História Inolvidable - Capítulo 8


Escrita por: ~

Exibições 76
Palavras 1.576
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Orange, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey Guys!!

Pensaram em quem é X? Não? Pois bem, vim com esse cap fresquin deixar vcs ainda mais confusos :)

Esse cap é menor que os que eu posto usualmente, porém atenção nele certo?!

Beijos nesses rostinhos maravilhosos e até o próximo! Boa Leitura

Capítulo 8 - Inquisitor


POV Dinah Jane

 

Nunca fui uma criança comum. Nunca fiz parte de uma família que se encaixava dentro dos padrões sociais. Nós sempre fomos escandalosos demais, numerosos demais...

Não me lembro muito bem da minha infância, mas posso garantir que me lembro muito mais que a maioria das pessoas da minha idade.

O procedimento que apagava a ligação a memórias ao sentimento proibido era complexo e havia certa facilidade em sua reversão. A maioria dos procedimentos tinha sucesso devido ao fato que os pais também passavam pela aplicação da cura, extinguindo assim, o amor parental, mantendo apenas o laço de  responsabilidade entre eles.

Eu  e meus irmãos mais novos passamos pelo procedimento enquanto os mais velhos e meus pais foram submetidos a Delirium e seus efeitos.

Diferentemente do que aconteceu com meus amigos da escola que passaram a ser mais frios e tratados pelos pais apenas como um dever, as coisas na minha casa continuaram iguais. O barulho era mais baixo e a nossa família se espalhou pela cidade, mas o carinho, a bagunça, a diversão e a cumplicidade continuavam em cada canto da minha casa. Eu não conseguia entender o porquê de nós sermos diferentes dos outros, meus pais haviam tomado a vacina, porque não éramos como todos os outros?

Foi a partir dali que eu deixei a curiosidade tomar conta da minha mente e desde então, descobri coisas das quais ninguém sequer imaginava que eu sabia. Me fascínio atual era com músicas. Depois do infeliz desastre que foi a festa de Halsey, eu não conseguia esquecer a sensação de ouvir música de verdade.

Lauren era medrosa demais, se arriscava pouco e fazia tudo que lhe era imposto pelos seus pais e pelo governo. Admito que fiquei extremamente surpresa quando ela aceitou ir comigo à festa, afinal, esperava dela um grande “não” e um sermão sobre como aquilo era contrário às regras.

Estava desesperada para sentir aquilo de novo. Decidi que buscaria mais daquilo nem que fosse sozinha. Fui até um amigo de um de meus primos, que eu sabia que era Inválido e trabalhava com coisas ilegais. Gastei todo meu dinheiro em um computador que não fosse fornecido pelo Governo, ou seja, um computador sem nenhum tipo de restrição quanto ao que acessamos.

Comecei a procurar por músicas e encontrei tantos nomes! Imaginava o que todos aqueles artistas estariam fazendo agora que sua fonte de alegria e renda havia sido extinta. Comecei ouvindo alguns dos artistas que me aparentavam mais populares. Drake, Madonna, The Beatles, One Direction, Beyoncé, Ed Sheeran, Rihanna, Kanye West, David Guetta, Rolling Stones. Os estilos de cada música era muito diferente! Por que diabos nos tiraram isso?! Eu escolhi algumas músicas dos artistas que mais gostei e fiz download, colocando-as no meu celular.

Já faziam alguns dias que eu estava escutando as músicas ilegais e a cada dia gostava mais de escutá-las. Eu passei a todos os dias ir escutando músicas enquanto dirigia até a escola, e hoje não era diferente.

Quando cheguei à escola, estacionei e assim que desliguei o carro uma de minhas músicas favoritas começou a tocar. Decidi ficar para escutar até o final. Fechei os olhos e me permiti sentir a música, quando abri os olhos e olhei no relógio, percebi que a aula começaria em 2 minutos. Estava atrasada!

Com pressa abri a porta do carro, e sem querer fiz com que uma garota se chocasse contra a porta, batendo a testa e derrubando com meus livros, cadernos e meu celular. O mesmo celular que tocava Halo da Beyoncé, uma música ilícita.

Meu coração pareceu parar de bater enquanto a garota abaixava e recolhia minhas coisas que havia caído no chão. Ela se levantou e devolveu minhas coisas, aparentemente não havia notado a música tocando. Com rapidez despluguei os fones e joguei-os na mochila. Lembrando de minha educação e reconhecendo a garota, disparei:

- Me perdoe! Eu sou extremamente desatenta, não a vi aí! Você se machucou? Por favor me deixe acompanhá-la até a enfermaria, pode ser algo sério!

- Não é, fique tranquila. Já passei por coisas piores! - Me respondeu com extrema polidez.

- Tem certeza? - Ela meneou a cabeça positivamente. - Neste caso, é melhor eu ir! Estou atrasada! Te vejo por aí, sim?! - Disse fechando a porta do carro e me encaminhando para dentro da escola.

Por sorte o Sr. McBright, me deixou entrar. Prestei muita atenção na aula de Química e consegui resolver todos os exercícios dados em sala. Estava mentalmente exausta. O sinal bateu e eu me dirigi até meu armário, cumprimentando várias pessoas no caminho.

Não me considerava a pessoa mais popular da escola, mas eu tinha um jeito extrovertido, então fazia novos amigos facilmente e conversava com todas as pessoas.  Encontrei Lauren ao lado de Normani vindo em minha direção. Quando elas se aproximaram e Lauren disse:

- Você fez o resumo do Capítulo 13 sobre bactérias? Eu me esqueci de fazer e acho que ela não vai me deixar entregar. Mani disse que me ajuda a fazer agora entre aulas, mas acho que não dará tempo. - Seu tom era preocupado. Lauren queria ter o currículo acadêmico perfeito, então sempre fazia tudo que os professores pediam, mesmo que fosse opcional. Não que ela fizesse porque gostava, mas o fazia pela pesada cobrança que os Jauregui’s exerciam sobre ela.

- Era obrigatório fazer? Não sei se dará tempo,você acha que consegue ajudá-la em cinco minutos? - Perguntei me dirigindo a Normani. Nós três tínhamos a próxima aula, Biologia Avançada, juntas.

- Acho que consigo sim, mas não será um dos melhores da sala. Não podemos nos atrasar então melhor se decidir logo, Lauren. - Normani respondeu, passando as mão pela nuca, pescoço e testa.

- Eu teria feito na primeira aula, mas você entrou atrasada Mani! - Lauren disse, já levemente irritada.

- Agora é minha culpa que você não se lembra das suas responsabilidades? O resumo é opcional Lauren, não é necessário todo esse desespero. Preciso ir meninas, até logo. - Normani respondeu e saiu de perto de nós, caminhando devagar até o final do corredor, onde ficava nossa sala.

- E agora Dinah? O que vou fazer? Se eu ficar com notas baixas no final do semestre você sabe que meu pai vai brigar muito comigo! Sou uma garota morta! - Lauren disse em um tom dramático.

- Corta o drama, Srta. Certinha. - Olhei para a esquerda e vi uma garota que havia se transferido há pouco tempo e nós tínhamos a mesma aula de Biologia e Física Espacial. Eu sabia que ela era bem reservada, porém extremamente inteligente e disciplinada. - Achei sua solução.

Andei até a garota e contei do “problema” de minha amiga dos olhos cor de esmeralda. Ela me olhou nos olhos e disse que tinha feito um resumo extra pois havia encontrado um outro assunto interessante e poderia dá-lo para Lauren. Rapidamente aceitei e perguntei se ela se sentia melhor, ela passou a mão sobre seu hematoma no rosto, agradeceu e disse que sim. Voltei até Lauren que agradeceu e andamos rápido até a sala pois o sinal já iria bater. Lauren sentou em seu lugar habitual, que era a meu lado e eu sentei atrás de Normani.

A aula passou e a professora aceitou o resumo de Lauren. O dia correu e logo chegou ao fim. Fui caminhando até meu carro, cantarolando baixinho a música que estava escutando mais cedo. Entrei no carro e após ligá-lo dirigi calmamente até minha casa. Chegando lá, vi uma carro estranho estacionado. “Quem será?” pensei. Nunca tínhamos visitantes em casa e aquele não se encaixava nos modelos de carros que eram usados pelas autoridades locais. Desci do carro e apreensiva, entrei em casa.

Chegando lá, tive uma surpresa ainda maior do que eu esperava ao ver Camila sentada em meu sofá, conversando amenamente com meus pais. Assim que a porta bateu atrás de mim, meus pais e a visitante olharam para mim. Camila sorriu sem mostrar os dentes e meus pais me disseram que ela veio para falar comigo.

Pedi que ela me seguisse até meu quarto e ela prontamente o fez. Chegando lá, fechei a porta e esperei que a mulher  se pronunciasse. Ela olhava meu quarto, aparentemente curiosa. Seria mentira dizer que eu não tinha milhares de perguntas para fazer à Camila. Minha mente estava uma confusão desde que a vi na festa de Halsey.

Minha primeira dúvida foi: “O que uma curada está fazendo aqui?”, inúmeras perguntas me invadiram o pensamento logo após essa, todas acompanhadas de teorias absurdas que não chegavam a conclusão alguma.

Camila como se lesse meus pensamentos, puxou a cadeira que ficava em frente à minha escrivaninha, a posicionou de frente para a cama e pediu para que eu me sentasse e ficasse confortável.

Apesar do clima tenso no quarto, me sentei na cama e estava animada para escutar  o que quer que seja que a latina estivesse ali para me dizer. Ela respirou fundo e endireitando-se na cadeira, olhou nos meus olhos e disse:

-  Tenho certeza que sua cabeça se encontra uma bagunça devido aos recentes acontecimentos. Estou aqui para explicar tudo que você quiser saber, desde que você prometa que não contará nada a Lauren. Ela nunca poderá saber que eu sequer estive aqui.

Olhei para ela, curiosa. Tentei pensar na melhor das perguntas que corriam desgovernadamente em minha mente. Decidindo-me entre todas, perguntei:

- Quem você realmente é, Camila?


Notas Finais


E ai? Mandem suas teorias!!

O que será que a Camila vai falar?

Até o próximo!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...