que se gosta quase nu com outra pessoa. De fato ele sabia o quanto isso tudo é novo para Lauren e então tratou de aconselha-la, mesmo cogitando a idéia de que talvez não desse muito certo.

- De qualquer forma sabe que estarei aqui para o que precisar. - ele sorriu.- Agora preciso ir, tenho umas coisas pendentes para resolver no trabalho.

- Está bem, alguma notícia de Damon? - perguntou ao lembrar-se.

- Infelizmente nenhuma, não acredito que ele conseguiu se safar dessa, é como se ele tivesse desaparecido do mapa. - ele a olhava pensativo.- Mas vamos encontrá-lo, antes mesmo que pense em fazer qualquer outra coisa. - ele aproximou-se e beijou a cabeça de Lauren.

- Devia ter matado ele quando tive a chance. - murmurou.

- Não fale assim, você não é nenhuma assassina. Se dependesse de mim ele já estaria atrás das grades, mas a investigação não depende só de mim infelizmente. - murmurou.- Estou indo, juizo em.

Chris pegou algumas coisas que precisava, pegou suas armas, deu tchau para Chris e saiu para o trabalho. Ela olhou em volta a procura do que fazer, e pensou em fumar um cigarro antes de se deitar novamente e dormir. Era só o que queria fazer o resto do dia, dormir e esquecer tudo o que veio a tona novamente e achava ter esquecido.

Quando ela pegou a carteira de cigarros a campainha tocou novamente, ela achou estranho pois seu irmão não tocava a campainha a menos que tivesse esquecido as chaves e talvez tenha voltado para pegar. Ela caminhou até a porta.

- Esqueceu suas chaves? - perguntou ao girar a maçaneta e abrir a porta, logo seus olhos se arregalaram.- Você? - na tentativa dela fechar a porta de repente a pessoa a sua frente colocou o pé e abriu novamente.

- Por que a surpresa? Achou que eu não fosse saber aonde estão morando? - seu corpo arrepiou-se ao ouvir a risada tenebrosa.

- Você... - antes mesmo dela dizer qualquer coisa à mais, sua vista escureceu com um golpe que levara a fazendo cair no chão.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...