História Infiltrated - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, One Direction, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Aurela Skandaj, Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, One Direction, Zayn Malik
Visualizações 73
Palavras 879
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


*Essa fanfic é de minha total autoria, portanto, sem plágio por favor;
* Aurela Skandaj como Audrey Slayer;
* Harry Styles como Harry Styles;
*One Direction e Aurela não me pertencem, mas suas personalidades sim;
* A fanfic irá se passar em vários países mas principalmente em Londres, o local de “origem” da banda;
* A fanfic irá se passar no ano de 2014;
* Infiltrated não será movida a comentários, mas eles me incentivam a voltar o mais rápido possível e me deixam com um sorriso no rosto e vontade de escrever;
* Sinopse por Blizzard do blogger Designs Anyway e capa por Carol, obrigada amores.

Capítulo 1 - Prólogo


Meus saltos batem contra o chão de concreto do galpão no meio do nada, mais conhecido como a sede dos Slayers, ou simplesmente, minha segunda casa. Desde que me conheço por gente, minha vida sempre fora repleta de mortes, assassinatos, assaltos, transporte de drogas e armas, vida típica de um traficante. Até meus quatro anos, eu vivia uma típica vida pacata americana, uma família feliz, com um pai, mãe, e até dois cachorros, até meu aniversário de cinco anos. Eu vivi vendo meu pai sair pela porta da frente sem saber se ele voltaria, pensando que um dia, tudo isso iria acabar, mas ocorreu o contrário. Meu pai de mero segurança, virou o dono da gangue que tanto amava participar, seu amor era obsessivo, me perguntava como ele sequer tinha tempo para transar com minha mãe, seu amor pelo o que fazia era tão grande, que até colocar o nome da porra da gangue como o sobrenome de sua filha ele pôs. Aos cinco anos, perdi minha mãe, não para o céu para que ela pudesse virar uma estrelinha que me guiaria pelo resto da vida, perdi minha mãe para o maior inimigo de meu pai, Patrick, o dono da segunda maior gangue de toda Los Angeles, a Rebels. Minha mãe sempre fora meu porto seguro, meu sonho era seguir seus passos e poder realizar seu sonho que nunca pode ser realizado, ser bailarina, mas ao vê-la passar com todas as suas malas sem ao menos dizer um adeus a sua filha, meu sonho tornou-se outro, eu seguiria os passos de meu pai.

O que antes nunca fora um relacionamento de pai e filha, hoje é o contrário, a 15  anos eu nunca diria isso, mas eu mataria por ele, e ele por mim.

Desde então, meu único sonho era ser a nova líder dos Slayers, o que estava se tornando cada vez mais difícil. Os Slayers têm algo diferente das outras gangues, os cargos não são passados hereditariamente; meu pai assumiu seu posto após seu líder anterior, ter morrido graças a uma emboscada de Patrick, eles eram melhores amigos, e meu pai seu melhor “funcionário”. Eu era sua melhor funcionária, mas não a única. Derek James era o queridinho da gangue, bom em tiros mas péssimo em estratégias –o que me fazia ter uma vantagem sobre o mesmo-, mas no final, ele tinha uma vantagem impossível de ser ultrapassada: ele era homem.

Não é nenhuma novidade que no mundo do crime, as mulheres não eram bem vistas, elas eram tratadas como objetos, e às vezes, como distração para os homens, mas eu vim ao mundo para provar o contrário, diferente das outras, o nome Amber Slayer Jimenez causa arrepios e corações acelerados, e não era somente por tesão.

Empurrei a porta de entrada do galpão que devido ao barulho estrondoso, atrai olhares em minha direção.

- Mark? – questionei pela presença de meu pai.

- Segundo andar. – Rose a única outra garota da gangue e consequentemente minha melhor amiga, respondeu-me. Sorri para a mesma e subi as escadas em direção ao seu escritório. Bati na porta a abrindo em seguida, me surpreendendo ao não encontrar a sala repleta de fumaça ou uma garrafa de whisky vazia em cima de sua mesa.

— Amber. — saudou-me com um sorriso no rosto.

— Pai. — respondi sentando-me na cadeira a sua frente. — Sem enrolação, por que chamou-me? – o sorriso deixou seu rosto prevalecendo sua cara séria que causava medo em algumas pessoas.

— Patrick. — bufei ao ouvir o nome, era assim desde que mamãe foi para o lado negro da força, um sempre queria acabar com o outro.

— Qual a merda que ele fez desta vez?

— O correto seria, a merda que ele está planejando fazer. — deixei de brincar com o elástico de meu cabelo e o encarei séria. — Conhece uma banda chamada One Direction?—– revirei os olhos.

— Impossível não os conhecer, estão sempre tocando nas rádios.

— Patrick está pagando cinco milhões pela cabeça de cada um. — arregalei os olhos.

— Vinte e cinco milhões? Por quatro moleques que fizeram sucesso por cantar em uma praia? O que esse cara tem na porra da cabeça?

— Ele não é burro Amber — papai encostou-se em sua cadeira — fez isso para fazer as outras gangues ficarem umas contra as outras, deixando assim, o caminho livre para acabar conosco.

— Nossos aliados irão participar desse joguinho estúpido? — perguntei.

— Quebraram a aliança hoje cedo. — aproximou-se encostando seus cotovelos na mesa — só haverá os Slayers e os Rebels na cidade a partir da semana que vem, iremos guerrear, até um sair vencedor.

— Ótimo, posso lhe ajudar com a formação do — papai interrompeu-me.

— Não quero sua ajuda em nada relacionado a esse futuro confronto.

— E o que quer de mim então? — cruzei os braços.

— Eu sei que seu sonho é assumir o meu lugar, mas que não posso deixar-lo a seu mercê somente por ser minha filha, e que Derek, é um grande concorrente, por isso, quero lhe dar uma missão, que se cumprir-la, tenho certeza que todos da gangue irão apoiar ter-te como nova líder.

— E qual seria a missão?

— Infiltrar-se dentro da One Direction, e evitar que os matem.

Dei uma risada debochada.

— Vai ser fácil.

— Então aceita? — papai sorri.

— Aceito, irei infiltrar-me e proteger a One Direction com a minha própria vida.

 


Notas Finais


Hello hello!
Essa é minha terceira fanfic, segunda sem ser co-autora, e é minha primeira fanfic com o gênero criminal, principalmente envolvendo criminal com "fama".
As minhas leitoras de Milk, bem vindas novamente, a leitoras novas, muito bem vindas e espero que gostem de Infiltrated.
Até logo amores.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...