História Inexplicable Love (Camren) - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camilacabello, Camren, Laurenjauregui
Visualizações 226
Palavras 3.283
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Escolar, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura 😘

Capítulo 16 - Capítulo 16


Fanfic / Fanfiction Inexplicable Love (Camren) - Capítulo 16 - Capítulo 16

Aos poucos Lauren foi despertando, sua cabeça doía o dobro de quando acordou a primeira vez, quando seus olhos acostumaram-se com o ambiente deu graças a Deus por estar no ap ainda. Mas ao olhar para a sua frente, Michael estava sentado com um copo de whisky na mão a olhando como quem finalmente fosse fazer alguma vingança.

- Fala logo o que você quer? - resmungou Lauren se sentando.

- Não fale assim com seu paizinho querido. - respondeu com sarcasmo.

- Você deixou de ser meu pai há muito tempo. - murmurou.- Afinal o que eu te fiz para você me tratar assim?

- Sabe o que você fez? Nasceu e depois matou sua irmã. - ele tentava de toda forma atingí-la, mas ela se mostrava firme mesmo doendo lá no fundo.

- Agora que me “insultou” pode ir embora! - exclamou.- Estou com muita dor de cabeça e sem saco para te aguentar.

- Ainda não terminei. - iniciou novamente.- Contratei advogados bons para te trazer de volta pra casa, sua mãe e eu claro sentimos sua falta.

- Vocês nunca se importaram comigo depois que Taylor nasceu. - debateu irritada.

- Por isso resolveu matar ela? Por ciúmes? - ele levantou começando a andar de um lado para outro.

- EU NÃO MATEI MINHA IRMÃ, EU AMAVA ELA... - gritou com tanta força que sua cabeça doeu mais ainda.

- Aprenda uma coisa Lauren, você não ama ninguém, você não ama nem à si mesma, você nunca será capaz de amar. Sua vida se resume em gastar dinheiro, arrumar encrencas e transar com quantas garotas bem entender. - ele à deixou sem palavras, pois Lauren sabia que boa parte era verdade. Se questionava se o que sentira por Camila era mesmo verdadeiro, não acreditava nem em si própria.- Você é inútil para esse mundo, e em partes deveria mesmo concordar com você. Seria melhor se você tivesse partido no lugar dela! - murmurou entre os dentes, na tentativa de Lauren lhe dar um tapa ele segurou seu punho.- Só eu bato aqui filhinha.

- Bate! - exclamou.- Todos os jornais vão adorar essas notícias.

- Não faria isso. - ele franziu a testa.

- Não me subestime Papai querido. - ela puxou o braço de uma só vez o fazendo soltá-la.- Agora some daqui e me deixe em paz. Se sua intenção é me deixar louca com essas acusações está fazendo errado. Não vai me internar tão cedo, sabe porque? Seu desejo nunca será uma ordem.

- Eu vou Lauren, mas estarei de olho em você. - ele caminhou até a porta e a abriu.- Até logo, espero que saiba com quem está lidando. - finalizou se retirando e fechando a porta.

Ela deu um suspiro aliviada por ele ter ido embora e sentiu aquele nó novamente em sua garganta, que se tornou mais forte ao ver o retrado que permanecia com uma foto dos três juntos, Taylor, Chris e Ela. Até quando Michael iria acusá-la por isso, torturá-la ainda mais com essa perda? Só ela sabe que seria capaz de qualquer coisa para tê-la de volta.

Lauren passou o resto de seu dia vendo vídeos que fazia com a irmã, estava sozinha na sala do apartamento, às vezes chorando, outras sorrindo. A saudade apertava seu coração de uma maneira indescritível, lhe causando uma dor intensa.

“ - Aaaah não Lauren, sai daqui eu estou horrível. - indagou Taylor ao ver a câmera voltada para ela.

- Para com isso você está maravilhosa, da um sorriso vai. - pediu enquanto filmava tudo.

- Coloca a câmera ali e vem aqui comigo. - sugeriu enquanto dançava ao som de Coldplay - A Sky full of stars.

- Pronto! - Lauren correu para o lado de Taylor.

- Vamos dançar. - indagou ainda dançando.

As duas começaram a dançar bem perto da câmera, e enquanto mexiam suas cabeças pra lá e pra cá em certo momento bateram uma na cabeça da outra caindo na gargalhada em seguida.

- Acho que vou concordar com o papai. - brincou Taylor enquanto gargalhava

- Concordar em que? - perguntou a outra curiosa.

- Você é literalmente cabeça dura, constatei isso agora. - debochou rindo mais ainda.

- Sua bobinha. - Lauren partiu pra cima da irmã lhe fazendo cócegas.

- Sabe que eu te amo né? - disse enquanto descansava ao perceber que Lauren parou com as cócegas.

- Sei sim, eu também te amo muito, jamais se esqueça disso. Quando achar que todo mundo lhe virou as costas eu vou estar lá ao seu lado. - ela sorriu com sinceridade.

- Eu sempre vou estar do seu lado Maninha, independente de qualquer coisa. - Taylor à abraçou forte.”

Um vento entrou pelas enormes janelas chegando até Lauren à fazendo arrepiar-se, por uns instantes pôde sentir como se Taylor estivesse realmente ali à abraçando como fazia no vídeo. Ela então desligou tudo e ligou para Harry pedindo que viesse até ela, pois estava se sentindo sozinha mesmo não querendo admitir isso. Ele atendeu ao seu pedido chegando alguns minutos depois e foi só ele chegar que uma tempestade se formou lá fora.

- Eu avisei que beber e sair por aí não ia resolver muita coisa, você não está assim apenas por sentir falta de Taylor, sua saudade também se chama Camila. - especulou Harry à olhando.

- Pior que não lembro de quase nada, sequer sabia que Katrina estava em minha cama. - indagou olhando para os raios que se formavam lá fora.

- Vou refrescar sua memória. - ele deu um meio sorriso se divertindo com a expressão no rosto de Lauren ao ouvir isso.- Você bebeu demais, e mesmo eu pedindo pra parar você não queria parar, até mesmo Lucy e Kloe tentaram ajudar. Ficamos lá na casa noturna até você decidir ir embora e disse que não iria embora sem “Camila” que nesse caso era a Katrina. E sim você a chamou pelo nome da outra o caminho inteiro e mesmo assim ela não se importou, disse que te entendia e que te acompanharia só pra finalmente você chegar em casa, já que não estava em condições de ficar na rua. - ele riu.- Ao chegarmos aqui você só entrou quando ela entrou com você, e relaxa vocês não fizeram nada demais até porque na situação que você estava eu duvido que tenha conseguido fazer alguma coisa. Ela me ligou depois que foi embora, disse que você estava melhor e que já estava indo se preparar para trabalhar a noite.

- Que droga! -murmurou baixinho com uma das mãos na testa como quem tentasse esconder o rosto.

- Você causou em, ai eu te pergunto, aprendeu como funciona? - ele à encarava sério agora.

- Ninguém me disse que amor doía...

- Dói mais ainda se você colocar seu orgulho na frente, vai falar com ela. Depois que o ocorrido já passou creio que ela deve estar mais calma, agora tenho certeza que ela vai querer te escutar. - aconselhou.

- Você está certo. - concordou.- Hoje vendo meus vídeos com Taylor percebi o quanto mudei de lá pra cá. Eu não era assim, não tanto. - murmurou.

- Bom, pensa em tudo que eu te disse desde o momento em que cheguei e veja se vale a pena deixar seu orgulho tomar a frente, não somos de ferro Lauren, não tente ser. - ele levantou-se.- Eu preciso ir, tenho que fazer umas coisas antes de ir para casa. Promete que vai se cuidar e qualquer coisa irá me chamar?

- Para de viadagem, sabe que ligo. - respondeu levantando-se para abrir a porta para ele.

- Acho bom ligar mesmo. - ele beijou sua testa e lhe deu um abraço.- Se cuida.

- Você também. - indagou fechando a porta em seguida ao vê-lo sair.

Harry sempre foi como um irmão para ela, sabia que podia confiar à ele seus maiores segredos. Ela subiu as escadas correndo e foi até seu quarto para resolver o que iria fazer.

Em casa Camila ainda estava acordada, seu pai já havia ido dormir deixando claro que ela poderia chamar se precisasse. Estava sentada em uma poltrona em frente a porta envidraçada da sacada olhando a tempestade que estava lá fora, o céu clareava com tantos raios. Interiormente perguntava-se se a outra também estava pensando nela. Logo seus pensamentos foram cortados quando ela viu um carro branco parar em frente a casa dela, seu coração deu uma leve acelerada ao acreditar ser quem queria que fosse, mas se acalmou ao se lembrar que existem muitos outros carros iguais aquele. Então levantou-se da poltrona, fechou a cortina da porta e desceu para a cozinha em busca de um copo de água.

Ao chegar na cozinha acendeu a luz e pegou um copo no armário, caminhou até a geladeira e pegou uma garrafa de água e a fechou em seguida. Teve a impressão de ouvir alguém bater na porta, mas o som foi camuflado pelo barulho de um trovão. Ela se serviu com a água e logo se assustou ao ouvir novamente algo bater na porta da cozinha que levava para os fundos da casa. Devagar ela aproximou-se, girou a chave a destrancando e virou a maçaneta abrindo a porta e revelando uma Lauren pálida, com os lábios roxos, toda encharcada. Ela cuspiu um pouco de água, parecia ter acabado de sair de uma piscina, e manteve seus olhos fixos nos de Camila que não acreditava no que estava vendo.

- Será que a gente pode conversar? - a voz de Lauren saiu rouca talvez por conta do frio e da chuva.

- Antes de qualquer coisa entre, você precisa de um banho quente ou vai ficar doente. - sugeriu a outra dando passagem para ela.

• • •

Camila separou umas roupas de Lauren que ainda tinha em sua casa do dia que ela ficou até que seu irmão resolvesse suas vidas. Ela sentou-se na cama após fazer um chocolate quente para a outra e ficou esperando que ela estivesse seca e agasalhada. Não demorou muito para ela aparecer um pouco sem jeito, ela aproximou-se da cama ao ver Camila sentada na mesma.

- Fiz isso pra você. - disse lhe entregando a xícara de chocolate quente.

- Obrigada! - agradeceu Lauren pegando a xícara e tomando um pouco, estava se sentindo melhor, mais quente. Há minutos atrás não parecia, mas estava tremendo de frio. Sua pele apesar de muito branca, dessa vez estava na cor normal e seus lábios agora estavam rosados.

- O que faz aqui? Pirou de vez sair nessa chuva? - questionou Camila.

- Precisava falar com você, não podia deixar do jeito que ficou. - explicou.- Eu sinto muito Camila, sinto muito mesmo. Selena apareceu lá do nada, eu tinha acabado de sair do banho. Com minha mania de abrir a porta sem olhar no olho mágico pra ver quem é, eu abri e ela já chegou me agarrando. Abriu o sobre tudo mostrando estar apenas de lingerie, e me beijou quando pedi que fosse embora. Na tentativa de afastá-la de mim, mal percebi que ela havia conseguido abrir meu robe. Como havia dito eu tinha acabado de sair do banho, obviamente estaria nua. Não esperava por ela, assim como não esperava por vocês. - ela respirou fundo.- Juro que não fiz por mal, e pela primeira vez em toda minha vida estou deixando meu orgulho de lado para pedir desculpas à alguém, nesse caso você. Eu não queria machucá-la de forma alguma. - finalizou.

- Confesso que estava um tanto quanto confusa, mas eu não consegui te odiar pelo que houve. E no fundo sabia que a culpa não havia sido sua, espero que entenda o meu lado. Sabe que isso já aconteceu uma vez. - indagou Camila à olhando, sua vontade era colocar aquela xícara de lado e beijá-la com vontade.- Como veio?

- Meu carro está lá fora, me molhei mesmo para entrar nele pois não estava no estacionamento do prédio e depois me molhei mais ainda ao sair quando cheguei aqui. - explicou resumidamente.- Confesso que tentei sair ontem, fazer o que mais gostava de fazer, curtir, beber... Mas na verdade eu só consegui mesmo beber e passar vexames que nem lembrava até Harry me contar sobre eles. -ela desviou o olhar para a xícara.- Ele disse que não adiantaria, que quando amamos alguém de verdade e não à temos com a gente, acabamos tentando camuflar a dor nos copos de bebida e nas noitadas. Ele estava certo, devia ter escutado.

- Por que concordou com ele? - perguntou curiosa fazendo Lauren encarar sua íris.

- Porque... - quando Lauren ia dizer um trovão junto com um raio apagou tudo após um barulho ensurdecedor.

- Acho que estamos sem energia por um tempo. - disse Camila com os olhos arregalados.- Devo confessar que não sou muito fã da escuridão.

- Está dizendo que tem medo do escuro? - indagou Lauren segurando o riso.

- Você para de graça, se ousar me assustar eu vou te bater. - murmurou se encolhendo toda na cama. Lauren pousou a xícara em cima do criado mudo sem muito trabalho e a abraçou na tentativa de lhe passar proteção e segurança.

- Lauren... - disse baixinho.

- Sim? - perguntou apoiando o queixo na cabeça dela que agora estava entre as suas pernas toda encolhida.

- Te desculpo, me desculpe também por não ter te ouvido, havia ficado nervosa e...

- Camila! - interrompeu Lauren.

- Sim? - perguntou imaginando que havia dito algo errado.

- Concordei com o Harry porque eu te amo e realmente tentei camuflar nos copos de bebida a dor de talvez ter te perdido para sempre. - revelou respondendo a pergunta que ela havia feito antes de tudo apagar. Lauren não podia ver, mas os olhos de Camila estavam tão arregalados que poderiam sair de sua face a qualquer momento.

- Pode repetir de novo? - pediu com a voz trêmula.

- Concordei com o... - iniciou Lauren, mas logo fora interrompida.

- Essa parte não, só as três palavras que todos desconhecem vindas de você. - disse ao interrompe-la.

- Eu te amo! - repetiu ela pausadamente.- Gostaria muito que tivesse luz para que eu pudesse dizer isso olhando fundo em seus olhos, para que soubesse que não estou mentindo. - ela afastou bem pouco a cabeça do peito de Lauren, olhou para cima indo direto de encontro aos lábios dela selando demoradamente.

- Eu te amo Lauren, eu te amo muito! - sussurrou no ouvido dela em seguida.

• • •

O dia amanheceu tranqüilo, nem parecia ter chovido a noite toda. No quarto as duas já haviam despertado e feito suas higienes matinal, elas podiam ouvir vozes vindo da sala e foi o que as despertou. Após trocar o pijama por roupas mais receptivas as duas caminharam em direção a porta e logo saíram seguindo para a sala. Ao chegar no último degrau Camila e Lauren se depararam com Alejandro, duas mulheres lindas no sofá e um menininho brincando sentado no tapete da sala com um carrinho.

- Filha finalmente você acordou. - indagou Alejandro beijando a testa da filha.- Lauren? - questionou surpreso ao vê-la ficando um pouco confuso.

- Olá Alejandro. - disse ela dando um sorriso pequeno.

Todas se entre olharam por uns instantes, Vicent observava a cena se esquecendo de apresentá-las.

- Ôh, lembra-se de Lucca? - iniciou Ele olhando para a filha.

- Tio Lucca? - perguntou tentando lembrar, fazia muito tempo que não o via.

- Ele mesmo, essa é Sophia filha dele, aquela é Alexa esposa dela e esse pequeno príncipe é Enzo filho delas. - explicou as apresentando.

- Oi! - fora a única palavra que saíra de Camila, pois sua mente havia travado na parte em que elas eram casadas e tinham um filho.

- Oi Camila! - respondeu Sophia olhando para enzo em seguida, depois voltando seus olhos Camila a recebeu com um sorriso.

- Desculpa eu não me lembro muito de você. - admitiu.

- Tudo bem, quando foram visitar meu pai, eu já morava em Barcelona com Alexa. - ela sorriu.- Você cresceu bastante, lembra muito Tia Sinu.

- Conheceu a minha mãe? - perguntou surpresa.

- Um pouco, creio que vamos ter tempo de sobra para conversarmos e nos conhecer melhor. - todos sorriram.

Todos ouviam admirados a história de Alexa e Sophia, que era contada pelas duas. A mãe de Alejandro sempre escondia de todos o filho, pois na época temia ser motivo de notícias em todas as manchetes por ser mãe solteira. Os Cabello sempre foram discretos, porém Camila sabia de quem se tratavam e sabia que tinham algum grau de parentesco, só não sabia tudo detalhado. Sophia e Alexa estavam de viagem, como estavam por perto resolveram visitá-los e levar Enzo para que Alejandro e Camila o conhecessem.

Durante a conversa, Sophia percebeu a forma com que Camila e Lauren se olhavam, já havia tido essa idade e sabia o que estava acontecendo ali. Após longas horas de conversa já estavam todos mais à vontade.

- Filho aí não. - disse Alexa chamando a atenção de Enzo.

- Ele começou a andar a pouco tempo, vocês não imaginam a bagunça que ele é capaz de fazer, ainda mais com o Lucky ajudando. - revelou Sophia rindo e fazendo todos rirem.

- Depois que descobrem que podem ir aonde quiserem, não há quem segure. - indagou Alejandro.

- Verdade, bom precisamos ir. - ela levantou-se pegando Enzo no colo.- Vamos ficar por aqui alguns dias ainda, se não conseguirmos nos ver nesse meio tempo a gente volta pelo menos pra nos despedirmos. - Alejandro concordou a abraçando. Logo abraçou Alexa também que já havia abraçado as meninas.

- Foi um prazer te receber Sophia. - murmurou Camila em seu ouvido, beijando a testa de Enzo em seguida.

- O prazer foi todo meu priminha. - ela piscou sorrindo. - Cuida dela em Lauren, ou serei obrigada a te castigar caso não o faça. - brincou.

- Pode deixar! - Lauren sorriu.

Camila estava feliz por conhecê-la, e poder conhecer sua história, e Lauren se deu conta de que realmente quando há amor verdadeiro nada é capaz de destruir ou afastar. Acabam sempre encontrando o caminho de volta uma para outra. Foi uma passada rápida, mas Camila fazia questão que elas voltassem mais vezes para conversarem. Torcia por mais dias assim, em que tudo correria bem sem nenhuma notícia ruim ou algo do tipo. Logo depois as duas explicaram a Alejandro o que havia acontecido e como Lauren havia ido parar ali na casa deles. Ele pensou em dizer algo, mas precisava ir trabalhar, já estava atrasado.

- Já vi que é de família esse lance de carregar os Castanho nos olhos, até o pequeno Enzo herdou. - brincou Lauren.

- Não somos fracos não. - Camila riu.- A propósito, agora pode olhar em meus olhos e dizer o que queria dizer.

- Dizer o que? - Lauren se fez de desentendida para brincar com ela.

- Nada esquece... - disse mudando a expressão em seu rosto, Lauren vendo isso segurou em seu queixo a fazendo encará-la.

- Eu.te.amo! - disse pausadamente olhando no fundo de seus olhos demonstrando toda sinceridade.

- Tem certeza que quer mesmo amar a mim? - indagou fazendo a mesma pergunta que lhe foi feita.

- Como se eu tivesse escolha. - ela sorriu com ternura. - Não escolhi te amar Camila aconteceu, de forma inexplicavel, mas aconteceu. Simplesmente te amo! - finalizou com a mesma resposta que lhe foi dada selando os lábios dela em seguida.

- Não está brincando comigo está? - perguntou com um pouco de medo ao ouvir a mesma coisa que ela havia dito a Lauren há um tempo atrás.

- Jamais! - exclamou dominando seus lábios de forma intensa e calorosa.

Juntas se entregaram à um beijo sem fim, a medida que ia se intensificando podiam sentir suas intimidades queimando de desejo. Queriam esquecer tudo o que aconteceu, queriam aproveitar cada minuto sem desperdiçar um segundo sequer. Queriam se amar como nunca haviam feito antes, grudar para nunca mais soltar. Mergulhar em um mar de desejos e prazeres infinitos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...