História Inimigos de infância (romance gay) - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Balada, Casal Gay, Comedia, Festa, Gay, Homosexualidade, Inimigos, Romance Gay, Yaoi
Visualizações 479
Palavras 1.094
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Survival, Universo Alternativo, Visual Novel, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Desculpa pelo atraso, mas eu tive alguns problemas durante esses últimos tempos como: Meu celular quebrar, eu ter tido uma infecção na garganta e alguns trabalhos de colégio.

Mas enfim, apesar desse capítulo não estar tão interessante...Ele é bem importânte para o desenvolvimento do Liam principalmente no quesito problemas famíliares.

O próximo capítulo haverá Lithan depois de tanto tempo e também cenas fortes envolvendo o Cody. Tentarrei fazer um capítulo maior da próxima vez e prometo fazer meu melhor para atualizar o mais rápido possível.

Beijinhoa da Tia Ana :)

Enjoy it

Capítulo 31 - Amor materno


Tudo aconteceu em uma fração de segundos, sem dar tempo para pensar ou sentir qualquer coisa além do mais puro pânico.

Num pulo me levanto da cama e digo decidido.

- Eu vou com vocês para o hospital.

- Seu pai...Ele não irá deixar. Bem, você sabe como ele é...- Diz minha mãe tropeçando nas palavras por culpa das lágrimas e dos soluços nervosos.

Cody e meu pais poderiam ter seus problemas, mas ele ainda eram pais dele e pelo menos da parte da minha mãe, esse acidente causou uma certo choque a ela, afinal é o filho dela em risco.

- Cody é meu irmão mais velho, eu vou com vocês.- Afirmo mais uma vez antes de caminhar até o meu armário e caçar alguma coisa mais decente para vestir do que eu usava naquele momento.

Ao abrir o armário me deparo com o casaco amarelo limão de Ethan. Eu havia me esquecido de devolver, mas de qualquer forma eu não devolveria, pois no momento que estou, aquele moletom é o mais perto que eu chegarei de Ethan. Engulo em seco e fecho o armário depois de pegar uma calça jeans e uma blusa qualquer.

Me viro para a minha mãe que continuava chorando sentada sobre a minha cama.

- Não chore, não chore por favor, não haja como se ele tivesse morrido...Ele vai ficar bem, eu tenho certeza.- Suplico me ajoelhando na frente dela tentando acalma-la.

- Como você consegue se manter tão forte depois de receber uma noticia dessas?- Pergunta minha mãe e eu afasto uma mecha de cabelo loiro do rosto dela e sorrio.

A verdade é que eu também não sei. Não era para eu estar em choque? Chorando, talvez? Não é assim que pessoas normais ficam ao descobrir que seu irmão sofreu um acidente? Talvez a ficha ainda não tivesse caído de fato.

- Alguém tem que se manter firme para que os outros não caiam.- Falo e minha mãe assente com a cabeça.

- Desculpa atrapalhar essa cena mãe e filho, mas nós temos que ir.- Diz meu pai aparecendo na porta do quarto.

Ele nem sequer olhou para mim ao dizer aquilo e por mais que eu quisesse negar aquilo me machucou como pequenos cortes de papel.

- Eu vou com vocês.- Falo me levantando e olhando seriamente para o meu pai.

Pela primeira vez em dias ele me olhou nos olhos e seu olhar era de puro desgosto e ranço. Mas esse não era um bom momento para pensar nisso...

- Sua mãe te falou quem atropelou seu irmão?- Nego com a cabeça.- Um garoto de cabelos pretos numa moto. Lhe é familiar?

Mas é claro, tudo agora está às claras. O tal garoto loiro que Ethan disse que havia atropelado é Cody. Como eu fui tão tolo para não ter juntados os pontos até agora ?

E foi naquele momento que a gravidade daquilo tudo caiu sobre mim numa realidade dura demais para eu conseguir surportar. Meu namorado atropelou meu irmão mais velho. 7 milhões de pessoas no mundo e esse tipo de coisa acontece logo comigo. Irônico não?

- Ethan?- Digo meio atônico. Eu mal consigo respirar agora.

- Desculpa, filho, mas eu não posso correr o risco de deixar você ir no hospital sabendo que aquele deliquente provavelmente estará lá também.- Fala o meu pai e por um momento é como se eu tivesse recuperado a razão novamente e voltado a raciocinar.

- Não me chame de filho enquando me impede de ir ver meu irmão que acabou de ser atropelado e corre risco de vida.- Digo cuspindo as palavras.

- E tudo isso graças ao seu namoradinho, Ethan Reed.- Ela rebate na mesma intencidade.- Está vendo? Não sou eu o vilão dessa história.

Rio sem humor. Me aproximo do meu pai e coloco meu dedo indicador sobre seu peito.

- Se acha que esse seu joguinho irá funcionar comigo, está errado, então trate de desistir. Eu amo o Ethan e confio nele de olhos fechados. Aceite isso logo. - Digo rispidamente e abaixo minha mão.

Meu pai estava vermelho de raiva ao ponto de eu cogitar que a qualquer momento ele fosse explodir igual nos desenhos animados.

- Você não irá ao hospital. Aceite isso logo.- Diz meu pai repetindo as mesmas palavras que eu disse anteriormente.- Venha, Cassandra, vamos acabar com isso logo.

Meu pai se virá para trás para ir embora esperando que minha mãe o seguisse, mas para a minha supresa ela apenas se levanta e fica ao meu lado.

- Não, o Liam vai com a gente.- Diz minha mãe soando autoritária.

Ela segura minha mão e sorri para mim. Ela está realmente do meu lado ? Ela está realmente se opondo ao meu pai?

- Vai mesmo ficar do lado dele?- Diz meu se virando para nós. O sentimento de traição estampava seu rosto.

- Eu sempre te segui, nunca me opus, sempre fui 100 % passiva. E olha o que isso me proporcionou? Eu ignorei Cody por tanto tempo, eu até mesmo fingi que ele nunca existiu...E agora ele corre risco de vida e a única coisa que eu consigo sentir é culpa.- Assume minha mãe e eu aperto sua mão para lhe passar um pouco de conforto e apoio.- Agora pode ser tarde para corrigir as coisas com Cody, mas pelo menos eu posso evitar cometer o mesmo erro com o Liam.

Meu pai arregala os olhos horrorizado e bufa. Mas aparentemente, ele não sabia o que responder, pois no fundo ele sabia que estava errado.

- Ele pode ir, mas se o Liam chegar perto daquele delinquantezinho...Eu não me responsabilizarei pelos meus atos.- Diz meu pai e depois sai do quarto batendo a porta com força atrás de si.

Me viro para minha mãe e beijo sua testa.

- Obrigado.- Digo e ela sorri.

- Pelo menos uma vez na vida eu precisava fazer a coisa certa...- Ela diz triste.

- Ei, ainda há tempo para você resolver as coisas com o Cody...Ele...ele vai sair dessa, eu tenho certeza.

Minha mãe sorri de lado e solta minha mão.

- Acho melhor desçermos logo, antes que seu pai mude de ideia.

Eu assinto com a cabeça e vou até meu armário pegar um casaco, pois lá fora deveria estar frio. Ao abrir o armário me deparo novamente com o moletom amarelo limão de Ethan. Eu sorrio e o pego. Eu precisava, mesmo que esporaticamente, da presença de Ethan para me dar forças nesse momento.

- Acho que nós podemos ir.- Digo fechando o ármario.

♡ Deixe seus comentários e teorias sobre a história, pois me ajuda muito. ♡ 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...