História Infiltrada - Capítulo 37


Escrita por: ~

Postado
Categorias Tekken
Personagens Asuka Kazama, Baek Doo San, Hwoarang, Jin Kazama, Jun Kazama, Kazuya Mishima, Nina Williams, Steve Fox
Tags Drama, Jin Kazama, Romance, Tekken
Visualizações 28
Palavras 1.265
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Hentai, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oiiii! Consegui preparar o capítulo e postar hoje! Espero que gostem! Boa leitura.

Capítulo 37 - Tentando ajudar


Fanfic / Fanfiction Infiltrada - Capítulo 37 - Tentando ajudar

Vênus POV’s on

Eu fui rapidamente até a sala dele, mas como á esperado o soldado me barrou. Eu tentava discutir com o homem e convence-lo a me deixar passar e tentar fazer Jin abrir aquela porta. Era em vão, o soldado não pretendia me deixar passar e como Nina não estava comigo pra exercer sua autoridade, eu estava cogitando a possibilidade de bater nesse soldado chato e passar a força. De repente nós dois paramos de falar porque ouvimos um barulho na porta da sala de Jin. A porta se abriu e de dentro da sala pude ouvir meu irmão dizendo pra me deixarem passar. O soldado então prontamente saiu da minha frente e eu fui andando devagar até entrar em sua sala. Quando entrei, ouvi a porta se fechando e se trancando atrás de mim. Olhei com atenção pela sala e vi ele de pé perto da janela, com o olhar longe, perdido. Ele me olhou assim que entrei com um rosto meio sem expressão e a imagem da Talya chorando com os olhos vermelhos naquela sela fria e escura veio a minha mente e eu fui em direção a ele disposta a fazê-lo se arrepender.

Vênus: Você ficou maluco? (fechei os punhos de frente a ele)

Jin: Eu fiz o que tinha que fazer... (continuava com o olhar perdido)

Vênus: Não! Por que prendeu a menina sendo que ela passou por cima das ordens da sua mãe? Sabe por que ela te contou? Porque não achou justo saber a verdade e deixar você no escuro! (eu estava brava com ele, mas aquela cara de cachorro abandonado dele me fazia amolecer um pouco, por isso não bati nele ainda)

Jin apenas me olhava sem expressar nada. O olhar dele era estranho... não demonstrava emoção, mas ao mesmo tempo eu sabia que ele estava muito perdido com tudo isso.

Vênus: Eu entendo que você esteja confuso... (suspirei) Mas a Talya não merecia passar por isso tudo sendo que ela só disse a verdade a você porque te ama!

Eu tentei dar um soco nele em um acesso de raiva, mas ele foi mais rápido e acabou segurando minha mão.

Jin: Olha... (soltou minha mão) eu preciso ver a minha mãe...

Vênus: Não duvida dela. (olhei em seus olhos) Eu a segui e eu vi ela falando com a Jun Kazama que ela te contou... e ela não sabia que era a sua mãe, descobriu aquele dia.

Jin: Preciso ver a minha mãe perto de mim. (ele me olhou e eu pude ver que Nina tinha razão, ele acreditou na Talya)

Vênus: Não faz a Talya sofrer por sua culpa... (ele me olhou e eu sabia que o que eu disse tinha feito ele se sentir mal, mas ele precisava ouvir) Vai acabar afastando ela de você e você sabe muito bem que longe dela você fica cada vez mais descontrolado irmãozinho... (disse sincera)

Jin: Me deixa sozinho de novo... (ele voltou a olhar a janela)

Vênus: Tá bom... (suspirei) Você tem sorte que o Hwoarang ainda não sabe que ela tá presa... (ele suspirou) Você não sabe o quanto ficar presa daquele jeito é horrível... não quero acreditar que meu irmão é um monstro assim como meu pai... (ele me olhou sério e eu me preparei pra sair, mas me lembrei de um detalhe) Só mais uma coisa... (voltei até ele)

Eu preparei o punho e dei um soco na cara dele que o pegou de surpresa e eu disse “Vira gente...” e ele ficou me olhando indignado enquanto segurava o queixo reclamando de dor. Eu saí da sala dele então e ele se trancou de novo. Dei de ombros e fui andando pensando o que fazer. Ficar de mãos atadas assim me deixava agoniada. Não podia fazer mais nada na verdade. Já falei tudo o que vi pra Jin e agora só cabe a ele reparar o erro que cometeu com a Talya. Eu andava pelo corredor da Zaibatsu imaginando o que fazer e imaginando também o que Nina teria feito depois que saiu daqui de moto, até que dei de cara com Hwoarang andando por lá também.

Hwoarang: Oi... (sorriu) estava te procurando.

Vênus: Oi ruivo. (beijei ele meio tensa com medo dele me perguntar alguma coisa)

Hwoarang: Você sabe alguma coisa da minha irmã? Tem tanto tempo que voltamos e ainda não vi ela nem o Kazama... será que estão na cabana até agora? (fez cara de dúvida)

Eu sabia que mais cedo ou mais tarde isso ia acontecer! O problema é que eu não tenho ideia do que fazer. Se eu dizer que não os vi, estarei mentindo descaradamente e qualquer um poderia me desmentir, mas se eu contar o que tá acontecendo ele vai matar Jin, tenho certeza. O que eu faço?

Vênus POV’s off

Nina POV’s on

Eu precisava fazer alguma coisa. Não podia deixar isso tudo só nas mãos da Talya e preciso avisar a Jun do que tá acontecendo. Eu peguei a primeira moto que vi e saí da Zaibatsu antes de Jin vir atrás de mim e fui até a casa de Jun o mais rápido que eu consegui. Eu fui sem disfarce mesmo, não tinha tempo nem motivo mais pra me disfarçar. Estacionei perto da casa dela e corri até lá. Entrei na casa sem bater mesmo o que fez Jun levar um pequeno susto.

Nina: A situação tá fora de controle! (falei afobada)

Jun: O que você faz aqui? (me olhou séria) O que aconteceu?

Nina: Deu tudo errado e a Talya tá numa enrascada!

Jun: Calma, eles só estão namorando... (ela não entendeu a gravidade do assunto)

Nina: Jun ele já sabe! (Ela me olhou assustada) Talya contou pra ele que a mãe dele tá viva!

Jun: O que? (notei que ela começou a tremer um pouco)

Nina: Eu avisei que ela deveria ter cortado essa relação com ele antes de tudo virar uma bola de neve, mas ninguém me ouviu! (passei a mão no rosto) Ela contou porque não queria engana-lo... ela gosta muito dele.

Jun: Calma... (ainda tremia) O que aconteceu pra você ficar tão nervosa?

Nina: Ele prendeu a menina por traição. (Jun se assustou) Ele sabe que a única forma de chegar até você é forçando ela a trazer ele até você ou forçando você a ir até ele pra salvá-la.

Jun: Onde ele a prendeu? (preocupou-se)

Nina: Ele a colocou na sela 28... uma sela escura, fria, sem conforto nenhum... ela tá chorando o tempo todo... ela não sabe o que pensar dele... tá muito confusa...

Jun: E é tudo culpa minha... (ela estava visivelmente se culpando) Eu preciso tirar ela de lá... ela foi por minha culpa...

Nina: Mas é isso que ele quer!

Jun: Mas é o que eu preciso fazer! (pareceu decidida) Ou você tem uma ideia melhor?

Nina: Você tem que sair daqui! Ir pra outro lugar, mas faça ele perceber que não pode te achar ainda. Peça pra ele libertar a garota.

Jun: Acha que vai dar certo?

Nina: Confia em mim, nunca te deixei na mão. (olhei decidida pra ela) Eu cuido do Jin pra você a tanto tempo... sei lidar com ele.

Jun: Tudo bem então.

Jun pegou um papel e escreveu uma espécie de carta e deixou sobre a mesa endereçada a Jin. Como eu, ela também imaginou que logo ele conseguiria chegar até aquela casa. Ela subiu na minha moto e nós duas saímos procurando um lugar isolado pra ela se esconder. Jun tinha um lugar em mente... um lugar que nem eu conhecia.

Nina POV’s off

Continua...


Notas Finais


Onde será que elas foram? O que será que Vênus dirá ao Hwoarang? Será que Jin vai voltar atrás? Como a Talya vai reagir quando o encontrar de novo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...