História Inferno - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lie to Me
Personagens Dr. Cal Lightman, Dr. Gillian Foster
Tags Ação, Drama, Romance, Suspense
Visualizações 13
Palavras 895
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 29 - Parte 29


POV Bryce

Gallagher está morto. O tiro o atingiu em cheio no estômago. O cenário é trágico e devastador. Há sangue por todo o chão, três homens mortos, o gigante que não sei o nome, o tal do Tariel, o menor dos comparsas e o próprio Perry Gallagher. Seu tronco fora perfurado pela bala da outra arma. Entrou e saiu pelo seu corpo o brilhante objeto. Seus olhos estão dilatados inteiramente. O sangue de sua boca úmido. Quase perto dele, meus olhos captam a luz brilhante de outra bala. Uma bala contaminada, suja de sangue e permanente. Não é velha, é nova, mas, há traços de ser de dias atrás. Calibre 32. Foi isso o que ele tirou do braço do mesmo homem que eu seguro em meus braços. O assassino foi atingido pelo golpe de misericórdia. A tal legítima defesa. A pólvora dá indícios de queimadura à pouca distância. E foi pelas costas. Ele me defendeu, me salvou. Eu o resgato, pegando minha arma de volta do chão e a pondo sobre minha calça e o deito no banco de trás do meu carro. Respiro pesadamente e aciono o motor.

- Droga! - Exclamo, dirigindo o carro apressadamente.

Ele continua vivo, por enquanto. Por milagre, recebo a ligação de alguém que considero mais que importante nessa missão e especial ao meu coração.

- Sterling? - Falo, finalmente aliviado.

- Estou saindo daqui. - Me avisa logo - Onde você está?

Eu suspiro pesado. O que eu lhe falo não é boa coisa.

- Não dá tempo para explicar agora. - Falo brevemente e olhando para trás, depois, novamente para frente - Vou para o hospital. Ele está com hemorragia.

Dá para pensar na expressão que ela faz ao ouvir isso.

- Me espere por lá. - Fala rapidamente - Vou levar os outros comigo.

- Pode deixar. - Afirmo, pisando mais fundo no acelerador - A gente se fala por lá.

Ela desliga a chamada. Corro imediatamente para o hospital. Ligo o mini computador, ela deixa o prédio com estilo e classe, tudo explode, o prédio inteiro. As chamas tomaram o estabelecimento completamente. Agora, é com a gente. As vidas dos outros estão por nossa conta.

POV Gillian

As travas do carro se soltam. Não acreditamos quando vemos que o prédio todo explode. Ficamos tão chocados. A senhorita Brandt abre a porta do motorista. Depois de entrar no veículo, começa a dirigi-lo apressadamente.

- Estão todos bem? - Nos pergunta por garantia e preocupação.

- Não tão bem. - Diz Ria, segurando na mão de Eli - Como puderam fazer isso? Nos atrair para lá e depois destruírem o prédio todo?

- Posso imaginar. - Diz ela, olhando pelo vidro para ver os passageiros do banco de trás - No hospital, conversamos melhor.

Eu fico pensativa.

- Hospital? - Pergunto, assustada e olhando para ela.

De olhos na pista, ela não esconde o que aconteceu.

- O Bryce encontrou o doutor Lightman. - Informa seriamente - Ele está extremamente ferido.

Por um momento fico aliviada pela boa notícia. Mas, acabo ficando desesperada por ouvir uma má notícia. Ria olha para ela com olhos astuciosos.

- Vocês são da polícia, não são? - Dá um palpite alto e quase certeiro.

Sterling Brandt sorri pelo palpite de Torres. Ela mostra orgulho em seu rosto, não surpresa, e nem vergonha da descoberta. Mas, nos confessa quem realmente ela é e o senhor Armitage.

- Somos agentes secretos daqui de Washington. - Nos revela, seu rosto não mostra mentira - Trabalhamos sozinhos, não com a polícia. E, sim, temos um chefe. Eu sou médica e trabalho na área de equipamentos junto com o Bryce. E ele trabalha com tecnologia. Foi ele que mexeu neste carro naquela noite em que deixamos a doutora Foster e o doutor Lightman em casa.

- Engenhoso. - Elogia Loker, bem impressionado - Por que decidiram nos ajudar?

A mesma pergunta que eu havia feito antes é respondida com uma verdade sombria do passado.

- Porque, aquele desgraçado matou a minha irmã esses dias. - Fala, mostrando raiva e tristeza - Aquela menina que morreu recentemente é minha irmã caçula, Marrie. Só descobri que foi ele ontem. O maldito Gallagher. Eu já suspeitava do senhor Knnox. Mas, precisava ter a certeza do assassino. Sempre o via se achando perto das câmeras.

Ao ouvir Gallagher, meu estômago se embrulha e meu coração se aperta demais.

- Gallagher. - Digo o nome dele em tom normal e olho para baixo, depois volto a olhar para cima, meus olhos se mexem num ritmo acelerado - O Cal me falou sobre ele. Foi ele quem atingiu o braço do Cal. Então, era ele. Escondido em outra pessoa por fora.

A senhorita Brandt não está surpresa com o que eu disse. Não muito, pois sua descoberta foi no dia anterior. Quanto a mim, descobri agora.

- O que ele foi fazer na empresa? - Pergunto, curiosa e confusa - Por que invadiu o escritório do Cal? E por que fingir ser outra pessoa?

Nós quatro estamos tão curiosos quantos a essas questões. Elas precisam ser bem explicadas e esclarecidas. Eu encosto a cabeça no banco, meu desespero só aumenta. Só penso como o meu Cal está. Não quero imaginar o seu estado. Cal... por favor, não morra. Só você sabe ler os outros melhor que eu. Não me deixe. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...