História Inícios - camren - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren
Exibições 196
Palavras 3.494
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Festa, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


demorei, mais enfim...
Boa leituras bbs

Capítulo 13 - 13


Acordei com o barulho estridente do celular, abro os olhos devagar prevendo a claridade atingir meus olhos, e por serem claros são bem mais sensíveis, abri-o e abaixei o olhar vendo uma latina agarrada a mim, de bruscos com a perna sobre minha cintura e o braço próximo ao meu seio, totalmente nua, lembranças da noite passada rodavam por minha cabeça fazendo-me sorrir involuntária e esquecer totalmente do celular que continuava a tocar em algum luar pelo chão, retirei o corpo levemente bronzeado de cima de mim com cuidado e sobre resmungos, sentei na cama e senti meu corpo arder, soltei uma risada lembrando-me do esforço físico, levantei e busquei meu celular que estava na minha calça jogada ao pé da cama, atendi sem menos olhar.

•Olha espero mesmo que tenha um bom motivo pra você não atender a merda desse celular, já liguei mais de cinco vezes laur. – dei uma risada baixa, reconhecendo a voz, Dinah há essa hora mal humorada.

•Lauren: Bom dia pra você também, eu vou ótima, obrigado por perguntar, e respondendo sua pergunta eu estava dormindo, acho meio cedo pra ficar atormentando as pessoas, não acha? – falei com minha voz extremamente rouca.

•Dinah: Lauren você sabe que horas são? SÃO 14HORAS DA TARDE. – berrou ao telefone e eu arregalei os olhos, como assim nós dormimos tanto assim?

•Dinah: o que fez pra acordar tão tarde hoje em vadia? – perguntou com tom de voz sugestiva.

•Lauren: Nada de mais, só estava cansada da rotina sabe. – falei

•Dinah: hm sei, bom só estou ligando pra avisar que daqui a 2horas eu vou pra sua casa, cheguei a Miami hoje pela manhã e vim visitar meus pais, então prepara a festa que eu tô chegando, tchau laur, tenho que ir beijos. – falou e eu sorri mais logo me lembrei de Camila, como será com DJ aqui? Não deu tempo de responder ela logo desligou. Olhei novamente pra minha latina agora agarrada ao meu travesseiro. Bom como o café da manha já passou pensei em fazer algo pra almoçarmos na cama, mais não, é tudo muito clichê, monótono, simples, então tive um ideia simples e rápida, levantei-me peguei um robe preto de cetim com bordas rendadas, vesti para cobrir minha nudez e fui à cozinha, observando arduamente a linda paisagem vista da grande vidraça, Miami hoje estava mais viva, abri a geladeira e olhei todos os ingredientes que tinha para fazer o almoço, tinha todos, voltei ao quarto sempre dando uma olhada na linda mulher que ainda adormecia na cama, segui meu caminho para o banheiro, fiz minha higiene matinal, um banho bem quente e lavei o cabelo mais nada demorado no máximo 15min, sai do banheiro enrolada no roupão e fui ao meu closet, peguei um short jeans e uma blusa vermelha da minie, calcei minhas chinelas e voltei para a cozinha, comecei a preparar nosso almoço, deixei que o fogo cuidasse de tudo e sai do apartamento, subi para o terraço, era grande, voltei ao meu apartamento, peguei o material necessário para limpar uma área e uma toalha para estender, dei uma olhada na comida, e sai 10min depois eu desci novamente agora para preparar o prato que minha latina amaria tudo pronto em 15min e eu levei tudo pro terraço e organizei.

 

POV CAMILA

 

Acordei sentindo meu corpo doído, estava frio, senti a falta do corpo quente de Lauren me esquentando, abri os olhos devagar por conta da claridade e olhei ao redor estava tudo vazio, o silencio pairava em todo apartamento, percebi que odiava acordar e não sentir aquele corpo cheio de curvas quentinho junto ao meu, sentei e olhei em volta e nada daquela silhueta que eu tanto amava, levantei-me mais no segundo instante sentei novamente uma dor um tanto incomodante no meio das minhas pernas, esperei um tempo ainda sentada e levantei a dor ainda persistia, caminhei em passos lentos até o banheiro, olhei-me no espelho e vi marcas de chupão, mordida em meu pescoço, vale dos seios, ombro, virei e minhas costas estavam com marca de unhas, sorrir ao lembrar como cada uma das marcas apareceram, entrei no box e tomei um banho demorado, senti falta da Lauren, sai nua e fui ao closet, peguei uma calcinha da minha mochila vesti minha calça moletom cinza e peguei uma blusinha de moletom da Lauren com estampa de coroa também cinza, assim que sai do closet Lauren entrou no quarto, olhou pra cama e depois olhou pra mim, sorriu e eu retribui o sorriso indo ao seu encontro, aproximei-me e envolvi meus braços ao redor de seu pescoço e ela levou as mãos a minha cintura me puxando pra próxima ao seu corpo.

−Bom dia minha linda – falei em um sussurro próximo aos seus lábios, ela riu e eu fiquei confusa.

−Boa tarde bebe, já são mais de 2hrs. – falou e eu arregalei os olhos, como assim duas horas? Ela sorriu e levou a mão a minha nuca puxando me para mais perto, ‘roçou’ seu nariz ao meu, depois passou pela bochecha, indo até meu pescoço onde aspirou forte e meus pelos se eriçaram, ela sorriu com o rosto em meu pescoço e depositou beijos calmos e delicados em meu pescoço pendi um pouco a cabeça para o lado dando-lhe mais liberdade ao meu pescoço, ela mordiscou com a ponta dos dentes meu ponto de pulso e puxou pra si, gemi com o ato, ela soltou e novamente passou o nariz passou por meu maxilar e parou na minha orelha deixou um beijo no lóbulo da mesma e mordiscou, me encolhi em seus braços, apertou minha cintura e se possível grudou mais seu corpo ao meu.

−Tão cheirosa... Gostosa. – sussurrou e deixou outro beijo no lóbulo da minha orelha e desceu as mãos que estavam na minha cintura para minha bunda onde ela apertou forte me fazendo-me arfar, puxei seus cabelos com certa força trazendo seu rosto de encontro ao meu não dando tempo de protesto pela provável dor beijei seus lábios carnudos e delicados, era um beijo calmo apesar das circunstancias, pedi passagem com a língua e ela prontamente cedeu, minha língua adentrou sua boca em busca da sua, enroscando-as, ambas gememos com o contato, ela apertou minha bunda mais forte e eu arfei alto, fomos parando os beijos e eu prendi seu lábio inferior e soltei fazendo um estalo alto sua boca entreaberta, coloquei a língua para fora e passei lentamente a ponta no seu lábio superior e ela a chupou para dentro de sua boca chupando forte e soltou, dei-lhe um selinho.

−Melhor... Jeito de desejar bom dia. – falou ofegante e eu sorri. – vem vamos almoçar, preparei algo especial pra você. – falou com um sorriso lindo e eu lhe beijei o sorriso em um selinho rápido, assenti e ela tirou as mãos da minha bunda e entrelaçou sua mão direita a minha esquerda e me puxou quarto a fora, ela começou a me puxar apartamento a fora, apenas acompanhei, subimos ao terraço e eu olhei um canto e tinha uma toalha com uma refeição, montada, tudo lindo.

−Venha madame, vou lhe mostrar o menu de hoje. – Lauren falou fingindo sotaque francês e me estendendo o braço para que possa entrelaçar com o meu, me levou até a “mesa” – buena señora que aquí tiene el arroz con pollo, tostones, langosta con salsa de tomate picante, me dio a beber mojito, y postre arroz con leche, te gusta mi amor? – falou tudo em espanhol eu a olhei sorrindo, ela tirou os olhos da “mesa” e retribuiu o sorriso, indicou para que eu sentasse e sentou-se a minha frente.

− Nossa caprichou em tudo, e sim eu adorei mi amor. – me servi e dei a primeira garfada e estava divino. – santo dios. – gemi em satisfação, ela soltou uma risadinha e eu a acompanhei.

−Hm, a Dinah ligou, ela estava em Miami, vem pro meu apartamento. – falou após uns segundos de silencio, apenas assenti, eu iria para meu apartamento hoje e ficaria melhor para encontrar ela.

−Tudo bem, meu apartamento fica pronto hoje, na verdade eu acho que já deve está pronto, vou levar minhas coisas hoje pela noite. – falei e ela assentiu. – você não quer dormir comigo hoje não? – perguntei manhosa, ela riu.

− Não vou poder camz, você sabe a Dinah vai querer saber com quem eu passei a noite, isso é se não me arrastar pra nenhuma boate. – falou e eu a fitei seria.

−Se você se atrever sair de casa pra alguma boate eu juro que corto seus dedos e sua língua. – falei em tom de ameaça, ela arregalou os olhos.

−Calma mulher, mais você conhece a Dinah, então não desconte em mim as coisas que ela me forçar a fazer. – falou fingindo inocência, cerrei os punhos e travei a mandíbula em pensar na possibilidade dessas duas em uma boate cheia de homens e mulheres bonitas. – calma mi amor, eu juro que não irei a lugar nenhum sem você. - falou tentando me acalmar e funcionou, eu sorri e ela retribuiu, olhou seu celular e voltou atenção a mim, já estava terminando toda a comida, e partindo para a sobremesa.

− Ela deve está pra chegar, quer que eu a leve pra casa ou apartamento, você sabe que se ela nos ver aqui juntas vai nos encher de perguntas certo? – ela perguntou e eu concordei terminando de comer meu arroz con leche, levantei-me limpando a calça e ela me acompanhou, ela veio até mim. – não queria que você fosse, já estou morrendo de saudades. – falou manhosa e eu ri ela puxou meu corpo de encontro ao seu e eu rodeei seu pescoço, ela olhou algo atrás de mim e começou a andar pra frente e eu pra trás, mas mantendo nossos olhos sempre ligados, naquele momento era verde no castanho, castanho no verde, minha constelação pessoal. Senti meu corpo colidir com uma parede que ia ate minha bunda, ela desceu as mãos para minha coxa me puxando pra mim e eu sentei na pequena mureta, ela ficou entre minhas pernas e eu a enlacei com as mesma, aumentando o contato entre nossas intimidades, ela dá um sorriso malicioso e puxa meu cabelo com força fazendo-me senti dor e prazer ao mesmo tempo, pendi a cabeça pra trás e ela beijou meu pescoço , sugando forte não deixando nenhuma duvida que ficaria marcado, suas mãos subiram de minha coxa ate minha cintura descoberta pelo moletom, triscando a mesma com as pontas dos dedos. Meus pelos se eriçaram e meus mamilos se enrijeceram, ela mordeu meu queixo e subiu a mão direita por dentro do moletom até meu seio e apertou meu mamilo, distribuiu beijos quentes pelo meu busto e voltou até minha orelha.

−Hm, acho que esse moletom é meu. – afirmou apertando mais forte meu mamilo, e eu gemi, e ela se afastou. Filha da puta.

−Lauren volte aqui e termine o que começou. – esbravejei, ela apenas virou de costas e saiu parou a alguns metros e me olhou, um sorriso sacana surgiu com a ideia. – vem um pouco mais perto amor, só um pouco não precisa ficar  tão perto não – falei sorrindo, ela veio e ficou a três passos de distancia, levei minha mão até minha intimidade sendo acompanhada pelo seu olhar agora faminto, mergulhei meus dedos indicador e do meio em meu sexo encharcado e gemi seu nome baixinho, mantendo contato visual agora, ela mordeu os lábios e deu um passo a minha direção, então eu tirei os dedos e os levei a boca sendo acompanhada pelos seus olhos, ela olhou nos meus e eu suguei meus dedos e os retirei lentamente da boca, levantei e ela estava hipnotizada, passei por ela e sussurrei – você está me devendo uma calcinha nova amor. -–e sai rebolando.

[...]

Estávamos a caminho da minha casa com Lauren, finalmente iria para meu apartamento, amo ficar com meus pais, mais ter minha privacidade, um lugar só meu, para está alegre, triste, pensativa, tudo. Eu estava com a cabeça apoiada na janela olhando a bela paisagem de Miami, estava um silencio confortável.

− O que tanto pensa? Está tão calada. – Lauren e coloca a mão no meu joelho massageando levemente, volto minha atenção pra ela que esta concentrada no transito, fico admirando-a, ela é linda de perfil, feição seria enquanto dirigi, ela desvia a atenção do transito e me fita rapidamente, abre um sorriso simpático, seus dois dentinhos brancos ficam ainda mais lindos.

−Você é linda. – solto sem nem perceber direito, vejo suas bochechas tomarem uma coloração avermelhada, ela sorri ainda olhando a sua frente.

−Obrigado, mais nesse carro eu tenho uma mulher ainda mais linda, uma latina de olhos cor de avelã, cabelos longos da mesma cor, um corpo que eu suspeito ter sido esculpido a mão, conhece? – ela fala e eu coro violentamente, sua descrição minha, faz-me sentir a mulher mais linda desse mundo.

−hm, talvez, mais analisando esse carro eu tenho uma mulher branquinha, dos cabelos pretos, corpo esbelto e esses olhos, olhos verdes com um brilho tamanhas comparadas a uma constelação, minha constelação pessoal. – falo e ela solta uma risada baixa e manda-me um beijo no ar, olho pra frente e vejo a rua da minha casa, logo estamos com o carro na porta, os vidros fumês fechados, Lauren soltou o sinto e se inclinou no banco e selou meus lábios, apenas um selinho, por ser de dia e estarmos em frente à casa dos meus pais, sorri.

− Bom, avise-me quando chegar, e se for sair não esqueçam de mim. – falei, eu não queria Lauren sozinha em boate com a Dinah, não era ciúmes, só estava cuidado do que é meu. Ela soltou uma risada divertida.

− Tudo bem, cariño, eu aviso. – ela falou divertida, soltei o sinto e selei seus lábios rápido. – Tchau minha linda. – ela disse e eu sorri.

−Tchau mi amor. – disse e sai do carro com a mochila que estava em minhas pernas colocando-as nas costas, fechei a porta ela abriu o vidro e eu mandei beijos no ar pra ela que retribuiu e ficou esperando para que eu entrasse, assim que fechei a porta escutei ela arrancar com o carro. – MÃE? PAI? – gritei mais não obtive resposta, fui até a sala e me joguei no sofá, liguei a netflix e coloquei em um filme qualquer.

 

POV LAUREN

 

Sai da casa de Camila e fui direto pro meu apartamento arrumar tudo pra chegada de Dinah, falando nela, minha cabeça martela em dizer ou não o que está acontecendo entre mim e Camila, mais essa decisão não cabe só a mim, sei que podemos confiar na Dinah pra tudo, e que nunca nos julgaria, logo ela e a Mani já ficaram algumas vezes antes dela começar a namorar o Siope, mais é algo delicado, sei que posso contar com todas, mais a gente ainda não tem nada concreto, então quando conversar com a Camila e decidirmos que é hora de contar tenho certeza que ela e as meninas vão nos apoiar, vai ser ruim esconder dela, afinal ela me conhece como ninguém, e mais ainda a Camila, que ela cuida como irmã mais nova, cheguei em meu apartamento e comecei a arrumar, faltava menos de 30min pra que ela chegasse, então fui ao meu quarto para tomar um banho e recebe-la, depois de banho tomado, vesti um conjunto de moletom e me debrucei no sofá e ligando a netflix, não demorou 3min e a campainha soou por todo o apartamento, andei em passos lentos até a porta já sabendo de quem se tratava, abri e logo senti braços enormes me rodeando, me deixando sem folego.

− Meu deus Di..Dinah, vai me ma-tar sufocada. – falei esforçando-me a respirar e ela finalmente me soltou e me encarou.

−É assim que você me recebe sua vaca, uma semana sem me ver, eu sei estava morrendo de saudades. – falou adentrando o apartamento carregando duas malas enormes e com um sorriso convencido, eu ri e a vi soltar as bolsas de carrinho no meio da sala e se jogar no sofá antes ocupado por mim, caminhei até ela e sentei em uma poltrona próxima.

− Sim Dinah, você não disse o motivo pela qual voltou no começo das férias. – falei e a vi se remexer desconfortável isso realmente foi estranho. Dinah dificilmente fica assim, e agora era um desses momentos.

−Não é nada laur, só senti falta das minhas meninas. – ela disse mais não olhava nos meus olhos, ela sentou-se e eu levantei da poltrona e me sentei ao seu lado, puxei sua mão que estava em seu colo e apertei de forma reconfortante, tentando lhe passar toda confiança para que ela se abrisse, Dinah era uma das pessoas mais divertidas e leves que eu conhecia, que mais me dava força, eu odiava vê-la assim, ela tinha algo incomodando profundamente, uma magoa, ela olhou nossas mãos e soltou um suspiro sôfrego e vencido.

−Aconteceram coisas nessa viajem Laur, eu achei que agora tinha encontrado a pessoa certa, que me completaria que seria meu pilar quando eu mesma não me sustentava, mais as coisas saíram totalmente erradas, e eu fui a única a sair machucada nessa historia. – falou e eu pude notar em seu tom de voz que ela estava muito magoada e preste a se entregar, eu sabia que essa vinda a Miami não era apenas para matar a saudade, ela fundou e eu vi uma única lagrima solitária rolar por sua face. Aproximei-me e puxei seu rosto, limpei a lagrima e sorri reconfortante, ela retribuiu mais eu enxerguei toda sua tristeza nos seus olhos.

−Dinah, eu não sei o que aconteceu mais eu sei com quem tem haver e olha, olha nos meus olhos, você tem quatro pilares pra sustentar-te quando fraquejar, você tem a mim e as meninas, eu sei que não é a mesma coisa de está com quem ama, mais me escuta, você nunca, nunca vai está sozinha, você é uma das mulheres mais fortes que eu conheço e vai passar por tudo de cabeça erguida e mostrar quem é Dinah Jane, tudo bem? – perguntei e sorri de modo confiante ela assentiu e retribuiu o sorriso . – Agora me conta só o que aconteceu. – pedi

− Siope me traiu, na mesma cama do nosso hotel, a que nós dormíamos ele fez essa sujeira. – abaixei a cabeça, isso não era algo que a Dinah aguentava calada – depois a gente discutiu na frente da vagabunda e eu acabei tudo e ainda disse que se ele preferia cadela que fosse procurar na rua como ele fez porque uma mulher ele não ia mais conseguir. – ela falou agora em um tom mais animado e eu ri.

− Dj você merece mais, vamos , o que temos pra hoje? – perguntei

− Temos a LIV Nightclub a noite toda, muita bebida, dança, homens...tudo que eu preciso essa noite. – ela falou animada, e agora Camila me mataria.

−Ok, então vamos chamar algumas meninas, a Vero, Lucy, Camila, elas devem querer ir. – falei em falso desinteresse.

−Que saudade da chanchon, ótimo, liga pra elas porque hoje a gente se acaba naquela boate. Todas aqui as 20hrs em ponto Laur. – falou agora animadíssima, e eu sorri com seu entusiasmo.

[...]

Estava terminando de me arrumar, coloquei um vestido azul escuro, apertado e curto, ele ia um pouco acima do meio das minhas coxas, uma gargantilha preta, salto bota também preto, uma maquiagem que destacava meus olhos, forte, um batom nude, meus dedos enfeitado por anéis... e pronto, estava pronta, fui pra sala e fiquei esperando Dinah, e ela apareceu na sala deslumbrante, um vestido curto uma estampa triangular, maquiagem forte, batom vermelho e olhos perfeitamente desenhados, salto alto preto fechado.

−Já estou vendo que essa boate vai acabar sem ninguém livre das garras da Hansen. – ela soltou uma risada e mandou uma piscadela, logo a campainha soou e eu prontamente fui atender, eram Vero e Lucy, Vero pojava em um preto básico com um decote deixando os seios um pouco a mostra, salto alto e maquiagem leve, linda. Lucy estava com um top preto e um blazer preto por cima, e um short jeans e saltos com longas fitas indo até metade da sua panturrilha que mulher linda, que a Camila não escute isso. Estava admirando as meninas entrarem e não estava prestando atenção em fechar a porta até que...

−Vai fechar a porta Jauregui? – uma voz baixa e sensual invadiu meus ouvidos e eu virei dando de frente com uma Camila incrivelmente linda,  pojando um vestido sem alças preto com dourado, uma gargantilha preta, saltos finos pretos, maquiagem leve com um batom rosa claro nos lábios e os cabelos mais enrolados caindo como cascatas indo até abaixo dos seus seios, eu deveria estar babando porque ouvi a risada da Lucy e a gargalhada da Vero. – Não vai me dar passagem? – perguntou e eu sai dos meus devaneios e assenti dando-lhe passagem, acompanhei-a com o olhar até se acomodar ao lado de uma Dinah eufórica.

Essa festa não vai dá certo... 


Notas Finais


eu peço desculpas qualquer erro...
-XoXo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...