História Infernal - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Demonios
Visualizações 49
Palavras 2.344
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii, então, eu terminei ele hoje e vai ser assim : Quando eu terminar eu posto ok? Pode ser que eu atrase ou poste um em cima do outro, mas tudo depende do tempo, desculpe por isso.
Enfim, o capítulo está betado, mas de qualquer de jeito desculpe qualquer errinho que talvez passe despercebido.
Obrigada pelo apoio, espero que gostem boa leitura.

Capítulo 10 - Capítulo 10



E novamente ambos se encontravam naquela bolha exagerada de amor. Jungkook nem sabia quantas horas se passaram, só havia dispensado todos que queriam comemorar sua volta pra ficar ao lado de Jimin.


Acordou tendo os olhos do anjo presos a si enquanto recebia um carinho nos fios desgrenhados pelas mãos gordinhas do mesmo. Sorriu pensando que não seria ruim acordar com o anjo lhe mimando. Jimin realmente se mostrava arrependido, mimava Jungkook como se fosse sua criança, e tecnicamente ele era mesmo, o alimentava, dava carinho, o beijava e deixava claro o quanto o amava. Havia acordado uns poucos minutos antes, e, por isso, resolveu admirar o que quase perdeu.


Sorriu quando desfrutou da face do outro se enrugando em um sorriso indicando seu despertar, Jungkook com certeza era a melhor pessoa pra si. Tanto que nem acreditava que pensou que viveria sem ele.


 - Bom dia, anjo. – Sorriu com os olhos retribuindo o demônio com um sibilar baixo em escolhas de palavras que respondesse corretamente o outro. Esperou Jungkook sentar-se devidamente para iniciar a parte desconfortável da conversa.


Jimin sabia bem que uma hora ou outra o assunto teria de ser resolvido e claro, isso abalava o anjo, tanto que Jimin tinha que se concentrar para não soar frio e ter um ataque em ansiedade á reação de Jungkook.


Quando Jungkook sorriu acariciando seus fios seu ar faltou, o choque brincando com seus pelos, o sorriso o acalmando completamente, acabou por suspirar em deleite aos carinhos. Respirou fundo e formulou as perguntas.


- Nós...Sobre o Min e- Foi interrompido.


- Não vamos falar disso, quando eu o encontrar vou surrar ele e isso é certo. – O olhar de Jungkook mudou da água para o vinho, onde ele possuía raiva em seu olhar, os toques nos fios do mais velho se cessaram e a mão caiu ao lado de seu corpo fazendo Jimin retesar.


- Kookie. – Tentou apelar para o olhar manhoso o que só irritou o mais novo, Jimin não queria ver o Min sofrendo ou algo assim, afinal, o erro foi de ambos. – Tudo bem, não pense que eu desisti. – Bufou revirando os olhos ao ver que acabaria em discussão. Apenas adiou a data da conversa.


- Se... se ele sumir e não se aproximar das pessoas perto a mim eu posso deixá-lo viver, mas não quero ele perto de ninguém, caso ele volte eu não ficarei quieto. – Sussurrou se aproximando deixando com que o hálito quente tocasse a pele de Jimin.


- O-o que? – A pergunta ficou incompleta quando viu o outro selar sua testa em um carinho mudo e levantar-se, destinando-se ao banheiro com uma toalha em mãos deixando um Jimin atônico.


Agora afirmava, era louco, foi louco quando negou Jungkook por causa de seu ego e é louco por amar alguém assim, continuou ali arrepiado olhando a porta branca do banheiro enquanto ligava o chuveiro, aproveitou para pensar um pouco em como o mais novo mexia consigo.
Era nessas horas que achavam necessário alguém para lhe ouvir, mas não era qualquer alguém, queria apenas poder desfrutar do ombro de alguém que o entendesse. Bufou pensando novamente no sorriso do mais novo, Jungkook podia facilmente ser considerado um pecado.

                                                             *
O almoço iria ser posto a mesa e todos aguardavam o tão esperado alimento, cada um pensando no que pediu para comer. Jungkook ainda sentia vergonha de se alimentar mas a fome era maior, ontem não bebera quase nada após acordar. Apenas uma taça. Claro ele sentia fome mas não queria sair do lado de Jimin.


- Taehyung não voltou? – Jeon perguntou a Seokjin que estava abraçado ao outro Kim presente a mesa, obviamente os dois ainda não se resolveram mas estavam tentando, isso era perceptível.


- Não, me ligou e disse algo sobre se atrasar e apresentar seu namorado. – Citou tentando,  falhamente, adquirir uma reação ou um olhar do outro, porém sorriu feliz ao ver que o mesmo estremeceu com o beijo que depositara no queixo do mesmo.


- Namorado?! – Perguntou fazendo Jin revirar os olhos como se lhe perguntasse algo óbvio demais a ponto de entediá-lo. Jungkook, como já imaginado, se levantou exasperado fazendo a cadeira rugir e ofender os ouvidos dos presentes.


- É, tipo o que o Jimin seria seu se vocês não fizessem cu doce, sabe? – Novamente revirou os olhos, ficar sem Namjoon contigo estava o deixando mal-humorado e isso já deixava a todos inquietos.


- Pois saiba que se eu e o Jungkook estamos fazendo cu doce vocês dois fazem a produção de mel inteira. – Jimin se pronunciou olhando as unhas e soprando algo imaginário nas mesmas. Não queria brigar com Jin, mas ficou mal-humorado por Jungkook perguntar por Taehyung.
Jimin estava em um mini conflito consigo mesmo, odiava Taehyung mesmo sabendo que agora o Jeon era SEU, mas ainda sim algo o impedia de simpatizar com o anjo, talvez, só talvez mesmo isso envolvesse a reação de espanto que Jungkook continha agora. Mas claro que Jimin ficou feliz que o demônio achou alguém, enquanto para uns era um motivo de felicidade por amizade, para Jimin a felicidade era de ter um rival a menos.


- Como assim? Ele nem ao menos mencionou algo! Depois de todo esse tempo ele não mencionou ninguém. – Esbravejou Jungkook se levantando exasperado causando um barulho estridente, dos talheres presentes na mesa, titilando.


- Estamos na mesma, apesar de que eu acredito que ele encontrou o Ariel de novo. – Jin respondeu endireitando-se sobre a mesa e ignorando o comentário anterior feito por Jimin, sabia que ele era ciumento e entendia o porquê.


- Ariel? – Ambos, Jimin e Jungkook, perguntaram tendo as atenções presas ao nome citado anteriormente, Seokjin suspirou vendo que teria de contar a história do casal aos mais novos. Namjoon que até então ainda vagava nas palavras ‘’eu estou grávido’’ também passou a prestar atenção no mais velho.


- Sim, Ariel. Eles se conhecem desde a época em que você era ignorante, se apaixonaram quando humanos e morreram por uma doença, que os campos que eles viviam, estava contraindo. Eram jovens quando chegaram, Tae veio como demônio e ele como anjo. Se relacionavam as escondidas e quando você soube de ruim, não acho que preciso entrar em detalhes. – Finalizou a simples explicação com certo pesar por se lembrar da época.


- Deu ruim? Jin, pelo amor né. Fala logo. – Namjoon se pronunciou pela primeira vez arrepiando o anjo por ter, enfim, depois de muito tempo a palavra do outro dirigida a si.


- O Jungkook da época odiava anjos, era o período entre guerras do céu e inferno, quando descobriu que seu general se relacionava com um anjo selou-lhe as asas, o pior ficou com o pobre anjo. – Jungkook se sentiu sujo ao saber que fez Taehyung sofrer, agora fazia sentido do porque o outro o temia.


- E o que eu fiz ao anjo? – Sabia que boa coisa não era, isso era transmitido pelo olhar de Jin sobre o próprio colo, Jimin se sentiu desconfortável pelo rumo da conversa, porém decidiu ficar calado aguardando a resposta.


- Você arrancou as asas dele na frente do Tae, elas não regeneram junto as reencarnações, só você é capaz de matar anjos com facilidade, a mesma coisa acontece com o Jimin, ele pode matar demônios com facilidade, claro, Jimin sentiu a dor do anjo mas com Taehyung foi pior, Ariel acabou se tornando um anjo caído. 


- E como tudo acabou? – Jimin tomou a iniciativa vendo que Jungkook e Namjoon pareciam abatidos demais em continuar a focar em algo

.
- Acabou que, eu cuidei de Ariel até que ele caísse por completo a ponto de definhar e renascer como humano as suas ordens, Taehyung permaneceu como demônio porque você pediu a Jungkook, assim eles não se reencontrariam e agora ele morreu e é anjo novamente mas um anjo sem asas. – Jimin ficou chocado com isso, não queria ser responsável pela separação mesmo que indiretamente.


- Mas, se só o Jimin e o Jungkook conseguem matar os adversários, no caso anjos para Jungkook e demônios para Jimin, como eles lutaram com os subordinados na época das guerras e rivalidades? – Namjoon perguntou fazendo Jin sorrir de lado pela pergunta inteligente do outro.

 

-Tudo se resume a isso. – Jin parou um dos demônios que começaram a servir a mesa e pegou-lhe da bandeja a taça de sangue que Jungkook beberia. – Sangue. – Completou.


- Sangue? O que isso tem haver? – Jungkook perguntou já voltando a si e se sentando devidamente pronto a tentar ligar as linhas soltas assim como Jimin e Namjoon.


- Simples, tem magias onde você consegue controlar o sangue fora do seu corpo, o sangue era usado nas armas e quando elas entram em contato com os rivais ele serve como veneno ou algo tóxico, você e o Jimin tinham esse tipo de controle. – Esclareceu as dúvidas dos presentes já colocando a taça entre dedos sobre a mesa rente a Jungkook.


- Esses dois parecem ter sofrido. – Namjoon concluiu tendo quase que de imediato a frase completa com Seokjin.


- E sofreram, agora vamos comer antes que esfrie. – Sokjin completou e se prontificou a começar a preencher o prato em sua frente com os alimentos postos a mesa pelos demônios de Jungkook.


- Jin, é normal eu sentir certo desconforto em meu peito? – Jimin seguiu o mais velho colocando comida no prato igualmente a Namjoon, Jungkook apenas passou a bebericar o líquido carmesim presente na taça com o cenho franzido pela pergunta aleatória.


- No seu caso sim, você apenas está recebendo novas almas para se tornarem anjos, Jungkook ainda não assumiu o cargo então ele tem o Taehyung cuidando da recepção das almas, quando puras ele as manda pra você, e como você já assumiu seu cargo você sente cada alma. – Ditou novamente enquanto comia uma comida estrangeira bem temperada.


 - Não entendi, como assim? – Jimin novamente perguntou por si e por Jungkook visto que o mesmo também não entendera.


- As almas vem com pecados pendentes, cada um com seu peso, quando vocês vieram devem ter passado pela floresta, lá é onde vocês queimam os pecados, por isso a dor, quando vocês acordam já estão limpos e no seu cargo, anjo ou demônio, no caso de ser anjo o Jimin sentirá uma nova alma para a ‘’família’’, Jungkook não sente nada porque o Tae não deixou ele assumir ainda. – Respondeu sem encarar ninguém além da comida com o cenho franzido.


- Jin, tudo bem? – Namjoon perguntou ao presenciar o cenho franzido do anjo mais velho, largou os talheres e com a cabeça focada na expressão fofa do outro esperou a resposta.


- Sim, só um enjôo. – E voltou a comer como se nada tivesse acontecido.


 - Geralmente você não pararia de comer e esperaria o enjôo passar? – Jungkook tomou a frente das dúvidas.


- Não se recusa comida, e do mesmo jeito que eu não recusei o MEU filho eu não recuso comida. – Anunciou dando ênfase na palavra meu, o que deixou Namjoon desconcertado.


 - Não o recusei, só não digeri tudo isso ainda, poxa eu acordo em um lugar desconhecido, presencio uma luta, acho o garoto que me tira as noites de sono todo machucado, meu amigo adoece e logo você me diz que serei pai, eu nem ao menos sei se a criança é minha. – Bufou, acabou dizendo sem se importar em como Jin ficaria com isso.


 - Desculpe se eu pareço alguém que dorme com todos pra você, mas não se preocupe, mesmo que ele cresça sem pai eu serei o outro pai para ele. – Continuou comendo fingindo não ter ficado chateado ou até lacrimejado.


 - Namjoon seu insensível. – Jimin ditou deixando as coisas do jeito que estavam, não se intrometeria mas teria uma conversa entre ele, Namjoon e algumas facas, quem sabe assim as coisas entrariam mais fáceis naquela cabeça dura?


- Não foi isso que eu quis dizer, pode ser que ele tenha se comprometido com outro além de mim, só estou sendo racional. – Argumentou contra todos ali e assim o almoço seguiu silencioso, Jimin e Jungkook decidiram conversar com ambos depois, esperar ambos esfriar a cabeça e jogar umas verdades.


- Jin, como você chegou aqui? – Jimin perguntou tentando acabar com o silêncio incomodo que havia se formado.


- Meu irmão era machista, e diferente do meu pai, não me aceitava como alguém mais delicado, eu estava brincando com um veado na floresta e ele pra me assustar decidiu matar o veado, acontece que eu escorreguei e eu que morri. – Não ligava muito pra essa história, sabia que o irmão se arrependera por isso o perdoara.


- Desculpe, fui insensível. – Jimin se desculpou, quando todos terminaram de comer os empregados vieram e novamente colocaram pratos a mesa, dessa vez era alguns doces como chocolates banhando frutas e coisas assim.


- Isso é realmente desconfortável, como conseguem comer um silêncio assim? – Taehyung adentrou o cômodo e sentou-se a mesa cumprimentando a todos em meio aos gestos, sua personalidade animada não permitiu o silêncio reinar.


-Tae, que história é essa de namorado? – Jungkook perguntou o que queria saber sem se importar em parecer curioso, claro que Jimin o torturou mentalmente.


- Ah, isso, a várias anos- Foi interrompido.


- Isso nós já sabemos. – Jimin disse sem soar rude, decidiu tentar simpatizar com o demônio. Taehyung olhou para Seokjin que apenas desviou o olhar e continuou a comer o sorvete de chocolate que fora dado a si.


- Eu conheci ele de novo, dessa vez eu sei que vocês não farão nada por isso o pedi em namoro. – Simplificou entrando no assunto calmamente.


- E quem é esse tal Ariel? – Jungkook tomou a frente dessa vez, logo Taehyung levantou-se como se lembrasse de algo.


- Vou chamá-lo, havia esquecido. – Levantou-se e saiu em direção a porta, conversou rapidamente e pareceu se desculpar, logo abriu a porta dando lugar para a criatura passar por ela deixando Jimin e Jungkook assustados.


Jungkook não respondeu por si quando se levantou pronto a bater no dono da voz que logo se fez presente.


 - Prazer, sou Min Yoongi.
 


Notas Finais


Desculpe qualquer erro.
Obrigada por lerem e comentarem.
E ai gostaram?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...