História Innocence and violence - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias B.A.P, Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Chanyeol, Daehyun, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kris Wu, Rap Monster, Suga, Tao, V, Zelo
Tags Prostituição Obrigatoria, Sádico, Sugamon, Tortura, Vmin
Exibições 47
Palavras 1.638
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Lemon, Mistério, Policial, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oi, voltei e to no wifi da vizinha, eu sei ninguem tem nada haver mas mesmo assim eu falei.

espero que gostem.
boa leitura.

Capítulo 5 - Capitulo cinco!


Fanfic / Fanfiction Innocence and violence - Capítulo 5 - Capitulo cinco!

   pov's jimin 

    - e assim conseguimos a confiança do seokjin. O que acha da idéia jimin? - perguntava chanyeol.

    - oi? Repete, por favor. - falei. Estava distraído pensando em alguma coisa aleatória.

    - Vamos comercializar drogas pelos exterior, assim vamos conseguir a confiança de seokjin, e assim que ele estiver desprevinido derrubamos ele da liderança e tomamos o seu lugar. - falou kris e os que estavam envolvidos na conversa sorriram.

    - isso é ótimo. - falei.

                (...)

 Já estávamos a um bom tempo conversando e bebendo, até que chanyeol dá um 'surto'.

    - aqueles não são seus irmãos? - apontou para algum lugar, olhei e vi Namjoon colocando jin na parede e o beijando. E yoongi voltando de algum lugar com jackson, com um sorriso do tamanho do mundo. - apenas você está sem ninguém na sua familia. 

    - você também não tem. E eu tenho alguém. - falei, ri da cara do chanyeol após minha fala.

    - eu tenho alguém sim, se lembra do Baekhyun? 

    - você ainda está com ele. - perguntou kris indignado.

    - lógico que sim, ele é meu. Sim, voltando a conversa. Quem é em jimin?

    - é o taehyung. Ele está aqui na festa. - falei e comecei a procurar Tae com os olhos.

    - e cadê ele? - perguntou kris. - como ele é?

    - ele tem o cabelo castanho, é pequeno, pele branca mas um pouco amorenada e tem 16 anos.

    - pedófelo. - comentou chanyeol.

    - e o Baekhyun tem quantos então? 

    - 18. 

    - abafa o caso. - falei e começamos a rir. - mas serio, não estou achando o Tae. E quando chegamos o jungkook chamou ele de gostoso. 'Tá suspeito.

    - vem. Vamos ajudar a procurar. - kris falou se levantando em seguida. Me levantei junto com chanyeol e começamos a procurar pela casa.

                     (...)

 Já fazia alguns minutos que estavamos andando a procura de Tae, já haviamos procurado pela casa toda e nada dele. Avistei jungkook, fomos até ele.

    - jungkook. - o chamei.

    - sim?

    - você viu o taehyung?

    - Não. Ele sumiu desde quando?

    - desde, não sei. Acho que faz 40 minutos.

    - a esse tempo muitos foram embora também. Aqui agora só estão os íntimos menos o zelo.

    - o zelo não está aqui?

    - não. Por que?

    - o zelo é dono de uma boate de prostituição também, ele pôde ter pego o Tae.

    - deixa pra procurar amanhã, 'tá tarde. A festa já 'tá acabando.

    - mas ele pode... - fui interrompido por chanyeol, que estava quieto com kris até agora.

    - faz assim, eu, o jungkook e você vamos amanhã na boate. Vamos passar a noite lá, aproveitando a noite e como vamos estar lá vamos conferir também se o taehyung está realmente escondido lá. - chanyeol deu a idéia e eu logo assenti junto com jungkook.

    - então pronto. - jungkook falou.

    - então eu já vou indo, obrigado jungkook. Tchau chan. Tchau kris. 

    - tchau. - falaram os três em uníssono. Comecei a procurar os meninos - vulgos Namjoon e yoongi - pela casa.

 Avistei jackson e yoongi no corredor dos quartos, se agarrando e trocando caricias na parede. Derrepente o selinho que eles deram foi passando para um beijo afoito.

    - nada discreto em yoongi.

    - vai se ferrar. - ele falou e voltou para o beijo.

    - já estamos indo, vamos logo. Te espero no carro, tem cinco minutos. - ele bufou, segui novamente pela casa procurando Namjoon.

 Procurei no banheiro, na cozinha, em uns quartos e quando fui procurar no jardim, percebi que ele estava na sala e quando olhei não gostei do que vi. Ele estava no sofá, gemendo baixo enquanto seokjin rebolava ferozmente em seu colo. Virei o rosto e fiz cara de nojo, quando olhei novamente Namjoon estava simulando estocadas lentas e fortes nas nádegas de seokjin.

    - logo aqui? Ninguém é obrigado não. - falei e eles me olharam. - vamos Namjoon, tem três minutos. Espero no carro. - falei e fui para o carro. Depois de quatro minutos yoongi e Namjoon apareceram juntos, entramos no carro.

    - espera. Cadê o Tae? - perguntou Namjoon.

    - não sei.

    - ele não era seu? - yoongi falou.

    - ele sumiu, mas calma que amanhã eu, o jungkook e o chanyeol vamos procurar ele.

    - onde vocês vão procurar ele? - namjoon perguntou interessado.

    - na boate do zelo.

    - ah. Senhor, me leva junto com o jin. - pediu com um sorriso no rosto.

    - por que? Ou melhor, pra quê?

    - pra nós dois aproveitar a noite junto com vocês.

    - traduzindo, vão pagar um quarto lá e vão se comer.

    - nada haver.

         (...)

 chegamos em casa depois de um tempo, comecei a bater nos móveis peguei uma almofada e abafei um grito meu.

    - enlouqueceu. -  perguntou yoongi.

    - eu 'tô com raiva. - falei surrando o sofá.

    - por que. - perguntou yoongi sentando em uma poltrona.

    - o Taehyung sumiu porra. Aquele desgraçado vai ver quando eu por as mãos nele outra vez junto com o hoseok.

    - e cadê o hoseok, hein? Não vi mais ele.

    - ele foi resolver um contrato pra mim, disse que assim que terminasse iria voltar 'pra cá para que pudéssemos conversar sobre o mesmo.

    - e foi difícil conseguir convencer aquele velho. - hoseok falou enquanto 'brotava' na sala de estar.

    - e o que ele queria? 

    - o de sempre né, jimin. Dobrar as ações do woozi e triplar as suas, nesse meio ele iria ganhar muito dinheiro desviando para a conta dele enquanto você e o woozi trabalhavam mais. E fui ruim convencer ele a parar com essa idéia ridícula, tive que ameaçar.

    - mais um idiota se aproveitando do meu trabalho e de todos os outros do meu ramo. O woozi acabou de começar nisso, ele é novo e sempre aproveitam dos novos. - falei frustado.

    - eu e o Namjoon vamos dormir. - yoongi falou.

    - boa noite.

    - boa noite. - falaram em uníssono e foram para os quartos.

    - ei, cadê o taehyung. - perguntou hoseok.

    - perdemos e vamos encontrar amanhã.

    - preciso ir junto?

    - claro. - faleí e comecei a ir para meu quarto.

    - boa noite, jimin.

    - boa noite, hoseok.

     pov's taehyung.

 Me encontrava em um quarto pequeno, com uma cama de casal e um abajur. O homem à minha frente estava tentando me propor algo e a essa altura eu já estava assustado apenas por não saber onde estou.

    - é o seguinte, você irá trabalhar aqui e irá receber dinheiro em troca de seu corpo.

    - eu não quero nada que me propor. Me solta, me tira daqui. - falei me encolhendo nos lençóis.

    - escuta aqui sua putinha, não quero mais saber de você aceitar ou não, se não estiver lá em baixo com essa roupa aqui você irá morrer e não pense que a morte vai ser rápida. - me encolhi de medo e o vi jogar uma roupa sobre a cama. - amanhã você começa, espero que faça seu trabalho.

       no dia seguinte...

     pov's jimin 

    - olha só, não queremos gemidos aqui no carro não. - falei olhando para o banco de trás onde namjoon dava chupões no pescoço de jin, nem parece líder de todos nós, traficantes.

    - hoseok, acelera esse carro. 'tá chato aqui atrás, segurar vela é ruim.

    - faz a mesma coisa que eles então, o chanyeol aí atrás não é de se jogar fora. - hoseok falou.

    - calado hoseok. - chanyeol disse.

    - não me manda ficar calado, idiota.

    - o que você disse ai chanyeol?

    - você ou-

    - calem as bocas vocês dois. - falei, empatando a briga.

    - ele começou. - chanyeol falou.

    - parecem crianças. - jungkook falou.

    - falou o garotinho de 19 anos. - namjoon disse, finalmente parando parando de se agarrar com jin.

    - não enche. - estapeou a nuca de namjoon.

              (...)

     pov's taehyung.

    - eu não vou vestir isso não - falei pro zelo, agora sei seu nome. Aquele o qual não podia me aproximar.

    - vai sim e anda logo, a casa está cheia hoje - ele falou e saiu do quarto. Depois disso apenas lembrei da ameaça que ele fez e logo fui me arrumar.

        (...)

 terminei de me vestir e comecei a andar pelos corredores da boate, até que vejo daehyun, o braço direito de zelo. Ele me olha malicioso e da um sorriso aberto.

    - vamos lucrar muito hoje - ele da uma piscadela para mim.

    - por onde eu tenho que ir - pergunto.

    - por ali, mas antes eu tenho que te explicar as regras. Primeiro, o dinheiro que você ganhar, terá que ser entregue para o zelo. Segundo, o quarto que você vai usar com os clientes irá ser o que você acordou. Terceiro, consiga mais de ₩600 por dia ou leva punição. Quarto, isso é mais um aviso, pelo o que o zelo disse duas horas com você vai ser ₩200.

    - eu sou de ouro - afirmei sem alegrias.

    - você não, sua raba - ele me empurra com um tapa em minha bunda e logo estou em um lugar movimentado com luzes coloridas e tudo escuro. Era a boate, começo a andar, despertando vários olharam para mim. Olho para todos os cantos enquanto caminho e avisto a porta de saída. Logo vendo também jimin namjoon e mais três meninos. Comecei a ir até eles mas uma mão no meu ombro me impede.

    - está livre garoto - um homem já alcoolizado me pergunta. Tento sair dali mas logo vejo zelo me olhando de longe enquanto dançava com uma menina. Engulo seco e assinto para o homem. - ótimo, eu quero umas horas com você.

 


Notas Finais


e foi, obrigada a quem leu até aqui, comentem que eu fico feliz de ler e responder os comentarios.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...