História Insaciáveis - Contos - Shot: 10 - Meio Irmão! - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook
Tags Bts, Hopekook, Hoseok!top, Irmãos, Japao, Jungkook!bot!, Kookhope, Lemon, Mention!jikook, Pwp, Yaoi
Visualizações 311
Palavras 3.630
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Levei um ano, mas voltei com o ultimo capitulo /0/

Aaah um coisinha diferente que eu pus no lemon, algumas pessoas acham bizarro, eu gosto (͡° ͜ʖ ͡°)
Mas só deixando claro que existe é possível.
Eu to sempre me baseando em pornôs e tentando inovar nos lemons.
Aaah obrigada a que leu e esperou até aqui amo esse couple de paixão.

Aah as músicas que eles ouvem são do canal da TrapNation muitos conhecem outros não, recomendo muitoooo eles fazem remix com as músicas famosas e ficam melhores q as originais. Kkkk

Enfim obrigado e até as notas finais.

Capítulo 3 - Irmãos.


Aquele mês havia se passado depressa. O clima havia esfriado mais consideravelmente, e eu já podia observar os pequenos flocos esbranquiçados se amontoando nas quinas de minha janela, toda manhã.

Minha mãe havia conseguido um emprego em meio período em uma empresa, mesmo com Jiwon dizendo que não era necessário. Era óbvio que minha mãe nunca aceitaria ficar às custas dele. Precisávamos de um porto seguro.

Não que eu acreditasse que à qualquer momento eles se separariam, e nós precisáriamos voltar pra Coreia imediatamente. Claro que não. Só não podíamos depender dele pra tudo, e a apoiei com sua decisão.

Já na escola as coisas estavam mais tensas. Minha relação com os garotos haviam mudado bastante. Pra ser mais específico, minha relação com o Park havia mudado bastante.

O ruivo ja não mais brincava comigo, como antes. Não jogava cantadas, e nem tentava se reaproximar. De certa forma cheguei a sentir falta das brincadeiras, mas tudo havia ficado tão estranho.

Eu percebia o clima que ficava na mesa, quando o Jung chegava. Este que não me dirigia a palavra, e trocava meia dúzia delas, apenas para me desejar bom dia, ou coisas aleatórias .

Percebi também o clima estranho entre ele e o ruivo. Estes não se falavam mais como antes. Tirando o fato de que os outros garotos estavam agindo normalmente com todos, tudo estava estranho.

Desde o dia em que o moreno havia me deixado na porta de casa, nós não tínhamos tido uma conversa sobre o ocorrido no estacionamento do clube.

Eu havia passado dias à espera de uma mensagem ou uma visita, para que tocássemos no assunto, mas isso não aconteceu.

Desde aquele dia eu passei inúmeras horas perdido no tempo, tentando desvendar as coisas na minha cabeça, tentando achar uma saída ou uma explicação pelo que aconteceu.

Nós não nos falávamos, mas era nítido nos olhares que me lançava, que ele estava se esforçando para não o fazer. Vez ou outra eu o pegava me encarando, e vice versa .

Era estranho me pegar o encarando enquanto o assistia se entrosar com seus amigos. Era bonito de mais tinha que admitir.

Hoseok apesar da sua idade já tinha um porte de homem. E aquelas tatuagens e piercings só contribuíam com isso. O corpo robusto, Os cabelos castanhos agora mais curtos, raspado nas laterais, e aquele malditos olhar cheio de significados.

Eu sentia uma imensa vontade de chegar até ele, mas ao mesmo tempo sentia que devia ficar na minha.

Eu sabia que ele percebia isso, e eu sabia que ele também se controlava para não fazer o mesmo. Mas no fim de tudo nenhum nem outro saia da sua zona.

Então apenas decidi que não iria mais pensar naquilo por hora. Apenas esperaria pelo dia que isso aconteceria.

某某某

Com o passar dos dias minha comunicação com meu melhor amigo, ainda residente na Coreia, havia melhorado bastante. Já estávamos nos acostumando com a distância, e a forma na qual nos falávamos.

Taehyung e eu sempre fomos muito ligados, e não seria a distância que abalaria nossa amizade.

Naquela tarde desabafava com o loiro através da chamada de vídeo, sobre as frustrações de não poder falar com meu "meio irmão não oficial ainda". Taehyung à essa altura do campeonato já estava ciente de tudo que se passava na minha vida.

Eu fazia questão de não deixar nada passar para meu melhor amigo. Mas infelizmente não tínhamos a mesma opinião sobre os fatos contados por mim.

- Claro que não! Você só pode estar louco. - Falei exaltado frente ao meu notebook sobre a cama.

- Kookie.... pensa comigo! por quais outros motivos ele te beijaria hum? - Disse se aproximando da câmera quase a sacudindo.

- Eu não sei! vai ver ele estava bêbado de mais. - Falei crusando os braços.

- Por que você tem que ser tão teimoso em?

- Olha não quero mais falar sobre esse assunto ok? - Falei fingindo que mexia em meu celular.

- Ah mais você não vai fugir mesmo! Pode ir me contando os detalhes. já ficamos muito tempo sem nos falar. Anda me conta, ele beija bem? - Disse se deitando de bruços na cama frente ao seu notebook.

- Eu não me lembro. - Disse inflando as bochechas.

- Claro que você se lembra Jeon jungkook! Anda desembuxa!

- Aish... não sei.. acho que sim. - Falei desviando o olhar da câmera.

- Como acha que sim? ou beija bem ou não beija, para de enrolação.

- Aish Ta! beija! beija muito bem tá satisfeito? - Falei emburrado me jogando de costas na cama.

- E você... gostou?

- Mas que tipo de pergunta é essa? Olha eu já disse e vou repetir: Não estou afim dele! E nem ele de mim! ponto final.

- Como nao? Para de ser cego pelo amor de deus!

- Taehyung me escuta. Não tem como isso dar certo. Não tem nem como. nós nos conhecemos à tão pouco tempo.

- E desde quando tem um tempo determinado pra ficar afim de alguem? Logo você me dizendo isso? O garoto que saia pegando geral.

- Aish me poupe Taehyung.

- Mas é verdade.

- Isso é impossível ok?

- Por que você não tira a prova então ?

- Como assim? eu não vou pergunt-

- Nao! Calma, não precisa falar nada com ele.

- Então como?

- Você pode simplesmente tirar isso dele com... atos. Nada como um pouco de provocação hum?

- Qual o seu problema Kim Taehyung ? Meu deus por que eu dou ouvidos a você?

- Eu estou falando serio! Se você não quer perguntar pra ele, somente observando as reações dele você vai ter uma resposta.

- Aish... e como pretende que eu faça isso?

- Huum isso eu ainda não sei...

- Ótimo, ajudou bastante.

- Sei lá você só precisa de uma oportunidade, como vou saber?

- Não sei... - Disse me sentando já mexendo no celular novamente. - Eu nem sei se quero sab-

Parei de falar no momento em que uma mensagem chegou no mesmo, e ver de quem era.

- Que foi? Por que ta com essa cara? -Perguntava Tae do outro lado.

- Ele acabou de me mandar uma mensagem.. - Disse virando a tela do aparelho, pro notebook.

- Responde logo então droga. - Dizia empolgado.

[HS]: Hey           Jeon?

[JK]: Oi?

[HS]: Hum.. Então, vou direto ao ponto, meu pai está planejando pedir sua mãe em casamento hoje a noite.

Li quase me engasgando com a saliva.

[JK]: Ta falando serio? :0

[HS]: Sim, meio que preciso da sua ajuda.

[JK]: O que eu posso fazer?

[HS]: Bom, preciso que convença sua mãe a vir aqui hoje vou falar com ela e enventar algo, eu farei minha parte também, e depois vou fingir que vou dormir ai, ai depois eu saio não se preocupe já esta tudo esquematizado. Pode ser?

[JK]: Bem... parece que pode dar certo, ta tudo bem então.

[HS]: Então combinado. te mando mais detalhes.

- Se joga que é teu. - Disse Taehyung apos eu mostra-lo a conversa.

- Ne começa , eu tenho que sair, tenho que bolar o que dizer pra minha mãe.

-Ta mas não esquece de me contar tudo.

- Ta ta! até mais.

...

Desliguei o aparelho e fiquei relendo as mensagens até que o mais velho me mandou exatamente o que dizer. Era uma mentira boba. Ela ligaria pra ele pra confirmar tudo e ele reforçaria a mentira. OK, agora seria esperar minha mae chegar e começar o plano.

某某某

As coisas felizmente estavam saindo como combinado. Minha mãe havia caido como um patinho, e correu toda preocupada pra casa do jung mais velho.

Ja fazia mais de trinta minutos desde que hoseok estava na minha sala, e só estava esperando ele ir embora como ele disse que faria.

Vim para meu quarto com a desculpa de que tomaria um banho. Mas a verdade era que só estava matando o tempo até que ele saísse. Nao queria ter que encara-lo.

De banho tomado e com o roupão vestido, sai enxugando os cabelos em busca do meu celular, mas não esperava mesmo, encontra-lo ali ainda, encarando o próprio celular, totalmente largado em meu sofá.

- Oh.. ainda está aqui? - Disse tendo seu olhar agora em minha figura.

- É... - Ele me encarava tentando não desviar o olhar pra baixo. E eu notei claramente aquilo. - É que os meninos não vão mais, então estou... esperando a confirmação do Yoongi pra ver se posso dormir lá. - Disse com um pouco de dificuldade.

- Olha... se não se encomodar pode dormir aqui. - Disse me aproximando e me sentando no sofá da frente, encontrando meu celular ali.

- Não! - Respondeu respondeu rápido até de mais, e o encarei meio sem jeito. - Quero dizer... não seria uma boa ideia... nós nem estamos nos falando direito..

- Não estamos porque você quis assim..

- Eu?

- Olha.. quer conversar sobre o que aconteceu?

- Não! -Respondeu rápido de novo, dessa vez cruzando os braços parecendo irritado e deixando de me encarar.

- Tudo bem então. - Suspirei alto, pegando meu celular e mandando uma mensagem pra taehyung.

[JK]: Ele está aqui.

[TH]: Serio????

[JK]: Sim. (Anexo)

Respondi e após desligar o som do aparelho tirei uma foto direta pra mensagem o mostrando o garoto a minha frente.

[TH]: Waaa ele é tão

gostoso. *0*

[JK]: Menos - -'

Não sei o que fazer

droga.

[TH]: Essa é sua chance

kookie aproveita!

[JK]: Aish... o que eu

faço?

[TH]: Huuuum

vejamos... Ah!

Veste algo provocante

Sei lá, bota uma musica

pra tocar.

[JK]: provocante?

Porra eu to' só

de roupão.

[TH]: PORRA KOOK

APROVEITA!

Presta atenção em

tudo que eu disser.

Li com atenção cada absurdo que meu amigo me mandava fazer. E comecei a agir aos poucos. Encarei o rapaz emburrado digitando rápido em seu aparelho. Cocei a garganta um pouco alto, chamando sua atenção.

- Hum.. você quer sla... ouvir música? - Falei tentando não ficar vermelho.

- Ha... pode ser.. - Disse dando de ombros.

Levantei deixando o celular sobre o estofado e caminhei ate a estante ao lado, e ligando o aparelho já conectado com meu pen driver, começando a tocar uma serie de músicas do "TrappNation"* que eu curtia muito, e creio que ele também.

Ele me encarou sorrindo de lado como se dissesse que gostava daquela música e eu sorri de volta satisfeito com aquilo.

Voltei ao meu local dessa vez cruzando as pernas logo em seguida fazendo a lateral de meu roupão mostrar uma parte generosa da minha coxa. Se eu já estava apelando? com certeza.

Informei ao meu amigo tudo o que fazia e este com certeza abusando de seu capslook estava gritando do outro lado.

Eu sabia que o outro me encarava disfarçadamente , e eu estava começando a gostar daquilo... Era só pra tirar umas duvidas. Mas como estas estavam sendo provadas a cada segundo eu quis ver até onde ia. Taehyung me deu uma ideia, mas eu achei deveras abusada. Não teria coragem de fazer aquilo. Então apenas continuei com provocações discretas.

Trocas de pernas, roupão escorregando pelo ombro, passadas de mão pelos cabelos molhados. Ora ou outra ria um pouquinho alto, fingindo estar lendo alguma idiotice de meu amigo. E havia o pego varias vezes me encarando.

OK! Estava na hora da cartada final.

Eu faria o que Taehyung me mandara fazer.

Estava excitado de mais com a tensão pra negar.

Então cuidadosa e lentamente coloquei as pernas cruzadas encima do sofá... Sim.. eu descaradamente dei um pouquinho da visão de minha nudez por entre o tecido.

Foi audível a lufada de ar que este soltou. E sem aguentar mais o encarei, e este já havia largado seu celular a muito tempo, e me encarava por entre aquela franja caída sobre seus olhos.

Larguei meu celular de lado e ele pareceu entender aquilo. Levantou caminhando lentamente enquanto encarava todo meu corpo naquela posição, com o cenho franzido.

O vi se ajoelhar à minha frente, desfazendo o cruzamento de minhas pernas, as colocando no estofado como antes. e suspirei com o toque de seus dedos em minhas panturrilhas.

- Está querendo me enlouquecer?... - Disse soprado. encarando minhas coxas. e depois meus olhos.

- Talvez... - Disse no mesmo tom.

Mas fui mais ousado... Desci as mãos lentas até o laço do tecido o desfazendo sem parar de encara-lo, e deixando ao seu critério o que fazer...

Então senti suas mãos delicadamente puxando cada lado do tecido, para fora, e encarar de cima a baixo meu corpo, com desejo... mordendo os lábios.

Foi tudo tão rápido que só deu tempo de fechar os olhos e gemer baixinho com a boca aberta, assim que sua boca atacou meu abdômen. Sua lingua quente lambeu-me de cima a baixo, desde meus mamilos até meu umbigo.

Cada vez subindo mais, até estar em meu pescoço, enquanto suas mãos arranhavam minhas coxas , sentia seu quadril dentre minhas pernas quase fundido ao meu, enquanto eu fazia questão de ondular, roçando-me em seu corpo ainda vestido.

- T-tira... - Disse segurando a barra de sua camisa.

Assim que o fez, me deitei no sofá puxando seu corpo para cima do meu, abrindo o maximo de minhas pernas, para recepciona-lo do melhor modo.

Sua boca atacou a minha de uma forma desesperada cheia de desejo, suspiros e mordidas. Tratei de traçar belas linhas em suas costas, com minhas unhas curtas.

Desci as mesmas por sua cintura as pousando sobre o jeans folgado, e abrindo o zíper com uma calma contrariando todos nossos movimentos. E então adentrei a mesma pelo tecido de sua roupa intima, vendo o interromper o beijo para gemer ao sentir o toque em sua área quente.

O segurei com força, descendo e subindo minha mão lentamente, enquanto brincava com o polegar por suas partes sensíveis, sentindo o quão melado estava.... Melei meu dedo propositalmente em seu liquido, o levando aos lábios e chupando com tanto desejo que senti meu próprio membro pulsar de tesão.

O encarei vendo sua boca pregando de prazer com a cena dos meus dedos entre os lábios provando de seu fluido...

- Gosta? - Gemeu arrastado praticamente. E eu apenas franzi o cenho em deleite assentindo. - Quer mais? - Ah.... quase gemi em ouvir aquilo. E assenti rapidamente.

Vi se levantar com pressa e retirar o resto de suas roupas, e expor finalmente o que eu queria ver naquele momento. Ah... como era lindo aquele corpo.

O senti engatinhar por cima do meu corpo ainda deitado, e se por montado em meu peito. O encarei desejoso, recebendo suas feições prazerosas em resposta.

Se inclinou com cuidado esfregando-se em meus lábios, me fazendo sentir aquele gosto novamente. Ah... eu quis gemer naquele momento.

Abri minha boca para recebe-lo por inteiro aos poucos, o sentindo adentrar um pouco mais a cada segundo. Encarei seus olhos famintos, sentindo sua mão agora segurar meus cabelos enquanto sentia seu quadril acelerar cada vez mais os movimentos.

Aquilo estava bom de mais, estava me enlouquecendo, já sentindo meu membro pingar contra minha barriga, levei uma das mãos o acariciando lentamente, e adentrando a pontinha de meu dedo dentre a pequena fenda de minha glande, como eu estava acostumado a fazer.

Enfiando aos pouqinhos eu já tinha a falange de meu mindinho penetrada na mesma. Estava acostumado a fazer aquilo, então não me machucava , pelo contrario... duplicava o prazer que sentia.

E já movia meu quadril em busca de mais, com a outra mão ora com meus dedos. adentrando minha entrada com vontade ora apertando a cintura do moreno acima de mim obtendo mais contato com o ondular da mesmo.

Sentindo seu gosto descer por minha garganta cada vez mais, minha respiração já desregulada e meus gemidos abafados e sôfregos pela necessidade que meu corpo estava.

O puxei com força o trazendo pra cima de mim por completo, o mesmo escorregando por entre minhas pernas abocanhou meu membro com vontade enquanto seus dedos escorregavam pra dentro de mim, brincando em meu interior. Maldito.... seu dedo ora ou outra esbarrava com força naquele pontinho certo e este fazia questão de me torturar esfregando a pontinha do dedo neste , o acariciando, as vezes o esmagando praticamente com seus três dedos.

Eu me contorcia sobe o estofado gemendo cada vez mais sofrido e manhoso, por entre as batidas da música . Encarava seu rosto se afundando cada vez mais rápido, enquanto fazia questão de enfiar a pinta da lingua em minha fenda, ora a enfiando quase que a metade dentro deste, e nestas oras em sentia que morreria de tesão ali, as pernas já espasmando o suor descendo descontrolado, meu queixo e pescoço já molhados pela minha própria saliva, que havia escorrido do ato anterior.

Não aguentando mais tanto estimulo de uma vez só, o puxei forte pelos cabelos encaixando nossas bocas ainda o sentindo brincar em meu interior, esfreguei nossos corpos já escorregadios, pedindo por mais...

Então sem esperar alguma atitude sua, enfiei minha mão por entre nossos corpos, segurando seu membro teso entre meus dedos, arrebanhando o maximo possível de minhas pernas e o encaixando em mim mesmo, sentindo o mesmo escorregar pra dentro imediatamente , me fazendo gemer arrastado consideravelmente alto em deleite, sentindo sua glânde atravessar cada anel apertado do meu canal, se encaixando perfeitamente até onde alcançava.

Sem a necessidade de esperar mais, puxei seu quadril de vez com as pernas entrelaçadas neste, o obrigando a se movimentar logo. E como se fosse pra provocar, este começa lento. Ondulando-se fraco, saindo e entrando lenta e tortuosamente, mas só mente para voltar com uma estocada forte desta vez, que me fez arquear as costas na mesma hora, e gemer alto.

O que apenas se repetiu a partir dali, estocadas impiedosas que com certeza estavam deixando minhas nádegas completamente vermelhas. Meus cabelos sendo puxados com força enquanto seus dentes casticavam a pele de meu pescoço. Aquela estava sendo com certeza a melhor foda de todas que tive em minha vida.

Eu só sabia que precisava gozar... Busquei sua mão livre e levei até meu membro, parando a mesma quando esta tentou se movimentar no mesmo. Afastei um pouco seu abdômen do meu, tendo seu olhar agora sobre o que eu fazia este apenas observou meu ato desacelerando um pouco as estocadas.

Segurei seu dedo mindinho o trazendo até a boca e o chupando com força, ainda sem entender nada o moreno sorriu de lado confuso e apenas ri de volta. Dando graças a deus por perceber que ele não tinha unhas grandes, segurei meu membro e com a outra mão segurando seu dedo o aproximei de minha fenda e lentamente introduzi a pontinha deste ali, agora tendo o olhar do maior sobre meus olhos, ele parecia surpreso.

- Não te machuca? - Sussurrou perto de meus lábios e apenas neguei.

Este começara a fazer movimentos de vai e vem no local, e já sentia meu corpo vibrar de tesão com aquele contato. Nunca havia feito aquilo sem ser com meus próprios dedos, e hoseok parecia saber exatamente o que fazer ali, para me enlouquecer.

Senti seu corpo voltar a se mexer com mais força enquanto seus lábios voltavam a me provocar, ele garoto estava me enlouquecendo....

Suas estocadas voltaram a ser fortes, acertando com mais freqüência o local que eu tanto queria, enquanto sentia seu dedo brincar com o canal em meu membro, aquilo era prazer de mais em meu corpo... eu já gemia descontrolado... Era um misto de arrepios com a proximidade de um orgasmo e uma vontade boa de fazer xixi. Era inexplicavelmente bom...

Eu gemi alto quando senti... estava vindo... Agarrei suas costas com minhas unhas, ele que me perdoasse depois, mas usaria toda minha força ali, e o ouvi gemer alto pela dor. O senti por mais força se é queda possível... Assim que senti seu dedo forçar a entrada mais ainda em meu canal, e se mover dentro do mesmo, apenas deu tempo de puxar sua mão com força liberando a passagem, e jogando minha cabeça pra trás gemi quase chorando de tesão, sentindo minhas coxas se fechando com força pelos espasmos, enquanto sentia os jatos quentes espirrar em por entres nosso corpos.

O vi se retirar de meu interior e montar rapidamente em meu peito começando a se tocar com força, Estava apressado e ofegante, sabia o que queria, então de bom grado abri a boca a tempo de receber seus jatos quentes em minha garganta, enquanto observava suas feições involuntárias moldarem seu risto por conta do orgasmo forte.

Respirando ofegante ainda o mesmo se levantou e se sentou largadamente e sem forças no sofá da frente.

- Já cansou? - Perguntei só de brincadeira já que estava tão destruído quanto.

- Ta louco? - Riu, e fiz o mesmo.

- Acha que minha mãe volta hoje? - Perguntei depois de um tempo.

- Com certeza não. - Riu envergonhado e eu entendi rindo da mesma forma. - Mas... por que a pergunta?

- Humm.. nada.. - O olhei sujestivo. e ele riu novamente, entendendo.

某某某

Estávamos deitados em minha cama depois de um ótimo banho, enquanto assitiamos algo em meu notebook, e só então tive coragem de perguntar o que estava guardado à um certo tempo.

- Hobi..

- Huum. - Disse sem tirar os olhos do filme.

- Agora você já pode me explicar o por que daquele climão com o Park lá na boate? - Disse ouvindo seu suspiro e logo pausou o filme.

- Serio? - Riu. - Aish... digamos que eu tenha ficado puto com ele por que ele sabia o que eu sentia por você, e mesmo assim ele ficou em cima, aish...

- Huum sentia por mim é ? e o que seria isso?

- Aish... jungkook serio? - Riu sem jeito e eu ria do seu desconforto. - É só uma maneira de dizer que eu queria você entende? porra não me faz explicar essas coisas. - Dizia rindo tentando me bater com o travesseiro e eu só ria mais ainda.

- Huuuu... você me queria é? jung hoseok que coisa feia.. desejando o próprio irmãozinho... - RI.

- Pois é... espero que esteja preparado. - Riu montando em mim.

- É mesmo? e pra que mesmo?

- Se hoje sua mãe disser sim, sabe que vamos morar juntos não é?

- Oi? - Levantei pasmo me lembrando desse detalhe.

- Não vejo a hora.

- Será que a mamãe e o papai vão deixar os irmãozinhos dividirem o quarto? - Disse provocando.

- Pode apostar que vão.

Então eu já não via hora disso acontecer.

Não via a hora de contar

tudo aquilo pro Tae.

Até que mudar de vida não tinha sido tão ruim quanto eu pensei que seria.


Notas Finais


Enfim foi issoooo /0/ ta uma bosta? Ta! Mas a gente releva T..T
Eu não reli então mals os erros, escrevi logo e vim direto postar aqui .
Recomendo minhas outras shots pwp, e minha nova jikook longfic. que é com o tema internato. Então dêem um SAC lá, obrigadinho e bejos vou deixar o link aqui.

https://spiritfanfics.com/historia/condenados-5991790


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...