História Inícios - camren - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren
Exibições 86
Palavras 3.249
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Festa, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei... depois de um ano. Tive problemas com o computador até pouco tempo e agora que deu pra postar algo. ME DESCULPEM 💙

Capítulo 15 - 15


POV LAUREN 

Hoje faz exatamente duas semanas que não vejo Camila desde o encontro com Dinah, ela que teve uma reação um tanto inusitada. 

FLASHBACK ON. 

− O-o que faz a-aqui? – Camila perguntou perplexa parada no inicio da sala.

− Iria chamar seu amor para o banho mila? – perguntou irônica, eu estava estática. – não vai ajudar Laur? Opa querem tomar banho não é!? – falou novamente irônica. Minha paciência acabou e eu resolvi falar.

− É a gente quer tomar banho. A noite foi produtiva né amor?! – Falei piscando pra Camila que corou, não havíamos feito nada, mas eu não iria ficar recebendo provocações e sair por baixo. 

Ouvi a gargalhada de Dinah e a olhei confusa.

− AH, eu sabia. Sabia. Sabia. – falou repetidamente e eu a olhei como se ela fosse uma louca. Quer dizer estava agindo feito uma. – vocês nunca me enganaram, a Lauren finge que não suporta o shipper quando eles estão certos, porque não contaram pra nós? Sempre fomos irmãs... – falou meio chateada. Olhei Camila e ela estava com uma feição mais aliviada.

− Camz, vá se vestir e vem aqui pra gente explicar tudo pra ela. – falei e ouvi Dinah rir, Camila levantou e rumou ao quarto, na sala um silencio incomodante se instalou entre mim e Dinah, ela me olhava sem desviar os olhos. Suspirei  e a encarei... – pode falar. 

− Eu só quero que me contem tudo, e eu sei como você é Lauren, só peço que não magoe Camila, sei bem que ela já é grandinha para que eu fique defendendo-a mas pra mim ela sempre vai ser minha chanchon. – falou e eu assenti. Ficamos mais cerca de cinco minutos em total silencio só que agora era menos desconfortante tê-la sem me encarar. Camila voltou com um conjunto de short e blusa de moletom e sentou ao meu lado entrelaçando nossos dedos. Dinah acompanhou seus movimentos e deu um mínimo sorriso. 

− Bem, podem começar. – falou e Camila apertou minha mão.

− Tudo começou quando... – comecei a falar tudo desde o começo, Camila me acompanhava falando o que eu não contava, Dinah ria de algumas situações que realmente eram cômicas. – bem e isso é tudo até agora. – falei e Camila concordou. 

− Tudo bem, mas agora quero saber por que não nos disseram? – perguntou e Camila se manifestou.

− Estávamos esperando ser algo mais concreto, e certo medo de vocês não apoiarem. Mas acabou que agora você sabe... – falou e eu assenti. 

− Bem, se quiserem podemos manter aqui, mas não era necessário medo, eu nunca julgaria ou me afastaria de vocês por causa disso ok?! – falou e nós suspiramos assentindo. DJ começou a rir sem parar e nós a encaramos confusas. – safadas ein, estavam transando todo esse tempo debaixo dos nossos narizes. – todas começamos a rir da besteira dela e passamos a manhã quase toda entre conversas triviais. 

FLASHBACK OFF.

Depois daquele dia nos falamos pouco, Camila tinha ido viajar com os pais para Cuba,  e só ira retornar amanhã que é quando vamos retornar nossos trabalhos, suspiro entediada passei os últimos dias somente descansando e assistindo, atualizei-me em  Orange is the new black. Ouço o toque do meu celular e levanto para pegar no balcão da cozinha, olho no identificador e o nome da Ally brilhava em letras grandes... 

∙ Oi baixinha. – falei e escutei suspiradas, espera ela está chorando? – Ally o que houve?

∙ A gente pode conversar um pouco? – perguntou com a voz baixa. 

∙ Claro que podemos me conta por que está chorando? – falei e me sentei no sofá, o conjunto de moletom folgado cinza me deixando mais confortável. 

∙ Eu e o Troy terminamos. – falou e eu suspirei, sabia que minha amiga gostava do Troy...
∙ Eu sinto muito Ally... desculpa eu nem sei o que falar. Se quiser me contar o que houve sou todo ouvidos. – falei e Ally suspirou audível e fungou. 

∙ Ontem ele falou que precisávamos conversar, e tudo bem fomos jantar e quando ele me levou para casa ele começou dizendo que precisava de um tempo para ele. Que estava sendo difícil ficar tanto tempo sem me ver, que era incerto as vezes que poderíamos nos ver... disse que a distancia estava afetando o nosso relacionamento e que preferia que continuássemos na amizade adiante. Poxa Laur, eu sei que nós viajamos muito, mas custava ele entender que é meu trabalho?! – falou com a voz baixa. 

∙ Olha baixinha sinceramente o Troy é um ótimo rapaz, mas ele não esta sendo homem para enfrentar esse relacionamento, sei que é difícil esquecer-se de uma pessoa que a gente gosta assim de uma hora pra outra. Mas agora é seguir. – falei e a escutei soluçar. – ei não chorar. – falei.

∙ Laur eu gostava mesmo dele. – falou e eu suspirei com vontade de socar o rosto do Troy. – ele me fazia bem sabe, mas talvez seja melhor mesmo, vou focar na minha família e no meu trabalho. – falou firme, eu sabia que ela estava tentando encorajar-se. 

∙ Assim que se fala meu amor. – falei. – amanhã eu quero ver um sorriso daqueles enormes viu! – falei e a ouvi rir. 

∙ Ok laur, agora preciso desligar, minha mãe está me chamando para um almoço em família. – falou risonha, ri.

∙ Ok, vai lá. Boa tarde. – falei 

∙ Obrigado Laur, por tudo. Boa tarde. – falou e eu murmurei um ‘não há de que’ 
Fiquei deitada por um bom tempo pensando em o que eu iria almoçar, todos os dias eu estava fazendo as refeições com minha família mas hora eu estava indisposta, resolvi que iria ligar pra pedir comida japonesa. Olhei as horas e pairava as 12h30min, peguei o telefone e quando iria colocar o numero escuto o elevador informar alguém subindo, estranhei afinal só quem tem a senha do meu andar era eu, minha mãe e Camila e eu era informada antes de subirem, senti no sofá e esperei a pessoa chegar, quando o elevador abriu um misto que sentimentos me apossou, saudades, alegria, amor. Camila estava na porta do elevador com uma mochila nas costas, um short jeans e uma camiseta me olhando com um sorriso largo. Joguei o celular no sofá e corri, a abracei forte a suspendendo no ar e enchendo seu rosto de beijos a ouvindo gargalhar, sorri contra seu pescoço. 

− CAMZ. – gritei, ela me apertava pelo pescoço e deixava beijos em meu cabelo. – que saudades, pensei que só viria amanhã.  – falei a colocando no chão e segurando seu rosto com as duas mãos, ela sorriu com a língua entre os dentes.

− Eu também estava morrendo de saudades de você. – falou sussurrando, pois estávamos próximas, acariciei sua bochecha deixei um selinho em seus lábios, ela sorriu e consequentemente eu sorri. – linda. – ela murmurou. Eu soltei uma risada e puxei Camila  pela  cintura e ela rodeou meu pescoço e eu retirei sua mochila jogando no chão e caminhando com ela tentando me acompanhar andando de costas, suas pernas bateram na ponta do sofá e ela caiu no mesmo, me deitei  por cima e me ajeitei de modo que eu ficasse entre suas pernas, coloquei as mãos em sua cintura por dentro da blusa e acariciei o local, deixei um casto beijo em seu pescoço quente, eram beijos e caricias sem malícia, suas mãos estavam em minha nuca e arranhavam levemente o local, beijei maxilar e levantei o rosto para olhar em seus olhos, me apoiei em um braço e o outro eu levei ao seu rosto contornando seus lábios, sobrancelha, passei na ponta de seu nariz e deixei um selinho em seus lábios que logo estavam entreabertos, adentei com minha língua sedenta e senti a sua em contato chupei a mesma com força fazendo ela soltar uma leve lufada de ar quente em meu rosto. Ficamos quase uma hora entre caricias no sofá. Camila levantou e foi tomar banho, eu pedi a comida pra nós duas e fiquei deitada no sofá, 10min depois escutei um som melodioso e olhei pro meu piano no canto da sala próximo a grande parede de vidro, Camila estava sentada apenas com um blusão meu e calcinha, com as pernas cruzadas. Levantei e fui até ela que não percebeu por está com os olhos fechados. Ela dedilhava uma música clássica fiquei-a observando enquanto tocava com suavidade, depois mudou drasticamente e dedilhou o inicio de ‘Crazy in love’ e começou a cantar o som preenchia meus ouvidos e todo o apartamento, a voz doce e potente logo ela mudou as notas para ‘The hills’e logo começou a cantar divinamente, sentei atras dela no banco e massageei seus ombros, passei a ponta dos dedos por seus braços sentindo seus pelos se eriçarem, cheguei às mãos e entrelacei as minhas fazendo a parar de tocar, ela deitou a cabeça em meu ombro e eu logo soltei suas mãos e iniciei as notas no piano. 

“I met you in the dark
You lit me up
You made me feel as though
I was enough
We danced the night away
We drank too much
I held your hair back when
You were throwing up”

(Eu te conheci no escuro
Você me iluminou
Você me fez sentir como se
Eu fosse o suficiente
Nós dançamos a noite toda
Nós bebemos demais
Eu segurei seu cabelo quando
Você estava vomitando) 


Cantei baixinho no seu ouvido, senti seu corpo estremecer, depositei um beijo em sua nuca desnuda e sorri quando a vi fechar os olhos, inspirei com força seu cheiro natural. 

“Then you smiled over your shoulder
For a minute, I was stone cold sober”

(Então você sorriu sobre seu ombro
Por um minuto, eu estou sóbrio como uma pedra fria)

Ela completou no mesmo tom de voz que o meu ainda apoiada em meu ombro.

“I pulled you closer to my chest
And you asked me to stay over
I said, I already told ya
I think that you should get some rest”

(Eu te puxei para mais perto de meu peito
Então você me pediu, para ficar mais
E eu disse, eu já te disse
Eu acho que você deve descansar um pouco)

Eu cantei um pouco mais alto, minha voz saindo mais rouca possível. Seu cheiro invadia meus pulmões, ela aconchegou seu corpo ao meu. Ela colocou as mãos encima das minhas e guiou as próximas notas. 

“I knew I loved you then
But you'd never know
Cause I played it cool when I was scared of letting go
I know I needed you
But I never showed
But I wanna stay with you
Until we're grey and old
Just say you won't let go
Just say you won't let go”

(Eu já sabia que te amava
Mas você jamais saberia
Porque eu fiquei na boa quando eu estava com medo de te deixar ir
Eu sei que eu precisava de você
Mas eu nunca demonstrei
Mas eu quero ficar com você
Até que nós fiquemos grisalhos e velhos
Apenas diga que você não vai embora
Apenas diga que você não vai embora)

Camila cantou com os olhos fechados e a cabeça encostada no meu ombro ainda acompanhando minhas notas. 

“I wake you up with some breakfast in bed
I'll bring you coffee
With a kiss on your head
And I'll take the kids to school
Wave them goodbye
And I'll thank my lucky stars for that night”

(Eu vou te acordar com café da manhã na cama
Vou trazer-lhe café
Com um beijo na sua cabeça
E eu vou levar as crianças para a escola
Me despedirei deles
E eu vou agradecer a minha estrela da sorte por aquela noite) 

Cantei, minha voz saindo mais baixa a cada verso, eu cantaria a música sussurrada só para ela.

“When you looked over your shoulder
For a minute, I forget that I'm older
I wanna dance with you right now, oh
And you look as beautiful as ever
And I swear that everyday you'll get better
You make me feel this way somehow”

(Quando você olhou sobre o seu ombro
Por um minuto, esqueci que sou mais velho
Eu quero dançar com você agora
E você estava linda como sempre
E eu juro que todo dia você estará melhor
De algum modo você me faz sentir assim) 

Ela sorriu quando beijei sua nuca e continuou suave mas com potencialidade. 

“I'm so in love with you
And I hope you know
Darling, your love is more than worth its weight in gold
We've come so far my dear
Look how we've grown
And I wanna stay with you
Until we're grey and old
Just say you won't let go
Just say you won't let go”

(Eu sou tão apaixonado por você
E eu espero que você saiba
Querida, seu amor é mais do que vale em ouro
Nós viemos tão longe, meu bem
Olhe o quando crescemos
E eu quero ficar com você
Até que fiquemos grisalhos e velhos
Apenas diga que você não vai embora
Apenas diga que você não vai embora)

Cantamos juntas, uma sintonia perfeita onde sua voz aguda sincroniza com a minha grave e rouca. 

“I wanna live with you
Even when we're ghosts
Cause you were always there for me
When I needed you most”

(Eu quero viver com você
Até quando nós virarmos fantasmas
Porque você sempre estava lá para mim
Quando eu mais precisava de você)

Ela cantou essa parte calma e apenas eu dedilhei no piano, poucas notas.

“I'm gonna love you till
My lungs give out
I promise till death we part
Like in our vows
So I wrote this song for you
Now everybody knows
'Cause that is just you and me
Until we're grey and old
Just say you won't let go
Just say you won't let go”

(Eu vou te amar até
Meus pulmões desistirem
Eu prometo até que a morte nos separe
Como em nossos votos
Então eu escrevi essa canção para você
Agora todo mundo sabe
Porque é só eu e você
Até que fiquemos grisalhos e velhos
Apenas diga que você não vai embora
Apenas diga que você não vai embora) 

Iniciei com a voz firme, alta é bastante rouca deixando a mais rápida e terminei suave. Soltei o piano e Camila continuou. Dedilhando as ultimas notas.

“Just say you won't let go
Oh, just say you won't let go” 

(Apenas diga que você não vai embora
Oh, apenas diga que você não vai embora) 

Encerrou a música apenas no piano e eu sorri. Abracei sua cintura dela e beijei seu ombro. Ela sorriu e em um movimento rápido eu a virei para mim no pequeno banco mesmo, ela colocou suas pernas encima das minhas uma em cada lado. Coloquei uma mecha de seu cabelo castanho atras de sua orelha e sorri, a vi retribui.

- Você é linda. – falei, suas bochechas ganharam um tom avermelhado e sorrir. Aproximei nossos rostos e rocei meus lábios aos seus, mordi de leve seu lábio inferior e o chupei veemente, Camila sorriu e eu retribui logo introduzindo minha língua em sua boca iniciando um beijo calmo e intenso, Camila levou suas mãos aos cabelos da minha nuca e apertou, minhas mãos antes faziam carinho em suas bochechas rosadas, agora apertavam sua cintura, desci minhas mãos para sua bunda e apertei forçando seu corpo mais para mim, chupei sua língua com força e ela gemeu, nos separamos ofegantes.

- Você ficou linda nesse blusão... mas prefiro sem. – falei e puxei os dois lados do blusão o rasgando ao meio, suas costas se arquearam um pouco. Olhei para sua pele bronzeada e lisa, os seios pequenos já estavam com os mamilos de coloração clara já estavam eriçados, minha boca salivou, a barriga lisa e a calcinha pequena a deixava cada vez mais sensual ao meu ver. Passei a língua no vale de seus seios e senti-a estremecer. Passei a língua no mamilo direito e levei os dedos indicador e polegar ao mamilo esquerdo apertando é o direito eu dei uma leve mordida.

- hum, N-não enrola Lo. – falou ofega massageando minha nuca. Levei as mãos as coxas de Camila e segurei firme levantando e a levando comigo, coloquei-a encima do piano e fiquei entre suas pernas, Camila levou as mãos a barra da minha blusa e puxou para cima retirando-a e começou uma massagem gostosa em meus seios.

- Hmm... isso... – falei, levei minhas mãos a sua calcinha e puxei rasgando-a também ouvindo-a gemer, Camila apoiou-se em seus cotovelos e ficou me observando. – Abre as pernas pra mim amor. – falei e ela abriu um pouco. – Abra mais e coloque seus calcanhares no piano. – falei é assim ela fez, ficando completamente exposta para mim, abaixei para ficar com o rosto na altura da sua intimidade é aspirei seu cheiro feminino e levei os dedos ao deus lábios maiores os separando e levantei o olhar para Camila que me fitava com os cabelos bagunçados, a boca entreaberta e a respiração pesada, segurei o olhar e passei a língua em seus lábios menores logo os chupando com força e sentido seu gosto.

- oh... vai lo, não para. – Camila falou gemendo e eu comecei a chupa-la com força, rodeando o clitoris inchado da mesma prendendo entre os lábios puxando e logo soltando. Mordi de leve seus lábios menores, levei o dedo do meio a sua entrada e a penetrei com força. – LAUREN. – Camila gritou e arqueou as costas, assoprei seu clitoris e dei um beijo o mesmo, comecei a estocar com força e rapidez, introduzi um segundo dedo e os girei curvando-os, Camila gemia e falava palavras desconexas. Introduzi o terceiro dedo e a vi abrir a boca mas não emitir som, comecei a escutar com força, meu corpo quente fez com que eu levasse a outra mão que segurava na cintura de Camila para dentro do meu short e comecei a massagear meu clitoris o esfregando com força e rapidez. Camila levantou o tronco e me puxou para um beijo quente enquanto gemia em minha boca, senti ela contrair os músculos da vagina e soltei um gemido alto em sua boca, logo seu corpo começou a tremer, ela descolou a boca da minha e gemeu alto revirando os olhos , eu me masturbava com força e já sentia meu orgasmo chegar. Tirei meus dedos de sua intimidade e a deixei vir naturalmente, logo seu líquido escorreu por suas dobras e eu me curvei e suguei todo o líquido que a mim era oferecido, Camila deitou no piano, pude ver uma fina camada de suor, me apoiei em suas pernas e continuei a me masturbar, senti meu orgasmo se aproximar e vi Camila descer do piano e puxar meu short o rasgando junto com a calcinha e jogar longe, ela colocou minha perna direita em seu ombro e substituiu minha mão pela sua, enfiando de uma vez só dois dedos, levou sua boca e começou a me chupar enquanto estocava lentamente apenas me torturando, ela abriu seus dedos em meu interior e fechou novamente alargando-me, sua boca maltratava minha intimidade levei minhas mãos aos seus cabelos e comecei a ditar os seus movimentos, comecei a tremer e ela rapidamente levantou e retirou seus dedos, eu iria protestar mas senti quando ela deu um tapa leve em meu clitoris e gemi alto e senti meu ventre contrair e senti minhas pernas faltarem, Camila segurou-me e deixou que meus espasmos acabassem. Ela me abraçou e ficamos ali abraçadas cerca de 10min depois nos separamos e eu nos guiei até meu banheiro, onde tomamos um longo banho na hidromassagem...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...