História Infinity - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~LirioAzul_

Postado
Categorias Originais
Exibições 9
Palavras 1.522
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Sim, o titulo do capitulo está certo, é ''Liv'', tambem conhecida como ''aquela menina lá, que era a melhor amiga da Annie, que morreu no acidente, o motivo de a Annie ser assim.''
Esse capitulo tá pequeno, mas talvez seja o mais importante da fic

Capítulo 4 - Ele já amou sim, Liv


 

Mas quando menos espero, o idiota do Rafa me segura pelo braço

- Onde você vai?

- Estou procurando um banheiro público pra eu foder o primeiro cara que eu ver, sem nem mesmo saber se ele tem AIDS e mais o caralho a quatro – falo mais alto do que pretendia – Vou pra casa idiota

Me surpreendendo, ele pega uma mecha do meu cabelo, que estava caindo em meu rosto e a coloca atrás da minha orelha

- Está com ciúme, Annie? – ele diz abrindo um sorriso enorme no rosto

- Claro que não – tento forçar uma risada, mas não consigo

- Pois tá parecendo

Quando puxo meu braço e me viro para ir embora ele me puxa novamente

- O que você... – Ele me pega de surpresa, me interrompendo com um beijo. É como se uma corrente elétrica passasse entre nós dois quando nossos lábios se tocam. Mas.. eu... eu não posso.

Quando Rafa tinha 14 anos, disse pra mim que era apaixonado pela Liv, e, aos 16, me disse que ela havia sido seu primeiro amor. Mas, infelizmente, ele não falou pra ninguém além de mim, com medo da ‘’rejeição’’.

Realidade, Annie. Com muito esforço, corto nosso beijo

- O que foi isso?! - pergunto ofegante

- Ué, foi um beijo. – Ele diz e me puxa novamente, mas me afasto

- Você acabou de transar com uma menina. Em um café. Uma menina cujo nome você nem sabe

- Eu não sei o nome o dela, okay. Mas também não transei com ela. Mas, sabe porque eu não transei com ela? – Ele pergunta, colocando meu rosto em suas mãos

- Porque, antes disso, ela disse que tem uma doença transmitivel?

Ele sorri e, quando ele vai me responder, meu celular toca. Atendo e ele revira os olhos, enquanto me afasto dele. Scott, um amigo meu, me liga para me chamar pra sair, só que recuso e quando me despeço dele, Rafa se aproxima novamente

- Quem era?

- O Scott. Está com ciúmes? – digo rindo

- Talvez sim. Você ainda tá com ele?

- Humm, não

- Você ainda gosta dele?

- Nunca gostei dele

- O que ele queria?

- Acho que isso não é da sua conta, Sr. Rafael Collins. Mas como sou uma pessoa boazinha, ele me chamou para uma festa hoje a noite

- Você vai?

- Que merda Rafa, para de me fazer esse monte de pergunta.

- Só me responde essa

- Não, não vou

- Meus pais vão receber visitas lá em casa hoje, posso dormir no seu apartamento? - ele pergunta desviando do assunto de minutos antes

- Pode. Mas se você tentar alguma coisa, corto o que você tem de mais precioso

- Vou me comportar, não quero que você se corte

Olho confusa pra ele, que finge não perceber.

Quando chegamos ao carro, ele surpreendentemente abre a porta pra mim, como se nada tivesse acontecido 

- Que bicho te mordeu?!

- Um bichinho que me beijou agora a pouco – ele diz e entra no carro. O bom de andar de carro com o Rafa é que gostamos da mesma rádio e das mesmas músicas, então não temos que ficar brigando pra ver que musica colocar.

Quando ligo a rádio, percebo que a música que está tocando era a preferida de Liv. Rafa olha pra mim, como se perguntasse se esta tudo bem, e, como resposta, começo a cantar/gritar.

Quando chegamos na casa dele, ele me pede para esperar no carro enquanto pega suas coisas e avisa para seus pais. Quando ele sai do carro, uma música muita depressiva começa a tocar, então resolvo pegar um CD. Abro o porta-luvas e um encontro alguns preservativos. Tipo, uns 15. ‘’Agora eu sei como ele ainda não bateu o recorde de pai com mais filhos’’

Como eu sou uma pessoa sortuda, uma pessoa que o carma não atinge, o Rafa vem pro carro e eu só percebo quando ele aparece na janela. Fecho a porta luvas o mais rápido possível e começo a mexer no celular como se nada tivesse acontecido

- O que estava fazendo? – Ele diz com um sorriso torto

- Twitter – respondo sem tirar os olhos do celular

- Ah, tá. – Ele ri e liga o carro

Chegamos em casa e ainda são 10h28, mas estou cansada e vou tomar um banho

- Chegamos, o que quer fazer. Espera, antes eu vou tomar banho

- Podemos fazer um replay do beijo...ou ate mais

- Dentro daquela gaveta tem uma faca me gritando. ‘’Oh, Annie, me use contra o Rafa’’

- Não custava nada tentar né – ele diz se sentando no sofá

- Tenho uma ideia. Enquanto eu tomo banho você faz pipoca e a gente assiste um filme

- Okay

- Não entre no meu quarto

- Na verdade, eu estava pensando em tomar banho com você, mas como as facas estão a um cômodo de distância, e você é louca...

- Sou – levanto o dedo do meio pra ele e vou pro banheiro

Quando termino, visto uma calça de moletom e uma blusa que a Liv me deu de presente. Me olho no espelho e decido arrumar o cabelo; tiro a blusa para não atrapalhar e separo meu cabelo em mechas

‘’Com quantas meninas o Rafa já ficou? Provavelmente, nem ele sabe,. Mais da metade da escola, as garotas das festas... Mas ele não amava a Liv? Se amar pra ele for comer todas as meninas que põe o olho...’’

Rafa interrompe meus pensamentos abrindo a porta, segurando um pacote enorme de pipoca. Pego minha blusa e a coloco na frente do corpo, mas ela cai no chão. Qual é, universo? Gosta de me ver sofrer?

- Não sabe bater na porta?!

- Desculpa... Eu pensei que...

Ele não continua, apenas avança, coloca a pipoca na em cima da pia e me pressiona contra a parede, segurando meus pulsos acima da minha cabeça. Sinto sua respiração contra meu pescoço. E quando ele se inclina para me beijar, parece se lembrar de algo, e se interrompe

- Me desculpa Annie, eu... – Ele diz, dando um passo atrás

 

 Flashback On

 

- Porque ele tem que ser tão babaca?! – Liv diz em meio aos soluços, com a cabeça em meu ombro

- Não chora pelo amor. Eu sei que dizer isso só piora as coisas, mas ele realmente não te merece

- Um dia ele vai amar alguém como eu amo ele, e esse alguém vai partir o coração dele em pedacinhos, depois triturar, queimar e soprar o pó na cara dele

- Por que não fala pra ele o que sente?

- Porque, provavelmente, ele vai me ouvir e logo depois ir foder uma vadia em um quarto de uma balada.

Eu fiquei calada, não contei que o Rafa já amou ela, que ele era um canalha porque não teve a coragem de assumir o que sentia por ela. Porque ele faz isso com ela, sendo que o culpado é ele? Mas ele também não tem conhecimento dos sentimentos dela por ele.

Flashback Off

 

- É que... tenho que te contar uma coisa

 - Foi por impulso, eu...

- Cala a boca e deixa eu falar. A Liv me disse antes de morrer...

- Não quero ouvir

- Isso é importante pra nós três, então você vai ouvir

- Isso vai te deixar triste

- Fo.da.se – digo separadamente – Vai me deixar falar?

- Não

- Rafa, o assunto é serio

- Amanha

- Quando a Liv fez 15 anos ela me disse que – ele me interrompe com um beijo. Caralho, ele tem que parar com isso. Eu estou prestes a contar pra ele que minha melhor amiga era apaixonada por ele, que as últimas palavras que eu ouvi dela foram ‘’...mas eu amo muito aquele filho da puta’’, e ele me beija? Porra.

Vou para o banheiro e tranco a porta atrás de mim. Escorrego na porta ate sentar no chão, enquanto Rafa bate na porta. Fecho os olhos e penso em chuva, meus pais discutindo e em um caminhão vindo na nossa direção

- Abre a porcaria da porta Annie... Foi só um beijo

- Quase um sexo selvagem. E não é por isso

- Eu disse que você ia ficar assim se falássemos da Liv

- A Liv te amava porra! – grito e ele fica em silencio

Como ele não responde, me deito no chão atrás da porta e espero ele sair de lá para eu ir pro meu quarto

- Não transei com aquela menina por sua causa – ele resmunga

Fico em silencio esperando ele continuar, mas como ele não diz mais nada nem sai de lá, destranco a porta e encaro ele

- Eu acabei de dizer que minha melhor amiga te amava e você me diz isso?

- Eu sei, é que... eu não entendo. Nos últimos dois dias... eu não sei o que tá acontecendo comigo, mas toda noite te imagino em meus braços, sentindo seu cheiro, ouvindo você gemer meu nome... É esquisito pra caralho, eu sei. Eu não transei com aquela menina porque pensei em você. Você é a única que eu quero.


Notas Finais


Caralho hein. Eu disse que o capitulo ia ser enoorme, mas, duas coisas: sou um pouquinho dramatica e, resolvi dividir alguns capitulos, já que eu vou postar um por dia, assim a fic dura mais e mais e mais e mais... (MAS EU QUERO QUE A PORRA DESSA FIC ACABA LOGO PQ EU SOU CURIOSA!!! E, eu sei como você se sente)
Comentem, quero saber o que estao achando da historia <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...