História Inícios - camren - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren
Exibições 94
Palavras 2.077
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Festa, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom, depois de toda demora resolvi postar, depois de ada coisa essas duas semanas não é?! bom vou explicar umas coisas, essa fase delas é o "descobrimento" dos amor delas, mais não irá durar muito, peço que prestem atenção nos detalhes, eu já tenho ela completa na cabeça e num esboço, peço paciência com nossas protagonistas, deixo dito logo que elas não iram ficar juntas a fic toda, chega de detalhes certo...
Boa leitura meu lindos...
XoXo

Capítulo 15 - 14


Sabe quando você está em algum lugar com as pessoas que queria estar, uma em especial, mais não estando? Não sei se faz sentido, mais eu me sento exatamente desse jeito sentada nessa mesa observando Camila dançar na pista com Lucy, e eu estava virando shots de tequila com Dinah e Vero, recebendo varias cantadas mal feitas de homens  e até mesmo de mulheres, Dinah já tinha beijado uns três, já pairava as 3h20min da madrugada, eu apenas observava a minha mulher sendo cantada por diversos homens e mulheres, vários tentando dançar com ela, abraça-la por trás ou beija-la, minha paciência já estava ficando curtíssima, eu me via apertar o pequeno copo de tequila com tanta força que meus dedos estavam vermelhos.

−Meu deus a mila tá muito gostosa, onde ela tá tem sempre dois, três homens encima dela, mais não vi ela com ninguém, você acha que ela tá ficando com alguém laur? – Dinah me tirou dos meus devaneios, arregalei brevemente os olhos, dando graças aos deuses por  Dinah não está me vendo direito pela falta de claridade do local e pelo tanto de álcool que ela já tomou.

−Não Dj, só acho que ela não está afim de ficar com ninguém, que ela só quer se divertir mesmo. – no minuto seguinte vimos uma movimentação aglomerada, procurei Camila já sentindo meu corpo tensionado, levantei-me rápido e Dinah me olhou com o cenho franzido, ignorei e procurei Camila novamente só que agora de pé, comecei a adentrar o aglomerado de pessoas o que vi fez meu corpo ferver e minhas mãos cerrarem em punhos, minhas narinas inflarem, um homem aparentemente mais velho que nos estava agarrado a Camila, forçando-a a rebolar no membro dele, que por eles estarem de lado eu consegui ver sua ereção, as pessoas ao redor incentivavam para que ele continuasse a mostrar ela pra eles, empurrei um menino que estavam na minha frente e avancei na direção deles, vi quando Camila pressionou os olhos com um carreta, tentando se desenvincilhar dos braços fortes, puxei o ombro dele e o braço de Camila, ele por ter se assustado a soltou, mais não a tempo suficiente para ter reação para defendesse de um tapa estalado deferido em  rosto, Camila tinha-se atrás de mim, puxei-o pela gola da camisa polo, trazendo mais pra perto do meu rosto.

− Gostou de assediar uma mulher em frente a essas pessoas? Expondo ela? – perguntei e ele riu debochado assentindo – pois trate de prepara o melhor advogado de toda a América, e um tratamento para suas bolas.  – falei e desferi uma joelhada ao meio de suas pernas, ele grunhiu e levou as mãos ao meio das pernas, agachando-se. – tens cinco minutos para sair por aquela porta antes de que eu mande dar-te uma surra pra aprender a respeitar um mulher. – falei sem me importar com as pessoas olhando a cena ao redor, se me reconheceriam ou não, nunca deixaria qualquer mulher a minha frente ser assediada, o soltei e o vi correr com as mãos no  meio das pernas em direção a saída, virei para Camila que estava agarrada a meu vestido.

− Você esta bem ? – perguntei abraçando de lado, as pessoas se dispersando e vi o olhar de Dinah queimar nossa pele, um olhar desconfiado.

−Vamos embora daqui Lo, vem comigo, pro meu apartamento. – Camila falou com a voz embarcada engolindo o choro, engoli o nó que se formou em minha garganta e assenti, caminhamos para a mesa.

− O que foi aquilo chan? Tá tudo bem? – Dinah perguntou preocupada alternando o olhar entre mim e Camila, entre desconfiado e preocupado.

−Aquele babaca estava passando a mão nela DJ. – exclamei – vou leva-la embora, pro apartamento dela, vou passar a noite lá, qualquer coisa manda mensagem, tudo bem? – disse tudo de forma rápida, Camila agora estava abraçada a mim com a cabeça no meu ombro. – você tem a chave e o código do elevador, tchau Dj, avisa as meninas que tivemos que ir. – falei já prepara pra sair, ela me puxou e sussurrou no meu ouvindo de forma clara mais para que apenas eu ouvisse “ Amanha irá me contar sobre esse seu ato heroico, eu vi como você encarou aquele homem se esfregando na chan” gelei e apenas a encarei procurando por feições negativas mais  apenas encontrei um sorriso malicioso.

− Durmam bem, e chan não fica assim não, aproveita a companhia da branquela aqui no seu apartamento, a sós – Dinah falou e Camila soltou uma risadinha que me fez abrir um sorriso que não passou despercebido pela Dinah.

− Pode deixar cheechee, vou aproveitar até os últimos segundos, vamos Laur. – ela me puxou e eu só escutei a gargalhada da Dinah e o som se esvaindo a cada passo dado para fora da boate, pelo horário e a pouca iluminação não tinha fotógrafos, mais para evitar qualquer coisa preferi só tê-la perto, um rapaz que cuida do estacionamento se aproximou.

− Por favor entregue a chave do carro em nome de Jauregui para qualquer uma do sobrenome Hansen, Iglesias, Vives. – informei e ele assentiu – poderia me encaminhar um taxi por favor?- pedi educadamente. Ele assentiu e saiu acenando e em menos de dois minutos um taxi parou e o motorista abriu a porta pra nos, agradeci com um acena de cabeça e lhe passei o endereço, 30min e estava entrando no elevador, digitei a senha de acesso ao andar de Camila, a mesma permaneceu calada desde a boate, chegando ao andar, abri a porta pra ela e depois adentramos o apartamento luxuoso mais não exagerado.

−Camz, amor fala alguma coisa, eu sei que aquilo não foi legal, ninguém merece parar por nada do tipo, mais amor olha pra mim. – estávamos no meio da sala, de frente uma pra outra, levantei seu queixo e beijei a ponta de seu nariz, levei-a para seu quarto, era em decorado, nas cores branco e bege, uma cama de casal no centro lado esquerdo do quarto tinha uma enorme parede de vidro dando a privilegiada vista do centro de Miami, agora iluminado pelas luzes dos postes, placas de restaurantes, boates, outros motéis e etc... em frente a cama havia uma parede com uma TV no centro e prateleiras em baixo com diversos livros, outra com vinis, na parede direita tinha uma porta e na que a cama estava outra pressupus que seria o closet e o banheiro, ao lado da cama uma pena cabeceira com um violão encostado, guiei Camila até a cama e nos sentamos, peguei o violão e pus em meu colo, estávamos uma de frente pra outra.

− Sempre que queremos desabafar, dizer algo a alguém nos expressamos como mais sabemos, com a nossa musica, colocamos nossos sentimentos expostos para as pessoas que as escutam, nos tornamos vulneráveis, demonstramos amor, dor, ódio, para que todos saibam como nosso coração está, e meu coração só grita pra que te diga que não importa a circunstancia sempre irá fazer parte de mim. – falei calma e posicionei melhor o violão para iniciar os acordes em versão acústica.

“Es poco decir, que soy quien te cuida como ángel guardián

Es poco deicr, que em um beso tuyo siempre encuentro mi paz

Ya no me alcanzan las palabras no para explicarte lo que siento you

Y todo lo que vas causando em mí

Lo blanco y negro se vuelve color y todos es Dulce cuando está em tu vos y si nace de ti.”

 

( É pouco dizer, que sou eu quem te cuida como anjo guardião

É pouco dizer, que em um beijo seu sempre encontro minha paz

Já não me alcançam as palavras não, para explicar o que eu sinto

E tudo o que você está me causando

O banco e preto se tornam cor e tudo é doce quando está em sua voz e se vêm de você.)

 

Uma lagrima solitária escorreu por sua face reconhecendo a bela musica.

 

Te voy a amar y hacerte sentir

Que cada día yo te vuelvo a elegir

Porque me das tu amor sin medir

Quiero vivir la vida entera junto a ti

 

( Eu vou te amar e fazer você sentir

Cada dia eu volto a te eleger

Porque você me da seu amor sem medida

Eu quero viver a vida inteira com você )

 

As lagrimas já caiam sem pudor da sua face, mais havia um sorriso.

 

“Es poco decir, que soy quien te cuida como ángel guardián

Es poco deicr, que em um beso tuyo siempre encuentro mi paz

Ya no me alcanzan las palabras no para explicarte lo que siento you

Y todo lo que vas causando em mí

Lo blanco y negro se vuelve color y todos es Dulce cuando está em tu vos y si nace de ti.”

 

( É pouco dizer, que sou eu quem te cuida como anjo guardião

É pouco dizer, que em um beijo seu sempre encontro minha paz

Já não me alcançam as palavras não, para explicar o que eu sinto

E tudo o que você está me causando

O banco e preto se tornam cor e tudo é doce quando está em sua voz e se vêm de você.)

 

Repeti e continue a observar suas reações, um sorriso contido e lagrimas em seus olhos.

 

 

Te voy a amar y hacerte sentir

Que cada día yo te vuelvo a elegir

Porque me das tu amor sin medir

Quiero vivir la vida entera junto a ti eh

 

( Eu vou te amar e fazer você sentir

Cada dia eu volto a te eleger

Porque você me da seu amor sem medida

Eu quero viver a vida inteira com você )

 

Diminui a intensidade da musica ...

 

Te voy a amar y hacerte sentir

Que cada día yo te vuelvo a elegir

Porque me das ( porque me das)

Tu amor sin medir

Quiero vivir la vida entera junto a ti eh

Vivirlo (oh oh) vivir la vida entera (junto a ti)

Porque me das tu amor sin medir

Quiero vivir la vida enterajunto a ti

Es poco decir, que em beso tuyo siempre encuentro mi paz”

 

(Eu vou te amar e fazer você sentir

Cada dia eu volto a te eleger

Porque você me da ( porque você me da)

seu amor sem medida

Eu quero viver a vida inteira com você

Viver (oh oh) viver a vida inteira ( junto de você)

Porque você me da seu amor sem medidas

Eu quero viver a vida inteira com você

É pouco dizer, que em um beijo seu sempre encontro minha paz)

 

Finalizei e no segundo seguinte senti seus lábios macios de encontro aos meus, apenas um roçar de lábios.

− Te voy a amar – sussurrou com os lábios encostados aos meus e me deu um breve selinho, a abracei e nos deitei, levantei apenas para retirar nossos saltos e apagar a luz.

“ Essa é a primeira e ultima vez que essa musica é cantada por tais lábios. Afinal nem tudo que prometemos podemos cumprir” 

 

[...]

 

Acordei com o som do interfone soando por uma pessoa desesperada, me desavinhei dos braços de Camila e sai rapidamente fazendo um coque frouxo em meus cabelos, corri até o interfone.

Senhorita Cabello?

• Senhorita Jauregui. Diga?

• Bom dia srta. Jauregui, e que a srta. Hansen está aqui e deseja subir gostaria de saber se posso autorizar sua subida.

• Bom dia, ah...tudo bem.

Esperei exato um minuto para a campainha soar pelo apartamento, abrir e fui empurrada com certa força para dentro do apartamento.  

− Que intimidade ein, o porteiro libera passagem com a tua autorização. – falou me olhando desconfiada, apenas dei de ombros.

− Ontem a Camila liberou minha entrada e permissão. – disse fingindo desinteresse.

− Hm... e como tá a chanchon, fiquei preocupada ontem, ela saiu abatida, aquele canalha sumiu mais eu fiz uma queixa ele é cliente fiel, e a entrada dele agora tá bloqueada. – falou calma se jogando no sofá.

  − Ela está melhor, ontem realmente chegou muito abatida, fiquei até preocupada se ela teria algum tipo de pesadelo. – disse calma, quando...

Amor? Vai tomar banho comigo? – a voz de Camila surgi logo após ela apenas de roupa intima, ela olhou pra mim que esta sem reação e logo desviou a atenção para  Dinah com os olhos arregalados e a mesma que estava com um face de espanto mais logo um sorriso presunçoso se formou em seu rosto.

−Vejo que ela realmente está ótima não é Lauren? – falou debochando...


Notas Finais


Aqui está a lista de musicas da fic, no spotify:
https://open.spotify.com/user/lohrodriguess/playlist/7beOPGi1IwByK1CujyRzyH


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...