História Insane Like Me - Jane VS. Jeff - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jeff The Killer
Exibições 31
Palavras 2.670
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


OIá pessoas!

Boa leitura,aproveitem o cap :3

Bjss

Capítulo 2 - Capítulo 2


Fanfic / Fanfiction Insane Like Me - Jane VS. Jeff - Capítulo 2 - Capítulo 2

*Jeff The Killer*

Seus olhos verdes brilhantes me observavam atentamente,um sorriso sarcástico dominava seus lábios vermelhos.Quando sua boca pronunciou aquelas palavras frias,sua voz melodiosa retumbou em minha cabeça.

Em um flash,me lembrei dela.

-Ora,ora...Jane.Faz muito tempo,certo?-Sorri,arrancando minha faca do peito do garoto morto sobre a cama.O sangue respingou para cima,saltando de seu corpo e sujando o vestido de Jane.

Ela desceu do colo do cara,aterrissando delicadamente sobre suas botas de salto no chão de madeira.Havia algo atraente na maneira que ela se movia,fazendo-me observar seus passos com atenção.

-O quê você faz aqui?-Ela perguntou.Suas sobrancelhas franziram-se,seus lábios assumiram uma linha rígida.Em um segundo,todo o sarcasmo em sua voz foi embora,deixando apenas o ódio.

Lembrei de quando ateei fogo nela.A maneira que ela gritou,enquanto tudo que eu fiz foi ficar parado rindo histericamente.Na época,nós tínhamos 12 anos e eu nem se quer tinha virado um Proxy ainda.Mesmo agora,que temos 19 anos e que já se passaram 7,ela parece continuar brava com isso.

Ignorei a pergunta.

-Hmm...Vejo que você mudou bastante,Jane.Principalmente seu corpo...-Falei,olhando-a de cima a baixo demoradamente.-Você não parece guardar nenhuma cicatriz do nosso último encontro.Talvez estejam por baixo da roupa?Quem sabe você poderia tirá-la para darmos uma olhada...-Falei,aproximando-me com um sorriso malicioso.

Não tive nem tempo de pensar antes que seu punho atingisse minha cara.

-Merda..-Falei,limpando o sangue que escorria de minha boca.Levantei rapidamente do chão (onde eu tinha caído porquê,porra...Ela era forte.),segurando a faca e caminhando em sua direção.-Sua va...

Antes que eu pudesse terminar a frase,uma risada insana cortou o ar.

-Ah,então você a pegou,Jeffy?

Virei para encarar Jack,que parecia se divertir com a cena.

-Não pretende encostar nela,certo?-Ele falou enquanto se aproximava de Jane.-Ela é a nova protegida do Slender.Vai arrumar problemas se tentar machucá-la.

Ele falava com palavras educadas,mas eu seus olhos tudo que estava estampado era "escuta aqui seu bosta,se você se meter com ela vai dar merda com o Slender e ele vai arrancar seu pau."

Ele se virou para Jane,estendendo a mão.

-Olá,senhorita.Eu sou o Laughing Jack,mas você pode me chamar de Jackie.-Ele levou a mão de Jane até seus lábios e a beijou.-Sinto muito se meu querido amigo te chateou.

"Jackie"?!Que porra é essa,Jack?,pensei.

-Obrigada,Jackie.Eu sou a Jane.-Ela falou,sorrindo levemente para ele.

-Certo,Jannie.

Ele riu,seus dentes pontiagudos saltando para fora.Jane não parecia assustada com a presença dele,o que me deixou um pouco confuso.

Bufei,tentando me livrar da raiva que me atingiu quando Jack chamou ela de "Jeannie".Foi quase tão forte quanto a que me passou quando ela começou a se esfregar naquele cara,a única diferença é que Jack continua vivo.

-Jack,você parece estar esquecendo de uma coisa.-Falei,virando-me pra ele,que estava entretido observando Jane.O corpo dela,sendo mais exato.

-O que?-Ele falou.

-Puta que pariu,Jack.A gente tem que levar ela para o Slender.

A risada estridente dele cortou o ar.

-Quem vai levar ela vai ser você.Minha missão era te ajudar a buscá-la.

-Nem vem,caralho.O Slender deixou bem claro que queria que nós dois levássemos ela.

-Você andou bebendo,Jeff?Da onde você tirou isso?Era você que ia levar ela.

-Não era não.

-Era sim,porra.

-NÃO ERA.

-ERA SIM.

Gritei de raiva e parti pra cima do Jack com a minha faca.Enfiei ela até o cabo no braço dele,antes de ser arremessado na parede do quarto.

Levantei correndo,pronto para mais uma,quando algo me parou.

-Jeff...?-Ele falou,olhando para os lados.

-O QUÊ FOI?-Eu já queria matar o Jack de tanta raiva.

-Onde tá a Jannie?

Dei uma rápida olhada no quarto.Fora eu,o Jack,e o fracassado na cama,não havia ninguém.

-Puta que pariu...


*Jane H. Arkensaw *

Corri pela floresta que cercava a casa,o barulho dos gravetos quebrando conforme eu andava estava me deixando louca.

Eu estava com muita sorte que o Jeff e o Jackie começaram a brigar e não me viram saltar pela janela.Realmente,fiquei levemente assustada quando vi Jackie aparecer no quarto,sua estrutura diferente me surpreendeu.Mas depois eu pensei "já vi tanta coisa,por quê eu deveria ficar assustada com ele?" E ele foi até gentil comigo,então deixei para lá.Só estava contando em chegar em alguma casa ou coisa assim antes de ser tomada pelo cansaço.

Esperando retomar um pouco o fôlego,parei um pouco em um campo de vegetação baixa.As árvores faziam um círculo  à sua volta,enquanto a lua iluminava o lugar e refletia em uma lago próximo dali.Parecia o lugar perfeito.

Sentei-me no chão,respirando fundo.Eu amava o cheiro do orvalho que as plantas tinham durante a noite.Era reconfortante e me deixava calma.Fechei os olhos e deixei o vento soprar meus cabelos,revigorando minhas energias.

-É muita falta de educação isso,Jane.Sair de fininho enquanto os outros não estão olhando.

Uma voz grave e levemente rouca soou em meus ouvidos,arrepiando-me.Antes que eu pudesse revidar,senti um peso sobre mim.

Olhei para cima,encontrando aqueles olhos negros e a mesma boca sangrenta de sempre.

-Jeff.-Falei,mas minha voz sumiu quando ele puxou sua faca.

Ele estava com os dois joelhos em volta de mim,me cercando.Seu corpo ia pra frente,seu rosto tão perto do meu que eu conseguia sentir sua respiração quente sobre a minha boca.

-Por que está olhando fixamente para minha boca,Jane?Está pensando em beijá-la?-Ele falou em meu ouvido.Ele me empurrou até eu estar deitada no chão,ele por cima.

Merda.Eu parecia tão pequena comparada a ele.

-J-Jeff,s-saia de cima de mim...-Tentei falar,mas minha voz saiu fraca.

Ele riu,a ponta de sua faca roçando meu pescoço.

-Ah,não,Jane.Logo agora que a diversão vai começar?

Ele levantou meus braços,prendendo-os sobre minha cabeça.Virei a cabeça para o lado,evitando olhar para ele.Eu queria sair dali,mas ele era muito forte.

Tentei me erguer sobre meus cotovelos,o empurrando com o corpo,mas isso só fez com que ele soltasse um dos meus braços e puxasse meu cabelo para trás.

-Jeff...Jeff,me solta.-Gritei.

Ele sussurrou em meu ouvido para que eu ficasse quieta.Fechei os olhos com força.

Era realmente ali que minha vida acabaria?Morta por esse babaca?

Não.

Minha vida tinha acabado no dia que ele matou meus pais e quase causou minha morte.Aquele foi meu ponto final.Agora,eu realmente estava no inferno.

Mas ele não ia sair impune.Não dessa vez.

Abri os olhos com determinação.Porém,o modo como ele me olhava me hipnotizou.

Seus olhos escuros estavam vidrados nos meus lábios.Talvez fosse apenas por causa da lua,mas seus olhos brilhavam fortemente enquanto ele me encarava.Sua boca estava a dois dedos da minha,fazendo minha respiração acelerar.

-Jeff...-Sussurrei contra sua pele.

Seu olhar desviou para meus olhos.Ele me encarava tão intensamente que parecia que conseguia ver minha alma.Sua mão não puxava mais meu cabelo.Ele havia enterrado os dedos em meus fios negros e segurava minha cabeça sob a sua.Ele soltou a faca e colocou sua mão livre em minhas costas,colando seu corpo ao meu.

Por um segundo,eu juro que o vi aproximando o rosto.

Instintivamente,fechei os olhos calmamente,meu corpo derretendo sobre suas mãos.

Sua risada insana me arrancou de meus devaneios.

-Você.-Ele nem ao menos terminou a frase,de tanto que ria.-Você realmente achou que eu te beijaria?!

Senti meu sangue esquentar.Como ele pôde fazer isso?!Eu queria socá-lo,como fiz uma hora atrás.Porém,eu estava com ainda mais raiva de mim mesma.Como em pude deixar ele me atingir daquele jeito?Eu nem ao menos tentei revidar.Apenas fiquei mole como uma amoeba em seus braços.

Mas antes que eu pudesse tripudiar,ele deslizou a mão que estava sobre minhas costas até estar na parte inferior de minhas coxas.Senti minhas bochechas esquentarem.

-O-o que está fazendo?-Falei.Eu tentei ao máximo deixar minha voz firme,mas ela acabou falhando.Não fazia nem sentido eu enrubescer.Eu tinha relações com outras pessoas como forma de ganhar a vida!Então por que eu enrubesci quando ele me tocou?!

Ele ficou de pé,puxando meu corpo junto.

-Awn,você fica muito fofa quando está corada.-Ele falou,sorrindo.

Sua mão em minhas coxas me empurrou para cima,forçando minhas pernas à se entrelaçarem em seu quadril.Instintivamente,joguei meus braços em volta de seu pescoço,o abraçando para não cair.

-Jeff,me coloca no chão.-Eu estava com tanta raiva que minha voz saiu firme dessa vez.

-Não.-Ele falou,seguido de sua risada insana.

Ele tirou sua mão de trás de minha cabeça,colocando junto com a outra em minha coxas.De repente,suas mãos migraram dali e se acomodaram em minha bunda.

Dei um salto,quase rosnando de raiva.

Eu ainda o abraçava,com receio de cair.Como meu queixo estava apoiado em seu ombro e minha bochecha colada na sua,consegui sentir um sorriso surgindo em seus lábios.

-TIRA.A.MÃO.DAÍ.-Rosnei.

-Acho que não.-Ele ria histericamente,seu corpo começou a se mover em direção às árvores.

Caminhamos pela floresta,eu pendurada no Jeff.Tentei não me concentrar em como eu conseguia sentir seus músculos enrijecerem sob seu moletom,ou em seu cheiro.Ele tinha um cheiro próprio.Era algo que misturava metal,suor e um perfume que eu não conseguia identificar.
Não sei como explicar.Só sei que era muito bom.

Xinguei a mim mesma mentalmente por estar pensando no cheiro dele.

-Jeff.-Falei,quebrando o silêncio.Senti sua cabeça virar levemente em minha direção.-Você sabe que consigo andar por mim mesma,não é?

-E como vou saber que não vai fugir?-Ele rebateu.

-Hm.É justo.-Falei.

Tirei os braços de seu pescoço,cruzando-os sobre meu peito.Deitei a cabeça em seu ombro enquanto fechava os olhos,tentando me aproximar mais.Eu queria muito ficar longe,mais o frio me obrigava a chegar mais perto.

Ele deve ter notado meu corpo tremendo,pois instantes depois voltou-se para mim:

-Você está com frio?

-Não.-Neguei,mas ele percebeu.

Ele bufou,aproximando-se de um tronco de árvore ali perto.

Não percebi o que ele faria até ele se sentar.Me afastei um pouco,enquanto ele habilmente abria o fecho do moletom.

-Não.Não precisa tirar o seu moletom.-Falei.

-E quem foi que disse que eu ia fazer isso?

Sentei sobre o seu colo enquanto ele me envolvia com o casaco,sem tirá-lo.Jeff fechou o ziper,colando meu corpo ao dele.

Sem eu perceber,ele levantou e continuou caminhando pela floresta.Infelizmente,ele não usava nada por baixo do moletom,o que tornou a minha missão de não me concentrar em seus músculos mais difícil.Eu não conseguia vê-lo,mais consegui sentir cada detalhe de seu corpo.Seu peitoral e abdómen definidos colaram-se a mim.Seu corpo era gelado,o que fez em me perguntar se ele não estaria com frio também.

De repente,o sono e o cansaço me atingiram em cheio.Pouco segundos antes de adormecer,deitei minha cabeça em seu ombro e enrolei meus braços em seu tronco,abraçando-o.

Mesmo que fosse contra os meus sentidos,uma pequena parte de mim não queria deixá-lo passar frio.

E,dessa vez,foi essa parte que ganhou.


*Jeff The Killer*


-Obrigada,Jeff...-Sua voz melodiosa soou em meios ouvidos,me puxando de meus devaneios.

Ela falava enquanto dormia.Era engraçado,mas alguma coisa na maneira calma e suave que ela pronunciou eu nome me tocou.

Seu corpo era tão quente (em todos os sentidos possíveis).Ela estava abraçada em mim,sua cabeça em meu ombro.Eu já não estava mais com frio,o calor de seu corpo já tinha se espalhado pelo meu.Sua respiração baixa ressoava em meus ouvidos,como uma sinfonia.Resolvi aproveitar o momento.Não era todo dia que eu tinha uma garota como a Jane pendurada em mim.

De repente,enxerguei a Mansão ao longe.

Era como uma casa antiga,parecia ser sombria,escura e abandonada.Quem via de fora nem imaginava que lá dentro moravam o Slender e seus oito Proxys:

Jeff The Killer
Eyeless Jack
Laughing Jack
Nina The Killer
Ticci Toby
Sally
Ben Drowned
ClockWork 

Bom,com a chegada da Jane,agora seríamos em nove Proxys,e dez moradores na casa.Eu sabia que a Jane tinha garra,mas ela não me parecia bem o tipo que seria capaz de matar a sangue frio.Veremos do que ela é capaz.

Chegamos na entrada da Mansão.Virei para Jane,grudando meus lábios à sua orelha.

-Jane..Está na hora de acordar...

Ela abriu os olhos devagar,dominada pelo sono.Tive que me segurar para não rir de sua cara de confusão enquanto eu a colocava no chão.

-Já chegamos?-Ela perguntou,coçando um dos olhos com o punho.Sua voz estava sonolenta.Ela não conseguia raciocinar muito bem,de modo que precisou se segurar em mim para ficar de pé.

Eu ri,abrindo o ziper e a liberando.Ela deu alguns passos até a porta da Mansão,aos tropeços.

Corri para a alcançar,abrindo a porta e dando de cara com todo mundo,menos a Nina.

-Vocês estão aqui,finalmente.-Falou Slender,enquanto entrávamos na casa.Os olhos de Jane percorriam cada canto da sala,observando tudo com ansiedade.

-Seja bem-vinda,Jane,à Mansão Creepypasta.


*Jane H. Arkensaw*


-Obrigada...-Falei ao homem esguio que apresentava-se à minha frente.Ele utilizava um terno preto e,mesmo sem possuir boca ou um rosto,sua voz ecoou no local.

Haviam outras seis pessoas atrás dele.Uma delas era o Jackie,quem eu já havia visto mais cedo;uma garotinha com um vestido rosa,cabelos castanhos e olhos verdes que portava um bichinho de pelúcia;ao seu lado,um menino que aparentava ter a mesma idade com um chapéu e roupa verde e os cabelos loiros.Seus olhos escuros e a boca sorriam para mim,enquanto um pequeno video-game portátil escondia-se em seu bolso;um garoto que aparentava ser mais velho com uma máscara azul forte de onde escorria um líquido escuro no lugar de seus olhos vazios;uma garota da mesma idade que tinha a boca costurada em um sorriso e um dos olhos era um relógio;e,ao seu lado,um garoto de capuz com óculos amarelos e uma máscara preta que impossibilitava apenas a visão de sua boca.

Todos eles pareciam um pouco estranhos mas,por algum motivo,eu não fiquei com medo.Na verdade,eu sempre me sentia desconfortável em qualquer lugar,mas ali não era assim.Tinha uma atmosfera diferente,que me fazia sentir como se eu pertencesse a aquele lugar.

Talvez eu estivesse apenas ficando louca.

-Bom,Jane.Eu sou Slender Man e sou o proprietário desta mansão.Todos que vivem aqui são meus Proxys,pessoas que obedecem minhas ordens.-Disse o homem sem face,aproximando-se de mim.-Em troca,dou-lhes comida abrigo e tudo que estiver ao meu alcance.Andei observando você,e confesso que enxerguei potencial em exercer a mesma função de meus agentes.

Ouvi atentamente suas palavras com uma expressão impassível.

-E que função seria essa?

-Fazer parte do meu grupo de assassinos de elite.Tenho conhecimento de que já cometeu crimes deste tipo,tudo que estou oferecendo é moradia e o que quiser por seu trabalho.-Ele falou.

Senti meu corpo tencionar.Era verdade.
Pouco antes de começar à trabalhar com Lindsay na boate,cometi vários assassinatos em minha busca por Jeff.Não me orgulhava de me igualar à ele mas, mesmo assim,nunca me senti mal por matar alguém.Tinha uma sensação de adrenalina que eu adorava,misturada com  o poder sobre a vida de uma pessoa.

-Então,está de acordo?-Ele falou.

Respirei fundo,refletindo.Eu ia ter de voltar a matar e teria que passar o tempo todo grudada no Jeff.Mas,por outro lado,eu ganharia o que quisesse e teria tempo e artimanhas de planejar minha vingança.

Por que não?

-Sim.Eu aceito.


*Narrador Observador*


Slender acena com a cabeça em concordância,apresentando os outros Proxys em seguida.

-Estes serão seus companheiros.Estas são Sally e ClockWork.-Ele fala,apontando para a garotinha de vestido rosa e para a moça com o olho de relógio,
respectivamente.

Sally sorri,abraçando seu ursinho.

-Seja bem-vinda,Jane.Espero que sejamos amigas.

Jane sorri,agradecendo.ClockWork a cumprimenta com uma piscadela e um pequeno sorriso bem humorado,
retribuído por Jane.

-Estes são Eyeless Jack,Ben Drowned e Ticci Toby.-Ele diz,apontando para o garoto com a máscara azul,o menino de chapéu verde e o com os óculos amarelos,respectivamente.

Eyeless Jack e Ticci Toby acenam com a cabeça,Jane faz o mesmo.Ben Drowned corre em sua direção,sorridente.

-Hey Jane!Bem-vinda!A gente pode jogar video-game mais tarde,o que acha?!

A morena ri do entusiasmo do garotinho,concordando com ele.Ela está começando a gostar do local,quando ouve o barulho de sapatos nas enormes escadas da sala.

-Ah,então a novata está aqui?-Fala uma garota de cabelos negros com uma mecha rosa e suéter roxo,caminhando pelo saguão.

Jane observa seus passos com atenção.Ela não gostou nem um pouco do tom da garota.Mas por algum motivo,sua voz soou familiar...

Um sorriso está entalhado em seu rosto por uma faca,como o do Jeff.Ela estaciona em frente a Jane,sorrindo sarcástica.

-Eu sou a Nina The Killer.Pelo jeito,você acabou de cheg...

O olhar das duas se cruzam.Ambas se calam,sentindo a tensão preencher o local.Jane sente seu coração acelerar,a raiva crescendo.Mas uma vez,memórias de tempos anteriores lotam sua mente,impulsionando seu ódio.

Todos observam,atônitos,a raiva de Jane transparecer em seu rosto e o sorriso de Nina se aprofundar até explodir em uma gargalhada insana.

-Ora...Ora...Olha só quem está aqui...-Ela pronuncia cada sílaba por si só,atiçando a raiva da morena em sua frente.-Olá,mana.Como tem passado?


Notas Finais


Obrigada por lerem <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...