História Innocence is charming. - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Castiel, Charlotte, Iris, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Rosalya, Violette
Exibições 175
Palavras 1.987
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi gente, tudo bem?
Estou postando tarde da noite sim.
Enfim eu espero que gostem.
Desculpem os erros ortográficos.
Boa leitura e não esqueçam de comentar.
<3
<3

Capítulo 5 - Do you want to play?


Fanfic / Fanfiction Innocence is charming. - Capítulo 5 - Do you want to play?

   

               " Não importa se parece mal ou até proibido; Se é amor verdadeiro não tem como dar errado. "  

 

               " Doesn't matter if it seems bad or even forbidden; If is true love it cannot go wrong. "

 

 

 

 

Maddison acordou primeiro que Nathaniel e aproveitou esse tempo para observá-lo. A garota percebeu que ultimamente ela anda tendo sensações estranhas quando está perto do loiro, sentimentos que ela nunca teve antes e que ela não tem com mais ninguém a não ser o mais velho. Emoções desconhecidas, diferentes e até estranhas, mas de um jeito bom. Ela não sabe se Nathaniel sente o mesmo e tem medo de perguntar. Mal sabe ela que o mais velho vem tendo esses sentimentos desde que a viu.
         - Bom dia boneca. - A voz serena do loiro e tirou de seus devaneios.
         - Bom dia! Como se sente? - Perguntou ao vê-lo se sentar com dificuldade.
         - Por sua causa sim. - Respondeu e lhe lançou um sorriso lindo.
   Maddison se sentiu prestativa pela primeira vez, gostava de ajudar os outros mas a sensação de ajudar o loiro era gratificante.
         - Que bom. - Exclamou se levantando. - Que horas são? 
   Nathaniel checou seu relógio que se encontrava no criado-mudo ao lado de sua cama.
         - São 6:40. 
   A garota se levantou e começou a arrumar os panos que estavam na cabeça e barriga do mais velho, e agora se encontravam espalhados pela cama
         - Eu tenho que ir, se seu pai abre a porta ele... - Maddison parou de falar ao ser interrompida pelo garoto que a puxou pelo braço e depositou um leve beijo em seus lábios.
         - Calma boneca, fica mais um tempo aqui?! - Pediu a puxando para seu colo enquanto a analisava tentando gravar todos os detalhes de seu rosto fazendo a menina corar.
         - Okay. - Ela passou a mão em seu pescoço, e a outra foi em direção de seu queixo. - Está feio. - Sussurrou para si mesma.
         - Estou acostumado. 
         - Não, não mesmo. - Exclamou se levantando de seu colo. - Eu vou pegar pomada para passar nisso, nos dois machucados. 
          - Não precisa se preocupar. - Falou observando a menina caminhar em direção a porta.
   A menina parou e voltou até ele colocando as duas mãos em seu rosto e o levantando em sua direção.
         - Claro que preciso, você é importante para mim e eu vou cuidar de você. - Respondeu olhando dentro de seus olhos. 
   Nathaniel abriu um lindo sorriso com essas palavras, era para ser o contrário, mais ele gostava disso, gostava de ela se importar com ele. A morena se inclinou e deu um selinho no mais velho, virou as costas e foi atras de pomada.
         - Robert!! - O chamou ao avista-lo na porta da cozinha.
         - Bom dia senhorita Campbell. - Ele a saudou ao vê-la correndo em sua direção. A menina lhe lançou uma careta.
        - Só Maddie, por favor. - Reclamou fazendo o mordomo rir.
         - Tudo bem. - Falou ao parar de sorrir. - O que a trás aqui Maddie?
         - Preciso de pomada. - Pediu em tom urgente.
         - Pomada para batida? - Perguntou e a menina assentiu. - É para o Nathaniel?
         - Sabe do Nath? - Perguntou surpresa.
         - Sim, não acredito que Sr. Campbell bateu no menino de novo. - Reclamou caminhando em direção a um armário. - Me siga.
   Robert abriu um enorme armário e pegou uma caixinha pequena branco com o desenho de uma cruz em vermelho. 
         - Pegue essa caixa. - Ele lhe entregou a caixa e a mais nova a pegou. - Quer ajuda?
         - Não precisa não, eu consigo. - Respondeu.
   Maddison voltou ao quarto e encontro o loiro na mesma posição de quando ela saiu. Ela se aproximou dele que desviou o olhar de suas mãos e a encarou, abrindo um sorriso logo em seguida.
   A pequena se ajoelhou em meio de suas pernas e deixou a caixinha ao seu lado.
   A mente do mais velho viajou para seu mundo pervertido ao olhar para menina naquela posição e pensar em quantas coisas ele poderia fazer somente com aquela posição.
         - Tudo bem? - Perguntou ao ver um sorriso malicioso em sua face. Nathaniel assentiu silenciosamente. - Levanta a camisa. 
   O loiro continuava com seu sorriso pervertido nos lábios enquanto subia sua blusa. Uma mínima marca ficou a mostra, era um pequeno roxo, não parecia muito mais ainda estava dolorida.
         - Se doer me avisa Okay? - Perguntou e Nathaniel assentiu com a cabeça.
   Ao fazer pressão no pequeno roxo em seu peitoral o loiro contorceu seu rosto em expressão de dor.
         - Te machuquei? - Maddie perguntou preocupada puxando sua mão para trás.
         - Não boneca, tá tudo bem. Posso fazer isso se não quiser. - Nathaniel respondeu pousando sua mão sobre a dela e recolocando sobre o machucado.
         - Não precisa, deixa eu te ajudar. - A mais nova continuou a limpar o machucado e logo depois colocou um curativo. - Pronto, consegue se levantar?
         - Consigo sim, pode deixar boneca. - Respondeu ao se levantar.
   A pequena se levantou e sua boca ficou a milímetros da do loiro, que ardia de desejo. Ele se inclinou e selou os lábios com os da garota que retribuiu o beijo.
   Nathaniel estava excitado, mais do que nunca e pela primeira vez ele puxou a cintura de menina para mais perto e aprofundou o beijo pedindo passagem. De início a morena ficou confusa mais acabou cedendo seguindo o ritmo do loiro.
   As pequeninas mãos da menina foram de encontro com sua nuca, o mais velho se arrepiou com o contato da menina e a puxou mais para perto, tentando quebrar todas as barreiras físicas permitidas
   O loiro descolou seus sábios da menina ao sentir seu amigo começando a ganhar vida. Ele se distanciou e vibrou sua ereção com uma almofada.
         - Te vejo no café. - A menina sussurrou antes de virar as costas e sair do local.
    Nathaniel ficou sozinho e extremamente excitado enquanto pensava em inúmeras coisas que queria fazer com sua pequena e ingênua irmã.
[...]

   Nathaniel desceu as escadas mais animado desta vez, ele evitou a mesa do café com os pais para que não desse outro desentendimento. O dia do garoto tinha começado de um jeito legal e ele não queria que uma simples conversa com seus pais atrapalhasse tudo e o deixasse mal humorado.
   Quando estava prestes a sair ouviu a voz estridente de sua irmã, Ambre. Faz tempo que ele não a vê, sua relação não é das melhores e ele gosta de evitá-la também, provavelmente o salto de seu sapato devia ter quebrado ao algo do tipo mais ele resolveu ir dar uma olhada só para conferir.
   Ao chegar na sala avistou uma cena que não lhe agradou nem um pouco.
         - Ahh sua peste olha só o que você fez. - Ambre gritava apontando para sapato que estava em sua mão com o salto solto.
         - D-Desculpe Ambre, e-eu não queria. - Maddison se desculpava por algo que não havia feito e abaixava a cabeça para Ambre.
         - Não importa, como eu vou para escola com o salto quebrado. - Esbravejou.
         - E-Eu... e-eu...
   Nathaniel não se aguentou e caminhou em direção das duas disposto a acabar com aquela briga.
         - Ambre pare de falta assim com a menina. - O loiro a repreendeu. - Tenho certeza de que ela não fez isso.
         - Vai defender ela agora? - Perguntou incrédula olhando para seu irmão. 
         - Vou sim. - Respondeu com raiva enquanto colocava a mão no ombro da morena que ainda olhava para baixo. - Vai encher o saco das suas amiguinhas.
         - Não fale assim comigo. Essa peste quebrou meu salto, como vou para escola agora?
         - Pare de chamá-la assim. - Brandiu irritado. - E você tem vários saltos, é só pegar outro.
   Ambre lhe lançou um olhar ameaçador e saiu da sala batendo o pé. Não fez nem questão de retrucar o que o mais velho havia dito.
   Nathaniel olhou para a menino e levantou seu rosto em direção ao dele.
         - Ei boneca! - Ele a chamou e ela olhou fundo em seus olhos. - Nunca mais abaixe a cabeça para ninguém.
         - Okay. 
   O mais velho a puxou pela cintura e lhe deu um abraço apertado. Ele tinha uma vontade enorme de cuidar dela, e era isso o que ele faria.
[...]


   Pela primeira vez em muito tempo o dia de Nathaniel não havia sido cansativo e entediante, muito pelo contrario, o seu dia havia sido alegre e produtivo. Ele prestou mais atenção as explicações e conseguiu participar mais da aula. Quando chegou em casa não deu graças a Deus por tudo ter terminado, mas ficou triste ao descobrir que sua pequena que costumava passar todas as tardes com ele havia saído com as amigas para ir ao shopping e fazer compras. Ele não queria que sua menina começasse a crescer e conviver com meninas da idade dela significaria pede toda a sua inocência, uma coisa que Nathaniel não queria que acontecesse tão cedo.
   O menino passou a tarde inteira assistindo televisão e jogando vídeo-game. Quando deu mais ou menos cinco horas da tarde Maddison chegou, ela subiu as escadas apressadamente sem nem ao menos cumprimentar o mais velho que acho o fato estranho.
   Um tempo depois a menina estava de volta com sua linda bonequinha em mãos.
         - Oi Nath, o que está fazendo? 
         - Jogando. - Respondeu simples e virou seu rosto em direção da menina. - O que fez hoje boneca?
         - Eu dei uma volta no shopping com as minhas amigas. - Respondeu arrumando os cabelos de sua linda boneca.
         - Gostou?
         - Sim, lá é muito legal. - Falou tirando os olhos da boneca e o olhando. - Aqui é muito entediante de vez em quando.
         - Porque? - Nathaniel perguntou arqueando uma sobrancelha e a olhando confuso.
         - Lá no orfanato eu vivia brincando. - Observou.
    O mais velho não conseguiu segurar o sorriso malicioso que escapou por entre os lábios. Ele puxou a menina para seu colo fazendo com que ela colocasse uma perna de cada lado.
         - Você quer brincar? - Sussurrou em seu ouvido vendo os pelos da menina se eriçarem.
         - Quero sim, mas do que? 
         - Tem uma brincadeira, que eu sei que você vai gostar. - Falou olhando para ela de modo malicioso. 
          - Pode me ensinar? - Maddison perguntou de um jeito inocente.
   As mãos do loiro passearam por seus braços. Ele depositou um em sua coxa e a apertou de leve.
         - Claro que posso. - Sussurrou sensualmente e mordeu o lóbulo de sua orelha.
   Nathaniel posou a mão na coxa interna da menina bem perto de sua intimidade. A outra mão se encontrava apertando fortemente sua cintura.
         - Mas essa brincadeira tem regras. - Nathaniel de pronunciou de modo sério. - A primeira regra é que você não pode contar para ninguém, nem para os pais, nem para os amigos. 
   A menina estava confusa, não sabia o porque do mais velho estar tão sério enquanto falava as regras afinal era apenas um brincadeira.
        - A segunda regra é que se você não quiser fazer é só me pedir para parar, você não é obrigada a nada. - Falou distribuindo beijos em seu pescoço.
   Essa afirmação deixou a marquesa garota com um pouco de receio e até medo. Mas ela sabia que Nathaniel não era capaz de machuca-lá.
   As mãos do mais velho a trouxeram mais para perto dele e ela sentiu algo duro em meio às suas pernas. As mãos do menino percorriam todo o seu corpo, explorando cada canto, como ele queria fazer desde a vez em que a viu pela primeira vez em sua casa.
         - E a terceira regra é: Apenas evite gritar, não queremos que os outros nos ouçam.   

 

 

 

 


Notas Finais


Comentem o que vocês acharam, aceito críticas construtivas.
Até o próximo.
<3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...