História Ink - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8"
Tags Hozi, Soonhoon, Verkwan
Exibições 78
Palavras 2.427
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Seinen, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


gente, primeiro eu queria me desculpar com quem ta acompanhando essa fic
primeiro de tudo, eu gostaria de esclarecer que eu demorei pra atualizar por conta da falta de espaço na mente pra escrever, ou seja, tinha muita fic pra atualizar e eu não estava conseguindo dar conta
terminei amsterdã ontem e, pra você que não a acompanha e não sabe do novo cronograma e as consequências que me levaram a adotá-lo..
vou viajar quase no final de dezembro e tem muita longfic pra ser terminada esse ano, então o que vou fazer é atualizar INK duas vezes por semana e, caso não dê pra terminar até um dia antes da viagem, eu termino de uma vez por todas com o que tiver faltando
razão: meu colégio está em greve e eu não sei como estarão as coisas ano que vem, provavelmente muito corridas por causa do tempo

o novo cronograma pra essa fic será de no máximo três/quatro atualizações por semana XD ~espero que tudo dê certo~

enfim... não haverá mais nenhuma longfic esse ano (fics com mais de 10 caps) por essa razão, no máximo vou postar shortfics e OSs

boa leitura para todos!

Capítulo 6 - Red Ink


Fanfic / Fanfiction Ink - Capítulo 6 - Red Ink

Red Ink

 

 

 

As músicas eram basicamente sobre o que aquele personagem enfrentava. Entretanto, Hoshi levou bastante tempo para interpretá-las. Eram bem mais fáceis do que a primeira cuja Jihoon indicara. Se bem que já conhecia duas das músicas que estavam no papel, então só deixou valer a terceira.

Pegou rapidamente algumas folhas offset e lápis comum para desenhar os cenários. Decidiu fazer primeiro pelo final, que julgara por ser a música Who I Am Hates Who I’ve Been do Relient K. Julgara assim pelo interprete dizer que estava arrependido o que havia se tornado e que nunca mais seria daquela forma de novo. Alguém fútil, arrogante e egoísta. Desenhou algo mais dramático, levando em consideração a descrição rápida do roteiro.

O cenário girava em torno de uma ponte em cima de uma lagoa. Nem tão estreita, nem tão larga. O suficiente para que duas pessoas pudessem ficar sem estar grudadas ou afastadas demais. Em seguida, no fundo, resolveu deixar de lado o clichê do pôr do sol e colocar no lugar um amanhecer mais escurecido – os primeiro feixes de luz solar.

Terminou os outros dois cenários principais, sendo um deles que se passava nos bastidores da novela em que o protagonista realizava e o outro na casa do mesmo, quando verifica seu Twitter e vê coisas que seus haters estão falando sobre ele. O resto dos cenários pouco importava, pois eram os momentos em que os atores paravam para refletir e as músicas tocavam.

A paleta de cores ele deixou para escolher no dia da reunião, já que precisava discutir com os líderes de cada grupo.

Seu celular tocou de repente.

- Alô – atendeu sem nem mesmo olhar quem era.

- Soonyoung? – reconheceu a voz do outro lado da linha, quase não acreditando. – Sou eu, Jihoon.

- Jihoon? – quase deixou o material todo cair pela surpresa. – Aconteceu alguma coisa?

- Desculpa, acabei tendo que pegar seu número com um dos seus colegas – ele pareceu ficar sem graça. – Bem, acabei sendo procurado pelo ator principal da peça e alguém a mando dele me avisou que a reunião foi remarcada pra segunda feira, mas eu não vou poder ir.

- Eu imaginei, ele estava me procurando também.

- Pois bem. Como não vou poder ir, gostaria que avisasse a ele. Informei sobre os planos da parte musical para os meus colegas que vão participar, então não haverá problema se eu não comparecer.

- Eu aviso se eu o ver... Aliás, qual o nome dele mesmo?

- Wen Junhui.

 

 

 

 

 

 

Soonyoung corria para o auditório. Lá encontrou Wen Junhui e outros atores ensaiando e, conforme prestava bem atenção, viu que o ocorrido de antes não passava de uma encenação – ou não. Sentou-se numa das cadeiras da frente, esperando ser notado. Enquanto isso virou para todos os lados para ver se alguém do seu grupo havia chegado. E mesmo com poucas esperanças, atreveu-se a procurar pelo corpo pequeno de Jihoon.

- Muito bem – levou um grande susto com a voz alta do professor de teatro. – Ainda falta um pouco de drama na sua expressão, Junhui.

- Vou me esforçar – ele respondeu em meio a um bocejo. – Agora deixa eu fazer a outra parte do meu trabalho.

Junhui andou na direção de Soonyoung, que roia as unhas de nervosismo.

- Só veio você? – ele perguntou, secando o rosto com uma toalha carmim. – Ou talvez tenham esquecido...

- Por enquanto só tenho eu do meu grupo, mas não tem importância – disse levantando a pasta com seus projetos. – E achei que fosse bom eu já saber da ideia discutida pra começar a trabalhar com eles.

Junhui estranhou de início, mas pareceu não se render a um novo diálogo a dois. Apenas concordou com a cabeça, andando para a direita. Com isso, Soonyoung se prestou a revisar seus projetos enquanto a reunião não começava.

- Acabei vindo – ouviu a voz bem conhecida. – Espero que ele não suspeite de algo.

- Suspeitar? – Soonyoung observou os trajes de Jihoon, controlando-se para não abraçá-lo. – Não há nada para suspeitar aqui, Jihoon.

Ele riu.

- Acabei desenrolando com o outro funcionário da loja pra vir – disse enquanto vasculhava sua bolsa atrás do que Soonyoung julgara ser o projeto de música. – E ele me cobrou por isso.

Soonyoung corou, acabando por agradecer aos deuses pela presença do baixinho ao lembrar que havia se esquecido de avisar à Junhui sobre sua possível falta.

- Está tudo bem? – Jihoon perguntou, inclinando levemente o corpo para tentar ver o rosto de Soonyoung. – Você fez uma cara...

- Não, estou bem – forçou um sorriso. – Só estou nervoso... Aliás, não achei nenhuma cor evidente para os instrumentais que você indicou.

Jihoon rodou os olhos pelo ambiente, parando no rosto confuso de Soonyoung novamente.

- Espera... O quê?

- Esqueça, nós vamos discutir isso daqui há pouco.

- Ah, claro.

 

 

Sentaram-se na mesma roda de cadeira de antes, mas desta vez a concentração de pessoas era maior. Junhui bocejou pela milésima vez naquele dia, deixando seu cansaço evidente.

- Vamos começar? – ele começou, folheando o roteiro. – Gostaria que o pessoal de moda começasse, por favor.

As roupas eram simples, mas com bastante estilo. Nada muito adolescente, nada muito maduro. Era composta por cores mais neutras, como preto, branco e cinza. O acompanhamento era vermelho, azul marinho e violeta. Soonyoung se sentiu aliviado, pois a escola da paleta de cores para as roupas batia com a que estava pensando para os cenários.

- O pessoal de música, por favor? – Junhui disse anotando algumas coisas numa página limpa do caderno de roteiro. – Que bom que está aqui, Jihoon – ele sorriu.

- Que nada... Espero que tudo valha à pena – Jihoon ocultou a parte que fizera depressa e Soonyoung rezou para que tudo desse certo. – O roteiro acabou me confundindo em alguns pontos, por isso escolhi apenas três músicas com letra.

- Sua trilha sonora só tem três músicas? – Junhui arregalou os olhos.

- Não – Jihoon sorriu, dando uma folheada no roteiro como se estivesse contando quantas músicas tinham. – São três músicas com letra e sete épicos – ele completou e Junhui assentiu interessado. – Escolhi Fantasy do DYE para o começo da história, A Beautiful Lie do Thirty Seconds to Mars para o meio e Who I Am Hates Who I’ve Been do Relient K para o final – Soonyoung suspirou aliviado ao saber que sua teoria sobre a trilha sonora estava correta. – Como eu não tenho duas cópias do roteiro, acabei tendo que escrever no único que me deram.

- Sem problemas – Junhui disse gentil. – Contando que o que você fez faça sentido, já ajuda muito – riu.

- Está aqui junto com o CD – Jihoon entregou o roteiro com cuidado, provavelmente para não quebrar o CD ou não deixá-lo cair. – Espero que eu tenha ajudado...

Junhui puxou uma cadeira e pôs o material em cima da mesma.

- Artes plásticas... Espero que eu não tenha te assustado – Junhui comentou olhando para Soonyoung. – Caso sim, saiba que não era a minha intenção.

- Que nada, foi só na hora – Soonyoung respondeu, retirando seu material de dentro da pasta. – Como combinado, fiz os cenários de acordo com a trama da música. Não concretizei a paleta de cores, mas a que imaginei é a mesma que a que o pessoal da moda escolheu. Tentei não ser muito clichê, trocando os famosos pôr do sol e noite de lua cheia pelo início do amanhecer no final da peça – explicou mostrando o desenho bem detalhado. – Para o meio, decidi colocar os bastidores da novela que o protagonista vai iniciar e a sala onde ele descobre o que estão falando a seu respeito. Para os outros cenários onde ele para pra refletir, pensei que fosse bom uma cor dramática para combinar com as faixas escolhidas pelos músicos.

Junhui parou para refletir a avalanche de informações.

- Cor dramática... De acordo com a paleta de cores, certo? – Junhui preocupou-se de repente. – Digo, não faz sentido colocar... Sei lá, amarelo.

Soonyoung sorriu.

- Sim, de acordo com tudo.

 

 

 

 

- Foi... Rápido – Soonyoung comentou enquanto saía, acompanhando Jihoon. – Achei que eles não fossem concordar com algo.

- Tudo será analisado ainda, Hoshi. Não se afobe, pois com certeza eles vão pedir pra a gente mexer em alguma coisa – Jihoon esticou os braços cobertos pelo moletom azul bebê. – Eu poderia voltar para o trabalho, mas a loja fecha em alguns minutos.

Soonyoung teve a brilhante ideia de querer discutir ainda mais sobre sentimentos implícitos nas artes. Não queria que fosse egoísta, mas aquilo estava se tornando interessante até demais.

- Jihoon... Eu andei pensando... – começou, sem jeito. – Gostaria de mais desafios seus.

- Como assim?

- Interpretar as músicas que você gosta – terminou animadamente. – E então vou te desafiar também.

- Mas... Por que isso agora, Hoshi? – Jihoon tinha o cenho franzido e as sobrancelhas juntas. – Quero dizer... Não faz sentido.

- É que ando entediado – confessou. – Best Is Yet Come foi um ótimo passatempo, mas eu não me conformo.

Jihoon gargalhou.

- Acho que deveria prestar mais atenção no seu curso... O meu não vai ajudar em nada.

- Vai sim – cruzou os braços, parando no meio do caminho. – Nossos cursos têm quase o mesmo objetivo, sabia?

- Sei... Tudo bem, o que quer que eu faça, Soonyoung?

- O que você fez antes.

Andaram mais um tempo em silêncio. Jihoon se manteve pensativo, como se sua mente tivesse dado um branco. Após vários minutos de silêncio, ele parou de andar. Pôs a mão no queixo como se hesitasse em dizer algo e Soonyoung se pôs a observá-lo. Aos poucos sua vontade de mordê-lo por estar tão fofo naqueles trajes – moletom azul bebê com uma água-viva lilás estampada no meio, jeans preto e tênis branco – fofos ia voltando e teve de controlar-se para não fazê-lo.

- Acho que já sei... Não sei se ela é difícil, mas creio que será uma coisa diferente – ele começou, bocejando rápido depois. – Don’t Go do Bring Me the Horizon.

Soonyoung jáouvira falar daquela música em algum lugar, mas não se lembrava de onde.

- Tudo bem, eu aceito – respondeu animado.

 

 


Eu fui criado no vale, lá haviam sombras e morte
Sai vivo, mas com cicatrizes que eu não consigo esquecer
Esta criança volta pra escola subjugada e tímida
Um órfão e um irmão e invisíveis pela maioria dos olhos

Eu não sei o que foi que fez um pedaço dele morrer
Levou um menino para a floresta, abateu-o com uma foice
Estampado no rosto uma impressão de sujeira
Você acha que o silêncio faz um bom homem converter?

Todos nós temos nossos horrores e nossos demônios para lutar
Mas como eu posso ganhar quando estou paralisado?
Eles rastejam na minha cama, enrolam seus dedos em volta da minha garganta
É isso que eu recebo pelas escolhas que eu fiz?

Deus, me perdoe por todos os meus pecados
Deus, me perdoe por tudo
Deus, me perdoe por todos os meus pecados
Deus, me perdoe, Deus, me perdoe

Não vá, eu não consigo fazer isso sozinho
Não vá, eu não consigo fazer isso sozinho
Me salve daqueles que me assombram à noite
Eu não posso viver comigo mesmo, então fique comigo esta noite, não vá

Não vá

Se eu te deixar entrar, você só iria querer sair
Se eu te contar a verdade, você disputaria por uma mentira
Se eu derramar minhas vísceras
Iria fazer uma bagunça, não conseguiríamos limpar

Se você me seguir, você só vai se perder
Se você tentar se aproximar, só vamos perder o contato
Mas você já sabe demais
E você não vai a lugar nenhum

Diga que você precisa de mim, porque eu te amo tanto
Diga que você me ama, porque eu preciso tanto de você
Diga que você precisa de mim, porque eu te amo tanto
Fale que você nunca vai me deixar, porque eu preciso tanto de você

(...)

 

Soonyoung terminou de ouvir aquilo com lágrimas nos olhos. Não compreendia se era por conta do tom de voz dos cantores – sim, havia uma menina cantando na música – ou se era por conta da letra em si. Havia um pouco de tudo, mas Soonyoung não soube juntar tudo numa coisa só. Era um misto de desespero, dependência, depressão e amargura. Outros sentimentos estariam ali dentro, com certeza. Se sua certeza estivesse correta, conseguira captar a violência e o medo como ideia explícita. Refletiu mais um pouco, deixando as lágrimas caírem de seus olhos.

Era forte, apesar do timbre esquisito e assustador. Se houvesse uma versão Ballad daquela música, as pessoas parariam sempre para pensar no que fazem – talvez elas não o fizessem pela melodia pesada da versão original. E foi isso que Soonyoung fizera. Não contara quanto tempo ficou parado olhando para o teto do quarto completamente decorado – o havia feito por si mesmo – mexendo em seu cabelo, tentando achar o significado daquela música. Acabar por concluir que Jihoon guardava muitos mistérios – afinal, não era todos os dias que conhecia alguém que ouvia músicas com um grande significado por trás.

Pegou seu celular, vendo o número de Jihoon gravado ali. Queria chamá-lo por mensagem, mas achou que valeria mais à pena conversar mesmo pessoalmente. Por isso, resolveu deixar uma mensagem para o baixinho antes de ir para a cama.

Hoshi (22:39): Desculpa por incomodar há essa hora da noite, mas é que fiquei ansioso. Peço para que não me responda agora, pois amanhã passarei na loja para comprar algumas coisas que estão faltando aqui e aproveitar para ver se tenho ideias para um novo retrado seu hihi. Queria dizer que essa música me deixou com lágrimas nos olhos! Eu poderia ter desistido na mesma hora que ela começou a tocar, mas eu sei que você não me desafiaria à toa, sei que deve ter pensado muito num curto período de tempo.

Hoshi (22:45): Olha, eu posso não ser o melhor interprete do mundo, mas achei a música um misto de muitas coisas ao mesmo tempo. O indivíduo está desesperado, dependente de alguém que, talvez, não exista. E então entra o sentimento de amargura porque ele não pode tocar ou seguir esse alguém... Olha, são tantas coisas... Está me dando dor de cabeça... Acho que preciso dormir. Será que a gente poderia se encontrar depois? Nem que seja rápido como fizemos nas últimas vezes.

Enviado a mensagem, jogou seu celular na cama ao lado e tentou cair no sono de primeira, falhando completamente. Estava claro que passaria muito tempo com aquela música na cabeça e, conforme o tempo fosse passando, os desafios de Jihoon começariam a ficar cada vez mais difíceis.

- O que será que ele mais esconde?


Notas Finais


música: Don't Go - BMTH

vou ver se consigo postar sexta feira, amores 'u' caso não, eu atualizo no domingo, sim?

see you SOONyoung!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...