História Innocent Hybrid - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Cio, Hoseok, Jikook, Jimin, Jimin Híbrido, Jungkook, Kookmin, Namjin, Namjoon, Seokjin, Taehyung, Taehyung Híbrido, Taeyoonseok, Vhope, Yoongi, Yoongi Híbrido, Yoonseok
Exibições 840
Palavras 2.061
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


VOLTEI

Capítulo 2 - Innocent Hybrid - Part II


Fanfic / Fanfiction Innocent Hybrid - Capítulo 2 - Innocent Hybrid - Part II

- O J-Jimin precisa d-do Jungkookie – Repetiu.

Desliguei o celular sem nem me importar em me despedir do hyung, apenas retirei minhas roupas, ficando só de boxer. Entrei para debaixo do chuveiro com ele e sorri fraco, na intenção de acalma-lo.

- Jiminie, eu vou te ensinar uma coisa para que a dor passe, ok? – Ele assente rapidamente, enxugando os olhinhos delicadamente.

Sorri e beijei-lhe o rosto, ouvindo um gemido baixo em troca. O coloquei de costas para mim, colando meu tronco em sua coluna, peguei uma de suas mãozinhas gordinhas e a levei até seu membro. Ele arfou baixo com o contado, mas não soltou. Apertei sua mão em sua volta, ouvindo um arfar um pouco mais alto, e movi a mesma para cima e para baixo lentamente. Fui distribuindo beijos por todo seu pescoço enquanto movia sua mão um pouco mais rápido.

- J-Jung K-Kookie hmm

Ele gemia baixinho, apoiando sua cabeça em meu ombro. Soltei sua mão e deixei que ele se tocasse sozinho, continuando com os beijos em sua pele. Acabei por deixar algumas marcas avermelhadas pelo caminho, descendo por sua coluna, até seu rabinho molhado. Massageei a base do rabo enquanto ele se tocava.

- Meoow – Miou alto e fino, assim que toquei seu rabinho. Continuei acariciando ali, ouvindo miados e gemidos altos.

- Então o gatinho é sensível aqui, huh? – Sussurrei, vendo seu rabinho arrepiado balançar de um lado para o outro.

Puxei seu quadril para trás, beijei e mordi cada uma de suas nádegas, recendo uma rebolada no rosto em troca. Sorri e me afastei, pegando sua outra mão e a levando até seu orifício.

- J-Jungkook ahhh meown – Gemeu alto ao atingir seu orgasmo.

Jimin desabou para cima de mim, que estava ajoelhado atrás do mesmo. O segurei e sentei com ele entre minhas pernas, me apoiando na parede.

Alguns minutos depois, o baixinho voltou a se remexer, miar e gemer baixinho. Senti mais de sua lubrificação escorrer e notei seu pênis dando novos sinais de vida, assim como o meu que já estava latejando.

Nunca pensei que me excitaria tanto com meu próprio híbrido.

- H-Hyung, está d-doendo de n-novo.

- E-Eu vou ensinar outra coisa para você, tudo bem? – Ele assente. – Você p-pode fazer o que te ensinei antes enquanto isso? – Assente novamente.

Sua mão direita deslizou até seu membro ereto enquanto eu pegava sua outra. Dobrei suas pernas e as deixei bem abertas, inclinando as costas do mais baixo para mim. Levei seus dedos até sua entrada lubrificada, rodeando o orifício com seu indicador, ouvindo o gatinho ofegar, logo pedi para que ele forçasse um dedo, e assim o fez, soltando um miado fino de desconforto. Após um tempo, pedi para que ele introduzisse o segundo, e ele fez com uma careta fofa de incômodo. Quando notei que Jimin já estava acostumado, disse para ele os mexesse dentro de si.

Sentia meu membro pulsar dentro da boxer vendo meu hibrido se masturbar e gemer meu nome.

Jimin já movia rapidamente seus dedos e sua mão, ofegava e rebolava. Soltava miados finos e gemidos cada vez mais altos, indicando seu segundo orgasmo próximo. Levei uma mão até seu íntimo, substituindo a sua, o movendo tão rápido quanto seus dedos, vendo suas pernas tremerem e suas unhas cravarem em minha coxa. Voltei a distribuir beijos por todo seu pescoço, mordiscando sua orelha vez ou outra e vendo seus pelinhos se eriçarem.

- H-Hyuuuung yaah! – Gemeu alto ao sujar minha mão com seu esperma.

Respirou fundo e fechou os olhos. Limpei minha mão na água do chuveiro e o olhei. Eu estava torcendo para que isso tivesse resolvido e eu não fosse praticamente obrigado a tirar toda a inocência do meu gatinho.

Minutos depois, notei que o gatinho havia pegado no sono, então desliguei o chuveiro e o peguei no colo, o levando até nosso quarto. Sim, nós passamos a dividir a cama, já que não tinha dinheiro para comprar outra e nem aguentava mais dormir no sofá.

O coloquei na cama, vesti uma boxer nova em si e voltei ao banheiro, não queria dormir duro e dolorido. Após gozar gemendo o nome do meu gatinho, tomei um banho rápido, vesti uma cueca e me deitei ao lado do outro.

Acordei algumas horas depois com um peso sobre o meu quadril, sentia algo completamente duro roçando em meu membro. Abri os olhos lentamente, tendo a visão de um Jimin se esfregando em mim enquanto gemia meu nome baixinho.

Eu ainda estava sonhando?

- H-Hyung, eu p-preciso de v-você – choramingou – f-faz alguma c-coisa, está doendo de n-novo myaaah

Merda.

Inconscientemente levei minhas mãos à sua cintura quando o menor começou a rebolar sobre mim. Ele gemia baixinho pelo contato e eu arfava ao sentir uma fisgada atrás da outra em meu baixo-ventre. Inverti nossas posições, o deitando na cama e ficando entre suas pernas.

Retirei sua última peça e vi o lubrificante natural escorrendo de seu orifício, seu pênis estava completamente ereto, com algumas veias saltadas. Posicionei minha mão em seu falo e a movimentei, nem muito rápido nem muito devagar, ouvindo gemidos finos escaparem de sua garganta.

Abaixei minha cabeça e dei uma lambida em sua glande rosada, sentindo seu gosto doce. Seus olhinhos se arregalaram e um gemido alto de surpresa saiu de sua boca. Sorri com sua reação e suguei a cabeça de seu membro, me afastando com um estalo.

- O q-que o J-Jungkookie vai f-fazer? O dodói v-vai passar? – Perguntou com um biquinho nos lábios.

Fechei os olhos com força e suspirei alto. Eu estava tirando a inocência de um gatinho, praticamente uma criança. Mas eu sei que se eu não o fizesse, sua dor não passaria.

- O hyung vai fazer a dor passar, Jiminie. – Respondi dando-lhe um selinho.

Antes de voltar a me abaixar eu percebi que estava prestes a fazer aquilo sem ao menos o beijar, então selei meus lábios nos seus novamente. Mordi seu inferior, tendo a passagem para explorar sua boca. O outro rapidamente passou a explorar a minha, entrelaçando nossas línguas.

Ele já tinha feito isso.

Ao nos separarmos do beijo molhado e afoito com leves selares, beijei seu maxilar, pescoço e clavícula, deixando algumas mordidas no caminho. Desci com os beijos até seu pênis, o abocanhando logo em seguida.

- Myaaaaah – Miou e gemeu alto, colocando as mãozinhas gordinhas em meus fios castanhos.

Fiz movimentos rápidos, rodeando a língua em sua volta, lambendo as veias saltadas, chupando aquela pequena extensão enquanto massageava seus testículos rosadinhos.

- J-Jungkookiee!! – Gemeu ao se desmanchar em minha boca.

Engoli cada gota de seu esperma e sorri, olhando para sua expressão de prazer. Seus olhinhos estavam semicerrados, a boca entreaberta a procura de ar, bochechas coradas, seus fios acinzentados colados na testa e algumas marquinhas arroxeadas ao longo do corpo.

- Kookie hyung, o que é aquilo que sai do meu pipi? – Perguntou com uma carinha confusa e curiosa.

- É, hã - o que eu falaria, meu Deus? – É-É leitinho, bebê! – Sorri amarelo.

- Leitinho? – Perguntou franzindo o cenho.

- Sim, leitinho. – Assenti rapidamente. – A dor já passou? – Mudei de assunto.

Como se aquilo fosse um lembrete que a dor estava presente em seu pequeno corpo, seu rostinho se contorceu e ele choramingou. Dei-lhe um beijinho na testa, no nariz e finalmente nos lábios, dando início a um beijo carinhoso, tentando lhe transmitir calma.

Nos separamos por falta de ar e acariciei suas bochechas coradas. Tirei minha boxer que já estava sufocando minha ereção dolorida e o segurei pelas coxas, colocando-o em meu colo e me sentando na cama. Tirei seus fios do rosto e beijei-lhe as maçãs do rosto.

- O hyung v-vai fazer uma outra coisa para a dor passar, tudo bem? – Ele assente, roçando seu membro ereto no meu e gemendo baixinho. – Uhn p-pode doer mais um p-pouco, mas aí a dorzinha v-vai passar, eu prometo hmm – Afirmei entre gemidos, minha glande inchada encostava na sua, causando um atrito delicioso.

Peguei uma camisinha na gaveta ao lado na cama e o levantei no meu colo, vestindo a mesma em minha extensão. Posicionei minha glande em seu buraquinho e desci o menor em meu colo lentamente. Jimin cravou as unhas em meus ombros e eu apertava sua cintura, enquanto gemíamos baixinho. Algumas lágrimas escaparam de seus olhos, mas logo enxuguei cada uma delas dizendo que a dor já passaria.

Suas paredes anais me apertavam naquele espaço quente, me arrancado arfares e gemidos. Quando ele sentou por completo, esperou um pouco e começou a se remexer e rebolar sobre meu membro. Não iria o machucar, queria que ele fizesse isso do jeito que ele quisesse. Após algumas reboladas, o menor passou a subir e descer, como se estivesse cavalgando.

Jimin arfava e gemia baixinho em meu ouvido a cada cavalgada que dava, indo fundo dentro de si. Levei uma de minhas mãos até seu rabinho, acariciando onde era sensível.

- J-Jungkookie myahhh – o baixinho gemeu e rebolou mais forte, querendo mais contato.

Sorri e delicadamente o deitei de volta a cama, ficando entre suas pernas torneadas, deixando-as bem abertas para mim. Peguei uma de suas mãozinhas e entrelacei com a minha, as levando para cima de sua cabeça, enquanto continuava com as carícias na base de seu rabinho felpudo com a outra. Jimin segura meus fios da nuca com a outra mão e sela seus lábios aos meus antes de se remexer, pedindo por alívio.

- M-Mais rápido, J-Jungkookie

Obedeci seus pedidos, estocando com força e rapidez. Sua entradinha molhada me apertava cada vez mais, dando-me um prazer inimaginável. Ainda acariciava seu rabinho que se enrolava em minha perna direita, todo arrepiado.

- A-Ahh Jiminiee, t-tão apertadinho hmm

Gemia rouco em seu ouvido, vendo seus pelinhos de eriçarem. As estocadas ficavam cada vez mais fortes, rápidas e fundas, seus dedos apertavam os meus junto ao seu orifício que se contraia em volta do meu membro.

- Ahhh Jungkookieeee M-Meoooow - Jimin gemeu alto quando sua próstata foi pressionada por minha glande inchada.

Comecei a mirar e acertar somente aquele lugar, para proporcionar um prazer maior ao meu gatinho. O penetrava tão forte que a cama se movia junto a cada investida, meus testículos batiam em suas nádegas e o corpo do menor ia para cima com o impulso.

Tirei minha mão de seu rabinho cinza, recebendo um gemido descontente em troca, e a levei até seu pênis, começando uma masturbação lenta – ao contrário da penetração. Jimin começou a gemer e miar mais alto, praticamente soluçando de prazer. Eu não estava muito diferente, meus gemidos roucos e arrastados também estavam altos.

- J-Jungkookie h-hyung meooww – Gemeu ao atingir seu orgasmo, sujando nosso abdômen e minha mão com seu sêmen. Meu pequeno contraiu sua entrada com mais força, causando um aperto maior em meu baixo-ventre.

- Jiminie aaaahhhh – Gemi rouco e arrastado em seu ouvido enquanto gozava dentro da camisinha.

Acabei me deitando por cima do menor até regularizar a respiração, sentindo seus dedinhos gordinhos fazerem carinho em meus cabelos e minha costa. Sorri e me separei minimamente, dando-lhe um beijo nos lábios já inchados. Me retirei de seu interior, com um resmungo do outro, e tirei a camisinha. Fui até o banheiro, dando um nó no preservativo e o jogando no lixo, logo voltando até o quarto.

Limpei o corpo de Jimin e o meu com uma toalha e me deitei ao lado do pequeno, beijando suas bochechas rosadas. O gatinho sorriu e me abraçou, afundando seu rosto em meu pescoço. Afaguei seus cabelos e fiz carinho em suas orelhinhas, ouvindo seu ronronar fofo.

- A dor passou, bebê? – Perguntei preocupado. Ele assente e sorri, formando dois riscos adoráveis em seus olhos.

O abracei mais apertado, trazendo seu corpo para cima do meu, sem malícia alguma, com uma perna de cada lado do meu quadril. Ele ainda ronronava por causa do afago nas orelhinhas felinas, inclinando a cabeça em minha mão.

- Jungkookie hyung – me chamou

- Diga, meu amor.

- Jimin pode perguntar uma coisinha? – Perguntou com um semblante fofo. Sorri e assenti para que ele continuasse. – O hyung também tem leitinho que nem o Jimin?

Arregalei os olhos ao entender sua pergunta. Engoli seco e assenti devagar, logo Jimin se afastou de minha pele e dos afagos, me olhando nos olhos com um sorriso inocente no rosto.

- Jimin quer leitinho do Jungkookie!

Merda.


Notas Finais


E aí?
Obrigado pelos favoritos e comentários, me desculpem a demora e
Para quem não sabe, comecei uma fanfic sábado (que terá atualizações praticamente todos os dias por TER que terminar até o final do final) e tenho uma que já está no final, ambas Jikook, quem quiser ler aqui estão os links:

DIA DO PRAZER
https://spiritfanfics.com/historia/dia-do-prazer-6876641

LISTA DE COISAS PARA FAZER PELA PRIMEIRA VEZ
https://spiritfanfics.com/historia/lista-de-coisas-para-fazer-pela-primeira-vez-7147268

espero que tenham gostado essa twoshot <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...