História Inocência. - Capítulo 3


Escrita por: ¢

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook
Visualizações 652
Palavras 12.574
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hoy, amores...
Finalmente cheguei com o terceiro e último capítulo de Inocência.
Gostaria de agradecer todo o amor que deram à essa história, foi fantástico o feedback que recebi nos dois capítulos anteriores e da primeira vez que postei a fic.

[NÃO CORRIGI NADA DO CAPÍTULO, ENTÃO PROVAVELMENTE ESTARÁ CHEIO DE ERROS, AMANHÃ CORRIJO]
Nos vemos nas notas finais, amores.

Capítulo 3 - Chance.


As terças-feiras seguintes passam em rápida sucessão.

No exato dia subsequente ao da lua cheia após o acidente com Jungkook, Jiho rompe com você. Ele simplesmente vai até sua mesa na manhã seguinte e diz que vocês deviam terminar. É tão contundente que você quase se sente ofendida. Como se os últimos meses não tivessem existido. Mas por algum motivo estranho, você não consegue sentir um pingo de indignação e aceita com um simples aceno de cabeça. E quando Jiho se afasta violentamente, estranhamente furioso, você percebe que ele estava esperando um pedido de desculpas ou que implorasse para ficarem juntos. Que sua reação não era o que ele esperava.

E é quando você percebe que precisa desesperadamente de uma mudança de cenário. Então, após o experiente, você vai ao escritório de sua chefe e implora por uma transferência. De início, ela hesita, totalmente atônita pelo fato de que alguém gostaria de retornar a Busan após obter uma posição de alto escalão em Seoul. Mas ela não tem outra escolha além de conceder seu pedido, principalmente quando você conta sua história dolorosa sobre seus parentes estarem doentes.

Então, quase uma década após a sua mudança para a cidade grande; quando ainda era uma adolescente ingênua, você se encontra voltando para sua cidade natal. 

Seus pais estão completamente confusos quando, naquele final de semana encontram à porta sua filha adulta e crescida com apenas uma mala na mão. De cara, eles ficam preocupados, mas quando começam a juntar as peças com os detalhes de sua separação, decidem não fazer mais perguntas. Seu pai murmura em uma voz baixa sobre sua reação exagerada conforme lhe guia em direção à seu antigo quarto, mas é claro que ele não tem conhecimento do papel de Jungkook na separação. E você não o corrige.

Os telefonemas e textos do menino lobo diminuem a frequência com o passar do tempo, mas nunca cessam inteiramente. Ele ainda tem as terças-feiras, afinal de contas. Mas com o tempo, você também aprende a excluir as mensagens sem ler seu conteúdo.

Você já sabe que ele a ama. Você é lembrada todas as vezes que se olha no espelho e vê essa cicatriz horrível na base de seu pescoço.

–––––––

Vinte e cinco terças depois, você chega em casa após um dia de trabalho e encontra sua mãe do lado de fora, cuidando da pequena plantação de vegetais no quintal. Você corre rapidamente para o andar de cima e se troca, parando brevemente para cumprimentar seu pai na cozinha, antes de correr porta a fora para se juntar a ela.

É agosto, e até mesmo no final da tarde, o sol aquece sua pele nua. Então você pega um chapéu de jardinagem com alças grandes do lado de fora do galpão e se junta a sua mãe no jardim.

Ela sorri ao te ver, "Como foi seu dia, querida?"

Você encolhe os ombros, mais interessada nas fileiras de plantações de abóbora, "Tudo bem. Aborrecedor como de costume."

"A unidade de Busan é muito pequena, né?"

"Sim... Eles não tem trabalho pra mim. Trabalho por uma hora, depois navego na internet pelo resto do dia... Esse trabalho é uma piada."

"Parece que seu trabalho em Seoul era gratificante," sua mãe comenta com atenção quando tira uma erva do solo.

Você rola os olhos em brincadeira, "Ah, mãe... Não começa..."

"Seu pai e eu simplesmente não conseguimos entender por que você desistiu de um trabalho tão bom."

"Eu não desisti," você a corrige, "Ainda estará esperando por mim quando eu voltar."

"Tudo bem... Simplesmente não me parece do seu feitio fazer isso por conta de um homem. Nós pensamos que você fosse mais forte que isso."

Você pausa no processo de examinar uma planta verde frondosa, ferida com o comentário da mulher mais velha, "Se vocês me querem fora daqui, eu saio. Irei atrás de um apartamento amanhã de manhã."

"Ah, não faça isso, docinho. Claro que você é muito bem vinda para ficar pelo tempo que quiser. É bom ter você de volta... Nós simplesmente não gostamos das razões pelas quais você está de volta."

Você não tem resposta para isso. Sua mãe está certa. Se esconder de um homem após uma separação... é um ato covarde. Não é algo normal vindo de você.

Mas nesse momento, seu celular toca, alertando você de um telefonema. Você olha o nome de Jungkook piscando na tela e rejeita a ligação sem hesitar. E aqui está a verdadeira razão pela qual você veio se esconder em Busan.

"Você não deveria atender essa ligação?" Sua mãe pergunta, confusa com sua resposta brusca.

"Não. Está tudo bem."

"Quem era?"

"Ninguém importante."

"Quem?"

"...Jungkook," você finalmente admite.

"Ah, Jeon Jungkookie?" A mulher mais velha repete, todo seu rosto iluminando-se com o prazer de mencionar o nome dele, "Aish, eu devia ter ido almoçar com a mãe dele semana passada, mas não pude! Como está o garoto?"

Você estremece com a menção do menino lobo, "Ele... ele está bem."

"Eu não o vejo a meses!" Sua mãe exclama, inconsciente de sua angústia, "Talvez eu devesse convidá-lo para passar o final de semana aqui."

"Mãe," Você choraminga, "Não é uma boa ideia."

Ela arqueia uma sobrancelha para você, "O que há de errado? Vocês eram inseparáveis quando crianças! Aconteceu alguma coisa?"

"Não. Longe disso," você mente rapidamente.

"Então, o que é? É o fato de vocês serem adultos agora? Você não quer arruinar sua reputação com possíveis pretendentes por passar tanto tempo com um jovem tão bonito, né?" Ela provoca.

"Mãe!"

"Não se preocupe, eu tenho uma solução fácil pra você," ela continua, indiferente, "Apenas case com ele! Você salvará sua reputação e o fará feliz de uma vez só!"

Seu estômago se contorce. Ela está apenas brincando... mas suas palavras são surpreendentemente perspicazes, "Pare com isso," você murmura, deixando o olhar fixado em uma erva dente-de-leão, "Nós somos apenas amigos."

"Claro que são," sua mãe ri, mas seu olhar a interrompe, "Ok, ok. Parei de te provocar, docinho. Embora você realmente devesse convidar Jungkook para uma visita."

"Você não diz nada, voltando sua atenção para a remoção de vegetais.

No entanto, nesse momento, seu pai quebra o breve momento de paz, colocando a cabeça para fora da porta e gritando, "O que vocês estão falando sobre meu futuro genro!?" 

Você geme e enterra seu rosto em suas mãos.

–––––––

Na vigésima sexta terça-feira, você recebe um buquê de rosas de Jungkook. Você apressadamente retira o cartão e as deixa na frente da casa do seu vizinho antes que seus pais percebam. Na vigésima sétima, você recebe um ursinho de pelúcia que vai direto para a caixa de doação de brinquedos do trabalho. E assim continua até a trigésima terça-feira, quando seus pais interceptam milagrosamente a cesta de frutas que chega algumas horas mais tarde.

Você atravessa a porta da frente para encontrar os dois saboreando duas peras frescas na cozinha, e seu coração cai. "Mãe!" você exclama em horror, "Pai! Onde vocês conseguiram isso!?"

"Jungkook as enviou," explica seu pai enquanto coloca uma uva na boca, "Que garoto atencioso."

"Sim, você mentiu para nós, filha!" Sua mãe se queixa, "Eu sabia que vocês estavam namorando! Por que você não admite?"

"Nós não estamos!" Você grita, apressando-se para pegar a elaborada cesta do balcão, "Parem de comer isso!"

"Ah, não seja egoísta e compartilhe com seus pobres pais," seu pai reclama em voz alta, "Jungkook gostaria de saber que seus sogros comeram bem."

"Parem de dizer isso!" Seus ouvidos ficam vermelhos neste momento, e você bate ambas as mãos sobre eles com vergonha, "Nós não estamos namorando e nós nunca iremos namorar."

"Por que não?" Sua mãe lamenta, "É óbvio que ele gosta de você. E ele é um partido perfeito, bonito, trabalhado, de boa família. O que mais você poderia pedir?"

"Namorem logo," seu pai acrescenta, apressadamente puxando de volta a cesta de frutas para que ele possa empurrar outra uva na boca, "Você está chegando naquela idade, afinal de contas."

"Sim. E não é como se você pudesse encontrar algo melhor."

Seu coração afunda em seu estômago, "O-o quê?"

Sua mãe simplesmente revira os olhos, "Estou surpresa que Jungkookie ainda goste de você. Ele é tão bonito e bem sucedido, e você é tão..." Ela limpa a garganta alto, "Você deveria apenas se jogar nessa oportunidade antes que ele mude de ideia."

Ela não está falando sério. Você sabe disso. Sua mãe tem uma maneira cáustica de falar coisas que ela não quer realmente dizer. Mas você não pode evitar a dor de explodir em todo o seu sistema como um soco no intestino. Você engole firmemente e agita sua cabeça. "N-não. É mais complicado que isso, mãe."

Mas ela resmunga, "Não vejo porque vocês, jovens, precisam tornar as coisas tão dramáticas. Você está muito velha para jogar esse jogo. Pare de brincar e aceite Jungkook de uma vez. Você está machucando os sentimentos dele."

Você morde seu lábio inferior, "É só para isso que sua filha serve?"

Seus pais olham, surpresos que você ousou retrucar, "O que você disse?"

Você abaixa seu olhar para o chão, "Eu apenas... Eu não acho que você faria isso se eu fosse um homem."

Eles se aproximam de você com as mandíbulas caídas no chão, incapazes de processar essa explosão inesperada vinda da sua parte, mas até aí, você já se afastou.

–––––––

Mais tarde naquela noite, a culpa preenche seu estômago enquanto você se lembra do surto imaturo. Como você pode reagir dessa maneira, com essa idade? Você já não é mais uma criança, é uma mulher crescida e madura. Você deveria ter mantido seus pensamentos para si mesma e concordado com aquilo que seus pais diziam, mesmo que estivessem errados.

Mas eles não estavam exatamente errados. Você tem fortes sentimentos por Jungkook. Esses sentimentos nem sempre foram românticos, mas eles sempre estiveram lá. Não há dúvidas disso. Então o que está te segurando?

Você não consegue expressar em palavras, mas há algo te segurando, revirando seu estômago só de pensar em ter um relacionamento com o garoto lobo. Você sempre pensou que era porque tinha medo de arruinar sua amizade com seu melhor amigo. Os relacionamentos nunca durame você se recusa a arruinar a unica coisa boa na sua vida com sentimentos bagunçados. Mas, seria capaz de você ter acabado de mentir para si mesma?

Sua mãe está errada, pelo menos. Você tem certeza. Não há absolutamente nada de errado em se divertir na juventude, e você se ressente de qualquer indício de vergonha, mas essa não é a razão pela qual você rejeitaria Jungkook. É muito insignificante para alguém que você gosta como sua segunda metade.

Então, por que você está fugindo dele? Do que você tem medo? Você se revira na cama e puxa as cobertas sobre suas cabeça, como se estivesse se escondendo de seus pensamentos dolorosos.

–––––––

Na trigésima sétima terça-feira, você encontra sua resiliência rapidamente se derretendo. Sua mãe pediu para que você limpasse seu armário para poder alocar suas roupas, mas depois de vasculhar suas coisas antigas por algumas horas, você tropeça em uma caixa de bugigangas da escola primária. E não está surpresa ao descobrir que a maior parte são itens guardados de tempos passados com Jungkook.

Existem inúmeros cartões de aniversário, talões de bilhetes e pequenos pedaços de jóias baratas que não resistiram à prova do tempo. Um ursinho de pelúcia que Jungkook ganhou para você na feira da sétima série. A mão gosmenta e pegajosa que Jungkook costumava usar para te atormentar na quarta série. O porta-copos impresso com o logotipo do bar onde vocês dois tiveram seu primeiro porre quando você ficou de maior. Existem tantas lembranças compartilhadas por vocês dois que você não pode desenredá-lo de seu passado. Vocês dois eram inseparáveis, como duas metades do mesmo conjunto.

Passaram meses desde que você falou com ele pela última vez. Meses. No passado, você teria sorte de suportar o tratamento silencioso por mais de um dia... você sente falta dele.

Você se sente vazia sem ele em sua vida, como se faltasse seu coração dentro da caixa torácica. 

Você ainda não tem certeza de como se sente sobre ele e toda a situação de companheira, mas uma coisa está clara e é o fato de você não poder e querer viver sem ele. Você precisa ir para Seoul.

––––––––

Você se encontra parada do lado de fora do apartamento de Jungkook na trigésima oitava terça-feira, mão pronta para bater contra a porta, então ovcê congela. Seu coração está batendo com tanta força que você tem medo que ele possa ouvi-la mesmo através das paredes espessas. O suor se forma em suas têmporas e sob seu nariz, e seus joelhos não param de balanças. Você está tão nervosa que poderia morrer.

Sua mão treme como uma folha no vento, mas de alguma forma, você coleta a coragem necessária para baixar o punho na madeira. É uma batida suave, quase que inaudível até para seus ouvidos, mas você sabe que seus sentidos afiados de lobo captariam aquilo facilmente. Lutando para engolir o nó em sua gargante, você dá um passo para trás e espera.

Não mais do que trinta segundos passados, mais parecidos com uma vida, antes da porta ser aberta. E então você se depara com Jeon Jungkook pela primeira vez em mais de quatro meses.

Os cabelos dele estão mais longos do que você pode se lembrar, bagunçados e com alguns fios caídos por seus olhos, e ele não está tão bem barbeado como de costume, a barba por fazer corre do fundo de seu rosto para o pescoço, mas a pessoa por trás de tudo isso ainda é a mesma. E os olhos castanhos afiados se fixam tão intensamente que você não pode evitar, mas desviar seu olhar.

Seu olhar corre pela roupa simples do rapaz, composta por moletons e uma camiseta solta, tentando coletar seus pensamento enquanto o silêncio tenso se arrasta. Mas a roupa familiar lhe remete a fatídica noite de fevereiro, quando tudo mudou e você não foi capaz de respirar com alívio mais uma vez.

Você não sabe quanto tempo já está do lado de fora, tremendo, mas quando uma rajada de vento particularmente viciosa ameaça te derrubar, Jungkook rapidamente reage, "Entre."

Um arrepio percorre o comprimento de sua espinha ao som de sua voz após tanto tempo. Você acena com a cabeça e segue para dentro. Jungkook para você na sala de estar e gesticula para se sentar.

"Você gostaria de beber alguma coisa?" Ele pergunta, mas a qualidade apressada de sua voz revela que é apenas por cortesia. Ele é muito impaciente para isso.

Você nervosamente agita sua cabeça, "Não, estou bem."

Jungkook acena com a cabeça e não diz nada por um momento, seus dentes afundando profundamente em seu lábio inferior. Você tenta olhar para frente para evitar a intensidade de seu olhar, mas não pode deixar de notar a forma como as mãos do garoto se contraem em seu colo. Ele não disse nada além de formalidade, mas você pode dizer que ele está morrendo de vontade de tocá-la. Mesmo após todo esse tempo, é evidente que seus sentimentos não mudaram nem um pouco.

"V-você," sua voz se quebra e ele tem de limpar a garganta antes de tentar novamente, "Você recebeu meus presentes?"

Você acena com a cabeça de forma incômoda, "Sim... eles foram bons, mas muito desnecessários."

"Entendo... Estou feliz que tenha gostado deles."

Você pode sentir a excitação irradiando para fora dele de onde ele se senta ao seu lado no sofá. Você pode ouvir sua respiração áspera e o tremor inquieto de suas pernas. Ele está praticamente vibrando. De repente, você é trazida de volta para esses três longos dias, quando ele foi acorrentado da cabeça aos pés no mesmo quanto, a poucos metros de onde você está sentada. A maneira como ele olhou para você, lutando contra suas amarras e implorando por alívio... O jeito como ele emanou a mais pura necessidade e desejo. É a mesma energia que você está sentindo agora.

É contagiante. Você se sente com a cabeça leve e turva, como se algodão preenche seu crânio. Você não quer nada além de tocá-lo, passar os dedos por seus cabelos longos e raspar suas unhas contra a barba por fazer. Você quer muito beijá-lo. Mas você sabe e é muito mais que apenas o desejo de pular na cama com ele. Isso é o que os colocou nessa situação.

"Nós precisamos conversar."

Ele gananciosamente move sua cabeça para cima e para baixo de acordo, "Sim," ele respira, "precisamos."

Você morde seu lábio inferior enquanto examina com cautela suas próximas palavras. Toda essa situação é incrivelmente intensa e embaraçosa. Leva uma quantidade considerável de tempo para reunir a coragem para proferir as próximas palavras. Mas, finalmente—

"Eu senti sua falta."

Ele suspira, e, como uma barragem que explode, suas emoções vêm inundando tudo de uma vez, "Também senti sua falta, S/N. Eu senti tanto sua falta, você não faz ideia. Doeu, S/N-ah. Doía tanto estar longe de você." Ele avança para abraçá-la, mas você se assusta com a ação repentina e se afasta, então ele agarra sua mão com suas duas e pressiona ardentemente sues lábios contra a palma de sua mão.

"Ah, Jungkook, eu—"

"Mas está tudo bem," ele interrompe com pressa, "Eu te perdoo. Embora estivesse com tanta dor que pensei que poderia morrer, eu te perdoo. Pelo menos agora você chegou ao seu senso," ele diz, avançando novamente.

"Espere, o quê?" Você exclama, levantando os braços para proteger o rosto quando finalmente lhe ocorre que ele continua tentando beijá-la.

Jungkook geme em protesto e aperta pouco mais sua mão, "Eu te amo," ele exclama, declarando como um homem que se afoga engasgando com o ar, "Eu te amo, eu te amo, eu te amo."

Ouvir essas palavras em pessoa depois de tanto tempo faz com que seu coração se contorcer. Você olha fixamente para o modo como a mão do garoto se agarra a sua, tão forte que os nódulos ficam brancos. Mas seu aperto é muito apertado e você se sente sufocado.

"E agora você finalmente é minha," ele sussurra antes de voltar a avançar.

Você cai contra o sofá em surpresa, empurrando uma mão contra sua boca apenas a tempo de afastar seus beijos injustificados, "Pare, Jungkook!", Você chora, deitada de lado contra as almofadas e torcendo a cabeça para o lado.

Ele fica imóvel com isso, perplexo com sua reação, "O que há de errado, querida?", Ele geme, pressionando a boca contra a parte de trás de sua mão, "Eu senti tanto a sua falta. Você não tem ideia do quanto dói estar longe de você. Mas está tudo bem. Porque você finalmente veio até mim."

"Espere, Jungkook, acho que você está entendendo errado!" Você exclama, arrancando sua mão de seu aperto e lutando no sofá para ganhar uma distância tão necessária entre vocês dois.

Ele faz uma pausa para encará-la, "S/N... Não faça isso... Apenas admita que você também me ama."

"Mas eu..." você nervosamente torce as mãos no seu colo, "eu não tenho certeza se eu..."

Seus olhar se escurece, "Você entende o que fez comigo? O que eu passei neeses quatro malditos meses?"

Você engole com força, aterrorizada com a escuridão de seu olhar, "J-jungkook—"

"Eu senti como se eu fosse morrer, S/N. Tudo porque você foi muito teimosa para admitir seus sentimentos," ele rosna, os olhos brilhando em vermelho neste momento. Por um momento, você teme que ele possa se transformar, "Sério, cresça e pare com essa besteira."

Parece uma bofetada no rosto. Você teve uma cota justa de argumentos com o Jungkook ao longo dos anos, mas nada assim. Ele nunca foi tão cruel com você. "Jungkook, eu não estou mentindo, eu juro. Eu realmente não sei como me sinto."

Seus olhos se estreitam às fendas: "Você é minha companheira," ele grunhe, enunciando cada palavra com tanta fúria que o medo corre por sua espinha, "Você pertence a mim. Agora pare de agir como uma puta e aceite isso."

Tudo fica silencioso na sala por um longo segundo. Tão quieto que você pode ouvir o sangue correndo em seus ouvidos.

"O quê?"

Toda a ira de Jungkook se dissipa de uma vez, como a deflação de um balão, "Eu... não quis dizer isso, S/N."

Mas é muito tarde. "Então eu sou uma puta, hm? Só porque eu rejeitei sua bunda?"

O rosto do garoto perde toda a cor, "Não, isso não é..."

Você o interrompe com um resmungo de escárnio, "Eu acho que qualquer mulher que rejeita um homem é uma puta então, né? Porque somos apenas objetos para vocês possuirem?"

Ele parece irritado com as suas palavras: "Vamos, S/N", ele murmura, "Você sabe que não é o que eu quis dizer."

"Então, o que você quer dizer?" Você retruca em um tom irônico, "Eu não pertenço a você, então? Posso escolher não ser sua companheira?"

Ele hesita com isso, "Bem, não, mas—"

"Então eu não tenho escolha nessa situação? Sem liberdade?" Você gargalha sem humor à medida que se ergue com toda a altura, "eu sou apenas sua escrava sexual agora?"

"S/N, você não entende," ele diz, irritado, "Sim, você é minha companheira, mas não vou forçá-lo a nada. Você também me quer. Eu sei que você quer."

Você fixa seu olhar nos do garoto, considerando-o por um longo tempo. O silêncio se prolonga continuamente até que todo o oxigênio seja espremido da sala. Finalmente—

"Eu não acho que você entende, Jungkook. Eu. Pertenço. A. Ninguém."

E com isso, você pisa bruscamente em seu calcanhar para sair da sala.

"Espere!" Jungkook chama depois de você em alarde, "S/N, vamos lá! Apenas espere um segundo!"

Mas você já saiu direto pela a porta sem dar uma segunda olhada.

––––––––

Você passa a trigésima nona terça-feira na cama, escondendo-se sob seus cobertores e chorando enquanto o telefone toca e toca sem parar até você finalmente conseguir a força para se levantar e bloquear o número de Jungkook. Mas então, ele começa a ligar no telefone de sua casa. Quando seus pais chegam em casa naquela noite, eles estão confusos ao encontrá-la coberta de lágrimas com todos os telefones fixos desconectados e jogados em uma pilha aos seus pés.

Mas a quadragésima terça-feira chega, e Jungkook decide tomar a iniciativa de aparecer em sua casa. Depois de um longo dia de trabalho, você atravessa a porta da frente para encontrá-lo sentado no sofá com seus pais. Eles estão tão absorvidos em sua conversa, sua mãe muito ocupada rindo com as piadas de Jungkook e apertando seu braço;, que nenhum deles percebe sua presença até você soltar sua mala no chão com um baque alto .

Então, há três pares de olhos em você, dois deles confusos e um amedrontado.

"Oh, S/N, docinho. Aí está você!"

"Olha quem veio nos visitar! O Jungkookie não é melhor?" Seu pai irradia, pousando uma mão pesada no ombro do homem mais novo.

Você não diz nada por um minuto, a raiva fervendo sob a superfície do seu exterior composto enquanto olha o homem mais jovem. Ele pelo menos tem a audácia de parecer culpado quando a olha.

"Jungkook... eu preciso falar com você lá fora."

Ele assente com a cabeça e, instantaneamente, pula em seus pés, "Desculpe Sr. e Sra. S/S Nós vamos botar o papo em dia."

Mas seus pais apenas riem, "Não se preocupe, divirtam-se, crianças loucas."

"Ela não tem toque de recolher!" Sua mãe avisa do sofá, "Traga-a de volta a qualquer hora... Na verdade... não a traga de volta!"

"Pode ficar pra você!" Seu pai acrescenta, e os dois gargalham com suas próprias piadas.

Você se encolhe e rapidamente agarra a manga de Jungkook para que possa arrastá-lo para fora da porta sem perder mais tempo. Assim que a porta da frente se fecha, você gira para encará-lo, "Que diabos, Jeon?"

Ele sorri com ironia com sua explosão, "Eu acho que você não quer jantar então?"

"Pare de brincar, garoto. Por que diabos você está aqui?"

Ele baixa a cabeça para olhar diretamente em seus olhos, "Eu senti sua falta, S/N."

Ele está tão perto que você pode sentir o calor de seu corpo sobrenaturalmente aquecido passando por suas roupas na noite fria e invernal. Você treme e cruza seus braços contra seu peito, recusando-se a permitir que ele a afete, "É tudo o que veio dizer?"

Ele suspira profundamente, decepcionado, mas não exatamente surpreso com sua reação fria, "Eu também queria me desculpar... Não deveria ter te chamado de puta. Isso foi verdadeiramente errado da minha parte e se eu pudesse retirar o que disse, o faria em um piscar de olhos."

Você limpa seus lábios, ligeiramente influenciada por suas sinceras desculpas, mas não totalmente convencida, "Você está perdendo o ponto, Jungkook. Não é com isso que estou realmente chateada."

Ele geme, "Sim, eu sei... Mas são apenas os instintos lobo que me fazem agir dessa maneira, S/N. Você deve acreditar em mim! Toda fibra de minha mente está gritando comigo para possuí-la... para fazer você minha pu—" Ele para no meio da palavra, antes que possa cometer outro erro. O garoto lobo enche-se de vergonha com seu quase-erro, "Quero dizer, eles estão apenas me exortando a reivindicar minha companheira... E eu sei que é primitivo e sexista. Eu sei que não é justo para você..."

Com cada segundo que passa, você se encontra rendendo-se suas palavras. Talvez ele tenha mudado. Talvez ele esteja finalmente entendendo...

"E é por isso que eu quero fazer isso justo entre nós, S/N," ele diz, finalmente reunindo a coragem para pegar sua mão. Você está surpresa com a eletricidade que salta por suas veias com esse simples toque. "Eu te amo, S/N. Se você pertence a mim, então eu também pertenço a você. S/N- ah, você tem que saber que você possui cada parte de mim, corpo e alma, por anos. Eu sou todo seu."

Você recua com a confissão inesperadamente apaixonada, "Jungkook... Não. Não é isso que eu quis dizer. Eu—"

"Eu a marquei", ele diz, movendo a mão com tristeza até seu ombro para acariciar a carne manchada em sua garganta, "E eu entendi agora. É tão injusto... É por isso que você também precisa me marcar."

Seus olhos se abrem em perplexidade, totalmente surpresa, "O que?! Jungkook—"

Mas de repente, ele tira uma pequena faca do bolso, fazendo você pular de volta com um grito de surpresa, "Me marque, S/N," ele implora, pressionando o objeto na palma de sua mão, "Essa lâmina é feita de prata—é a única coisa que poderia obstruir minhas habilidades de cura... Então marque-me, S/N. Me faça seu."

"O quê? Jungkook, esta é uma conversa louca! Eu não vou cortá-lo!" Você exclama, horrorizado apenas com a ideia.

"Por que não?" Ele responde: "É o que eu mereço... Eu machuquei você, S/N," ele diz, deslizando os dedos sobre a cicatriz imutável em seu pescoço, "Por favor marque-me, S/N" ele implora "então todos saberão que eu pertenço a você."

A faca de prata pesa em sua mão. Você olha fixamente o rosto bonito do rapaz, assistindo como sua mandíbula marcada em afirmação e seus olhos castanhos em silêncio imploram para que concorde. Você alcança cuidadosamente a bochecha dele com uma mão. Jungkook reage de uma só vez, pressionando a palma da mão como se estivesse morrendo de fome por contato. Seu peito se contrai com aquela ação simples. Ele é tão bonito que dói.

De alguma forma, de alguma forma , você consegue olhar para ele nos olhos e sussurrar, "Não."

Sua devastação subseqüente é visceral, afundando e perfurando seu ossos. "S/N-ah", ele murmura seu nome, "eu não sei o que você quer de mim... Diga-me o que fazer e eu vou fazer, eu juro!"

O desespero em seu tom faz seu coração doer, "Você está perdendo o ponto", você o informa quietamente, "eu não pertenço a você e você também não me pertence. Eu não quero possuir você. Você é um ser humano para mim, Jungkook. Não é uma merda de posse."

Ele expira com surpresa, seus olhos tão grandes, eles parecem estar à beira de estourar fora de seu crânio, "S/N-ah, eu não quis dizer isso...Eu—"

Você lamentavelmente desliza sua mão de seu aperto, "Eu acho que você deveria ir para casa, Jungkook. É uma longa viagem, afinal de contas."

"Espere, S/N!" Ele diz, correndo atrás de você quando você faz seu caminho de volta para dentro.

Você faz uma pausa na porta e olha-o nos olhos, "Ah, e nunca mais venha aqui sem aviso prévio".

Choque se espalha por todo seu belo rosto, "E-eu não queria—"

Mas você já fechou a porta.

––––––––

Os próximos três meses passam como uma tonelada monótona de cinzas. Jungkook já não liga mais às terças-feiras. Ou se ele faz, você não faz ideia, pois há muito tempo bloqueou seu número em cada dispositivo da casa. Ele pode entrar em contato com você nas redes sociais, mas você não loga para verificar faz meio ano.

Em vez disso, você se envolve totalmente em seu trabalho. Sai da casa todas as manhãs antes que seus pais se levantem e volta somente quando a lua está no alto do céu. Mas nos fins de semana, você não sai da casa e sai do quarto apenas para as refeições. Dentro de semanas, seus pais tomam conhecimento de seu comportamento estranho, mas nenhuma quantidade de insultos ou argumentos leva você a confessar o que está errado. Sua mãe assume que seu coração está partido... E ela não está exatamente errada.

Você está murchando assim, desperdiçando lentamente a sua juventude até a quinquagésima terça-feira desde aquela noite fatídica que virou seu mundo de cabeça para baixo. E então tudo foi para o inferno.

––––––––

Cinquenta terças-feiras mais tarde, você acorda na sua cama no início da madrugada, perplexa com seu coração batendo e o suor escorregando por todo comprimento do seu corpo. Você teve outro pesadelo? O que diabos está acontecendo?

Você torce seus lençóis emaranhados para olhar o relógio e está consternada ao descobrir que são apenas cinco da manhã. Seu alarme não está configurado para tocar por mais duas horas. Que desperdício de sono que você precisa desesperadamente. Com desânimo, você deita de lado com um suspiro profundo. Mas isso traz você na mesma linha de visão que sua mesa de cabeceira... e a lâmina de prata brilhante que se encontra tão inocentemente em cima disso. Sua garganta aperta.

Você não tocou a faca desde que bateu na mesa durante um ataque de raiva depois desse encontro desastroso com Jungkook na sua varanda frontal meses atrás... Você se lembra da maneira como ele olhou para você, o maxilar apertado com dor e olhos queimando enquanto ele silenciosamente implorava que o aceitasse. Você se lembra do bom sentimento da lâmina na mão e da maneira como seus dedos sentiram deslizar contra a marca sensível logo acima de suas clavícula.

De repente, uma explosão de calor explode em sua barriga, fazendo com que você bata automaticamente uma mão na sua virilha. Isso não faz nada para adulterar o calor, mas a pressão de sua mão é tão boa que você não pode ajudar, mas adicionar mais, juntamente com um pequeno movimento do pulso que faz você jogar sua cabeça para trás e engasgar em voz alta.

Você não tem idéia de por que você está tão excitada em uma hora tão ímpia, mas você não consegue se importar. Tudo o que você sabe é que você precisa de alívio e logo ou então você pode explodir. Em segundos, você se encontra deitada no escuro com suas mãos para baixo de suas calças, acariciando a si mesma como se sua vida depende disso.

É tão estranho e frenético e bagunçado. Mas você está ocasionalmente bombardeado com hormônios, e você não pensa muito nisso... até que se torne evidente que a luxúria pouco caracteristica nunca vai se dissipar.

––––––––

Todos os dias durante a próxima maldita semana, você acorda com seu interior ameaçando comer você com luxúria. É quase um reflexo neste momento derrubar as duas mãos para baixo do seu pijama antes mesmo de acordar completamente. Isso geralmente é suficiente para satisfazê-la por algumas horas até que você possa chegar em casa do trabalho e passar o resto da noite com seu vibrador...

Mas então, piora.

Logo, você não consegue se afastar da cama sem se aliviar duas vezes, e é quase uma tortura tentar passar o dia do trabalho. Você encontra-se gastando seu tempo de almoço trancada no banheiro com sua calcinha em torno de seus tornozelos, e você rompe múltiplas leis de trânsito tentando chegar em casa rápido o suficiente para se masturbar de novo.

Isso é preocupante por si só. Mas o que é ainda mais preocupante é o fato de que você não consegue gozar sem pensar no Jungkook ...

É tudo tão fodido. É muito mais que doentio se deitar na cama e pensar em seu ex-melhor amigo enquanto se contorna com o vibrador todas as noites. Mas você está tão desesperada pelo alívio que não se importa. Você acolhe com prazer o seu banco de lembranças das minúsculas horas que você gastou na cama do garoto em uma noite fatídica. E o pensamento nunca falha.

––––––––

Na quinquagésima primeira terça-feira, você se rende e faz um perfil Tinder. Você não tem nada contra os aplicativos de namoro, e os usou muito extensivamente no passado, mas fazer um em sua cidade natal, onde você é obrigada a se deparar com colegas de classe antigos em algum momento é um novo nível de desespero. Especialmente porque você apenas os usaria para sexo. Mas foda-se. Você não se importa mais. Você faria qualquer coisa—qualquer coisa para ter um corpo quente para preencher o buraco no poço do seu estômago. Você está delirando.

Leva uma hora para você configurar um perfil. Outra hora, e você rapidamente passou por quase todos os homens ou mulheres abaixo de  45 anos em um raio de dez milhas. Quando você acorda pela manhã, está agradavelmente surpreendido com a quantidade de likes que recebeu... ou talvez não seja tão surpreendente, já que deu like em quase todos. Então você envia mensagens para todos os matches, determinada a encontrar alguém para resolver seus desejos esta noite.

Não é tão fácil quanto você pensa. Claramente ninguém está afim de transar na quarta-feira à noite, e ninguém leva suas mensagens a sério. Você quase não presta atenção no trabalho durante todo o dia, enviando mensagens sob sua mesa e praticamente implorando para que as pessoas se encontrem com você. Isso faz com que a maioria dos seus matches se afastem de uma vez, alguns deles chegando ao ponto de até bloqueá-la. Finalmente, você encontra um cara que parece interessado e tão excitado como você—bem, nem tanto, porque isso seria impossível, mas ele parece responder bem quando você lhe manda uma foto de suas pernas na sua saia de lápis.

Isso é imprudente, e possivelmente perigoso, mas a dor no seu núcleo torna impossível a tarefa de se preocupar, pois, ansiosamente, você envia-lhe detalhes de seu encontro à noite, mas antes de poder finalizar os detalhes, o aplicativo notifica que você tem um novo match. Você está prestes a recusá-lo, mas o pequeno ícone do jovem na foto chama sua atenção.

Curiosa, você clica em abrir seu perfil. Ele é fofo. Tão fofo quanto o cara que você tem conversado o dia todo, mas há algo sobre a forma como seu cabelo escuro cai em seus olhos que chama sua atenção. Seu interesse foi oficialmente fixado em alguém, então você abandona sua conversa com o cara atual para conversar com este novo...

Você não sabe o que há de errado com você. O primeiro homem acabou de concordar em se encontrar com você no bar essa noite. E agora você está abandonando todo o seu trabalho duro por uma pequena chance com um novo rapaz. Você olha a curva de seu sorriso em sua foto de perfil enquanto espera com impaciência sua resposta. Há algo sobre ele...

––––––––

Demora dois dias completos de trabalho duro, mas finalmente você consegue convencer o cara de cabelos escuros do Tinder a se encontrar naquela noite de sexta-feira. O nome dele é Kim Yugyeom e ele é a mesma idade que você. Ele dança desde a escola primária, e definitivamente a prova disso está a forma como as coxas dele completam o couro de suas calças. Mas o que mais lhe interessa é a curva estranhamente familiar de seu nariz e a maneira precisa em que seus lábios se torcem quando ele sorri. Deus, você toma todo o poder que está ao seu alcance para não pular em seu colo no meio do bar.

"S/N- ah, você está bem?" Ele pergunta, preocupado quando seus olhos se espreitam pela centésima vez naquela noite.

Você acena com a cabeça, "Sim, sim." Você lambe os lábios secos e aperta as coxas juntas, para tentar cessar o fogo insaciável entre suas pernas.

Yugyeom franze a testa, "Você parece um pouco fora de si, S/N. Talvez você esteja doente? Febril?"

Você quer rir com a preocupação na voz do rapaz. Ele não está errado, não exatamente. Você está tão febril que pensa que pode morrer de calor, "Não", você nega rapidamente, "Estou bem".

"Tem certeza?" Ele insiste, as sobrancelhas franzindo profundamente, "Seu rosto está realmente vermelho e você está suando muito... Se você está se sentindo mal, tudo bem. Talvez possamos apenas adiar isso?"

"Não!" Você praticamente grita, pulando para agarrar a manga de sua blusa. Se ele sair agora, então demorará mais uma eternidade para reprogramar o encontro–isso se ele não dispensá-la. Não, você não pode deixá-lo ir embora. Você precisa dele. Agora.

Percebendo o quão louca você deve parecer, instantaneamente deixa cair seu aperto em sua manga e nervosamente passa a mão por seus cabelos desgrenhados, "Yugyeom... vou ser direta... E eu não me importo se isso não me faz parecer uma garota ou alguma merda do tipo", você pausa para despejar o resto do liquido amargo de seu copo em sua boca. Então você bate o copo na mesa e se vira para olhar diretamente nos olhos dele, "Você quer fazer sexo comigo?"

Ele está tão surpreso com sua proposta inesperada que chega a engasgar em sua bebida, "O-o que?" Ele sopra, deixando o copo no balcão quando sua mão treme o suficiente para destruí-lo. "Com licença?"

Você alcança o copo do garoto do outro lado da mesa para tomar o restante da bebida dele, "Eu só estou lhe fazendo uma pergunta, Yugyeom. Por favor, seja sincero comigo: Você quer transar comigo ou não? "

Ele olha para você por alguns segundos com o queixo caído. Sua ansiedade a consome por dentro. Você está prestes a pular a mesa para tornar a proposta mais difícil de resistir, mas naquele momento, ele finalmente responde: "Sim," ele afirma "Quero dizer, olhe para você. Claro que eu sim."

Seu ego se infla sob essas palavras lisonjeiras. Você sorri na direção do homem e se aproxima para lhe oferecer sua mão, "Onde você estacionou seu carro?"

––––––––

Leva uma eternidade para vocês dois chegarem ao apartamento dele. Principalmente porque você não consegue parar de acariciá-lo o caminho inteiro, mexendo no pescoço e esfregando-o até uma ereção completa se formar, ali mesmo no banco do passageiro, apesar dos protestos sem coração do mesmo.

É tão bom sentir seu membro grosso sob sua palma; fazendo com que quase perca a cabeça. Esquecendo do trânsito e do perigo da situação, você tenta se lançar fora do seu lugar para sentar em seu colo, ali e agora. Por sorte, ele segura você com uma mão firme em seu quadril e você de alguma forma consegue manter sua inteligência e cabeça no lugar até chegar em seu apartamento dez minutos mais tarde.

Você é a definição do termo "hot mess", conforme você joga rapidamente o casaco no chão e chuta seus sapatos no momento em que ele destranca a porta. Yugyeom segura suas mãos trêmulas com uma risada quando você se move para puxar seu vestido diretamente sobre sua cabeça.

"Whoa, qual é a pressa, baby?"

Você levanta a cabeça para olhar para ele e sua boca seca. Na escuridão de seu apartamento, ele parece ainda mais bonito do que no bar. Seu cabelo preto como a meia-noite cria sombras tão perfeitas em sua pele leitosa que suas mãos vão de encontro para tocá-lo com uma mente própria. Ele suspira e se inclina em seu toque quando você corre ambas as mãos no pescoço para acariciar os ângulos do rosto. Seu maxilar é tão afiado... sua pele tão macia... mas....

Você afasta as mãos depois de um segundo, confusa. Por algum motivo, sente-se estranha. Mas Yugyeom persegue ansiosamente o seu toque, inclinando-se para envolver os dois braços ao seu redor. Seu aperto em seus quadris faz você se sentir desconfortável por algum motivo que você não pode explicar. Mas antes que você possa expressar seu desconforto, Yugyeom de repente leva uma mão ao seu cabelo e puxa você para um beijo.

Parece errado. Seus lábios são muito ásperos, suas mãos são insensíveis demais e até mesmo a sensação de seu corpo pressionado contra a sua é desconcertante. Ele é muito alto. A curva de sua mandíbula é estranha e até mesmo seu perfume almístrico a faz broxar. Logo, todo o calor desaparece do poço do seu estômago, deixando você com náuseas incapacitantes. Você o empurra de uma vez, ofegante pelo ar.

"O que há de errado, S/N?" Ele pergunta em confusão, aproximando-se gentilmente de você novamente.

Você assombra-se antes que ele possa colocar uma única mão em você e protege seu rosto com as duas mãos, "Não me toque!" Você praticamente grita.

Chocado, suas mãos caem de volta para os lados ao mesmo tempo, "S/N", ele murmura seu nome com uma voz calma, "Eu fiz algo errado...?"

Você balança sua cabeça com rapidez, mesmo quando tenta coletar seus pensamentos desorganizados, "Não, eu só... Eu não sei o que há de errado comigo. Eu preciso de um momento."

Yugyeom enfia as mãos nos bolsos e depois se move em direção a janela, "Ok. Leve o tempo que precisar."

Você pressiona as duas mãos contra seu peito, tentando desesperadamente recuperar-se do sentimento de incomodidade. O que você tem? Você estava prestes explodir de tesão há apenas dois minutos. E aqui está um parceiro disposto exatamente ao seu alcance. Ele é exatamente o seu tipo também, você pensa conforme se aproxima da figura iluminada pela luz da lua que entra pela janela aberta. Ele é tão alto, largo e inegavelmente bonito. Quase tão bonito quanto—

Seu mundo inteiro desaba em uma virada doentia, pois a realização atinge você como uma parede de cimento. Os cabelos escuros, os ângulos do nariz, da mandíbula e os olhos, até a curva do sorriso dele... É tudo parecido... Mas não o suficiente.

Ele pode parecer Jeon Jungkook... Mas ele não é ele.

"Ah, merda", você suspira, voltando a agonizante realidade.

"S/N?", Assustado com sua intensa reação, ele se aproxima para segurá-la firme e antes que suas pernas trêmulas desistam.

Você grita e cai no chão no momento em que a mão dele entra em contato com sua pele. Queima. Mas da pior maneira possível. "Não me toque!" Você exclama novamente.

"Eu... eu—você está bem?!"

Você balança a cabeça em fúria, "Não." Ele parece querer dizer algo mais, mas naquele momento, você aproveita a oportunidade para fugir, arrancando o casaco e os sapatos do chão, correndo por sua vida querida .

"S/N! S/N!"

Você pode ouvi-lo chamar por você, mas você não ousa olhar para trás.

––––––––

"Namjoon!" Você grita do outro lado da linha ao invés de uma saudação quando ele atende no terceiro toque.

"S/N?" Ele pergunta com surpresa, "Eu não tenho ouvido falar de você por um tempo... Você está bem?"

"Não, eu não estou bem", você grunhe, "Como você não poderia me dizer que isso aconteceria?!"

"O quê?", Ele parece genuinamente confuso, mas você não será enganada por essa atitude.

"Você não se atreva a agir assim comigo agora, Kim Namjoon. Você deveria ter me avisado com antecedência! Você sabe quanta dor eu estou sentindo agora?!"

"Espere, rebobine um pouco, S/N. Que diabos você está falando?"

"Você realmente vai agir assim, Namjoon?! Bem! Vou dizer: o cio! O fodido cio está me matando!"

"Cio...?" Ele repete em surpresa, "Como você sabia que Jungkook está no cio?"

Seu estômago se torce com a própria menção do nome dele, "Espera... ele também está no cio?"

"Também!?" Namjoon exclama, "S/N, você está no cio!?"

"Sim, e você já sabia disso, Kim Namjoon. Por que você não me disse que isso seria uma conseqüência dessa marca de mordida?!"

"Espere... mas não é".

"O que? Não minta."

"Eu não estou... S/N, não é bem assim que funciona... Mesmo que ele tenha marcado você, você não deveria entrar no cio também. Você não é um lobo."

"Você está me chamando de mentirosa então?!" você praticamente grita no receptor, "Eu sei o que estou sentindo! Eu sinto como se fosse morrer. Não importa quantas vezes eu me toque, não é o suficiente! Eu estou ficando louca! Se isso não for cio, então, o que diabos é isso?!"

"Não tenho certeza, S/N. Mas, como humana, você realmente não deveria não estar experimentando o cio... A menos que..."

"A menos que?!"

Ele hesita por um momento antes de responder, "A menos que você o ame."

"O quê?!"

"O acasalamento não é uma rua de mão única, S/N", ele explica pacientemente, "Nós não podemos forçá-la a isso. É consensual. Talvez nem sempre seja o sexo, infelizmente, mas a ligação emocional aspectada e compartilhada entre companheiros definitivamente é. Este cio que você está experimentando agora... Isso não tem nada a ver com a marca no pescoço. Isto é inteiramente sobre você."

Há uma batida de silêncio enquanto você tenta processar suas palavras. Então—

"Puta que pariu."

Namjoon ri com humor da sua reação, "Por que você não para essas tolices e admite seus sentimentos, S/N? Você pode mentir para si mesma, mas seu corpo não mente. Poupe-se da dor e apenas aceite-o como seu companheiro de uma vez."

"Eu não sou um objeto," você responde imediatamente, "Eu não pertenço a ele."

O líder da matilha suspira profundamente,: "Ele sabe, S/N... ou, pelo menos, o lado lógico dele sabe. Mas seus instintos de lobo são mais fortes de manter sob controle... Eu sei que não é justo com você, S/N. Toda esta situação é bem fodida. Mas releve um pouco. Ele está tentando o melhor que pode."

Você pressiona seus lábios em uma linha dura, "Onde ele está agora?"

––––––––

Você toma o primeiro trem na manhã seguinte para Seoul. Você teria saído mais cedo, mas a estação fechou após a meia-noite, e você tem que se contentar com o primeiro trem no amanhecer. Você sequer pisca os olhos durante a noite inteira e está muito impaciente saltando para cima e para baixo no trem deserto para fechar os olhos por um segundo.

Finalmente, o trem completa seu curso na estação e você se levanta tão rapidamente, quase batendo sobre a mulher idosa sentada ao seu lado. Normalmente, você deveria parar e pedir desculpas, mas não há tempo para isso hoje. Sua virilha parece estar prestes a explodir com a pressão reprimida enquanto pega sua bolsa, depois corre pelas portas, fazendo a aeromoça chamar por você em alarme.

Você ignora todos eles. Você não consegue pensar em nada além de seu único objetivo em mente...

––––––––

A chave da porta da frente ainda está escondida sob o capacho, como sempre. É alarmante o pouco que mudou desde o ano passado, quando parece que o seu mundo inteiro virou de cabeça para baixo. É tão grosseiro entrar em seu apartamento sem convite. Mas a fome voraz na sua barriga torna impossível a tarefa de se importar. E, conhecendo Jungkook, ele provavelmente também não se importaria.

Você abre a porta e entra sem preâmbulo. O volume de sua entrada rude faz Jimin saltar de surpresa de onde ele está na sala de estar. Ele instantaneamente pausa o programa na TV e levanta-se, "S/N?" Ele pergunta em surpresa, "O que você está fazendo aqui?"

Você ignora a pergunta e solta sua bolsa no chão, "Jimin, onde ele está?"

O homem mais velho faz uma pausa por um momento, observando sua aparência varrida pelo vento. Você parece um desastre ambulante parado no meio da sala de estar, encharcada de suor e ofegante por oxigênio. Então a realização o atinge como uma tonelada de tijolos e sua boca forma um "o" perfeito de compreensão.

"Jungkook está trancado em seu quarto."

Você acena com a cabeça uma vez, "Obrigado," e com isso, você está faz seu caminho para o quarto. Você pode ouvir Jimin silenciosamente amaldiçoando em sua respiração ao fugir da cena antes que seja tarde demais, mas você sequer se dá ao trabalho de pensar uma segunda vez nisso. Tudo o que você pode pensar é o que está esperando por você do lado mais profundo dentro do apartamento.

Seu coração está trovejando neste momento, batendo tão duro nos limites cansados ​​da sua caixa torácica que você está com medo de que realmente tenha um ataque cardíaco prematuro. Para saber que você está apenas a um segundo de distância de um Jungkook acorrentado e seu lindo pau faz seu corpo inteiro nivelar o excesso de calor. Você ignora o tremor incontrolável de suas mãos e força a porta aberta com suas palmas suadas de suor. Então, você está cara a cara com a imagem mais sexy que você já viu na sua vida inteira.

Jungkook está de joelhos sobre a cama, um arnês de couro cruzado sobre o peito e as mãos trancadas atrás de suas costas e os tornozelos no estrado da cama por cadeias de aço puro mais grossas do que seus braços. Com um olhar para ele e você pode dizer que ele está tão ferrado como você. Seu cabelo está colado em sua testa com suor e seu peito se ergue para cima e para baixo tão rapidamente, ele está prestes a hiperventilar. Mas o que mais atrai o seu interesse é a dura ereção escondida embaixo das calças de moletom... É apenas a sua imaginação, ou se contrapõe quando ele te vê...?

"S/N", ele sussurra em uma voz crocante, todo o corpo se endurecendo.

Você está igualmente afetada. Por um momento, nenhum de vocês é capaz falar. Você não pode deixar passear com fome seus olhos para cima e para baixo, o seu pensamento tenso, e seu coração salta em sua garganta quando percebe que ele está avaliando você exatamente da mesma maneira.

"S/N", ele geme novamente, "Graças à deus, porra!"

Você morde o lábio com o alívio crucificado em sua voz e fecha cuidadosamente a porta do quarto atrás de você. Jimin ainda não saiu, e você não acha que ele gostaria de estar a par do que está prestes a acontecer neste quarto. Seu corpo inteiro está tremendo neste momento e você se sente tonta com a privação do sono e o desejo incapacitante. Leva tudo o que está ao seu alcance para evitar que de arrancar sua calcinha e sentar-se no colo de Jungkook. Ambos estão claramente prontos o suficiente.

"S-solte-me", ele sibila, correntes batendo contra a cabeceira da cama quando ele começa a lutar.

Uma sensação de déjà vu se choca em você nesta cena dolorosamente familiar... Jungkook encharcado suor, lutando contra suas amarras, implorando-lhe pela libertação... O calor explode no seu núcleo quando você se lembra de como você lhe ofereceu alívio na última vez...

Você se sente embriagada quando olha para ele através de olhos aquosos, perguntando-se sobre como você poderia ser forte o suficiente para resistir a ele o suficiente para expor seu ponto de vista, "Ainda não", você engole seco, "Eu... eu preciso falar com você primeiro. "

Ele grunhe bruscamente nisso, lutando furiosamente contra suas correntes novamente, "Mais tarde", ele implora, "Agora eu preciso te foder."

Você engole com força quando uma onda de tontura varre através de você nas palavras ditas pelo garoto. "Espere, preciso que você entenda algo primeiro".

Seu maxilar se aperta tão forte que um músculo salta em sua bochecha, "O quê?"

Você morde no seu lábio inferior, "Eu... Eu acho que quero ficar com você." Os olhos dele se acendem com isso, então você se apressa a voltar atrás, "Mas eu tenho condições! Jungkook... você me conhece há mais de uma década. Você sabe melhor do que ninguém que o que mais me importa é minha independência. Eu posso cuidar de mim mesma e não preciso de ninguém. Nem mesmo você. Sou uma mulher livre, Jungkook. Uma mulher. Não é um item ou uma posse ou qualquer besteira."

"Eu sei," ele geme, "eu sei, eu sei. E eu respeito você por isso. É por isso que eu te amo muito, S/N."

"Sério?" Você contesta com uma sobrancelha levantada, "Então, o que é isso?," Você retruca, puxando o colarinho da sua camisa para revelar os pequenos recortes rosa.

Seus olhos escurecem ao mesmo tempo, as pupilas se espalhando pelas íris quando ele se desloca para uma mentalidade mais lupina na visão das marcas que ele lhe concedeu exatamente um ano atrás. "Eu... não posso fazer nada," ele diz, mesmo enquanto lentamente passa a língua nos dentes.

Você pode ver o quão difícil é para ele evitar se lançar para frente para afundar suas presas nas mesmas cicatrizes. "Sim, você pode," você o pressiona suavemente, "Eu sei que você tem esses instintos fortes que o consomem, mas você é um homem, não um animal. Você não precisa ceder a tais pensamentos bárbaros. Você é mais do que isso."

Jungkook geme suavemente, "Eu não sei, S/N", ele admite, "não consigo pensar em nada além de possuir todo o seu corpo e enchê-la até a borda com minha semente."

Você estremece com as imagens que refletem sua mente. Você também gostaria disso. Mas você tem que resolver isso ou então você nunca vai se perdoar. "Pare, Jungkook", você o repreende, "Você me ama ou quer me possuir?"

"Eu te amo", ele responde imediatamente, sem um milésimo de segundo de hesitação.  

Você já ouviu essa confissão todas as semanas durante o ano passado, ainda assim, ouvir isso em pessoa é outra coisa inteiramente difrente. O calor floresce no seu peito enquanto você analisa a expressão genuína estampada no rosto dele. Você agita sua cabeça para resistir ao calor distorcido para se concentrar na tarefa em questão.

Você acena lentamente com a cabeça, "Tudo bem... Eu quero acreditar em você. Mas eu preciso que você faça algo para mim primeiro."

Ele observa com fôlego enquanto você alcança seu bolso traseiro e tira uma lâmina de prata conhecida. Ele reage imediatamente, sentando-se mais direito em seu assento e esticando o pescoço para permitir seu acesso. "Sim", ele sussurra, ficando entusiasmado com a visão da faca, "Me marque aqui. S/N, me corte."

Sua mão aperta o objeto enquanto você agita sua cabeça, "Não. Mas eu vou me cortar em vez disso."

Suas sobrancelhas franzidas revelam sua confusão, mas em vez de explicar, você decide demonstrar. Você lentamente toma um assento no pé de sua cama e enrola seus pés debaixo de você. As narinas de Jungkook disparam da intensidade de seu perfume de uma proximidade tão próxima e sua língua imediatamente pica fora de entre seus lábios como para prová-la.

"Ugh, S/N. Por favor, me foda," ele geme, avançando os quadris para fora até onde as correntes permitem.

Você pisca o suor dos seus olhos e abaixa a cabeça com obstinação: "Ainda não, Jungkook... Agora mesmo, eu quero que você me assista."

Ele não tem escolha senão concordar relutantemente, mordendo forte a língua para adulterar a frustração quase insuportável. Você sorri com as tentativas heroicas de obediência, então você levanta a lâmina com as mãos trêmulas para posicionar em seu pescoço. No momento em que você passa a ponta afiada contra a cicatriz rosa acima de suas clavículas, Jungkook bate contra as correntes o suficiente para fazer a cama toda tremer.

"NÃO!"

Você pisca, assustada, mas não se surpreende ao menos com sua reação violenta. Você quase se sente culpada ao ver a pura devastação em seus macios olhos castanhos. Você sabe o que isso significa para ele. É pior do que jogar fora um anel de casamento ou arquivar papéis de divórcio. É muito mais biologicamente enriquecido do que isso. É como pisotear seu coração.

"Jungkook," você sussurra seu nome, tentando tocá-lo pela primeira vez. Jungkook salta a sensação de sua mão em sua bochecha e seus olhos se fixam em seu rosto por uma fração de segundo antes de voltar para a cena terrível com a lâmina segurada contra seu pescoço. É prata pura—a mesma faca que ele, sem saber, te deu na sua varanda frontal, meses atrás. Se ele soubesse que você iria usá-la contra ele... Ele nunca cometeria esse erro. Afinal, a prata é a única substância com a capacidade de invalidar suas habilidades sobrenaturais. E deixá-lo em suas mãos...

"Jungkook," você chama seu nome novamente, se sentindo ansiosa quando ele luta contra suas correntes com tanta força, você teme que toda a estrutura de aço possa ser desalojada. "Jungkook, olhe para mim," você ergue o queixo do mesmo para forçá-lo a olhar para seus olhos, "Está tudo bem, querido."

Ele choraminga com isso, repousando fortemente o rosto contra sua mão, "Eu não quero perder você", ele confessa com uma voz crua e quebrada.

Dói tanto vê-lo assim. Mas você sabe que é o certo a se fazer, "Você não vai", você assegura a ele enquanto esfrega suavemente o polegar contra sua maçã afiada, "Você não me tem agora, Jungkook. Mas se você desistir de mim como uma posse... então talvez possamos tentar resolver isso."

Jungkook geme novamente, seus olhos apertados por uma fração de segundo antes de pousarem nos seus novamente. Quase indiscernivelmente, ele acena com a cabeça. Você segura sua mão na bochecha do garoto, tentando apaziguá-lo, enquanto desliza a faca na sua pele.

A dor atinge você como um raio, chispando sua espinha e acendendo cada extremidade nervosa em seu corpo, mas Jungkook é mil vezes pior. Ele grita com dor, como se a faca o atravessasse em vez de você e desesperadamente bate contra suas amarras. Mas é muito tarde.

Assim que a faca perfura as marcas de mordida, a confusão da sua mente com nuvens de calor e cio somem. O calor voraz no seu núcleo se dissipa e parece que você pode respirar novamente. Você suspira profundamente e olha firmemente para os olhos de Jungkook. Um simples pedaço de pele, mas agora tudo mudou. Ele está devastado diante de você, torpe com esforço, e corpo inteiro tremendo com dificuldade mal reprimida.

Você olha para onde o sangue flui do corte superficial; mas decisivo em seu pescoço, de volta aos olhos dele. Suas pupilas escuras estão tremendo, cílios agarrando enquanto ele tenta reunir a inteligência o suficiente. Você joga rapidamente a faca ensanguentada no chão e o toma em seus braços, "Tudo bem, Jungkook", você sussurra enquanto corre as mãos suavemente para cima e para baixo em seus braços enfaixados pelo couro, "Acabou agora. Somos livres."

Mas ele continua a tremer como uma folha sob seu abraço, "P-pare de m-me tocar", ele gagueja, "É demais. Eu preciso te foder."

A qualidade de seus gemidos e gaguejos de sua voz fazem com que a excitação inunde suas coxas. Seus sentimentos de lobo afiados captam instantaneamente o novo desenvolvimento, e de repente ele não está apenas tremendo—ele está vibrando em sua própria pele.

"Me solte", ele exige em uma voz enganosamente silenciosa, "Agora."

Você se levanta como se estivesse sendo eletrocutada e avança em busca da chave escondida na gaveta superior da mesa de cabeceira. A respiração áspera de Jungkook para quando você desliza suas mãos atrás dele para desencadear seu pulso esquerdo. Você apenas torce a chave no bloqueio da corrente do pulso direito quando ele de repente se explode.

As correntes chocam umas contra as outras enquanto ele as empurra para o outro lado da sala, então a joga contra a cama sem pensar.

"Espera, Jungkook, ainda não terminei!" Você protesta, gesticulando para o arnês ao redor de seu peito e as correntes ainda constringindo seus tornozelos na cama, mas ele ignora você inteiramente para agarrar sua virilha e não tem absolutamente nenhuma paciência de puxar suas calças para baixo.

Um som alto de algo sendo rasgado ecoa através da sala. Você choraminga com o brilho da dor quando ele arranca de maneira brusca e os fios  e linhas rasgados cortam sua pele sensível por uma fração de segundo, então o tecido pousa em uma pilha amassada ao pé da cama. Você tenta sentar-se para empurrar o que resta de suas calças pelas pernas, mas naquele momento, Jungkook puxa sua ereção dolorosa fora de suas calças e aproxima-se grosseiramente da sua entrada.

É um testemunho de sua impaciência quando ele não a vira em seu estômago para tomá-la por trás, da maneira que ele geralmente prefere. Em vez disso, ele se agarra com tanta força que as veias se estalam nos antebraços, então ele finalmente empurra seu membro para dentro de você sem nenhuma jogada preliminar.

Ele está incrivelmente duro e mais espesso do que a sua memória defeituosa lhe proporcionou todos esses meses. Apesar da sua excitação prolongada, suas paredes lisas não podem protegê-la do puro poder de sua força sobrenatural e a dor explode em todas as terminações nervosas. Você está tão cheia. Incrivelmente cheia. E o intenso ritmo do vai e vem que ele começa sem permitir que um único segundo de descanso seja excruciante.

É, de longe, o melhor que você já sentiu.

"Sim!" Você chora em êxtase enquanto aperta as duas pernas ao redor da cintura do rapaz, ambos os pés pressionados contra a bunda para empurrá-lo para a frente. Sua pelve bate contra sua com cada impulso, criando marcas dolorosas que com certeza florescerão vívidas pela manhã. Mas nada disso importa. Porque depois de um ano, Jungkook está finalmente com você, dentro de você, da maneira que ele sempre deveria estar, sem que você desista da sua liberdade ou de qualquer parte intrínseca de suas personalidades.  

Você não pertence a ele e ele não pertence a você. Você não pode prever se isso vai durar. Talvez você envelheça juntos. Talvez você descubra diferenças irreconciliáveis ​​e se separe após um mês. Mas isso não importa, porque pelo menos você tem a liberdade de avançar sem que alguma cicatriz encaixe você. Vocês são apenas juntos porque você escolhe ser.

Você fecha os olhos para se concentrar nas sensações—a sensação de suas mãos apertadas em torno de sua cintura, sua respiração ofegante na pate de dentro de seu pescoço e cada estocada dolorosa que envia todo o seu corpo deslizando de volta contra os lençóis com cada impulso.

Você escolheu isso. Você o quer, mas você não precisa dele.

Você não pode acreditar que lhe levou um ano inteiro para perceber isso. E tê-lo preenchendo-a assim, pingando suor e gemendo seu nome, depois de um ano inteiro de privação... É demais.

Você aguenta mais uma dúzia de estocadas rápidas, tentando segurar seu orgasmo para que você possa aproveitar isso mais, mas o esforço é inútil. Com um último impulso particularmente anguloso de seus quadris, você se encontra quebrando-se em um milhão de peças. Você tem estado há tanto tempo em seu ápice que a intensidade desse tão aguardado orgasmo é assustador. Sua própria consciência é varrida pelo prazer, êxtase correndo através de cada membro e a luz branca brilhante que atravessa a parte de trás de suas pálpebras, não importa o quão fortemente você aperte os olhos.

Parece uma injeção de epinefrina pura direto para o cérebro. Você se desloca nesta nuvem sem peso de prazer elétrico por uma quantidade imensidável de tempo, não querendo deixar ir até que o som do seu nome força você de volta à consciência.

"S/B", Jungkook ansiosamente chama seu nome, "S/N, porra!"

Você pisca preguiçosamente, confusa ao encontrá-lo ainda empurrando seu membro dentro de você uma e outra vez, seu ritmo é além de frenético nesse ponto. Mas ele claramente não encontrou seu alívio ainda... Ou talvez ele não possa?

Um calafrio desliza sua coluna vertebral enquanto você finalmente processa a sensação de sua língua molhada latejando nos restos de sangue do corte raso no pescoço. Você pode sentir o deslizamento de suas presas enquanto ele choraminga e suga as cicatrizes. Ele está apenas morrendo de vontade de afundar os dentes e recriar a marca desfigurada. 

De repente, você é levada de volta a um ano inteiro, quando estava exatamente na mesma posição. Mas a diferença é, desta vez, você sabe o que fazer. E você não cometerá o mesmo erro duas vezes.

"Jungkook, não," você o repreende enquanto ansiosamente puxa seus cabelos.

"Me desculpe, S/N," ele diz quase que em um sussurro constipado enquanto continua a socar de forma desesperada dentro de você, perseguindo o o próprio orgasmo que fica apenas fora do alcance, "Não posso. Eu preciso gozar. Por favor."

Quando você sente seus dentes roçarem em seu pescoço, você o empurra tão forte quanto você pode e agarra seu queixo para forçá-lo a olhar para você, "Não, Jungkook. Não faça isso."

"Por favor", ele implora novamente, claramente sem esperanças. O suor flui livremente pelas têmporas e fora de seu pescoço grosso e abaulento para suas costas e ele está ofegante o suficiente para hiperventilar. "Por favor por favor por favor. Eu preciso muito gozar. Por favor!"

Você aperta seu aperto em sua mandíbula e olha-o diretamente nos olhos, "Jungkook, esse não é você agora. São os hormônios. Você não quer me possuir."

"Eu sei", ele afirma em lágrimas neste momento, "Eu sei, eu sei, mas eu preciso tão fodidamente gozar. Isso dói, S/N. Dói pra caralho."

Sua dor é visceral, e você está muito tentada a deixá-lo mordê-la de novo. Mas então você se lembra que isso não é apenas por você. Isto também é por ele. Você também não pode deixar ele perder sua liberdade.

Seus olhar fixa-se firmemente sobre o dele, "Você me ama. Eu sei que você me ama. E Jungkook, eu... eu também te amo. "

Esquecendo-se de seus instintos e de cada hormônio que o grita para fodê-la incessantemente, ele se congela para encará-la com olhos enormes. É a primeira vez que você confessa isso para ele, e suas bochechas se enrubescem quanto mais ele olha fixamente.

Suas mãos se enrolam em punhos e você o olha bravamente nos olhos dele novamente, "Jeon Jungkook, eu estou apaixonado por você."

A batida do silêncio tenso que se segue faz com que você vibre. Você pode ouvir cada batida individual de seus batimentos cardíacos como um tambor em seus ouvidos.

"Porra," ele coaxa. Então explode dentro de você.

O liquido espesso derrama dentro de você, aquecendo-a até as pontas dos dedos das mãos e dos pés. Seus quadris balbuciam enquanto ele desloca desesperadamente as ondas de seu orgasmo, as pontas franzidas, a boca aberta e todo o corpo arruinado com tremores, enquanto um prazer intenso ilumina todos os nervos.

Então, abruptamente, sua força se dissipa e ele colapsa em cima de você; um pedaço de suor e músculo tremendo. Você teve mais tempo para se recuperar do que ele, então você o ajuda, passando seus dedos por seus cabelos encharcados, tentando relaxá-lo e diminuir as batidas perigosamente rápidas de seu coração.

Jungkook geme com as sensações e com força hercúlea que você não imaginava que ele possuía, ele se ergue sobre os cotovelos para encará-la maravilhado.

"Você me ama?"

Você acena com a cabeça, virando timidamente sua cabeça quando o constrangimento torna a tarefa de fazer contato visual muito difícil. Um riso parecido com um sino faz você virar sua cabeça novamente em surpresa. O sorriso vai de orelha a orelha, tão largo que deve doer suas bochechas. Então ele se inclina para acertar o nariz contra o seu de uma maneira decididamente lupina.

"Diga isso de novo, S/N."

Surpresa, você enrola sua língua meia dúzia de vezes antes de finalmente encontrar sua voz novamente, "Hum... Eu... eu estou apaixonada por... ah foda-se! Você é um idiota!" Você clama, se contorcendo sob seu aperto para tentar libertar-se.

O riso tilintante de Jungkook enche novamente o quarto enquanto ele mergulha para abafar seus protestos com sua boca. Você fica imóvel com a sensação de seus lábios suaves contra o seu próprio pela primeira vez em meses. Seu beijo é surpreendentemente doce após o festinho de foda selvagem que aconteceu neste cômodo apenas alguns minutos atrás. Ele sela seu lábio superior, depois seu lábio inferior, antes de finalmente pressionar sua boca completamente contra a sua. E é quando você perde.

Você entrelaça os dois braços ao redor do pescoço para puxá-lo mais perto de você e move seus lábios suavemente para combinar com os dele. Ao mesmo tempo, você entra em um ritmo lento e sensual, separando os lábios para permitir a invasão da língua dele. Você desliza uma mão para desenhar a mandíbula dele com a ponta de seus dedos, gemendo quando sente os músculos tensos na flexão de sua bochecha enquanto ele aprofunda o beijo e desliza sua língua em sua boca. Ele tem um gosto puro almíscar e mel, e a cada segundo que passa, torna-se cada vez mais difícil parar de saboreá-lo todo.

Para sua maior decepção, Jungkook quebra primeiro o beijo e o estalar molhado que soa através da sala quando seus lábios se desconectam faz você corar. "Precisamos parar," ele diz com uma risada envergonhada.

Você grita em protesto e levanta a cabeça em busca de outro beijo. Mas ele a empurra pela testa de maneira brincalhona e de volta para o colchão.

"A sério, S/N. Você não vai sobreviver aos próximos três dias se continuar me provocando assim," ele diz, enfatizando suas palavras com um pequeno toque de quadris contra seu estômago.

Suas sobrancelhas disparam para sua linha de cabelo quando você percebe o quanto duro ele está... novamente. "Ah ..."

Ele ri de sua reação e se inclina para morder seu lóbulo da orelha em brincadeira, "Não que eu não estaria disposto... Mas acho que nós dois realmente precisamos de um banho agora."

Você o empurra para trás para lhe lançar um olhar sujo, "Essa é apenas uma desculpa para o transarmos no banho, não é?"

"Bem, eu não diria 'não' a isso..." ele ri da sua expressão e empurra-se com força para longe de você, "Mas você poderia me soltar primeiro?"

Sua boca forma um "o" de compreensão e você rapidamente se apresse para ajudá-lo com as correntes ao redor de seus tornozelos e o chicote de couro ao redor de seu peito. Ele suspira em alívio uma vez que ele está livre, então pega sua mão e vai em direção ao banheiro.

Embora ele esteja completamente vestido, o tecido fino de sua camiseta simples e shorts se agarram ao seu corpo com suor, tornando difícil não encarar seu lindo corpo quando ele se move no banheiro. Você não pode deixar de lançar alguns olhares no esboço de seu abdômen marcado através de sua camisa branca, quando ele se aproxima de você com um pano molhado na mão. Você acabou de foder com ele, mas você quer de novo...

"Aí!" A pressão repentina do toalhete contra o corte em seu pescoço faz você gritar com dor.

Preocupado, Jungkook afasta sua mão, "Você está bem?"

Você acena com a cabeça, envergonhada com sua reação, "Sim. Desculpa. Isso me surpreendeu ".

"Precisamos limpar isso ou a ferida pode infeccionar... Você pode aguentar com a dor por mim?"

Você acena com a cabeça novamente, recostando-se contra o balcão da pia, enquanto o vê vasculhas os armários em busca de bandagens e neosporina. "Jungkook... Você tem certeza de que vai ficar bem com isso?" Você finalmente interrompe o silêncio.

Ele olha para cima, "Bem com o que, amor?"

Seu interior se contorce com a maneira como ele te chama, mas você não deixa isso distraí-la. Você limpa sua garganta e tenta novamente, "Com essa... Essa cicatriz," você diz, apontando para a dentada em seu pescoço, onde você cortou suas marcas de mordida, desfigurando toda a área até que você não consiga ver nenhuma sugestão das marcas originais, "Você pode suportar?"

Jungkook coloca o rolo de bandagens e gira nos calcanhares lentamente para aproximar-se de você. "S/N", ele murmura seu nome, estendendo a mão para segurar seu rosto com as duas mãos para chamar sua atenção para ele, "Você me ama... Você finalmente me ama de volta. Você realmente acha que eu daria uma foda para algo tão grosseiro como uma maldita marca de acasalamento quando você finalmente correspondeu meus sentimentos?"

Seu coração pula em seu peito enquanto você olha para ele com olhos brilhantes. Aí está. Esta é a razão pela qual você se apaixonou por ele no primeiro lugar. Ele entendeu. Ele entende você. Você não consegue parar a emoção que inunda você em sua autêntica confissão.

"Foda-se," você amaldiçoa, livrando-se dos pedaços arruinados de suas calças e puxando sua camisa sobre sua cabeça, "Não vamos pegar leve. Eu vou te foder até a morte nos próximos três dias e não vou parar até me implorar."

Sua mandíbula cai em surpresa, e você fica satisfeita ao ver suas pupilas dilatando-se com luxúria até que apenas um anel de âmbar feroz permanece ao redor da escuridão. Ele leva um passo ameaçador até que estar quase pressionado contra você no banheiro estreito, "Essas são grandes promessas, garotinha..." ele sibila enquanto cuidadosamente desliza ambas as mãos por sua cintura para acariciar seus mamilos endurecidos, "Não venha chorando para mim quando for demais para você."

"Nós temos um ano inteiro de sexo para compensar, querido" você provoca enquanto se vira para plantar as palmas das mãos no balcão da pia e lentamente mexe seus quadris, "Você acha que pode fazer tudo no próximas setenta e duas horas?"

As mãos de Jungkook já estão em sua bunda, tateando grosseiramente a carne, "Apenas me assista fazer isso, amor."

––––––––

Na quinquagésima segunda terça-feira, você deita nos braços de Jungkook, coberta de suor, enquanto os dois tentam se recuperar das mais esgotadas setenta e duas horas de todas as suas vidas. O feitiço de luxúria foi oficialmente quebrado. E os lençóis arruinados e suas pernas sem vida são um testemunho do fato. Você gira para deslizar suas unhas pela coluna suada do menino lobo. Jungkook estremece e pressiona um beijo no topo da cabeça.

"Ei," você murmura, chamando sua atenção.

Apesar de seu cansaço, ele consegue invocar a energia para abrir um olho para olhar para você, "Sim, amor?"

Você sorri e aproxima-se para correr carinhosamente seus dedos através de seus cabelos negros desgrenhados, "Jungkook... É terça-feira... E eu amo você."

É como o primeiro, raio de madrugada que espreita acima do horizonte, ou uma flor que floresce no calor da primavera, a maneira como seu rosto se ilumina. Seu sorriso é tão brilhante que você tem que levantar uma mão contra seu rosto para proteger seus olhos sensíveis contra o brilho.

Ele ri e se inclina amorosamente com o nariz contra o seu, "É quarta-feira agora, idiota... Mas eu também te amo."


Notas Finais


É isso, amores... o que acharam? Gostaram? Estão satisfeitxs? Decepcionadxs?

Tanto da primeira vez, quanto da segunda que postei a história (e no tumblr também), recebi MUITAS mensagens de pessoas reclamando o fato da S/N não aceitar a possessão do Jungkook e o fator PERTENCER A ELE... e a minha intenção sempre foi a de trazer uma personagem principal forte com os próprios princípios e dona de si, de sua própria liberdade como pessoa.
Não irei me aprofundar muito nesse assunto pois creio que esse texto ficaria grande demais com todas as coisas que tenho a dizer sobre o assunto, porém, com o final dessa história e o que deixei explícito na ultima cena; é bom termos a liberdade de escolhermos o que queremos para nós e não sermos FORÇADAS a ficar com alguém, ou colocarmos nossos sentimentos e nossas vontades de lado por um sentimento unilateral. E foi por esse e outros motivos em que fiz em forma de imagine, não dei nome à personagem, deixei a critério de vocês para termos a sensibilidade de nos colocarmos nessa situação.
Espero que tenham entendido a mensagem que quis passar (além do +18 absoluto né, manas).
E AGORA PODEM PARAR DE ME AMEAÇAR OK!? TEVE FINAL FELIZ SIM, comigo é assim. ESPERO não ter decepcionado vocês, pois digo por mim que estou satisfeita com o resultado final. <3

Mais uma vez, agradeço pelo amor e carinho que proporcionaram a fic e a mim.
Amo vocês. ♡

♡ Edit1 00:42: Sinto que deixei algo meio mal explicado aqui nas notas finais, mas que vale se levar em consideração. Meu objetivo foi impor TAMBÉM que seres humanos devem ser tratados como tais, e esse era o objetivo da personagem principal, porque o Jungkook de cara não entendia qual era o real o problema (o que no caso ele vem entender no final).
NÃO é legal ter alguém tentando impor uma situação, sentimento ou qualquer coisa em você. É só pra parar pra pensar: Eu gostaria se alguém me forçasse a ficar com ele/a? Se sua resposta for sim, desculpe, mas ESSA fanfic em especial não é o que você procura e não irá te agradar.
Em algum momento pensei que teria sido bom não por um gênero na mesma, mas isso poderia causar muita confusão e seria um pouco mais complicado de escrever. Also, a ideia ficará guardada.
Repito: foi isso que quis passar, uma PESSOA dona de si, livre para amar e ESTAR com quem ela quiser, não PERTENCER.
Acho que é isso, quaisquer dúvida/crítica/elogio, pode deixar no campo abaixo que terei o MAIOR prazer de debater (não discutir) contigo sobre.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...